Kasino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Kasino
Informação geral
Origem Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
País  Brasil
Gênero(s) Eurodance
Período em atividade 2003-2009: 2014-2016: 2020-Atualmente
Gravadora(s) Building Records
Ex-integrantes Bo Anders
Fernando Biscaia
Ian Duarte
Juliana Weiner
Fabianno Almeida
Julia Morales

Kasino foi um projeto musical brasileiro de dance music formado em 2003, no Rio de Janeiro.[1][2] O vocalista do projeto em seu início foi Fher Cassini, sendo mais tarde substituído por Bo Anders. O projeto teve início quando Fabianno "Mister Jam" Almeida (na época vocalista da banda homônima) e o produtor musical Ian Duarte montaram uma produtora e chamaram para os vocais de suas primeiras composições o desconhecido Fher Cassini (nome artístico de Fernando Biscaia, na época presidente do fã clube do Mr. Jam).

O projeto é melhor lembrado pelo seu single "Can't Get Over", que entrou na trilha sonora da novela América.[3] De acordo com o ECAD, "Can't Get Over" foi a 18ª canção mais tocada no Sul do Brasil entre janeiro e março de 2006[4] e a 6ª canção mais tocada no Norte do Brasil entre janeiro e março de 2006.[5] Outra canção de sucesso foi "Shake It", que foi a 14ª canção mais tocada no Sul do Brasil entre abril e junho de 2007.[6]. Outras músicas que entraram em trilhas de novelas foram "Sexy Baby", em Sabor da Paixão, em 2003, e "Shake It", em Páginas da Vida, de 2006.[3]

Em 2014, o grupo Kasino voltou com a antiga voz de Fher Cassini, com o single "So Free", que foi gravado no estúdio Eclips, e lançado no dia 6 de março de 2014.[7][8]

Em 2016, um noticiário no iG publicou que Fher Cassini disse em uma entrevista ter sido humilhado pelo apresentador Gilberto Barros durante uma apresentação do Kasino no programa Sabadaço, da Rede Bandeirantes, pois seu vídeo viralizou na internet e acabou virando meme por causa do grito "Aeeeê, Kasinão!".[9] O cantor teria declarado, em um desabafo em um evento fictício criado no Facebook para comemorar os 10 anos daquela apresentação, que entrou em depressão por causa do meme. "Eu fui humilhado pelo Gilberto Barros, e por sua produção uma vez no seu programa, que alegaram que eu não voltaria mais ao seu programa, por ter interagido pouco com ele, e não ter dançado com o apresentador", teria revelado Fernando em um post no Facebook. "Comecei a ter problemas sérios por conta desse meme, e de como isso me afetou, por ter minha vida pessoal exposta, e ser ridicularizado por conta de um apresentador péssimo, sem conteúdo e grosso", continuou. Fernando não detalhou o que aconteceu com Leão, mas teria afirmado que entrou em depressão depois. "Tive uma depressão tão séria, que cheguei até pensar em tirar minha própria vida", contou. "Só quem vive algo parecido sabe o que é, para vocês que enfiam a faca, e machucam, por alguns minutos de risadas, e trollagem na internet, não sabe o quanto é pra quem sofre isso", desabafou o músico. Após o desabafo, o cantor teria ressaltado encerrar a carreira de cantor para atuar apenas como DJ.[10] No entanto, meses depois tal afirmação foi desmentida pelo vocalista em uma entrevista ao blog Não Salvo, alegando que as publicações sobre depressão expostas no noticiário eram falsas.[11]

Em 2018, Gilberto Barros disse, em entrevista ao The Noite com Danilo Gentili, do SBT, que não conhecia a banda e, por isso, os confundiu com artistas estrangeiros. “Atração internacional, a produção me passou. Estava na Malhação esse som. Recebo todos os artistas do mesmo jeito: eu dançava, invisto na minha atração”, relatou a Danilo Gentili. Ao se comunicar com os convidados, o apresentador teve uma saia justa como o vocalista Fernando Biscaia: “Quando acabou a música, pensei: ‘Não sei falar muito inglês, mas vamos lá: Welcome to Brazil’. E ele: ‘Eu sou da Zona Leste [de São Paulo]’. Eu não sabia, de verdade, de fato”. Por causa da confusão, Fernando chegou a se irritar com Gilberto Barros. “[O vocalista] não gostou muito, ficou criticando. Ele deveria ter aproveitado e usado isso como trampolim. Gostaria muito que ele continuasse e fizesse sucesso, que arrebentasse”, declarou.[12]

Referências

  1. «Dance/Música Eletrônica - Kasino». Jovem Pan FM. Consultado em 6 de junho de 2013. Arquivado do original em 24 de junho de 2013 
  2. Monteiro, Rafael (21 de janeiro de 2019). «5 artistas brasileiros que você pensou que fossem gringos». GQ. Consultado em 13 de setembro de 2019 
  3. a b «Babylon Special traz o fenômeno Kasino a Belém». Portal ORM. 10 de abril de 2007. Consultado em 5 de março de 2014 
  4. «Músicas + tocadas - Sul - Abr/06». ECAD. Consultado em 6 de junho de 2013 
  5. «Músicas + tocadas - Norte - Abr/06». ECAD. Consultado em 6 de junho de 2013 
  6. «Músicas + tocadas - Sul - Abr/07». ECAD. Consultado em 6 de junho de 2013 
  7. «A volta do Kasino». Rádio Retrômix. Consultado em 6 de março de 2014. Arquivado do original em 7 de março de 2014 
  8. Ortega, Rodrigo (26 de agosto de 2014). «Kasino tenta novo hit após 9 anos e cantor admite: 'Não estava preparado'». G1. Consultado em 2 de julho de 2019 
  9. «11 anos atrás, Kasino fazia sua apresentação histórica no Sabadaço. [07/10/2006]». Reddit. Consultado em 13 de setembro de 2019 
  10. São Paulo, iG (3 de maio de 2016). «Cantor do Kasino diz ter sido humilhado por Gilberto Barros». iG Gente. Consultado em 13 de setembro de 2019 
  11. «Entrevistamos "Kassinão" que quer explicar de uma vez por todas a sua aparição no Gilberto Barros». Não Salvo. 11 de outubro de 2016. Consultado em 13 de janeiro de 2020 
  12. Aguiar, Matheus (21 de junho de 2018). «Gilberto Barros relembra confusão com cantor no "Sabadaço"». Famosidades. Consultado em 13 de setembro de 2019 
Ícone de esboço Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.