Lavanda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura pela personagem da Marvel Comics, veja Alfazema (Marvel Comics).
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde dezembro de 2009)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Como ler uma caixa taxonómicaLavanda
Flores da Lavandula angustifolia

Flores da Lavandula angustifolia
Classificação científica
Reino: Plantae
Filo: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Lamiales
Família: Lamiaceae
Género: Lavandula
L.
Espécies
Ver texto.

As lavandas (em Portugal também conhecidas como alfazemas) são plantas do gênero Lavandula, da família Lamiaceae. São pequenos arbustos, perenes, incluindo também as anuais e os subarbustos. As espécies mais usadas como ervas e para ornamentação são a chamada lavanda inglesa e a Lavandula angustifolia (L. officinalis). As espécies ornamentais de lavandula reconhecidas em Portugal são: L. luisieri, L. viridis, L. pedunculata, L. latifolia Medicus e L. multifida L.[1]

As flores de lavanda são usadas para arranjos florais secos. As flores púrpuras e os brotos, de fragrância suave, são utilizados em pot-pourris e também para impedir a presença de insetos e parasitas. O cultivo comercial da planta é para a extração de óleos utilizados como antissépticos, em aromaterapia e na indústria de cosméticos. Como produto terapêutico, em infusão, deve ser evitado o uso contínuo, podendo produzir excitação em dose tóxica.

O óleo essencial da lavanda é obtido da destilação das flores, caules e folhas da espécie Lavandula officinalis. Entre várias substâncias, o óleo apresenta na sua composição o linalol e o acetato de linalila, que conferem a sua fragrância e, ainda, resina, saponina, taninos cumarinas.

As flores de lavanda produzem um néctar abundante que rende um mel de alta qualidade. O mel da variedade lavanda foi produzido inicialmente nos países que cercam o Mediterrâneo e introduzido no mercado mundial como um produto de qualidade superior. A lavanda também é usado como erva isoladamente ou como ingrediente da erva da Provence (França).

Lavandas nativas são encontradas nas Canárias, norte e oeste da África, sul da Europa e no Mediterrâneo, Arábia e Índia.

Os maiores produtores de lavanda são a Bulgária, França, Grã-Bretanha, Austrália e Rússia.

Taxonomia[editar | editar código-fonte]

I. Subgênero Lavandula Upson & S. Andrews subgen. nov.

i. Seção Lavandula (3 espécies)
subsppp. angustifolia, pyrenaica
Híbridos
ii. Seção Dentatae Suarez-Cerv. & Seoane-Camba (1 espécie)
var. dentata (rosea, albiflora), candicans (persicina) [Batt.]
iii. Seção Stoechas Ging. (3 espécies)
Híbridos de interseção (Dentatae e Lavendula)

II. Subgênero Fabricia (Adams.) Upson & S. Andrews, comb.nov.

iv. Seção Pterostoechas Ging. (16 espécies)
Híbridos
v. Seção Subnudae Chaytor (10 espécies)
vi. Seção Chaetostachys Benth. (2 espécies)
vii. Seção Hasikenses Upson & S. Andrews, sect. nov. (2 espécies)

III. Subgênero Sabaudia (Buscal. & Muschl.) Upson & S. Andrews, comb. et stat. nov.

viii. Seção Sabaudia (Buscal. & Muschl.) Upson & S. Andrews, comb. et stat. nov. (2 espécies)

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Lavanda
Ícone de esboço Este artigo sobre a ordem Lamiales, integrado no Projeto Plantas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.