Liga das Nações de Voleibol Masculino de 2023

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Liga das Nações de Voleibol de 2023
Voleibol
Informações gerais
País-sede Fase final: Gdansk, Polônia
Organizador FIVB
Período 6 de junho – 23 de julho
Participantes 16
Premiações
Campeão Polônia (1.º título)
Vice-campeão Estados Unidos
Terceiro lugar Japão
MVP Polónia Paweł Zatorski
Estatísticas
Número de jogos 104
Público 318 294
Média 3 060,5 pessoas por partida
Maior pontuador(a) Japão Yūki Ishikawa (275 pontos)
◄◄ Itália Bolonha 2022 2024 ►►
Página oficial da competição

A Liga das Nações de Voleibol Masculino de 2023 foi a quinta edição deste torneio anual organizado pela Federação Internacional de Voleibol (FIVB). O torneio ocorreu de 6 de junho a 23 de julho, com as finais sendo sediadas na cidade de Gdansk, na Polônia.[1][2]

Atual campeã da Liga das Nações, a seleção da França não conseguiu defender o seu título ao ser superada pelos Estados Unidos nas quartas de final, numa partida decidida no tie-break, repetindo a decisão da edição anterior.[3] Estados Unidos e Polônia protagonizam a terceira final inédita seguida da competição, que foi vencida pelos poloneses por 3 sets a 1 e conquistaram seu primeiro título.[4] O Japão terminou em terceiro lugar, conquistando a sua primeira medalha na Liga das Nações e sua primeira medalha a nível internacional desde o bronze na Copa dos Campeões de 2009.[5] O líbero polonês Paweł Zatorski foi consagrado como o melhor jogador do torneio, tornando-se o primeiro líbero a receber o prêmio de MVP na história da competição.[6]

Participantes[editar | editar código-fonte]

Segue-se o quadro com as dezesseis seleções qualificadas para a Liga das Nações de 2023.[7]

Somente as equipes desafiantes podem ser rebaixadas para a Challenger Cup.[7]

Qualificação Qualificados
Equipes obrigatórias Alemanha
Argentina
Brasil
Estados Unidos
França
Irã
Itália
Japão
Polônia
Sérvia
Equipes desafiantes Bulgária
Canadá
China
Cuba
Eslovênia
Países Baixos

Fórmula de disputa[editar | editar código-fonte]

Fase preliminar

A Liga das Nações de 2023 foi disputada com base na mesma fórmula de competição da edição de 2022. As 16 equipes participantes foram classificadas do 1º ao 16º lugar no ranking mundial da FIVB após o término da última edição, e cada equipe joga um total de 12 partidas durante a fase preliminar ao longo de 3 semanas, contra adversários igualmente fortes – 3 partidas contra equipes classificadas do 1º ao 4º, 3 partidas contra equipes classificadas do 5º ao 8º, 3 partidas contra equipes classificadas do 9º ao 12º e 3 partidas contra equipes classificadas do 13º ao 16º.[7]

Fase final

A fase final foi disputada em sistema eliminatório, composta pelas sete melhores equipes da fase classificatória além da equipe do país anfitrião.[7]

Calendário[editar | editar código-fonte]

A tabela dos grupos foi anunciada em 11 de novembro de 2022.[8]

Primeira semana: 6–11 de junho
Grupo 1
Ottawa
Grupo 2
Nagoia
Segunda semana: 20–25 de junho
Grupo 3
Roterdã
Grupo 4
Orleães
Terceira semana: 4–9 de julho
Grupo 5
Anaheim
Grupo 6
Pasay
Fase final: 19–23 de julho
Gdansk

Locais[editar | editar código-fonte]

Fase preliminar[editar | editar código-fonte]

Primeira semana
Grupo 1 Grupo 2
TD Place Arena
Ottawa, Canadá
Nippon Gaishi Hall
Nagoia, Japão
Capacidade: 9 500 Capacidade: 10 000
Segunda semana
Grupo 3 Grupo 4
Rotterdam Ahoy
Roterdã, Países Baixos
CO'Met Arena
Orleães, França
Capacidade: 15 000 Capacidade: 10 000
Terceira semana
Grupo 5 Grupo 6
Anaheim Convention Center
Anaheim, Estados Unidos
SM Mall of Asia Arena
Pasay, Filipinas
Capacidade: 7 500 Capacidade: 15 000

Fase final[editar | editar código-fonte]

Fase final
Ergo Arena
Gdansk, Polônia
Capacidade: 11 409

Critérios de classificação no grupo[editar | editar código-fonte]

  1. Número de vitórias;
  2. Pontos;
  3. Razão de sets;
  4. Razão de pontos;
  5. Resultado da última partida entre os times empatados.
  • Placar de 3–0 ou 3–1: 3 pontos para o vencedor, nenhum para o perdedor;
  • Placar de 3–2: 2 pontos para o vencedor, 1 para o perdedor.

