La Gazzetta dello Sport

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
La Gazzetta dello Sport

La Gazzetta dello Sport é o principal jornal desportivo de Itália, mais concretamente de Milão, tendo como principal característica é a cor rosa das suas páginas. Foi fundado em 2 de abril de 1896 e publicado pela primeira vez no dia 3 de abril de 1896.

A tradicional cor-de-rosa da camisola do líder do Giro d'Italia deve-se ao patrocínio deste jornal.

História[editar | editar código-fonte]

O surgimento e primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Fundado em 2 de abril de 1896, pela fusão de dois jornais: o "Il Ciclista", também de Milão e o "La Tripletta", de Turim, adotou o nome atual em 1897. Começou com edições bissemanais, às segundas-feiras e quartas-feiras, evoluindo depois para trissemanais.[1] A primeira tiragem, em 3 de abril de 1896, teve 20 mil exemplares. Desde 1899 as páginas do jornal são cor-de-rosa, o que irá depois dar origem à cor da camisola do Giro d'Italia.

Nos anos seguintes, ganhou leitores e fez crescer as tiragens, até que, em 1906, o jornal foi comprado por um grupo de investidores, como Giovani Agnelli, fundador do grupo FIAT, que detém a Juventus, e Edoardo Bianchi, e o jornal, foi reestruturado, passando a ser uma empresa, com ações. Em 1907, o jornal, já registava uma tiragem de cerca de 102 mil exemplares.[2]

O crescimento[editar | editar código-fonte]

Em 1926, é construída a nova sede, que ainda hoje é utilizada. Três anos depois, Alberto Bonacossa comprou 80% das ações da Gazzetta, tornando-se assim no dono do jornal. Depois da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), com a queda do regime fascista de Benito Mussolini, as tiragens conheceram um crescimento considerável, porém, a maior subida aconteceu na década de 1980: cerca de 1 200 000 pessoas liam a Gazzetta dello Sport em 1975, o que a fazia a quarta publicação mais lida em Itália. Esse número cresceu em 800 000 pessoas até 1980: à volta de dois milhões de leitores na viragem da década, tornando-se o segundo mais lido a nível nacional e geral (jornais de todos os tipos). Em 1982, alcançou o primeiro posto da lista de jornais mais comprados no país, ano em que se bateu o (na altura) recorde de tiragens, chegando a perto de 1 500 000, depois do Mundial de Futebol de 1982, em Espanha. [2]

Anos mais recentes e a atualidade[editar | editar código-fonte]

Em 1997, a Gazzetta dello Sport cria o seu website[3], que tem informação diferente da versão em papel[2] e com conteúdos relacionados, principalmente, sobre futebol italiano, mas com conteúdos de outras modalidades desportivas também. Atualmente, tem também a "Radio Gazza" e a "Gazzetta TV". Em 2006, depois da vitória da Itália no Mundial de Futebol de 2006, na Alemanha, atingiu 2.302.808 exemplares vendidos.

Referências

  1. «La historia de La Gazetta dello Sport». www.gazzetta.it. Consultado em 3 de março de 2021 
  2. a b c Martins, Hugo (Março de 2008). «IMPRENSA DESPORTIVA: UMA ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE PORTUGAL, ESPANHA E ITÁLIA» (PDF). Consultado em Março de 2021  line feed character character in |titulo= at position 33 (ajuda); Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  3. «La Gazzetta dello Sport | Notizie sportive e risultati live di oggi». La Gazzetta dello Sport (em italiano). Consultado em 3 de março de 2021