Jaime da Silva Graça

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Jaime Graça
Jaime Graça
Informações pessoais
Nome completo Jaime da Silva Graça
Data de nasc. 30 de janeiro de 1942
Local de nasc. Setúbal,  Portugal
Nacionalidade portuguesa
Falecido em 28 de fevereiro de 2012 (70 anos)
Local da morte Lisboa,  Portugal
Altura 1,82m
Destro
Apelido O Catalunha
Informações profissionais
Período em atividade 1962-1979 (17 anos)
Posição Meia-ofensivo
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1962-1966
1966-1975
1975-1977
1978-1979
Portugal Vitória de Setúbal
Portugal Benfica
Portugal Vitória de Setúbal
Portugal GD Sesimbra
103 (33)
159 (19)
41 (4)
Seleção nacional
1965-1972 Flag of Portugal.svg Portugal 35 (0)

Jaime da Silva Graça MPIH (Setúbal, 30 de janeiro de 1942Lisboa, 28 de fevereiro de 2012) foi um futebolista português.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Actuou como médio pelo Vitória Futebol Club até ao fim da época de 1965/66, o Benfica, o Palmelense, o Vitória de Setúbal e o Sesimbra. Conquistou os seus maiores êxitos no Benfica, vencendo o Campeonato Nacional nas épocas de 1966/67, 1967/68, 1968/69, 1970/71, 1971/72, 1972/73 e 1974/75, e a Taça de Portugal nas épocas de 1968/69, 1969/70 e 1971/72.

Os dotes da família Graça foram evidenciados inicialmente pelo seu irmão Emídio, que teve papel preponderante no Sevilla FC. Pouco depois, era a vez de Jaime começar a destacar-se nos juniores do Palmelense, onde se transferiu para o Vitória de Setúbal. Tinha 17 anos quando se estreou na equipa principal da formação sadina e por aí ficou vários anos, tendo conquistado uma Taça de Portugal (com um golo seu na partida final) e chegado à condição de internacional.

Jogou uma final da Taça dos Campeões Europeus (que terminou com a derrota do Benfica por 4-1, frente ao Manchester United) e coube-lhe marcar o golo que permitiu empatar a partida e levar o encontro para o prolongamento. Manteve-se no Benfica até 1975, tendo depois regressado ao Vitória de Setúbal.

Seguiu ligado ao futebol como técnico voltando à Luz para trabalhar no departamento de futebol juvenil.

Selecção Nacional[editar | editar código-fonte]

Foi 36 vezes internacional A, 12 pelo Vitória de Setúbal e 24 pelo Benfica, de 1965 a 1972. No seu jogo de estreia, o Portugal-Turquia, primeiro jogo da campanha que levaria Portugal à fase final do Mundial de 1966 a 24 de Janeiro de 1965, ficou provado todo o seu valor.

A 19 de Dezembro de 1966 foi agraciado com a Medalha de Prata da Ordem do Infante D. Henrique.[1]

Marcador de um dos cinco golos nacionais, o médio (então) do Vitória de Setúbal voltaria a ser chamado para jogar os 90 minutos no importante Portugal-Roménia (2-1), falhando os restantes encontros. Apesar disso, foi inquestionável a sua inclusão no lote dos 22 "Magriços" a tal ponto que ele foi um dos totalistas dos jogos de Inglaterra, deixando bem patente toda sua classe.

Jaime Graça ainda deu muito mais selecção nacional. O seu derradeiro encontro com o equipamento de Portugal teve lugar a 9 de Julho de 1972, a final da Minicopa, que Portugal terminou em segundo lugar.

A ligação de Jaime Graça à selecção nacional não se esgotou, toda via, nesse momento, uma vez que José Torres o chamou para seu adjunto na campanha do Mundial do México.

Morte[editar | editar código-fonte]

Jaime Graça morreu em 28 de fevereiro de 2012 no Hospital dos Lusíadas, em Lisboa, onde estava internado havia uma semana[2].

Títulos[editar | editar código-fonte]

  • 7 Campeonatos de Portugal
  • 5 Taças de Portugal

Referências

  1. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Jaime da Silva Graça". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 7 de abril de 2016. 
  2. «Morreu Jaime Graça, antigo jogador do Benfica». Jornal Público. Consultado em 28 de fevereiro de 2012. 


Bandeira de PortugalSoccer icon Este artigo sobre futebolistas portugueses é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.