Plastic Beach

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Plastic Beach
Álbum de estúdio de Gorillaz
Lançamento União Europeia 8 de março de 2010
Estados Unidos 9 de março de 2010
Gênero(s) Trip rock
Hip hop alternativo
Duração 56:46
Gravadora(s) Parlophone, Virgin Records
Produção Gorillaz
Cronologia de Gorillaz
D-Sides
2007
The Fall
2010
Singles de Plastic Beach
  1. "Stylo"
    Lançamento: 26 de janeiro de 2010
  2. "Superfast Jellyfish"
    Lançamento: Março de 2010
  3. "On Melancholy Hill"
    Lançamento: 26 de julho de 2010
  4. "Rhinestone Eyes"
    Lançamento: 6 de Setembro de 2010
Críticas profissionais
Pontuações agregadas
Fonte Avaliação
Metacritic 77/100
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
Allmusic 3.5 de 5 estrelas.
The A.V. Club B+
Entertainment Weekly B
The Guardian 4 de 5 estrelas.
Mojo 3 de 5 estrelas.
Q 5 de 5 estrelas.
Rolling Stone 3.5 de 5 estrelas.
Slant Magazine 5 de 5 estrelas.
Spin 7/10

Plastic Beach (em inglês: "Praia de plástico") é o terceiro álbum de estúdio da banda virtual britânica Gorillaz. Foi lançado pela Parlophone em 8 de março de 2010 na Europa,[1] e no dia seguinte nos Estados Unidos, pela EMI.[2] Plastic Beach estreou na segunda posição da Billboard 200, com 112 mil cópias vendidas.[3]

O álbum conta com a participação de diversos artistas como Snoop Dogg, Hypnotic Brass Ensemble, Kano, Bashy, Bobby Womack, Mos Def, Gruff Rhys, De La Soul, Little Dragon, Mark E. Smith, Lou Reed, Mick Jones, Paul Simonon, sinfonia ViVA e A Orquestra Nacional Libanesa para Música Árabe Oriental.[4]

O primeiro single, "Stylo", foi lançado como um download em 26 de janeiro de 2010.

Informações[editar | editar código-fonte]

Damon Albarn e Jamie Hewlett começaram a trabalhar num novo projeto do Gorillaz chamado Carousel em novembro de 2007.[5] O projeto eventualmente evoluiu para Plastic Beach.[6]

Damon teve a idéia de criar o álbum enquanto estava em uma praia próxima de sua casa: "Eu só estava olhando para todo o plástico na areia.".[6] Ele começou a gravar o material para o álbum em junho de 2008.[7] Em 17 de setembro de 2008, Damon e Jamie anunciaram em uma entrevista que estavam fazendo outro álbum do Gorillaz.[8] Jamie disse estar cansado de desenhar os membros da banda: "Eu estou tão cansado de desenhar esses personagens. Mas quando nós tivermos um momento no qual teremos um novo ângulo...Eu vou adaptá-los.".[8] Em outra entrevista, ele disse: "Eles serão os mesmos personagens, mas um pouquinho mais velhos e ditos de um modo diferente.".[9] Em 14 de janeiro de 2009, Damon apareceu na rádio BBC Radio 1 com três demos de canções dos Gorillaz: "Electric Shock", "Broken" e "Stylo".[10]

Damon também disse em setembro de 2008 que queria "trabalhar com um enredo incrivelmente elétrico e surpreendente.".[11]

Vários artistas foram chamados para colaborar com o álbum. Bobby Womack, um dos colaboradores, não sabia nada sobre a banda e estava incerto quanto a realizar a colaboração, mas sua neta gostava do Gorillaz e o convenceu a participar.[12] Mos Def descreveu "Sweepstakes", a canção da qual participa, como "uma das maiores coisas que eu já fiz".[13] Ele ainda disse que será transformado em um personagem de desenho animado chamado "Sun Moon Stars" (Sol Lua Estrelas), que será um vendedor de jogos.[13]

