Operação Shtorm-333

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Operação Shtorm-333
Guerra Afegã-Soviética
Queens Palace (5300182685).jpg
Ruínas do palácio (2010).
Data 27 de dezembro de 1979
Local Palácio de Tajbeg, Cabul, Afeganistão
Desfecho Vitória soviética
  • Assassinato do presidente Hafizullah e queda do seu governo
Combatentes
 União Soviética Flag of the People's Democratic Party of Afghanistan.svg Governo Afegão
Comandantes
União das Repúblicas Socialistas Soviéticas Capt. Y. Drozdov
União das Repúblicas Socialistas Soviéticas Col. Grigoriy Boyarinov
União das Repúblicas Socialistas Soviéticas Viktor Fyodorovich Karpukhin
Flag of the People's Democratic Party of Afghanistan.svg Hafizullah Amin
Forças
KGB

Spetsnaz

  • VDV
  • "Batalhão Muçulmano"

Total: 660 homens
Exército Afegão
  • Guarda presidencial

Total: 2 200 combatentes
Baixas
20 mortos[1] Mais de 200 mortos (incluindo o presidente e seu filho)
Dezenas de feridos

A Operação Shtorm-333 (Шторм-333, Tempestade-333) foi o codinome de uma operação militar lançada em 27 de dezembro de 1979 onde forças especiais do exército soviético invadiram o Palácio de Tajbeg, no Afeganistão, com o objetivo de matar o presidente Hafizullah Amin, a fim de derrubar seu regime. Ao menos 200 pessoas foram mortas do lado afegão. Os soviéticos botaram então Babrak Karmal no poder, substituindo Amin.[2]

Vários prédios locais governamentais foram tomados além do palácio presidencial, incluindo o edifício do Ministério do Interior, da Segurança Interna (KHAD) e do Comando das Forças Armadas (Palácio de Darul Aman). Veteranos do Grupo Alpha afirmaram que esta operação foi a mais bem sucedida na história de sua organização.[3]

O ataque[editar | editar código-fonte]

A operação foi lançada após a paciência dos soviéticos com o regime de Hafizullah Amin ter acabado. Moscou o julgava incapaz de combater a insurgência mujahidin no Afeganistão. Havia também dúvidas sobre a lealdade do presidente. A tomada de poder foi então planejada e seria levado a cabo por forças especiais altamente treinadas da KGB e dos Spetsnaz. Em 24 de dezembro de 1979, tropas soviéticas começaram a se preparar para invadir o território afegão pelo norte.[4]

A investida contra o Palácio de Tajbeg, onde Amin havia se refugiado, começou na manhã do dia 27 de dezembro de 1979. No começo do ataque, Amin acreditava que a União Soviética estava do seu lado e até teria dito a um ajudante que "os soviéticos nos ajudarão". Quando o seu ajudante falou que na verdade eram os russos que estavam atacando, ele então respondeu que isso era mentira. Porém quando ele tentou contactar o Comando do Exército e não conseguiu, ele compreendeu o que estava acontecendo.[3]

Há vários relatos de como o presidente Amin morreu, mas os detalhes nunca foram revelados. Hafizullah pode ou ter sido morto como alvo direto da arma de um soldado soviético ou foi pego no fogo cruzado. O filho do presidente foi ferido no tiroteio e acabou morrendo logo depois. Sua filha também se feriu mas sobreviveu. Ao menos outros 200 afegãos, a maioria guarda-costas e soldados, também morreram. A luta, que durou pouquíssimas horas, deixou o palácio presidencial em ruínas, com diversos focos de incêndio. Estima-se que pelo menos 20 militares soviéticos (incluindo um oficial) também foram mortos. A União Soviética então colocou Babrak Karmal no poder, um homem mais manipulável e mais leal aos interesses de Moscou no país.[3]

Referências

  1. Tomsen, Peter. Wars of Afghanistan. 1st ed. [S.l.]: PublicAffairs, 9. p. 174. ISBN 978-1586487638
  2. McCauley, Martin. Russia, America and the Cold War: 1949–1991. Revised 2nd ed. Harlow, UK: Pearson Education, 2008.
  3. a b c How Soviet troops stormed Kabul palace BBC (27 de dezembro de 2009). Visitado em 1 de julho de 2013.
  4. Braithwaite, Rodric. "Afgantsy: The Russians in Afghanistan 1979–89", Profile Books, 2011. ISBN 978-1-84668-062-5.