Movimento Gay de Minas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O Movimento Gay de Minas (MGM) é uma organização não governamental voltada para a defesa dos direitos dos homossexuais no Brasil, especialmente no estado de Minas Gerais. Foi fundado em 1998, em Juiz de Fora[1].

A entidade oferece assistência jurídica e psicológica para homossexuais, além de promover campanhas de prevenção de DST/AIDS e abrigar atividades culturais como grupos de dança, teatro e drag queens. Em 2001, inaugurou em Juiz de Fora o Centro de Convivência do Cidadão Homossexual (CCH), onde promove debates sobre problemas dos homossexuais no Brasil. A sede foi alvo de 29 ações de vandalismo[2].

Uma importante vitória do MGM foi a aprovação, em 2000, da Lei Municipal nº 9791 de Juiz de Fora, conhecida como "Lei Rosa", que proíbe a discriminação da população LGBT na cidade.

Em 2005, a organização lançou o projeto Capacitação de Professores em Homossexualidade, para capacitar 80 professores e agentes pedagógicos da rede municipal de ensino de Juiz de Fora em oficinas sobre homossexualidade, abordando temas como direitos sexuais e estereótipos[3].

Em 2012, o MGM recebeu a Ordem do Mérito Cultural[4].

Referências

  1. Movimento Gay de Minas - MGM Arquivado em 15 de maio de 2015, no Wayback Machine.. Ministério da Saúde - Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais
  2. BARROS, Andréa Kelmer de. Movimentos sociais urbanos: um estudo sobre a relevância do movimento gay de Minas. Anais do V Simpósio Internacional Lutas Sociais na América Latina
  3. Projeto do Movimento Gay de Minas é aprovado pelo MEC. Consciência Net, 29 de setembro de 2005
  4. Ministério da Cultura. «Ordem do Mérito Cultural 2012». Consultado em 18 de dezembro de 2012. Arquivado do Ordem do Mérito Cultural original Verifique valor |url= (ajuda) em 18 de janeiro de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]