Seleção Cubana de Voleibol Masculino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Cuba
Voleibol Volleyball (indoor) pictogram.svg
Bandeira
Informações gerais
Federação Federação Cubana de Voleibol
Sigla FIVB CUB
Confederação NORCECA
Ranking FIVB 12º (em 9 de setembro de 2022)
Diretor Ariel Sainz Rodriguez
Técnico Cuba Nicolas Vives
Capitão Liván Osoria
Jogos Olímpicos
Participações 7 (Primeira em 1972)
Melhor Bronze medal.svg (1976)
Última 11º (2016)
Campeonato Mundial
Participações 16 (Primeira em 1956)
Melhor Silver medal world centered-2.svg (1990 e 2010)
Última 14º (2022)
Campeonato NORCECA
Participações 27 (Primeira em 1969)
Melhor Gold medal northamerica.svg (16 vezes)
Última 4º (2021)
Kit left arm altinordu1415h.png Kit body altinordu1415h.png Kit right arm altinordu1415h.png
Kit shorts altinordu1415h.png
Cores do Time
1º uniforme
Kit left arm cska1314a.png Kit body cska1314a.png Kit right arm cska1314a.png
Kit shorts cska1314a.png
Cores do Time
2º uniforme
Kit left arm derbyc0708a.png Kit body derbyc0708a.png Kit right arm derbyc0708a.png
Kit shorts.png
Cores do Time
3º uniforme

A seleção cubana de voleibol masculino é uma equipe caribenha composta pelos melhores jogadores de voleibol de Cuba. A equipe é mantida pela Federação Cubana de Voleibol (em língua castelhana: Federación Cubana de Voleibol). Encontra-se na 12ª posição do ranking mundial da FIVB segundo dados de 9 de setembro de 2022.[1]

Histórico[editar | editar código-fonte]

A seleção cubana é a mais bem-sucedida da América do Norte, conseguindo sempre alcançar os melhores resultados no Campetonato NORECA. A nível mundial também é reconhecida como uma das mais tradicionais, embora seus resultados não sejam tão contínuos. Após sua medalha de bronze nas Olimpíadas de 1976,[2] vive sua época de ouro na década de 1990, ganhando inúmeras medalhas na Liga Mundial, incluindo o ouro na Liga Mundial de 1998 e na Copa do Mundo de 2001.

Também foi vice-campeã do Campeonato Mundial duas vezes: em 1990, sendo derrotada pela Itália por 3 sets a 1; e em 2010, desta vez perdendo de 3 sets a 0 para a seleção brasileira.[3]

Primeiras competições[editar | editar código-fonte]

Seguindo a linha do primeiro critério da incursão do vôlei em Cuba, diz-se que no dia 28 de outubro, um torneio foi realizado pela primeira vez com a participação de quatro equipes, compostas por americanos residentes em Havana, funcionários da YMCA e alguns populares. Em 1931 foi criada a Liga Nacional, embora desde 1926 Cuba já estivesse competindo na esfera internacional, já que Cuba tinha representação no vôlei desde a fundação dos Jogos Esportivos Da América Central e do Caribe, realizados no México-1926.[4]

Declínio do voleibol cubano[editar | editar código-fonte]

A queda do voleibol cubano, falando nacional e internacionalmente, é um dos mais tristes destinos do voleibol na história deste esporte. Com o início do século XXI, e um pouco antes, quando a Cortina de Ferro provocada pela Guerra Fria entre Oriente e Ocidente caiu, as fronteiras se abriram e os jogadores cubanos começaram a imigrar para o exterior para competir as diversas ligas ao redor do mundo. Mas, as velhas regras permaneceram em um novo tempo.