Fase preliminar[editar | editar código-fonte]

Tabela[editar | editar código-fonte]

Classificada para a fase final
Classificada para a fase final (país-sede)
Rebaixada para a Challenger Cup de 2023
Jogos Resultados Sets Pontos
Pos Equipe Pts T V D 3–0 3–1 3–2 2–3 1–3 0–3 V P R V P R
1 Estados Unidos 31 12 10 2 9 1 0 1 1 0 33 7 4.714 986 871 1.132
2 Japão 27 12 10 2 3 4 3 0 1 1 31 16 1.938 1109 1034 1.073
3 Polônia 25 12 10 2 2 3 5 0 0 2 30 19 1.579 1108 1057 1.048
4 Itália 26 12 9 3 4 4 1 0 1 2 28 15 1.867 1016 906 1.121
5 Argentina 26 12 9 3 3 3 3 2 1 0 32 18 1.778 1184 1092 1.084
6 Brasil 25 12 8 4 3 4 1 2 2 0 30 18 1.667 1108 1033 1.073
7 Eslovênia 25 12 8 4 3 5 0 1 1 2 27 17 1.588 1036 997 1.039
8 França 18 12 6 6 3 3 0 0 5 1 23 21 1.095 1046 1007 1.039
9 Sérvia 16 12 6 6 3 1 2 0 5 1 23 23 1,000 1045 1056 0.990
10 Países Baixos 17 12 5 7 3 1 1 3 1 3 22 24 0.917 1028 1054 0.975
11 Alemanha 10 12 3 9 2 1 0 1 5 3 16 28 0.571 963 1036 0.930
12 Canadá 9 12 3 9 0 2 1 1 4 4 15 31 0.484 983 1074 0.915
13 Cuba 8 12 3 9 0 0 3 2 2 5 15 33 0.455 1023 1119 0.914
14 Irã 11 12 2 10 1 1 0 5 0 5 16 31 0.516 995 1073 0.927
15 Bulgária 8 12 2 10 1 0 1 3 1 6 13 32 0.406 957 1045 0.916
16 China 6 12 2 10 0 1 1 1 4 5 12 33 0.364 941 1074 0.876

Nota: Polônia ficou na frente de Itália e Argentina pelo número de vitórias (POL 10, ITA 9, ARG 9); Sérvia ficou na frente dos Países Baixos pelo número de vitórias (SRB 6, NED 5); Canadá e Cuba ficaram na frente do Irã pelo número de vitórias (CAN 3, CUB 3, IRI 2).

Primeira semana[editar | editar código-fonte]

Grupo 1[editar | editar código-fonte]

Data Hora Placar Set 1 Set 2 Set 3 Set 4 Set 5 Total Relatório
6 jun 16:30 Itália 0–3 Argentina 22–25 23–25 18–25     63–75 Relatório
6 jun 20:00 Canadá 3–2 Cuba 25–21 26–28 25–21 22–25 15–13 113–108 Relatório
7 jun 16:30 Estados Unidos 3–0 Países Baixos 25–19 25–23 25–21     75–63 Relatório
7 jun 20:00 Brasil 3–1 Alemanha 26–24 25–16 19–25 25–15   95–80 Relatório
8 jun 11:00 Países Baixos 3–0 Cuba 28–26 25–23 25–18     78–67 Relatório
8 jun 16:30 Itália 0–3 Estados Unidos 15–25 18–25 19–25     52–75 Relatório
8 jun 20:00 Argentina 2–3 Brasil 25–19 19–25 25–23 23–25 13–15 105–107 Relatório
9 jun 11:00 Países Baixos 3–0 Alemanha 25–20 33–31 25–21     83–72 Relatório
9 jun 16:30 Itália 3–1 Cuba 25–20 25–19 20–25 25–18   95–82 Relatório
9 jun 20:00 Canadá 1–3 Argentina 21–25 25–21 21–25 16–25   83–96 Relatório
10 jun 13:00 Alemanha 1–3 Itália 23–25 18–25 27–25 19–25   87–100 Relatório
10 jun 16:30 Brasil 2–3 Cuba 16–25 25–22 29–27 22–25 18–20 110–119 Relatório
10 jun 20:00 Canadá 0–3 Estados Unidos 22–25 20–25 20–25     62–75 Relatório
11 jun 11:00 Argentina 3–2 Países Baixos 34–36 25–20 25–17 20–25 15–10 119–108 Relatório
11 jun 14:30 Estados Unidos 1–3 Brasil 19–25 25–21 15–25 21–25   80–96 Relatório
11 jun 18:00 Canadá 1–3 Alemanha 25–20 17–25 21–25 21–25   84–95 Relatório

