Preta Ferreira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Preta Ferreira
Nascimento 1984 (37 anos)
Bahia
Cidadania Brasil
Ocupação cantora, compositora, atriz, produtora cinematográfica

Preta Ferreira (Bahia, 1984) é uma defensora dos direitos humanos, ativista por moradia, multiartista e escritora brasileira. Foi presa - por mais de 100 dias no ano de 2019 por ser atuante no Movimento Sem Teto do Centro (MSTC) e na Frente de Luta por Moradia (FLM) da cidade de São Paulo, Brasil.[1] Tornou-se um símbolo da criminalização dos movimentos sociais e defensores dos direitos humanos no Brasil. [2] [3] Recebeu o Prémio Dandara da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (2019).

Percurso[editar | editar código-fonte]

Baiana, Preta nasceu Janice Ferreira Silva, terceira de oito filhos de sua mãe, Carmen Ferreira da Silva.[4] Saiu da Bahia na adolescência e se mudou para São Paulo, onde desde cedo, trabalhou para ajudar na complementação da renda familiar.[5] Formou-se em publicidade e fez carreira como cantora e produtora de elenco.[6] Além de cantora, é compositora, atriz e produtora.[7]

A luta em movimentos sociais que batalham por moradia aos sem-teto se construiu junto com a carreira artística. [6]

É uma das lideranças da Ocupação 9 de Julho, no centro de São Paulo, onde vivem centenas de famílias que não têm acesso à moradia – um dos diretos fundamentais do ser humano, previsto na Constituição Federal brasileira de 1988.[8]

Activismo[editar | editar código-fonte]

Tornou-se activista aos 14 anos, altura em que foi morar com a mãe em São Paulo e entrou em contacto com o Movimento Sem Tecto. Juntamente com a mãe e o irmão lidera a Frente de Luta por Moradia. [9][10]

Em 2019 após a derrocada do edifício Wilton Paes de Almeida que havia sido ocupado pelo ocupado pelo Movimento de Luta Social por Moradia, vários lideres de movimentos de moradia são presos. [11][12] Entre eles, Preta Ferreira que no dia 24 de Junho, foi detida, acusada de extorsão e associação criminosa, pelo Departamento Estadual de Investigações Criminais (DEIC) da Polícia Civil. A mãe Carmen da Silva líder do Movimento Sem Tecto do Centro, e o irmão Sidney Ferreira da Silva, também são presos. [13][14][10]

No tempo em que esteve detida nunca foram apresentadas provas que comprovassem a sua culpa. [15][16]

Ficou 108 dias presa na Penitenciária Feminina de Sant'Anna, durante os quais escreveu seu primeiro livro, Minha Carne, sobre a sua experiência na prisão. [3][17][18]

Obras[editar | editar código-fonte]

É autora do livro:

2021 - Minha Carne; Diário de uma Prisão, editora Boitempo, ISBN: 9786557170205 [19][20][21]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

2019[editar | editar código-fonte]

  • "Minha Carne", Clipe musical (atriz).[22][23]

2020[editar | editar código-fonte]

  • Receita de Caranguejo, curta-metragem (atriz).[22][23]
  • Cidade Pássaro, longa-metragem (atriz e diretora).[22][23]

Prémios e Reconhecimento[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Preta Ferreira (Janice Ferreira da Silva)». Front Line Defenders. 4 de novembro de 2019. Consultado em 3 de maio de 2021 
  2. CartaCapital (12 de janeiro de 2020). «Memória da resistência: a criminalização das lideranças da moradia». CartaCapital. Consultado em 3 de maio de 2021 
  3. a b «Preta Ferreira». Geledés. Consultado em 3 de maio de 2021 
  4. «Opinião: Página Cinco - Diário da prisão: Preta Ferreira mostra o Brasil que nunca saiu da ditadura». www.uol.com.br. Consultado em 3 de maio de 2021 
  5. B, CADERNO (19 de abril de 2021). «Pedra e Ar». CadernoB. Consultado em 3 de maio de 2021 
  6. a b Ferreira da Silva, Adriana (18 de setembro de 2020). «Preta Ferreira lança memórias em que descreve os dias de aflição na prisão». Consultado em 3 de maio de 2021 
  7. «Opinião: Página Cinco - Diário da prisão: Preta Ferreira mostra o Brasil que nunca saiu da ditadura». www.uol.com.br. Consultado em 3 de maio de 2021 
  8. «A militante, cantora e atriz Preta Ferreira fala de racismo na série de entrevistas "Um Certo Alguém"». Noite dos Museus. Consultado em 3 de maio de 2021 
  9. Veiga, Gustavo (1596841056). «Preta Ferreira, activista afroamericana: "En Brasil, cada 23 minutos muere un George Floyd". | Lidera el Movimiento sin Techo del Centro». PAGINA12. Consultado em 3 de maio de 2021  Verifique data em: |data= (ajuda)
  10. a b F.B (15 de julho de 2019). «"O sonho do 'pobre feliz' é viver no centro da cidade, perto do trabalho"». EL PAÍS. Consultado em 3 de maio de 2021 
  11. «Líder sem-teto presa há 67 dias em SP pede habeas corpus ao STJ». G1. Consultado em 3 de maio de 2021 
  12. «Opinião: Página Cinco - Diário da prisão: Preta Ferreira mostra o Brasil que nunca saiu da ditadura». www.uol.com.br. Consultado em 3 de maio de 2021 
  13. Betim, Felipe (15 de julho de 2019). «Ocupação 9 de julho pende entre apoio de vizinhos abastados e perseguição do Estado». EL PAÍS. Consultado em 3 de maio de 2021 
  14. «SP prende líderes de movimentos de moradia por suspeita de aluguéis ilegais». noticias.uol.com.br. Consultado em 3 de maio de 2021 
  15. «A militante, cantora e atriz Preta Ferreira fala de racismo na série de entrevistas "Um Certo Alguém"». Noite dos Museus. Consultado em 3 de maio de 2021 
  16. «Preta, Sidnei e Maria do Planalto serão soltos». Sindicato dos Bancários de SP. Consultado em 3 de maio de 2021 
  17. «Opinião: Página Cinco - Diário da prisão: Preta Ferreira mostra o Brasil que nunca saiu da ditadura». www.uol.com.br. Consultado em 3 de maio de 2021 
  18. Veiga, Gustavo (1596841056). «Preta Ferreira, activista afroamericana: "En Brasil, cada 23 minutos muere un George Floyd". | Lidera el Movimiento sin Techo del Centro». PAGINA12. Consultado em 3 de maio de 2021  Verifique data em: |data= (ajuda)
  19. Ferreira, Preta (11 de dezembro de 2020). Minha carne: Diário de uma prisão. [S.l.]: Boitempo Editorial 
  20. «Preta Ferreira». Geledés. Consultado em 3 de maio de 2021 
  21. «Boitempo Editorial». www2.boitempoeditorial.com.br. Consultado em 3 de maio de 2021 
  22. a b c «Preta Ferreira». IMDb. Consultado em 3 de maio de 2021 
  23. a b c «Preta Ferreira». MUBI (em inglês). Consultado em 3 de maio de 2021 
  24. «Projeto de Resolução». alerjln1.alerj.rj.gov.br. Consultado em 3 de maio de 2021 
  25. Disner, Elton. «2020». 49° Festival de Cinema de Gramado. Consultado em 3 de maio de 2021 
  26. «Preta Ferreira é premiada no Festival de Gramado. 'Tentaram me silenciar, voltei gritando'». Rede Brasil Atual. 28 de setembro de 2020. Consultado em 3 de maio de 2021 
Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.