Desde o início dos anos 90 a história vários jogadores de voleibol fugiram da seleção cubana por ocasião de eventos internacionais, para escapar do jugo do regime: no início era El Diablo Joel Despaigne, depois seguem Aguero, Mirka Francia, Osvaldo e Iosvany Hernandez, Leonel Marshall até Osmany Juantorena. Apenas alguns nomes para refazer vinte anos de fugas em busca de fama e salários europeus.[5]

Diáspora[editar | editar código-fonte]

Os jogadores cubanos não precisavam mais desertar (alguns ainda continuavam), mas não podiam jogar pela seleção nacional se fossem para o exterior. Devido à má situação financeira do país, os jogadores cubanos estavam dispostos a renunciar definitivamente à seleção nacional para disputar fortes campeonatos europeus e outros, condição imposta pela Federação Cubana de Voleibol, e até obter a cidadania de outros países e jogar por suas seleções.[6]

Com um sucesso ascendente à seleção de Cuba chegou a ser vice-campeã Mundial em 2010, quando perdeu para o Brasil, contudo seus melhores jogadores decidiram se afastar da seleção, entre eles Yoandy Leal, Wilfredo León, e Robertlandy Simón.

Após dois anos Leal decidiu deixar o seu país, porque o governo local não permite que atletas da seleção atuem em clubes de fora. Assim Leal foi contratado pelo Sada Cruzeiro, de Belo Horizonte.[7]

Simon jogou pela última vez com sua seleção nacional em 10 de outubro de 2010, em Roma, na final do Campeonato Mundial de 2010, perdendo o título para a seleção brasileira após derrota por 3 sets a 0. Em dezembro de 2011, ele se despediu de Cuba e foi para a Itália, onde reapareceu no início de 2012. A pausa de dois anos terminou em outubro de 2012, em um domingo em Cuneo, Simon retornou oficialmente como jogador de voleibol mais de 25 meses depois da última vez, dessa vez pelo time do Piacenza.[8]

No ano de 2013, Leon deixou Cuba para jogar no clube russo Zenit Kazan em 2014.[9]

Acordo de reconciliação[editar | editar código-fonte]

Após a diáspora, os resultados da seleção cubana caíram e devido as regras alguns jogadores se naturalizaram (Leal, León e Juantorena) e passaram a defender outras seleções. Isso foi fundamental para que a Federação Cubana reconsiderasse a situação.[10]

A Federação Cubana divulgou uma nota oficial em 30 de maio de 2019, onde confirmou reunião com jogadores dispostos a voltarem pra seleção. Participaram da reunião, em Havana, Robertlandy Simon, o oposto Michael Sánchez e o levantador Raydel Hierrezuelo[11]

Após a volta dos jogadores que atuam fora de Cuba, o time se fez forte mais uma vez. E em 2022 conquistou três títulos: Norceca Final Four, a Challenger Cup e a Copa Pan-Americana.[12]

Resultados obtidos nas principais competições[editar | editar código-fonte]

Jogos Olímpicos[editar | editar código-fonte]

Ano Sede Classificação
1972 Alemanha Ocidental Munique 10º
1976 Canadá Montreal
1980 União das Repúblicas Socialistas Soviéticas Moscou
1992 Espanha Barcelona
1996 Estados Unidos Atlanta
2000 Austrália Sydney
2016 Brasil Rio de Janeiro 11º

Campeonato Mundial[editar | editar código-fonte]

Ano Sede Classificação
1952  União Soviética 17º
1956  França 19º
1966  Tchecoslováquia 17º
1970  Bulgária 13º
1974  México
1978  Itália
1982  Argentina 10º
1986  França
1990  Brasil
1994  Grécia
1998  Japão
2002  Argentina 19º
2006  Japão 15º
2010  Itália
2018  Bulgária /  Itália 18º
2022  Eslovênia /  Polónia 14º

Copa do Mundo[editar | editar código-fonte]

Ano Sede Classificação
1969  Alemanha Oriental
1977  Japão
1981  Japão
1989  Japão
1991  Japão
1995  Japão
1999  Japão
2011  Japão

Copa dos Campeões[editar | editar código-fonte]

Ano Sede Classificação
1993  Japão
1997  Japão
2001  Japão
2009  Japão

Liga das Nações[editar | editar código-fonte]

A seleção cubana nunca participou da Liga das Nações.