Grupo 2[editar | editar código-fonte]

Data Hora Placar Set 1 Set 2 Set 3 Set 4 Set 5 Total Relatório
6 jun 16:10 Bulgária 2–3 China 20–25 25–21 21–25 25–20 9–15 100–106 Relatório
6 jun 19:40 Japão 3–0 Irã 25–16 25–22 25–19     75–57 Relatório
7 jun 15:00 Eslovênia 3–1 Sérvia 31–29 19–25 25–20 25–21   100–95 Relatório
7 jun 18:00 Polônia 3–1 França 25–23 18–25 35–33 25–15   103–96 Relatório
8 jun 12:00 Eslovênia 0–3 Bulgária 24–26 23–25 17–25     64–76 Relatório
8 jun 15:00 Sérvia 3–0 China 34–32 25–16 25–20     84–68 Relatório
8 jun 18:00 Polônia 3–2 Irã 23–25 23–25 25–21 25–15 15–13 111–99 Relatório
9 jun 13:10 China 1–3 França 20–25 25–23 16–25 17–25   78–98 Relatório
9 jun 16:10 Polônia 3–2 Bulgária 25–27 25–19 22–25 25–22 15–11 112–104 Relatório
9 jun 19:40 Japão 3–1 Sérvia 22–25 25–21 25–23 25–20   97–89 Relatório
10 jun 12:40 França 1–3 Eslovênia 23–25 18–25 25–21 22–25   88–96 Relatório
10 jun 15:40 Irã 3–1 China 23–25 25–15 25–20 25–14   98–74 Relatório
10 jun 19:10 Japão 3–0 Bulgária 25–22 25–21 26–24     76–67 Relatório
11 jun 12:40 Eslovênia 3–0 Irã 25–19 25–23 25–23     75–65 Relatório
11 jun 15:40 Sérvia 3–0 Polônia 25–21 25–19 25–14     75–54 Relatório
11 jun 19:10 Japão 3–1 França 25–27 25–22 25–21 25–20   100–90 Relatório

Segunda semana[editar | editar código-fonte]

Grupo 3[editar | editar código-fonte]

Data Hora Placar Set 1 Set 2 Set 3 Set 4 Set 5 Total Relatório
20 jun 13:00 Irã 3–0 Alemanha 25–23 26–24 25–16     76–63 Relatório
20 jun 16:30 Estados Unidos 3–1 Sérvia 22–25 25–19 25–19 25–21   97–84 Relatório
20 jun 20:00 Países Baixos 3–0 China 25–19 25–22 25–21     75–62 Relatório
21 jun 13:00 Irã 0–3 Itália 19–25 16–25 24–26     59–76 Relatório
21 jun 16:30 Estados Unidos 3–0 China 28–26 25–22 25–18     78–66 Relatório
21 jun 20:00 Alemanha 2–3 Polônia 21–25 25–22 14–25 25–17 10–15 95–104 Relatório
22 jun 13:00 China 0–3 Itália 13–25 19–25 24–26     56–76 Relatório
22 jun 16:30 Sérvia 3–1 Alemanha 25–21 20–25 25–23 25–23   95–92 Relatório
22 jun 20:00 Países Baixos 2–3 Polônia 25–22 18–25 25–18 22–25 11–15 101–105 Relatório
23 jun 16:30 Irã 0–3 Estados Unidos 22–25 18–25 23–25     63–75 Relatório
23 jun 20:00 Sérvia 0–3 Itália 11–25 21–25 20–25     52–75 Relatório
24 jun 13:00 Polônia 0–3 Estados Unidos 22–25 18–25 19–25     59–75 Relatório
24 jun 17:00 Países Baixos 3–2 Irã 16–25 25–16 21–25 25–17 15–10 102–93 Relatório
24 jun 20:30 China 3–1 Alemanha 23–25 25–18 25–19 25–21   98–83 Relatório
25 jun 12:30 Itália 1–3 Polônia 19–25 26–28 25–18 20–25   90–96 Relatório
25 jun 16:00 Países Baixos 2–3 Sérvia 25–22 21–25 25–21 33–35 9–15 113–118 Relatório

