Parochiale suevorum

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Paroquial Suevo, Doc nº 551

O Parochiale Sueuorum (Paroquial Suevo) ou Divisio Theodemiri é um importante manuscrito da segunda metade do século VI,[1] onde se reflete a organização administrativa e mormente eclesiástica do Reino suevo da Galécia, contendo uma relação de 134 paróquias, agrupadas em treze dioceses. A sua importância reside em não existir equivalente na época em nenhuma outra província eclesiástica.[2] Constitui, portanto, uma das referências historiográficas mais importantes para a localização de povos e povoações na Galécia pós-romana, nomeadamente durante o Reino suevo.

Para alguns autores é mais correta a denominação de Divisio Theodemiri (divisão de Teodemiro), realizada pelo rei suevo Teodomiro.

O manuscrito referência as oito dioceses tradicionais refletidas no Concílio de Lugo (Ourense, Astorga, Braga, Dume, Iria Flávia, Lugo, Porto, Tui), bem como as quatro dioceses criadas a sul do Douro (Coimbra, Idanha, Lamego e Viseu). Refere adicionalmente à diocese de Britónia (Bretoña, norte da atual província de Lugo), não geográfica mas étnica, criada para os cristãos bretões emigrados à Galécia nos séculos V e VI. O manuscrito indica ademais a existência de pagus (distritos) especificamente suevos.

A densa rede de paróquias na Galécia do século VI que referencia o manuscrito é para alguns historiadores um fato surpreendente pela importante cristianização que reflete, comparado com a nula existência de sés episcopais no resto da faixa Cantábrica da Península Ibérica.[3]

Dioceses[editar | editar código-fonte]

O documento recolhe as seguintes dioceses e paróquias:

  • Diocese de Ourense: Aurias (Ourense), Palla Aurea, Verugio, Bibalos, Teporos, Geurros, Pincia, Cassauio, Verecanos, Sanabria, Calapacias maiores.
  • Diocese de Astorga: Astorica (Astorga), Legio, Bergido, Petra speranti, Comanca, Ventosa, Maurelos superiores et inferiores, Senimure, Fraucelos, Pesicos.
  • Diocese de Braga: Bracara (Braga[4]), Centumcelas, Caetos, lameto (Roças ou Rossas[4]), Anoasce, Milia, Ciliolis, Ad Portum (Prozelo[4]), Agilio, Carandonis, Tauris, Cilotao, Cetanio, Oculis (Vizela[4]), Cerecis, Petrometo, Equesis, Ad Saltum.

Assim como os pagus: Panonias (Vale de Nogueiras, Santuário de Panóias[4][5]), Laetera (Vale de Telhas[4][5]), Brigantia, Astiotico, Tureco, Auneco, Merobrio, Berese, Palantucio, Celo, Superlegio, Senequio ou Senequino.

  • Diocese de Bretónia: Britonorum, Mosteiro Maximi,
  • Diocese de Conímbriga: Conimbria (Conímbriga), Eminio (Coimbra[4]), Selio, Lurbine, Insula, Antunane, Portucale Castrum Antiquum.
  • Diocese de Dume: Mosteiro de Dume.
  • Diocese de Idanha: Egitania(Idanha), Municipio, Francos.
  • Diocese de Iria: Iria, Morracio, Salinense, Contenos, Celenos, Metacios, Mercienses, Pestemarcos.
  • Diocese de Lamego: Lameco (Lamego), Tuentica, Arauoca (Arouca[4]), Cantabriano, Omina, Camianos.
  • Diocese de Lugo: Lugo, Carioca, Seuios, Cauarcos.
  • Diocese de Porto: Portucale em Castro novo (Porto), Villanova (Vila Nova[4]), Betaonia, Visea, Menturio, Torebrio, Bauvaste, Bonzoaste, Lumbo, Nescis, Napoli, Curmiano, Magneto, Leporeto, Melga, Tongobria, Villa Gomedei, Tauvase.

Com os seguintes distritos (pagus): Labrencio, Aliobrio, Aritia, Truculo, Cepis, Mandote, Palentiaca.

  • Diocese de Tui: Tude (Tui), Turedo, Tabulela, Lucoparre, Aureas, Langetude, Carisiano, Marciliana, Turonio, Celesantes, Toruca, Aunone, Sacria, Herbilione, Cauda, Ovinia, Cartase.
  • Diocese de Viseu:Viseo (Viseu), Rodomiro, Submontio, Subverbena, Ósanos, Ovellione, Tutela, Coleia, Calibrica.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • DAVID, Pierre (1947). Études historiques sur la Galice et le Portugal du VIe au XIIe siècle, págs. 19-82. Instituto de Estudos Históricos Dr António de Vasconcelos, Coimbra. [S.l.: s.n.] 
  • Parochiale sueuum. Itineraria et Alia Geographica. In Corpus christianorum. CLXXV: p, 411-420. Typography Brepols Editores Pontificii. [S.l.: s.n.] 1965 
  • A. de Almeida Fernandes (1997). Paróquias Suevas e Dioceses Visigóticas. Associação para a defesa da cultura Arouquense, Câmara Municipal de Arouca. [S.l.: s.n.] ISBN 972-9474-11-7 

Referências e Notas

  1. datado entre 527 e 582, sendo-lhe atribuída como data mas provável o ano de 569
  2. DAVID, Pierre (1947). Études historiques sur la Galice et le Portugal du VIe au XIIe siècle, p. 497. Belles Lettres. [S.l.: s.n.] 
  3. ver ALGUNAS CONSIDERACIONES EN TORNO A LOS ORÍGENES CRISTIANOS EN ESPAÑA p. 70
  4. a b c d e f g h i A. de Almeida Fernandes (1997). Paróquias Suevas e Dioceses Visigóticas. Associação para a defesa da cultura Arouquense, Câmara Municipal de Arouca
  5. a b Os limites das dioceses suevas de Bracara e de Portucal, Jorge Alarcão, (Professor Catedrático Aposentado da Faculdade de Letras de Coimbra. Membro do Centro de Estudos de Arqueologia, Artes e Ciências do Património). Portvgalia, Nova Série, vol. 36, Porto, DCTP-FLUP, 2015, pp. 35-48
Ícone de esboço Este artigo sobre História de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.