Pandemia de COVID-19 no Malawi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ver artigo principal: Pandemia de COVID-19 na África
Pandemia de COVID-19 no Malawi
Casos por distrito
    300 a 2999 casos
    30 a 299 casos
    3 a 29 casos
    1 ou 2 casos[1]
Doença COVID-19
Vírus SARS-CoV-2
Origem Wuhan, Hubei, China
Local Malawi
Período 2 de abril de 2020
(4 meses e 8 dias)
Início 2 de abril de 2020
Fim ........
Estatísticas globais
Casos confirmados 2614[1]
Casos suspeitos 21 992
Mortes 43
Casos que recuperaram 1005
Página Governamental (em inglês)
Atualizado em 00h03min, quinta-feira, 16 de julho de 2020 (UTC)

Este artigo documenta os impactos da pandemia de COVID-19 de 2020 no Malawi e pode não incluir todas as principais respostas e medidas contemporâneas.

Meios e preparação[editar | editar código-fonte]

Evolução da pandemia de COVID-19 no Malawi ()
     Mortos      Recuperados      Casos positivos
Data
# de casos
# de mortes
02-04-2020
3(n.a.)
03-04-2020
4(+33%)
04-04-2020
4(=)
05-04-2020
5(+25%)
06-04-2020
8(+60%)
07-04-2020
8(=) 1(n.a.)
08-04-2020
8(=) 1(=)
09-04-2020
9(+12%) 1(=)
10-04-2020
12(+33%) 1(=)
11-04-2020
13(+8,3%) 2(+100%)
12-04-2020
13(=) 2(=)
13-04-2020
16(+23%) 2(=)
16(=) 2(=)
17-04-2020
17(+6,2%) 2(=)
18-04-2020
17(=) 2(=)
17(=) 2(=)
22-04-2020
23(+35%) 2(=)
23-04-2020
33(+43%) 3(+50%)
33(=) 3(=)
26-04-2020
34(+3%) 3(=)
27-04-2020
36(+5,9%) 3(=)
28-04-2020
36(=) 3(=)
29-04-2020
36(=) 3(=)
30-04-2020
37(+2,8%) 3(=)
01-05-2020
37(=) 3(=)
02-05-2020
38(+2,7%) 3(=)
03-05-2020
39(+2,6%) 3(=)
04-05-2020
41(+5,1%) 3(=)
05-05-2020
41(=) 3(=)
06-05-2020
43(+4,9%) 3(=)
07-05-2020
43(=) 3(=)
43(=) 3(=)
09-05-2020
56(+30%) 3(=)
56(=) 3(=)
11-05-2020
57(+1,8%) 3(=)
57(=) 3(=)
13-05-2020
63(+11%) 3(=)
63(=) 3(=)
17-05-2020
70(+11%) 3(=)
70(=) 3(=)
20-05-2020
71(+1,4%) 3(=)
21-05-2020
72(+1,4%) 3(=)
22-05-2020
82(+14%) 3(=)
23-05-2020
82(=) 3(=)
24-05-2020
83(+1,2%) 4(+33%)
25-05-2020
101(+22%) 4(=)
26-05-2020
101(=) 4(=)
27-05-2020
101(=) 4(=)
28-05-2020
203(+101%) 4(=)
29-05-2020
273(+34%) 4(=)
30-05-2020
279(+2,2%) 4(=)
31-05-2020
284(+1,8%) 4(=)
01-06-2020
336(+18%) 4(=)
02-06-2020
358(+6,5%) 4(=)
03-06-2020
369(+3,1%) 4(=)
04-06-2020
393(+6,5%) 4(=)
05-06-2020
409(+4,1%) 4(=)
06-06-2020
409(=) 4(=)
07-06-2020
438(+7,1%) 4(=)
08-06-2020
438(=) 4(=)
09-06-2020
443(+1,1%) 4(=)
10-06-2020
455(+2,7%) 4(=)
11-06-2020
481(+5,7%) 4(=)
12-06-2020
481(=) 4(=)
13-06-2020
529(+10%) 5(+25%)
14-06-2020
547(+3,4%) 6(+20%)
15-06-2020
555(+1,5%) 6(=)
16-06-2020
564(+1,6%) 6(=)
17-06-2020
572(+1,4%) 6(=)
18-06-2020
592(+3,5%) 8(+33%)
19-06-2020
620(+4,7%) 8(=)
20-06-2020
730(+18%) 11(+38%)
21-06-2020
749(+2,6%) 11(=)
22-06-2020
803(+7,2%) 11(=)
23-06-2020
848(+5,6%) 11(=)
24-06-2020
941(+11%) 11(=)
25-06-2020
960(+2%) 12(+9,1%)
26-06-2020
1.005(+4,7%) 13(+8,3%)
27-06-2020
1.038(+3,3%) 13(=)
28-06-2020
1.152(+11%) 13(=)
29-06-2020
1.224(+6,2%) 13(=)
30-06-2020
1.265(+3,3%) 16(+23%)
01-07-2020
1.342(+6,1%) 16(=)
02-07-2020
1.402(+4,5%) 16(=)
03-07-2020
1.498(+6,8%) 16(=)
04-07-2020
1.613(+7,7%) 17(+6,2%)
05-07-2020
1.742(+8%) 19(+12%)
06-07-2020
1.818(+4,4%) 19(=)
07-07-2020
1.864(+2,5%) 19(=)
08-07-2020
1.940(+4,1%) 19(=)
09-07-2020
1.986(+2,4%) 19(=)
10-07-2020
2.069(+4,2%) 31(+63%)
11-07-2020
2.261(+9,3%) 33(+6,5%)
12-07-2020
2.364(+4,6%) 38(+15%)
13-07-2020
2.430(+2,8%) 39(+2,6%)
14-07-2020
2.497(+2,8%) 40(+2,6%)
15-07-2020
2.614(+4,7%) 43(+7,5%)
Fonte:

Apesar de não haver casos confirmados antes de 2 de abril, o Presidente Mutharika declarou a pandemia de coronavírus um desastre nacional. Algumas das medidas adotadas incluem a proibição de reuniões de mais de 100 pessoas em locais como igrejas, comícios, casamentos e funerais. Ele também decretou que as instituições de ensino públicas e privadas fossem fechadas a partir de 23 de março. Ele também pediu ao governo que suspendesse a realização de reuniões internacionais e proibiu que funcionários públicos participassem em reuniões regionais e internacionais. Ele convocou os residentes e cidadãos vindos de países afetados sujeitarem-se a quarentena própria ou obrigatória.[2]

Foi somente após os quatro primeiros casos identificados em abril que Mutharika instituiu novas medidas que incluíam a suspensão de todas as reuniões e conferências. Ele também obrigou os Serviços Prisionais e os Centros Juvenis da Malawi a apresentar uma lista de prisioneiros e jovens que cometeram "pequenos delitos", incluindo aqueles que cumpriram uma parte significativa de suas sentenças por crimes moderados ao Ministro da Segurança Interna, a fim de descongestionar a superpopulação. das prisões do país.[3] Outras medidas incluíram a redução dos preços dos combustíveis, bem como a isenção da taxa não turística para apoiar a indústria do turismo, incluindo a isenção de imposto de residência para todos os médicos estrangeiros e pessoal médico. O Tesouro foi chamado a reduzir os salários do Presidente e Governo em 10% durante três meses, a fim de direcionar os recursos para lutar contra o coronavírus. A Autoridade Tributária do Malawi foi instruída a abrir uma janela voluntária de conformidade tributária por um período de seis meses, a fim de permitir que contribuintes com pagamentos em atraso liquidassem as suas obrigações fiscais.[4] Mutharika fez todos os escritórios trabalhar em turnos, excepto os serviços essenciais, a fim de mitigar o congestionamento nos locais de trabalho.[3] A 14 de abril o presidente anunciou um lockdown de 21 dias a partir do sábado, 18 de abril, à meia-noite.[5] No entanto, a 17 de abril, o Supremo Tribunal do Malawi proibiu temporariamente o governo de implementar o lockdown de 21 dias após uma petição da Coalizão de Defensores de Direitos Humanos.[6] O argumento apresentado pela Coalizão de Defensores de Direitos Humanos foi a necessidade de realização mais estudos e análises para evitar danos aos mais pobres e vulneráveis ​​da sociedade do país.[7]

Cronologia[editar | editar código-fonte]

2 de abril[editar | editar código-fonte]

O presidente Peter Mutharika confirmou os três primeiros casos de COVID-19 Os três casos incluem um malauiano de origem asiática que voltou da Índia, um seu parente e a sua criada.[8]

4 de abril[editar | editar código-fonte]

Um quarto caso foi confirmado, envolvendo um indivíduo que havia regressado recentemente do Reino Unido.[9]

6 de abril[editar | editar código-fonte]

Um quinto caso envolveu uma mulher que havia regressado, também, do Reino Unido e estava em quarentena há algumas semanas.[10]

7 de abril[editar | editar código-fonte]

Foi anunciado que a última infetada havia falecido.[11] O Malawi identificou mais três casos, totalizando 8. Um é um individuo de 34 anos que teve contacto próximo com o primeiro caso registado em 2 de abril, a segunda envolveu uma senhora de 28 anos que regressou do Reino Unido em 19 de março, enquanto que o terceiro foi de um homem de 30 anos que veio da África do Sul em 16 de março.[12]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas[editar | editar código-fonte]

Referências