Grupo 4[editar | editar código-fonte]

Data Hora Placar Set 1 Set 2 Set 3 Set 4 Set 5 Total Relatório
20 jun 13:00 Japão 3–1 Canadá 25–22 25–17 24–26 25–14   99–79 Relatório
20 jun 16:30 Argentina 1–3 Eslovênia 25–21 21–25 21–25 21–25   88–96 Relatório
20 jun 20:30 Brasil 3–0 Bulgária 25–22 25–17 25–15     75–54 Relatório
21 jun 13:00 Japão 3–0 Cuba 25–21 25–16 25–21     75–58 Relatório
21 jun 16:30 Eslovênia 3–0 Canadá 25–23 25–22 25–14     75–59 Relatório
21 jun 21:00 Argentina 3–1 França 22–25 26–24 25–21 25–20   98–90 Relatório
22 jun 13:00 Japão 3–2 Brasil 25–23 25–21 18–25 22–25 18–16 108–110 Relatório
22 jun 16:30 Canadá 3–1 Bulgária 22–25 25–23 25–22 25–20   97–90 Relatório
22 jun 20:30 Eslovênia 3–1 Cuba 22–25 25–15 25–16 25–19   97–75 Relatório
23 jun 16:30 Argentina 3–0 Bulgária 25–18 25–21 25–22     75–61 Relatório
23 jun 21:00 França 3–0 Cuba 25–18 25–20 25–20     75–58 Relatório
24 jun 13:00 Japão 3–2 Argentina 25–18 25–22 31–33 22–25 15–12 118–110 Relatório
24 jun 16:30 Brasil 3–1 Eslovênia 23–25 25–21 26–24 25–21   99–91 Relatório
24 jun 21:00 Canadá 0–3 França 17–25 21–25 21–25     59–75 Relatório
25 jun 13:00 Bulgária 2–3 Cuba 25–23 19–25 20–25 25–16 16–18 105–107 Relatório
25 jun 17:30 Brasil 3–1 França 25–20 26–24 19–25 25–23   95–92 Relatório

Terceira semana[editar | editar código-fonte]

Grupo 5[editar | editar código-fonte]

Data Hora Placar Set 1 Set 2 Set 3 Set 4 Set 5 Total Relatório
4 jul 13:00 Argentina 3–1 Sérvia 19–25 25–16 25–19 25–18   94–78 Relatório
4 jul 16:30 Irã 0–3 França 18–25 22–25 19–25     59–75 Relatório
5 jul 17:00 Alemanha 3–0 Bulgária 25–22 25–18 25–22     75–62 Relatório
5 jul 20:30 Estados Unidos 3–0 Cuba 27–25 25–17 25–15     77–57 Relatório
6 jul 13:30 Argentina 3–0 Alemanha 25–23 25–18 25–17     75–58 Relatório
6 jul 17:00 Sérvia 3–2 Cuba 19–25 25–23 25–21 22–25 15–11 106–105 Relatório
6 jul 20:30 Bulgária 3–2 Irã 21–25 25–21 22–25 25–22 15–11 108–104 Relatório
7 jul 13:30 Sérvia 1–3 França 25–20 23–25 20–25 26–28   94–98 Relatório
7 jul 17:00 Cuba 0–3 Alemanha 23–25 23–25 22–25     68–75 Relatório
7 jul 20:30 Estados Unidos 2–3 Argentina 18–25 25–23 25–23 41–43 12–15 121–129 Relatório
8 jul 13:30 Bulgária 0–3 Sérvia 19–25 22–25 22–25     63–75 Relatório
8 jul 17:00 Argentina 3–2 Irã 25–19 28–30 27–29 25–20 15–11 120–109 Relatório
8 jul 20:30 Estados Unidos 3–0 França 25–23 27–25 27–25     79–73 Relatório
9 jul 13:30 Cuba 3–2 Irã 25–22 26–28 25–23 28–30 15–10 119–113 Relatório
9 jul 17:00 França 3–1 Alemanha 21–25 25–20 25–22 25–21   96–88 Relatório
9 jul 20:30 Estados Unidos 3–0 Bulgária 29–27 25–19 25–21     79–67 Relatório

