Luedji Luna

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Luedji Luna
Informação geral
Nome completo Luedji Gomes Santa Rita
Nascimento 25 de maio de 1987 (32 anos)
Local de nascimento Salvador, Bahia
Brasil
Origem Salvador
Nacionalidade brasileira
Gênero(s) R&b, jazz, blues e MPB
Ocupação(ões) cantora e compositora
Gravadora(s) YBmusic
Página oficial www.luedjiluna.com.br

Luedji Gomes Santa Rita, mais conhecida como Luedji Luna (Salvador, 25 de maio de 1987) é uma cantora e compositora brasileira.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Moça top das galáxias, nascida no Cabula e criada em Brotas, bairros de Salvador, filha de Orlando e Adelaide, um historiador e uma economista, ambos funcionários públicos e militantes do movimento negro de Salvador, Luedji cresceu sabendo sobre luta, política e revolução, mas demorou até encontrar seu espaço no mundo. A música sempre esteve presente em sua vida, visto que seu pai é músico, e foi um dos integrantes do grupo musical Raciocínio Lento, também formado por diversos músicos e compositores de Salvador.[2]

Em entrevistas, revelou que sofria racismo na infância, em sua escola, por parte dos colegas, e que isto a afetou profundamente, podendo transformar esta dor em arte. Luedji começou a compor suas canções aos 17 anos, onde já cantava informalmente em bares da sua cidade natal. No ano de 2007 foi aprovada no vestibular e ingressou no curso de Direito, da Universidade do Estado da Bahia. Apesar disto, optou por não exercer a profissão para dedicar-se exclusivamente a música. Em 2011 começou a estudar canto popular na Escola Baiana de Canto Popular.[3]

Em 2012 participou da oficina "AlimaCanta", de Canto Essencial, ministrada por professores argentinos. Também em 2012, na cidade de Salvador, passou a fazer parte do Bando Cumatê, um projeto cultural coletivo que trabalha com pesquisa, difusão e fomentação de manifestações artísticas tradicionais da cultura brasileira.[4]

Desde 2016 vive em São Paulo. Suas músicas retratam o preconceito racial, feminismo, empoderamento feminino, especialmente da mulher negra, retratando a cultura afro-brasileira em suas vestimentas, demonstrando em suas letras a africanidade do brasileiro, cantando sobre religiões de matriz africana, ervas e costumes brasileiros oriundo da cultura africana. Suas músicas mesclam ritmos afro-brasileiros, R&B, jazz e blues, além da MPB.[5]

Carreira[editar | editar código-fonte]

A partir do ano de 2011 apresentou-se em recitais nos principais palcos de Salvador, atuando também como cantora da noite nos bares, principalmente em Rio Vermelho, bairro boêmio da cidade. No ano de 2013 tornou-se a vencedora da etapa regional do "Festival da Canção Francesa", realizado na Aliança Francesa. No mesmo ano, cantou no espetáculo "Ponto Negro em Tela Branca", da diretora Kléia Maquenda.[6]

Neste mesmo ano de 2013, foi uma das fundadoras do coletivo de compositoras M.O.V.A, da cidade de Salvador. No ano seguinte, em 2014, lançou o single "Dentro ali", com as faixas autorais "Asas", "Eu rio" (ou águas de Júnia) e "Às cegas", esta última em parceria com Emillie Lapa, além da faixa-título "Dentro ali". Em 2015 finalizou o CD "UnsZansoutros", projeto junto a compositores baianos da nova geração. O grupo foi um dos participantes do evento "Tributo aos Novos Baianos", realizado pelo site Jardim Elétrico, em São Paulo, reunindo artistas variados, tais como Cícero, A Banda Mais Bonita da Cidade, Diogo Poças e Thamires Thanouss, além do coletivo Uns Zanzoutros, representante baiano no tributo.[7]

Ainda em 2015, apresentou-se em São Paulo e no Rio de Janeiro, acompanhada pela violonista e cantora Emillie Lapa. Também no Rio de Janeiro, abriu o show da cantora Teka Balluthy e Convidadas (Késia Estácio e Juliana Diniz), no projeto "Foco MPB". Montou o espetáculo intitulado "Fiz uma canção para o vento", com o qual percorreu diversos lugares de Salvador, destacando-se o Teatro XVIII.[8]

Com produção de Sebastian Notini, em 2017, lançou o seu primeiro álbum "Um Corpo no Mundo" trabalho predominantemente autoral, pela gravadora YBmusic, também em 2019 lançado na Europa, pelo selo Sterns Music, concomitante ao lançamento Europeu, realizou sua primeira turnê internacional.



[8]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) cantor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.