Muitos dos músicos que colaboraram não tiveram algumas ou até todas as suas colaborações no álbum. A banda britânica The Horrors foi convidada para tocar depois que Damon ouviu o álbum Primary Colours.[14] Eles gravaram uma faixa com Damon,[15] mas nenhuma canção com a banda está na lista de faixas do álbum. Numa entrevista ao Entertainment Weekly, Posdnuos do De La Soul, disse que o grupo cantou em duas canções, "Electric Shock" e "Sloped Tropics".[16] Contudo, a banda só aparece em uma canção, chamada "Superfast Jellyfish". Mos Def disse que colaborou com Damon em três canções,[13] mas só aparece em duas. Damon anunciou que o músico Barry Gibb apareceria no álbum mas Barry não aparece em nenhuma das faixas.[6] O baixista virtual Murdoc disse que a banda havia colaborado com a atriz Una Stubbs,[7] mas ela também não aparece no álbum.

Musicalidade[editar | editar código-fonte]

Damon afirmou em uma entrevista: "Eu vou fazer deste álbum o mais pop que eu fiz em anos, mas com toda a minha experiência para tentar e pelo menos apresentar alguma coisa que tenha profundidade.".[6] Ele disse ainda: "Eu suponho que o que eu fiz com esse álbum do Gorillaz foi que eu tentei conectar sensibilidade pop com...tentar fazer as pessoas entenderem a melancolia essencial de comprar um alimento pronto em várias embalagens de plástico. Pessoas que assistem X Factor podem ter alguma conexão emocional com essas coisas, esses detritos que acompanham o que parece ser a coisa mais importante nos olhos das pessoas, o voyeurismo de celebridades.".[6]

Na primeira vez que foi para Mali, Damon foi levado a um aterro sanitário onde ele viu pessoas "pegando de tudo, pedacinhos de tecidos para regeneradores de tecido, ou metais e latas para os ferreiros e para os recicladores de alumínio, e por aí vai, e quando você vai para a estrada, eles estão vendendo as coisas."[6] Quando foi a um aterro em Londres, para gravar o som de gaivotas, ele percebeu uma justaposição entre as maneiras que os dois países lidavam com o lixo.[6] "Eles têm mais cobras, cobras venenosas, cobras-de-água-de-colar, vermes, sapos, anuras, tritões, todos os tipos de roedores, todos os tipos de esquilos, uma quantidade absurda de esquilos, uma quantidade absurda de raposas, e obviamente, gaivotas. [...] Isso é parte da nova ecologia. E pela primeira vez eu vi o mundo de um novo jeito. Eu sempre senti, eu estava tentando colocar nesse álbum a idéia de que plástico, nós o vemos como sendo contra a natureza mas ele veio da natureza. Nós não criamos o plástico, a natureza criou o plástico. E vendo que as cobras gostam de viver no calor de sacos plásticos em decomposição. elas gostam disso. Foi um tipo estranho de otimismo que eu senti...mas tentar colocar aquilo em música pop é um desafio, de qualquer jeito. Mas importante.".[6]

Damon diz que o álbum mantém muita melancolia do Carousel, e que tentou fazer as letras e melodias claras no álbum. Algumas partes orquestrais foram gravadas, mas só algumas delas foram usadas no álbum.[6]

Faixas[editar | editar código-fonte]

