Papilio ulysses

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Como ler uma infocaixa de taxonomiaPapilio ulysses
Fotografia de P. ulysses, vista superior.
Fotografia de P. ulysses, vista superior.
Ilustração de P. ulysses, no centro, em vista superior (acima) e inferior (abaixo), retirada de De uitlandsche kapellen: voorkomende in de drie waereld-deelen Asia, Africa en America = Papillons exotiques des trois parties du monde, l'Asie, l'Afrique et l'Amérique (1779, plate CXXI).[1]
Ilustração de P. ulysses, no centro, em vista superior (acima) e inferior (abaixo), retirada de De uitlandsche kapellen: voorkomende in de drie waereld-deelen Asia, Africa en America = Papillons exotiques des trois parties du monde, l'Asie, l'Afrique et l'Amérique (1779, plate CXXI).[1]
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Arthropoda
Classe: Insecta
Ordem: Lepidoptera
Subordem: Papilionoidea
Família: Papilionidae
Subfamília: Papilioninae[2]
Género: Papilio
Linnaeus, 1758[2]
Espécie: P. ulysses
Nome binomial
Papilio ulysses
Linnaeus, 1758[2]
Vista inferior de P. ulysses, em repouso.
Sinónimos
Papilio diomedes Linnaeus, 1758
Princeps ulysses
Papilio (Achillides) ulysses[2]
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Papilio ulysses

Papilio ulysses (denominada popularmente, em língua inglesa, de Ulysses Butterfly, Blue Mountain Swallowtail, Mountain Blue ou Blue Emperor) é uma borboleta da família Papilionidae e subfamília Papilioninae, encontrada na região biogeográfica australiana e nativa da área de Wallacea e da ilha de Nova Guiné, arquipélago de Bismarck e norte da Austrália (na península do Cabo York, em Queensland). Foi classificada por Carolus Linnaeus em 1758, de exemplar coletado em Ceram, nas ilhas Molucas. Seu nome deriva do personagem Odisseu da mitologia grega (Ulisses, em latim).[2][3] Ela é uma das maiores borboletas da Austrália e é o símbolo do estado tropical de Queensland.[4]

Descrição[editar | editar código-fonte]

Esta espécie possui, vista por cima, asas com envergadura entre 12 e 14 centímetros e de amplas margens negras, com exceção da margem basal das asas anteriores e área interna das asas posteriores (próximas ao corpo do inseto), com uma grande área em azul, central, dominando quase todas as asas e mais presente nas asas posteriores. A separação entre a área negra e a área em azul, nas asas anteriores, apresenta um padrão de zigue-zague e uma pequena zona circular, mais interna, negra. Ao lado da área azul há algumas regiões com cerdas.[5][6] O lado de baixo é castanho escuro, com áreas mais pálidas e com sete grandes manchas alaranjadas, em cada asa posterior, próximas à sua margem.[5][7] O abdômen é castanho escuro, com a cabeça e tórax negros, contendo algumas escamas azuis. A parte inferior do corpo é marrom. Apresentam dimorfismo sexual aparente, com a fêmea mais pálida, amarronzada, e com menor área em azul do que o macho. Ambos os sexos apresentam um par de caudas, em forma de espátulas, na metade inferior das asas posteriores.[5]

Hábitos[editar | editar código-fonte]

A borboleta Papilio ulysses pode ser encontrada em floresta tropical e subtropical úmida, voando abaixo do dossel florestal e se alimentando do néctar de flores, polinizando-as.[4] Enquanto realiza tal tarefa, pode agitar freneticamente suas asas.[8] Também são atraídas ao solo por umidade após a chuva e por objetos de coloração azul.[9]

Convergência evolutiva[editar | editar código-fonte]

Esta espécie de Papilio do hemisfério oriental possui semelhança com as borboletas Nymphalidae do gênero Morpho, sul-americanas.[9] Trata-se de um caso onde ocorre convergência evolutiva entre ambos os gêneros.[carece de fontes?]

Subespécie e distribuição[editar | editar código-fonte]

P. ulysses possui quinze subespécies:[2]

Referências

  1. Pieter Cramer; Caspar Stoll (1779). «"De uitlandsche kapellen: voorkomende in de drie waereld-deelen Asia, Africa en America = Papillons exotiques des trois parties du monde, l'Asie, l'Afrique et l'Amérique". Plate CXXI.» (em alemão). Biodiversity Heritage Library. 1 páginas. Consultado em 1 de dezembro de 2016 
  2. a b c d e f Savela, Markku. «Papilio ulysses» (em inglês). Lepidoptera and some other life forms. 1 páginas. Consultado em 1 de dezembro de 2016 
  3. «Butterflies from the Linnaean Collection» (PDF) (em inglês). Linnean Society of London. 1 páginas. Consultado em 1 de dezembro de 2016 
  4. a b Michelle. «Ulysses Butterfly» (em inglês). Michelle's World. Consultado em 1 de dezembro de 2016. They live below the Canopy in a Rainforest / They eat Nectar from flowers,when they are feeding they also pollinate the flower / The Ulysses Butterfly is the symbol for Tropical Queensland. The ulysses butterfly is one of the most biggest butterflies in Australia. 
  5. a b c Neubauer, Thomas. «Papilio ulysses (Blue Emperor, Mountain Blue)» (em inglês). Butterfly corner. 1 páginas. Consultado em 1 de dezembro de 2016 
  6. New Forest Observatory (16 de dezembro de 2009). «Papilio ulysses» (em inglês). Flickr. 1 páginas. Consultado em 1 de dezembro de 2016 
  7. Imagik1 (setembro de 2013). «Ulysses (Papilio ulysses (em inglês). Flickr. 1 páginas. Consultado em 1 de dezembro de 2016 
  8. Janice (6 de maio de 2007). «Ulysses Butterfly (Papilio ulysses (em inglês). Flickr. 1 páginas. Consultado em 1 de dezembro de 2016 
  9. a b GOODDEN, Robert (1977). O Mundo Maravilhoso das Borboletas e Mariposas 1ª ed. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico S/A - indústria e comércio. p. 35 / 50. 96 páginas 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Papilio ulysses
Ícone de esboço Este artigo sobre lepidópteros, integrado no Projeto Artrópodes é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.