Pré-Cambriano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Pré-câmbrico)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a incoerências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a coerência e o rigor deste artigo.
Éon Pré-Cambriano
4600–541 milhões de anos atrás
view • Discussão • edit
-4500 —
-4000 —
-3500 —
-3000 —
-2500 —
-2000 —
-1500 —
-1000 —
-500 —
0 —
Escala:
milhões de anos

O Pré-Cambriano (Precâmbrico ou Pré-Câmbrico) é o período de tempo desde a formação da Terra cerca de 4,6 bilhões de anos atrás (Ba) até ao início do Período Cambriano, cerca de 541,0 ± 1,0 Ma. Esta idade geológica é antes do atual Éon Fanerozoico, e é um Superéon dividido em vários éons da escala de tempo geológico. Durante o precâmbrico os animais macroscópicos de carapaça dura apareceram pela primeira vez em abundância. O Pré-Cambriano é assim chamado porque precede o Cambriano, período do Éon Fanerozoico, que é nomeado após Cambria, o nome clássico para o País de Gales, onde as rochas dessa idade foram estudadas pela primeira vez. O Pré-cambriano é responsável por 88% do tempo geológico.

Durante o Pré-Cambriano, foi um conjunto de modificações que proporcionou diversas características do planeta Terra, como a formação dos oceanos, da lua, de muitos minerais, de sua oxigenação, da formação de algumas vidas multicelulares e das placas tectônicas.

Ele inicia há cerca de aproximadamente de 4,5 bilhões de anos com o início da Terra e terminou com o surgimento dos fósseis. Durante este éon, temos as divisões entre os períodos Hadeano, Arqueano e Proterozoico.[1]

Também é chamado de eón Pré-Cambriana ou Pré-Câmbrico, é o nome tradicional que se dá ao conjunto de éons anteriores ao Fanerozoico: o Proterozoico, o Arqueano e o Hadeano. Apesar de obsoleto, ainda consta do Quadro Estratigráfico Internacional[2] da Comissão Internacional sobre Estratigrafia[3] da União Internacional de Ciências Geológicas.[4] Já recebeu nomes como Azoico ("sem vida") e Criptozoico ("vida oculta"), atualmente em desuso.

Visão geral[editar | editar código-fonte]

Relativamente pouco se conhece sobre o Pré-Cambriano, apesar de fazer parte de cerca de sete oitavos da história da Terra, e o que é conhecido foi descoberto em grande parte, nos últimos 50 anos. O registro fóssil Pré-Cambriano é mais pobre do que o do Fanerozoico, e esses fósseis presentes (por exemplo, estromatólitos) são de uso bioestratigráfico limitado.[5] Isso ocorre porque muitas rochas Pré-Cambrianas foram fortemente metamorfoseadas, obscurecendo suas origens, enquanto outras foram destruídas pela erosão ou permanecem profundamente enterrados sob estratos do Fanerozoico.[5][6][7]

Pensa-se que a própria Terra se formou a partir da acreção de material em órbita em torno do Sol aproximadamente 4500 Ma, ou 4,5 bilhões de anos (Ba), e pode ter sido atingida por um enorme planetesimal (corpo sólido hipotético), do tamanho de Marte, pouco depois de se ter formado, projetando material que formou a Lua (​​hipótese do grande impacto). A crosta estável estava aparentemente no lugar de 4400 milhões de anos (Ma), uma vez que cristais de zircão da Austrália Ocidental foram datados de 4404 Ma.[8]

O termo "Pré-Cambriano" é reconhecido pela Comissão Internacional sobre Estratigrafia como o único "superéon" no tempo geológico;[carece de fontes?] é assim chamado porque inclui os éons Hadeano (~4.6—4 bilhões), Arqueano (4—2.5 bilhões) e Proterozoico (2.5 bilhões—541 milhões) (Há apenas um outro éon: o Fanerozóico, 541 milhões a o presente, que é excluído).[9] "Pré-Cambriano" ainda é usado por geólogos e paleontologistas para discussões gerais que não exigem nomes mais específicos. Como de 2010, o Serviço Geológico dos Estados Unidos considera o termo informal, sem um grau estratigráfico.[10]

Paleogeografia[editar | editar código-fonte]

O movimento das placas da Terra causou a formação e a fragmentação dos continentes ao longo do tempo, incluindo a formação ocasional de um supercontinente contendo a maior parte ou toda a massa de terra. O mais antigo supercontinente conhecido foi Vaalbara. Formou-se a partir de proto-continentes e foi um supercontinente há 3,636 bilhões de anos. Vaalbara se separou c. 2.845–2.803 Ga atrás. O supercontinente Kenorland foi formado c. 2.72 Ga atrás e depois quebrou após 2.45–2.1 Ga no cráton proto-continente chamado Laurência, Báltica, Cráton Yilgarn e Kalahari. O supercontinente Colúmbia ou Nuna formou entre 2,06 e 1,82 bilhão de anos atrás e se fragmentou em 1,5 a 1,35 bilhão de anos atrás.[11][12][não consta na fonte citada] O supercontinente Rodínia pensado-se que tenha sido formado cerca de 1,13-1,071 bilhões de anos atrás, para incorporar mais ou todos os continentes da Terra e para serem divididos em oito continentes em torno de 750-600 milhões de anos atrás.