Grupo 6[editar | editar código-fonte]

Data Hora Placar Set 1 Set 2 Set 3 Set 4 Set 5 Total Relatório
4 jul 15:00 Brasil 1–3 Itália 25–23 20–25 15–25 21–25   81–98 Relatório
4 jul 19:00 Japão 3–2 China 24–26 25–23 21–25 25–23 15–12 110–109 Relatório
5 jul 15:00 Canadá 1–3 Países Baixos 22–25 22–25 25–17 18–25   87–92 Relatório
5 jul 19:00 Polônia 3–2 Eslovênia 29–31 21–25 25–20 25–20 15–13 115–109 Relatório
6 jul 11:00 Brasil 3–0 Países Baixos 25–21 25–15 25–20     75–56 Relatório
6 jul 15:00 Canadá 2–3 Itália 14–25 25–23 20–25 25–23 9–15 93–111 Relatório
6 jul 19:00 China 1–3 Eslovênia 21–25 20–25 26–24 23–25   90–99 Relatório
7 jul 11:00 Polônia 3–1 Brasil 25–23 22–25 25–21 25–21   97–90 Relatório
7 jul 15:00 Eslovênia 0–3 Itália 13–25 22–25 17–25     52–75 Relatório
7 jul 19:00 Japão 3–1 Países Baixos 25–19 26–24 23–25 25–17   99–85 Relatório
8 jul 11:00 Brasil 3–0 China 25–19 25–17 25–17     75–53 Relatório
8 jul 15:00 Polônia 3–0 Canadá 25–21 25–23 27–25     77–69 Relatório
8 jul 19:00 Japão 1–3 Itália 27–29 26–28 25–23 20–25   98–105 Relatório
9 jul 11:00 China 1–3 Canadá 25–23 21–25 17–25 18–25   81–98 Relatório
9 jul 15:00 Eslovênia 3–0 Países Baixos 25–20 32–30 25–22     82–72 Relatório
9 jul 19:00 Japão 0–3 Polônia 17–25 19–25 18–25     54–75 Relatório

Fase final[editar | editar código-fonte]

 
Quartas de finalSemifinaisFinal
 
          
 
20 de julho
 
 
Japão3
 
22 de julho
 
Eslovênia0
 
Japão1
 
20 de julho
 
Polônia3
 
Polônia3
 
23 de julho
 
Brasil0
 
Polônia3
 
19 de julho
 
Estados Unidos1
 
Estados Unidos3
 
22 de julho
 
França2
 
Estados Unidos3
 
19 de julho
 
Itália0 Terceiro lugar
 
Itália3
 
23 de julho
 
Argentina0
 
Japão3
 
 
Itália2
 
  • As partidas seguem o horário local (UTC+2).

Quartas de final[editar | editar código-fonte]

Data Hora Placar Set 1 Set 2 Set 3 Set 4 Set 5 Total Relatório
19 jul 17:00 Estados Unidos 3–2 França 25–21 25–18 17–25 24–26 15–9 106–99 Relatório
19 jul 20:00 Itália 3–0 Argentina 25–17 25–13 25–14     75–44 Relatório
20 jul 17:00 Japão 3–0 Eslovênia 26–24 25–18 25–22     76–64 Relatório
20 jul 20:00 Polônia 3–0 Brasil 26–24 25–21 25–20     76–65 Relatório

Semifinais[editar | editar código-fonte]

Data Hora Placar Set 1 Set 2 Set 3 Set 4 Set 5 Total Relatório
22 jul 17:00 Japão 1–3 Polônia 25–19 26–28 17–25 21–25   89–97 Relatório
22 jul 20:00 Estados Unidos 3–0 Itália 25–19 25–18 25–19     75–56 Relatório

Terceiro lugar[editar | editar código-fonte]

Data Hora Placar Set 1 Set 2 Set 3 Set 4 Set 5 Total Relatório
23 jul 17:00 Japão 3–2 Itália 25–18 25–23 17–25 17–25 15–9 99–100 Relatório

Final[editar | editar código-fonte]