Challenger Cup[editar | editar código-fonte]

Ano Sede Classificação
2022 Coreia do Sul Seul

Liga Mundial[editar | editar código-fonte]

Ano Sede Classificação
1991 Itália Milão
1992 Itália Gênova
1993 Brasil São Paulo
1994 Itália Milão
1995 Brasil Rio de Janeiro
1996 Países Baixos Roterdã
1997 Rússia Moscou
1998 Itália Milão
1999 Argentina Mar del Plata
2000 Países Baixos Roterdã
2001 Polónia Katowice
2002 Brasil Belo HorizonteRecife 13º
2003 Espanha Madri 13º
2004 Itália Roma
2005 Sérvia e Montenegro Belgrado
2006 Rússia Moscou
2007 Polónia Katowice
2008 Brasil Rio de Janeiro 10º
2009 Sérvia Belgrado
2010 Argentina Córdova
2011 Polónia GdańskSopot
2012 Bulgária Sófia
2013 Argentina Mar del Plata 13º
2014 Itália Florença 21º
2015 Brasil Rio de Janeiro 18º
2016 Polónia Cracóvia 22º

Campeonato NORCECA[editar | editar código-fonte]

Ano Sede Classificação
1969 México Cidade do México
1971 Cuba Havana
1973 México Tijuana
1975 Estados Unidos Los Angeles
1977 República Dominicana Santo Domingo
1979 Cuba Havana
1981 México Cidade do México
1983 Estados Unidos Indianápolis
1985 República Dominicana Santiago de los Caballeros
1987 Cuba Havana
1989 Porto Rico San Juan
1991 Canadá Regina
1993 Estados Unidos Nova Orleans
1995 Canadá Edmonton
1997 Porto Rico San Juan
1999 México Monterrey
2001 Barbados Bridgetown
2003 México Culiacán
2005 Canadá Winnipeg
2007 Estados Unidos Anaheim
2009 Porto Rico Bayamón
2011 Porto Rico Mayagüez
2013 Canadá Langley
2015 México Córdoba
2019 Canadá Winnipeg
2021 México Victoria de Durango

Copa América[editar | editar código-fonte]

Ano Sede Classificação
1998 Argentina Mar del Plata
1999 Estados Unidos Tampa
2000 Brasil São Bernardo do Campo
2001 Argentina Buenos Aires
2005 Brasil São Leopoldo
2007 Brasil Manaus
2008 Brasil Cuiabá

Copa Pan-Americana[editar | editar código-fonte]

Ano Sede Classificação
2006 México TijuanaMexicali
2007 República Dominicana Santo Domingo
2014 México Tijuana
2016 México Cidade do México
2017 Canadá Gatineau
2018 México Córdoba
2019 México Cidade de Colima
2022 Canadá Gatineau

Jogos Pan-Americanos[editar | editar código-fonte]

Ano Sede Classificação
1959 Estados Unidos Chicago
1967 Canadá Winnipeg
1971 Colômbia Cáli
1975 México Cidade do México
1979 Porto Rico San Juan
1983 Venezuela Caracas
1987 Estados Unidos Indianápolis
1991 Cuba Havana
1995 Argentina Mar del Plata
1999 Canadá Winnipeg
2003 República Dominicana Santo Domingo
2007 Brasil Rio de Janeiro
2011 México Guadalajara
2015 Canadá Toronto
2019 Peru Lima

Copa dos Campeões da NORCECA[editar | editar código-fonte]

Ano Sede Classificação
2015 Estados Unidos Detroit
2019 Estados Unidos Colorado Springs

World Top Four[editar | editar código-fonte]

Ano Sede Classificação
1990  Japão

Medalhas[editar | editar código-fonte]

Evento Ouro Prata Bronze Total
Jogos Olímpicos 0 0 1 1
Campeonato Mundial 0 2 2 4
Copa do Mundo 1 3 1 5
Copa dos Campeões 1 1 2 4
Liga Mundial 1 5 3 9
Liga das Nações 0 0 0 0
Jogos Pan-Americanos 5 5 3 13
Copa Pan-Americana 3 0 3 6
Campeonato NORCECA 16 5 4 25
Copa América 2 1 3 6
Copa dos Campeões da NORCECA 1 0 1 2
Total 30 22 23 75

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

Última convocação realizada para a disputa do Campeonato Mundial de 2022.[13]
Técnico: Cuba Nicolas Vives