Formas de vida[editar | editar código-fonte]

Posições de território perto do fim do Pré-Cambriano.

Uma data específica para a origem da vida não foi determinada. Carbono fundado em 3 bilhões de anos (éon Arqueano) de ilhas fora do ocidental Groenlândia podem ser de origem orgânica. Fósseis microscópicos bem preservados de bactérias mais de 3,46 bilhões de anos foram encontrados na Austrália Ocidental.[13] Os fósseis prováveis de 100 milhões de anos mais encontrados na mesma área. No entanto, há evidências de que a vida poderia ter evoluída mais de 4,280 bilhões de anos.[14][15][16][17] Existe um registro bastante sólido de vida bacteriana durante todo o restante (Proterozoico) da Pré-Cambriano.

Excluindo alguns relatórios impulentos de formas muito antigas da América do Norte e na Índia, as primeiras formas de vida multicelular complexas parecem ter aparecido em cerca de 1500 Ma, na era Mesoproterozoica da éon de Proterozoico.[carece de fontes?] A evidência fóssil do período de editaria posterior de uma vida tão complexa vem da formação de Lantian, pelo menos 580 milhões de anos atrás. Uma coleção muito diversa de formas de corpo macio é encontrada em uma variedade de locais em todo o mundo e data a entre 635 e 542 Ma. Estes são referidos como biota ediacarana ou vendiana. As criaturas duras com desconto apareceram em direção ao final daquele tempo, marcando o início da éon Fanerozoico. No meio do seguinte período de Cambriano, uma fauna muito diversificada é registrada no folhelho Burgess, incluindo alguns que podem representar grupos de caule das taxas modernos. O aumento da diversidade de formas de vida no começo do Cambriano chamado vida da explosão Cambriana.[18][19]

Enquanto a terra parece ter sido desprovida de plantas e animais, cianobactérias e outros micróbios formaram tapetes procarióticos que abrangem áreas terrestres.[20]

As faixas de um animal com perna como apêndices foram encontrados em 551 milhões de anos atrás.[21]

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

A datação radiométrica permite delimitar as diferentes formações do Pré-Cambriano.

  • Proterozoico: este éon se estende desde 2500 Ma no começo de Cambriano até 541 Ma.
    • Neoproterozoico: este é a era final do Proterozoico; seu início é definido como 1000 Ma. Corresponde ao antigo "Precambriano Z" da geologia norte-americana.
    • Mesoproterozoico: este é a era central do Proterozoico, aproximadamente 1600 a 1000 Ma. Corresponde ao antigo "Pré-Cambriano Y" da geologia norte-americana.
    • Paleoproterozoico: este é a era inicial do Proterozoico, aproximadamente 2500 e 1600 Ma. Corresponde ao antigo "Pré-Cambriano X" da geologia norte-americana.
  • Arqueano: este éon central aproximadamente entre 4000 e 2500 Ma.
  • Hadeano: este éon inicial a 4000 Ma. Originalmente, essa era foi projetada como anterior aos primeiros depósitos de rochas. No entanto, alguns cristais de zircão datados de 4400 Ma demonstram a presença de uma crosta durante esse éon.

Foi proposto dividir o Pré-Cambriano em cinco éons, caracterizada como seguinte :[22]

  1. Acreção e diferenciação, antes da grande colisão que originou a Lua.
  2. Hadeano, correspondente ao intenso bombardeio tardio (presume entre -4,1 e 3.8 Ga).
  3. Arqueano, correspondente as primeiras formações da crosta terrestre (cinturão de pedra verde de Isua) para os depósitos ferríferos.
  4. Transição, até as primeiras camas vermelhas continentais.
  5. Proterozoico, caracterizada pela tectónica de placas e primeiros animais.