Data Hora Placar Set 1 Set 2 Set 3 Set 4 Set 5 Total Relatório
23 jul 20:00 Polônia 3–1 Estados Unidos 25–23 24–26 25–18 25–18   99–85 Relatório

Classificação final[editar | editar código-fonte]

Fonte: Volleyball World

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

A seleção do campeonato foi composta pelos seguintes jogadores:[6]

Oposto:
Kaczmarek
1º bloqueador:
Smith
1º atacante:
Śliwka
2º atacante:
Ishikawa
2º bloqueador:
Kochanowski
Levantador:
Christenson
Líbero: Zatorski

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Problemas com o visto da equipe do Irã nos Estados Unidos[editar | editar código-fonte]

Após o anúncio do calendário e dos locais dos jogos, o presidente da Federação Iraniana de Voleibol enviou uma carta à FIVB expressando sua preocupação com os jogos da seleção iraniana em território estadunidense na terceira semana do campeonato. Segundo ele, cinco jogadores do Irã precisavam de exames mais avançados e de documentação adicional para a emissão do visto para adentrar o país. As autoridades do país também expressaram o desejo de sediar a etapa alocada nos Estados Unidos, sob o risco de boicotar os jogos ao não enviar nenhum jogador para os Estados Unidos.[9][10][11]

Os passaportes dos membros da seleção iraniana foram reenviados à Embaixada dos Estados Unidos em Ancara, na Turquia, para emissão do visto. Após as verificações necessárias, todos os 12 jogadores receberam o documento, faltando apenas quatro dias para o início da terceira semana da Liga das Nações. Cinco jogadores, no entanto, incluindo Amin Esmaeilnezhad, não o receberam. A mesma situação ocorreu com o técnico da seleção iraniana, Behrouz Ataei, que apresentou documentação incompleta. Após a rodada da segunda semana em Roterdão, nos Países Baixos, os cinco jogadores rejeitados precisaram retornar a Teerã.[12]

Após negociações fracassadas com as autoridades americanas, o Comitê Executivo da FIVB examinou, de forma minuciosa, a questão dos vistos para a seleção iraniana e aprovou uma decisão inédita. Se o governo estadunidense não emitisse os vistos para os principais atletas da seleção iraniana, os pontos do Irã e de seus adversários da terceira semana de jogos não seriam contabilizados no ranking mundial, com os resultados dos jogos contabilizados exclusivamente para o torneio.[13]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Volleyball's Best Ready To Grace Venues Across The Globe As Arenas Confirmed For VNL 2023» (em inglês). FIVB. 11 de novembro de 2022. Consultado em 4 de janeiro de 2023 
  2. «United States and Poland to host Volleyball Nations League Finals in 2023» (em inglês). Volleyball World. 6 de dezembro de 2022. Consultado em 4 de janeiro de 2023 
  3. «USA top defending champions France and move forward» (em inglês). Volleyball World. 19 de julho de 2023. Consultado em 19 de julho de 2023 
  4. «Poland claim historic VNL gold in front of their home fans» (em inglês). Volleyball World. 23 de julho de 2023. Consultado em 23 de julho de 2023 
  5. «Japan beat the world champions and make it to the VNL podium» (em inglês). Volleyball World. 23 de julho de 2023. Consultado em 23 de julho de 2023 
  6. a b «Zatorksi becomes the first libero to earn the VNL MVP award» (em inglês). Volleyball World. 23 de julho de 2023. Consultado em 23 de julho de 2023 
  7. a b c d «VNL 2023 Competition Formula» (em inglês). Volleyball World. Consultado em 4 de janeiro de 2023 
  8. «Host cities and pools» (em inglês). Volleyball World. Consultado em 4 de janeiro de 2023 
  9. «Irã ameaça desistir da VNL após vistos negados pelos EUA». WebVôlei. 23 de maio de 2023. Consultado em 10 de julho de 2023 
  10. «No U.S. visa yet for Iran volleyball coach Ataei: 2023 VNL» (em inglês). Tehran Times. 1 de julho de 2023. Consultado em 10 de julho de 2023 
  11. «Negotiation and diplomacy of Davorzani against the actions of the United States of America» (em persa). volleyball.ir. Consultado em 1 de julho de 2023 
  12. «Iran is in Anaheim with 12 players and without a coach» (em persa). volleyball.ir. Consultado em 1 de julho de 2023 
  13. «Iran agreed with the points of the World Federation in the third week» (em persa). volleyball.ir. 1 de julho de 2023 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]