O Primo do Cangaceiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
O Primo do Cangaceiro
Brasil
1955 •  p&b •  85 min 
Direção Mario Brasini
Codireção Léo Jusi, Sanin Cherques
Produção Mário Del Rio
Roteiro Ruy Costa
Chico Anysio
Jota Ruy e
Plínio Campos
Elenco Berta Loran
Chico Anysio
Waldir Azevedo
Zé Trindade
Irene Bertal
Plínio Campos
Antônio Carlos
Género comédia
Música Luiz Braga Filho (som),
Gabriel Migliori
Direção de fotografia Amleto Daissé
Direção de arte Fernando Pamplone
Diretor de ação Eugênio Martins
Edição Rafael Valverde, Mário Del Rio
Companhia(s) produtora(s) Flama Produtora Cinematográfica Ltda
Distribuição Unida Filmes S.A.
Cinedistri
Lançamento Rio de Janeiro em agosto de 1955
Idioma Não disponível
Página no IMDb (em inglês)

O Primo do Cangaceiro é um filme brasileiro de comédia, de 1955, rendeu ao ator Sérgio de Oliveira o Prêmio Saci como melhor ator coadjuvante daquele ano.[1]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

No sertão nordestino, o cangaceiro Lampião, pressentindo seu fim, decide passar o comando do bando para um sobrinho, apelidado Tetéu.[1]

Dados técnicos[editar | editar código-fonte]

Produzido pela Flama Produtora Cinematográfica Ltda., e produtor Mário Del Rio, teve roteiro de Ruy Costa e argumento por Jota Ruy, sobre história de Plínio Campos.[1]

Referências

  1. a b c Cinemateca Brasileira. «Filmografia de O Primo do Cangaceiro». Filmografia Brasileira. Consultado em 13 de abril de 2010 
Ícone de esboço Este artigo sobre um filme brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.