N.º Nome Nascimento Altura Peso Ataque Bloqueio Posição Clube
2 Osniel Melgarejo 18/12/1997 1.97 cm 93 kg 3.63 cm 3.46 cm Ponta Allianz Milano
4 Michael Sánchez 5/06/1986 2.06 cm 100 kg 3.65 cm 3.40 cm Oposto Farma Conde/São José
5 Javier Concepción 27/12/1997 2.00 cm 84 kg 3.56 cm 3.50 cm Central Stade Poitevin Poitiers
7 Yonder García 26/02/1996 1.83 cm 78 kg 3.25 cm 3.20 cm Líbero La Habana
9 Liván Osoria 05/02/1994 2.01 cm 96 kg 3.45 cm 3.25 cm Central AS Cannes
10 Miguel David Gutiérrez 21/2/1997 1.99 cm 96 kg 3.63 cm 3.35 cm Oposto Volley Prata
11 Lyvan Taboada 04/10/1998 1.91 cm 75 kg 3.43 cm 3.27 cm Levantador CS Știința Explorări Baia Mare
12 Jesús Herrera 4/4/1995 1.96 cm 89 kg 3.55 cm 3.40 cm Oposto Itália Sir Safety Susa Perugia
13 Robertlandy Simón 11/06/1987 2.08 cm 114 kg 3.87 cm 3.50 cm Central Gas Sales Bluenergy Piacenza
14 Adrián Goide 26/06/1998 1.92 cm 92 kg 3.44 cm 3.40 cm Levantador Brasília Vôlei
18 Miguel López 25/3/1997 1.90 cm 85 kg 3.63 cm 3.45 cm Ponta Sada Cruzeiro
22 José Miguel Gutiérrez 27/10/2001 1.94 cm 80 kg 3.50 cm 3.35 cm Ponta Chaumont Volley-Ball 52
23 Marlon Yant Herrera 23/5/2001 2.04 cm 100 kg 3.70 cm 3.45 cm Ponta Cucine Lube Civitanova
24 Alain Gourguet Salas 28/12/1993 1.89 cm 84 kg 3.35 cm 3.35 cm Líbero

Referências

  1. «FIVB Senior World Ranking - Men» (em inglês). FIVB. Consultado em 9 de setembro de 2022 
  2. «Volleyball - Men's Olympic Games - 1976 - Home» (em inglês). Consultado em 21 de outubro de 2021 
  3. «Brasil apaga polêmica, vence temida Cuba e fatura o tricampeonato mundial». Consultado em 21 de outubro de 2021 
  4. «Voleibol en Cuba» (em espanhol). ecured. Consultado em 28 de agosto de 2022 
  5. «SIMON E LA FUGA DEGLI ULTIMI ATLETI-SCHIAVI» (em italiano). pensieridisport. Consultado em 28 de agosto de 2022 
  6. «Cuba – sad fate of big volleyball nation: From golden 90's to prison sentences» (em inglês). Consultado em 21 de outubro de 2021 
  7. «Saiba quem é Yoandy Leal, o primeiro estrangeiro a defender o Brasil no vôlei». JC. Consultado em 28 de agosto de 2022 
  8. «SIMON E LA FUGA DEGLI ULTIMI ATLETI-SCHIAVI» (em italiano). pensieridisport. Consultado em 28 de agosto de 2022 
  9. «Wilfredo Leon, highest-paid player in the world of volleyball» (em inglês). sportsleo. Consultado em 28 de agosto de 2022 
  10. «Na contramão de Leal, Simon e outros dois astros pedem para voltar à seleção cubana de vôlei». GE. Consultado em 28 de agosto de 2022 
  11. «Cuba confirma chance da volta de craques à seleção masculina de vôlei». lance. Consultado em 28 de agosto de 2022 
  12. «Cuba, sobre estreia no Mundial contra o Brasil: "Não nos preocupa"». GE. Consultado em 28 de agosto de 2022 
  13. «Cuba, sem central titular, definida para o Mundial». Consultado em 24 de agosto de 2022 

Ver também[editar | editar código-fonte]