Itariri

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Itariri
  Município do Brasil  
Símbolos
Bandeira de Itariri
Bandeira
Brasão de armas de Itariri
Brasão de armas
Hino
Gentílico itaririense
Localização
Localização de Itariri em São Paulo
Localização de Itariri em São Paulo
Itariri está localizado em: Brasil
Itariri
Localização de Itariri no Brasil
Mapa de Itariri
Coordenadas 24° 17' 20" S 47° 10' 26" O
País Brasil
Unidade federativa São Paulo
Municípios limítrofes Iguape, Pedro de Toledo e Peruíbe
Distância até a capital 157 km
História
Fundação 24 de dezembro de 1948 (73 anos)
Administração
Prefeito(a) Dinamerico Peroni (PSDB, 2021 – 2024)
Características geográficas
Área total [1] 272,777 km²
População total (Estimativa IBGE/2014[2]) 16 602 hab.
Densidade 60,9 hab./km²
Clima Não disponível
Altitude 55 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2000 [3]) 0,75 alto
PIB (IBGE/2019[4]) R$ 275 388,543 mil
PIB per capita (IBGE/2017[4]) R$ 15 794,25
Sítio http://www.itariri.sp.gov.br (Prefeitura)

Itariri é um município brasileiro do estado de São Paulo. O município é formado pela sede (que inclui o Bairro Raposo Tavares) e pelo distrito de Ana Dias.[5][6]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 24º17'21" sul e a uma longitude 47º10'28" oeste, estando a uma altitude de 55 metros. Sua população estimada em 2006 era de 15.095 habitantes. Possui uma área de 273 km².

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2000

População total: 13.613

  • Urbana: 7.445
  • Rural: 6.168
  • Homens: 6.965
  • Mulheres: 6.648

Densidade demográfica (hab./km²): 49,79

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 21,87

Expectativa de vida (anos): 68,30

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 3,21

Taxa de alfabetização: 89,08%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,750

  • IDH-M Renda: 0,688
  • IDH-M Longevidade: 0,722
  • IDH-M Educação: 0,839

(Fonte: IPEADATA)

Vegetação e Relevo[editar | editar código-fonte]

A cobertura das serras do Mar e do Itatins é de mata tropical úmida de encosta. Com muita variedade de espécies como Palmito, Canela, Peroba, Ipê, Jacatirão, Angelim e Jatobá. Nas flores, as bromélias são o maior destaque da floresta da região. A cidade fica a apenas 52 metros de altitude em relação ao nível do mar. Entre a Serra do Itatins e a Serra do Mar, apresenta um relevo bem acidentado. Possui uma área de 294 quilômetros quadrados, o que representa 0,11% da área do estado. O ponto mais alto é o Morro das Três Pontas, a 1240 m de altitude em relação ao nível do mar, no topo da Serra do Itatins, o mais baixo é o centro da cidade, onde fica a estação ferroviária Itariri.

A cidade é cravada entre o Vale do Ribeira e o litoral paulista, em plena Serra do Mar, Itariri proporciona uma oportunidade quase única de apreciação do que ainda resta da Mata Atlântica na costa paulista. Nos arredores da cidade estão rios e cachoeiras de fácil acesso, garantia de uma bela paisagem. A potencialidade do local para a prática de esportes de natureza já fez de Itariri palco de corridas de aventura.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Os rios que banham o Município são: Itariri, Rio do Azeite, Areado das Pedras, Cabuçu e Guanhanhã e Salto que possuem diversos córregos afluentes. (todos com águas cristalinas e puras)

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Ferrovias[editar | editar código-fonte]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Comunicações[editar | editar código-fonte]

No setor de telefonia a cidade era atendida pela Companhia de Telecomunicações do Estado de São Paulo (COTESP), que inaugurou em 1974 a central telefônica. Em 1975 passou a ser atendida pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP)[8], até que em 1998 esta empresa foi vendida para a Telefônica, que em 2012 adotou a marca Vivo para suas operações[9][10][11][12].

Territórios indígenas[editar | editar código-fonte]

Itariri possui dois territórios indígenas, Tekoa Arandú, contando com 13 famílias e Yynhamduy, contabilizando 8 famílias. Em 12 de julho de 2021 foi inaugurada a escultura "Filhos da Mata", obra em ferro e cimento, de 2 metros de altura, criada pelo artesão local Luiz Carlos Jorge. Os representantes, caciques Ronaldo Antônio Barbosa, Karaidju é seu nome em guarani, e Pedro Francisco Evaristo, Ava Nhimboet em guarani, estiveram presentes na cerimônia.[13] Para Ronaldo esse reconhecimento que o município expressa é importante, em suas palavras:

Sim, a gente vê dessa forma, uma forma de resistência. Essa estátua estar aqui, as pessoas verem que nós somos os povos originários, os primeiros habitantes do Brasil.[13]

Para Pedro demonstra também a resistência dos povos indígenas e principalmente no momento atual no qual resistem ao projeto de lei 490 /2007. Em relação a isso ele se expressa da seguinte maneira:

Eu acho que ninguém pode tirar terras que são nossas, é errado isso. Por isso é importante lembrar o valor do indígena hoje.[13]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010. Cópia arquivada em 19 de outubro de 2019 
  2. «Estimativa Populacional 2014». Estimativa Populacional 2014. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2014. Consultado em 28 de agosto de 2014 [ligação inativa]
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008. Cópia arquivada em 3 de outubro de 2009 
  4. a b «Cópia arquivada». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 16 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 23 de janeiro de 2021 
  5. «Municípios e Distritos do Estado de São Paulo» (PDF). IGC - Instituto Geográfico e Cartográfico. Cópia arquivada (PDF) em 2 de janeiro de 2019 
  6. «Divisão Territorial do Brasil». IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cópia arquivada em 3 de fevereiro de 2020 
  7. «Itariri -- Estações Ferroviárias do Estado de São Paulo». www.estacoesferroviarias.com.br. Consultado em 23 de outubro de 2020. Cópia arquivada em 24 de fevereiro de 2020 
  8. «Área de atuação da Telesp em São Paulo». Página Oficial da Telesp (arquivada) 
  9. «Telesp vai servir mais 86 cidades do estado». Acervo Folha de S.Paulo. Cópia arquivada em 4 de janeiro de 2018 
  10. «Patrimônio da COTESP incorporado pela TELESP» (PDF). Diário Oficial do Estado de São Paulo. Cópia arquivada (PDF) em 9 de agosto de 2019 
  11. «Nossa História». Telefônica / VIVO. Cópia arquivada em 27 de agosto de 2017 
  12. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1. Cópia arquivada em 9 de julho de 2018 
  13. a b c «Escultura em homenagem aos indígenas é inaugurada em Itariri, SP». G1. Consultado em 13 de julho de 2021. Cópia arquivada em 12 de julho de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]