N.º Título Duração
1. "Orchestral Intro" (com sinfonia ViVA) 1:09
2. "Welcome to the World of the Plastic Beach" (com Snoop Dogg e Hypnotic Brass Ensemble) 3:35
3. "White Flag" (com Kano, Bashy e a Orquestra Nacional Libanesa para Música Árabe Oriental) 3:43
4. "Rhinestone Eyes"   3:19
5. "Stylo" (com Bobby Womack e Mos Def) 4:33
6. "Superfast Jellyfish" (com Gruff Rhys e De La Soul) 2:54
7. "Empire Ants" (com Little Dragon) 4:43
8. "Glitter Freeze" (com Mark E. Smith) 4:03
9. "Some Kind of Nature" (com Lou Reed) 2:59
10. "On Melancholy Hill"   3:54
11. "Broken"   3:16
12. "Sweepstakes" (com Mos Def e Hypnotic Brass Ensemble) 5:20
13. "Plastic Beach" (com Mick Jones e Paul Simonon) 3:47
14. "To Binge" (com Little Dragon) 3:53
15. "Cloud of Unknowing" (com Bobby Womack e sinfonia ViVA) 3:09
16. "Pirate Jet"   2:31
Edição Deluxe
N.º Título Duração
17. "Pirate's Progress"   4:03
18. "Three Hearts, Seven Seas, Twelve Moons"   2:15

Notas e referências

  1. Plastic Beach (em inglês) no Discogs
  2. Plastic Beach (em inglês) no Discogs
  3. «Disco de Ludacris vendeu mais que Gorillaz em semana de estreia». Terra. 18 de março de 2010. Consultado em 19 de março de 2010 
  4. Phillips, Amy (20 de janeiro de 2010). «Gorillaz Reveal Full Album Details». Pitchfork Media. Consultado em 21 de janeiro de 2010. Cópia arquivada em 21 de janeiro de 2010 
  5. Lynskey, Dorian (2007). «Damon Albarn». Q 
  6. a b c d e f g h i Morley, Paul (27 de novembro de 2009). «Paul Morley's Showing Off... Damon Albarn» (MP3). The Guardian. Consultado em 29 de novembro de 2009. Cópia arquivada em 29 de novembro de 2009 
  7. a b Stokes, Paul (23 de janeiro de 2010). «Unfinished monkey business». NME: 6–7 
  8. a b Liss, Sarah (17 de setembro de 2008). «Simian city». CBC News. Consultado em 10 de janeiro de 2010. Cópia arquivada em 22 de janeiro de 2010 
  9. Birrell, Ian (7 de novembro de 2008). «Monkey business: Artist Jamie Hewlett reveals how he created his anti-hero». The Independent. Consultado em 23 de dezembro de 2008. Cópia arquivada em 22 de janeiro de 2010 
  10. Cochrane, Greg (15 de janeiro de 2009). «Gorillaz tracks debuted by Damon». Newsbeat. BBC Radio 1. Consultado em 17 de janeiro de 2009. Cópia arquivada em 22 de janeiro de 2010 
  11. Rayner, Ben (23 de setembro de 2008). «Gorillaz pair collaborates on Mandarin-language opera». Toronto Star. Consultado em 5 de outubro de 2008. Cópia arquivada em 22 de janeiro de 2010 
  12. Greene, Andy (9 de abril de 2009). «Gorillaz Attempt to Draft Bobby Womack For Upcoming Album». Rolling Stone. Consultado em 22 de janeiro de 2010. Cópia arquivada em 22 de janeiro de 2010 
  13. a b c DJ Semtex (interviewer); Mos Def (musician) (11 de dezembro de 2009). 50 Cent & Mos Def Drop In On Semtex. Hip Hop With Semtex. BBC Radio 1Xtra. Consultado em 22 de janeiro de 2010 
  14. «Damon Albarn enlists The Horrors for new Gorillaz album». NME. 1 de setembro de 2009. Consultado em 17 de janeiro de 2010. Cópia arquivada em 22 de janeiro de 2010 
  15. Mar, Pete (interviewer); Furse, Tomethy (band member); Webb, Spider (band member) (14 de junho de 2009). The Horrors Interview with B-Sides (flv). B-Sides. Consultado em 14 de junho de 2009 
  16. Vozick-Levinson, Simon (28 de maio de 2009). «De La Soul's Posdnuos on their Nike mix, their next album, and working again with Gorillaz». Entertainment Weekly. Consultado em 29 de maio de 2009. Cópia arquivada em 22 de janeiro de 2010