Referências

  1. Vários autores e consultores, Enciclopédia Ilustrada da Terra, Editora Três, 2011, ISBN 857368866-1
  2. [1]
  3. [2]
  4. [3]
  5. a b James Monroe and Reed Wicander, The Changing Earth, 2nd ed, (Belmont: Wadsworth Publishing Company, 1997), p. 492.
  6. Levin, Harold L. (25 de outubro de 2005). «The Earliest Earth: 2,100,000,000 years of the Archean Eon». In: Gore, Pamela J.W. The Earth Through Time. [S.l.: s.n.] p. 1 
  7. Davis, C.M. (1964). «The Precambrian Era». Readings in the Geography of Michigan. [S.l.]: Michigan State University 
  8. «Zircons are Forever». Department of Geoscience. 2005. Consultado em 28 de abril de 2007 
  9. Fan, Junxuan; Hou, Xudong (Fevereiro de 2017). «Chart». Comissão Internacional sobre Estratigrafia. Gráfico Internacional de Cronostratigrafia. Consultado em 10 de maio de 2018 
  10. U.S. Geological Survey Geologic Names Committee (2010). Divisions of geologic time—major chronostratigraphic and geochronologic units. U.S. Geological Survey Fact Sheet 2010–3059. [S.l.]: United States Geological Survey. 2 páginas. Consultado em 20 de junho de 2018 
  11. Zhao, Guochun; Cawood, Peter A.; Wilde, Simon A.; Sun, M. (2002). «Review of global 2.1–1.8 Ga orogens: implications for a pre-Rodinia super-continent». Earth-Science Reviews. 59 (1): 125–162. Bibcode:2002ESRv...59..125Z. doi:10.1016/S0012-8252(02)00073-9 
  12. Zhao, Guochun; Sun, M.; Wilde, Simon A.; Li, S.Z. (2004). «A Paleo-Mesoproterozoic super-continent: assembly, growth and breakup». Earth-Science Reviews (Submitted manuscript). 67 (1): 91–123. Bibcode:2004ESRv...67...91Z. doi:10.1016/j.earscirev.2004.02.003 
  13. Brun, Yves; Shimkets, Lawrence J. (Janeiro de 2000). Prokaryotic development. [S.l.]: ASM Press. p. 114. ISBN 978-1-55581-158-7 
  14. Dodd, Matthew S.; Papineau, Dominic; Grenne, Tor; slack, John F.; Rittner, Martin; Pirajno, Franco; O'Neil, Jonathan; Little, Crispin T. S. (2 de março de 2017). «Evidence for early life in Earth's oldest hydrothermal vent precipitates». Nature. 543 (7643): 60–64. Bibcode:2017Natur.543...60D. PMID 28252057. doi:10.1038/nature21377. Consultado em 2 de março de 2017. Cópia arquivada em 10 de fevereiro de 2017 
  15. Zimmer, Carl (1 de março de 2017). «Scientists Say Canadian Bacteria Fossils May Be Earth's Oldest». The New York Times. Consultado em 2 de março de 2017 
  16. Ghosh, Pallab (1 de março de 2017). «Earliest evidence of life on Earth 'found'». BBC News. Consultado em 2 de março de 2017 
  17. Dunham, Will (1 de março de 2017). «Canadian bacteria-like fossils called oldest evidence of life». Reuters. Consultado em 1 de março de 2017 
  18. Fedonkin, Mikhail A.; Gehling, James G.; Grey, Kathleen; Narbonne, Guy M.; Vickers-Rich, Patricia (2007). The Rise of Animals: Evolution and Diversification of the Kingdom Animalia. [S.l.]: JHU Press. 326 páginas. ISBN 9780801886799. doi:10.1086/598305 
  19. Dawkins, Richard; Wong, Yan (2005). The Ancestor's Tale: A Pilgrimage to the Dawn of Evolution. [S.l.]: Houghton Mifflin Harcourt. 673 páginas. ISBN 9780618619160 
  20. Selden, Paul A. (2005). «Terrestrialization (Precambrian-Devonian)». Terrestrialization (Precambrian–Devonian) (PDF). Encyclopedia of Life Sciences. [S.l.]: John Wiley & Sons, Ltd. ISBN 978-0470016176. doi:10.1038/npg.els.0004145 
  21. Scientists discover 'oldest footprints on Earth' in southern China dating back 550 million years The Independent
  22. Bleeker, W. (2004) [2004]. «Toward a "natural" Precambrian time scale». In: Felix M. Gradstein; James G. Ogg; Alan G. Smith. A Geologic Time Scale 2004. [S.l.]: Cambridge University Press. ISBN 978-0-521-78673-7  also available at Stratigraphy.org: Precambrian subcommission

Ver também[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Pré-Cambriano
4.600 - 550
milhões de anos atrás
Sucedido por
Fanerozoico
Ícone de esboço Este artigo sobre Geologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.