Recorde da hora

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bicicleta do recorde da hora de 1972 de Eddy Merckx, exposta na estação de metro de Eddy Merckx em Bruxelas, Bélgica.
Bicicleta do recorde da hora de 2014 de Jens Voigt.

No ciclismo, o recorde da hora é a maior distância percorrida sobre a bicicleta numa hora, prova geralmente realizada num velódromo.

História[editar | editar código-fonte]

Primeiros recordes[editar | editar código-fonte]

Henri Desgrange foi o primeiro em acometer o repto do recorde da hora, em 1893 em Paris.

Controvérsia sobre o tipo de bicicleta[editar | editar código-fonte]

O 7 de julho de 1933, Francis Faure estabeleceu um novo recorde utilizando uma bicicleta reclinada com forma aerodinâmica, mas foi desestimado em 1934 pela UCI, que proibiu tais bicicletas. Isto conduziu a uma discussão sobre a prova e a uma divisão da mesma. Por um lado, permitir-se-iam todo o tipo de modificações ao veículo, com a única excepção de que deve ser o corredor quem proveja a energia para o movimento; o organismo regulador deste recorde passaria a ser a IHPVA (Internacional Human Powered Vehicle Association). Por outro lado, só permitir-se-ia o uso de bicicletas regular; o organismo regulador seria a UCI (União Ciclista Internacional).

A definição do recorde da hora a cargo da UCI não era de todo estrita, e permitiam-se certas inovações. Na década de 1980, Francesco Moser bateria em duas ocasiões o recorde estabelecido por Eddy Merckx em 1972, graças ao uso de rodas lenticulares e um quadro mais aerodinâmico. A marca de Moser não só tem sido controvertida por incluir elementos alheios à bicicleta regular, senão também por rumores a respeito do dopagem. Moser era treinado pelo doutor Michele Ferrari, reconhecido impulsor de métodos de dopagem tais como as transfussões de sangue ou o uso de EPO.

Na década de 1990, Graeme Obree, um ciclista que construía suas próprias bicicletas, conseguiu duas novas marcas utilizando duas extravagantes posturas: a primeira, conhecida como postura "ovo", com os braços juntos sobre o peito; e a segunda, conhecida como postura "superman", com os braços completamente esticados para diante. Ambas posturas criaram uma grande controvérsia e, ainda que se permitiram ambas marcas, proibiram-se para o futuro. Obree e Chris Boardman, naqueles anos, entraram numa espécie de duelo por manter o maior recorde.

Mudanças na regulamentação[editar | editar código-fonte]

Em setembro de 2000, a UCI modificou as regras do Recorde da hora não permitindo utilizar capacetes de Contrarrelógio, rodas especiais ou quadros aerodinâmicos já que desde os anos 1980, as bicicletas com as que se participava começaram a sofrer um profundo redesenho, fruto do avanço da tecnologia e as técnicas de melhora da aerodinâmica. Graças a estes avanços, chegou-se até o recorde de Chris Boardman, que percorreu 56,375 km, quase 7 km mais que o último recorde que se tinha realizado sobre uma bicicleta "normal". A UCI determinou que os recordes obtidos com bicicletas modificadas não seriam válidos e, a partir de então, todo a tentativa de superar o recorde da hora deveria ser realizado com uma bicicleta regular. Desta forma, todos os recordes conseguidos desde a marca de Eddy Merckx, ficaram englobados numa nova categoria denominada "Melhor esforço humano".[1]

Em outubro desse mesmo ano, Boardman superou o recorde de Eddy Merckx em tão só dez metros e a partir de ali devido à mudança nas normas a prova foi perdendo interesse, tanto por parte dos ciclistas, como dos fabricantes de bicicletas. Em 2005, teve uma nova tentativa por parte do checo Ondřej Sosenka que superaria a marca do corredor britânico e estabeleceria o novo recorde em 49,700 Km.[2]

Novas mudanças para facilitar novos recordes[editar | editar código-fonte]

O escasso interesse em bater o recorde da hora, levou a que a UCI repensasse a mudança de normas que tinha aplicado e em maio de 2014, decidiu voltar a permitir as bicicletas, rodas e capacetes especiais. Motivados pela mudança, o fabricante Trek desenhou uma nova bicicleta com a que o alemão Jens Voigt estabeleceu um novo recorde de 51,115 km o 18 de setembro desse ano. Pouco mais de um mês depois, o austríaco Matthias Brändle superou a marca de Voigt, mas o 9 de fevereiro de 2015 Rohan Dennis estabeleceu um novo recorde em 52,491 km com uma bicicleta BMC. Posteriormente, no dia 2 de maio de 2015 o inglês Alex Dowsett estabeleceu no velódromo de Manchester uma nova marca de 52,937 km a bordo de uma bicicleta Canyon equipada com componentes Campagnolo especiais para a ocasião

Recorde IHPVA[editar | editar código-fonte]

O recorde IHPVA o ostenta o canadiano Sam Whittingham, que percorreu 84,215 km numa bicicleta reclinada totalmente coberta por uma carnagem de fibra de carbono, reduzindo ao mínimo a resistência do ar.


Os recordes (masculinos)[editar | editar código-fonte]

Data Corredor Lugar (a) (b) (c)
11/5/1893 França Henri Desgrange Paris 35,325 - -
31/10/1894 França Jules Dubois Paris 38,220 - -
30/7/1897 Bélgica Oscar Van den Eynde Paris 39,140 - -
3/7/1898 Estados Unidos Willie Hamilton Denver 40,781 - -
24/8/1905 França Lucien Petit Breton Paris 41,110 - -
20/6/1907 França Marcel Berthet Paris 41,520 - -
22/8/1912 Suíça Oscar Egg Paris 42,122 - -
7/8/1913 França Marcel Berthet Paris 42,741 - -
21/8/1913 Suíça Oscar Egg Paris 43,525 - -
20/9/1913 França Marcel Berthet Paris 43,775 - -
18/8/1914 Suíça Oscar Egg Paris 44,247 - -
25/8/1933 Países Baixos Jan Van Hout Roermond 44,588 - -
1932 França Marcel Berthet Francia - - 49,99
28/9/1933 França Maurice Richard St. Trond 44,777 - -
31/10/1935 Itália Giuseppe Olmo Milão 45,090 - -
14/10/1936 França Maurice Richard Milão 45,325 - -
29/9/1937 Países Baixos Frans Slaats Milão 45,485 - -
3/11/1937 França Maurice Archambaud Milão 45,767 - -
1938 França Francois Faure Francia - - 50,53
7/11/1942 Itália Fausto Coppi Milão - -
29/6/1956 França Jacques Anquetil Milão 46,159 - -
19/9/1956 Itália Ercole Baldini Milão 46,394 - -
18/9/1957 França Roger Rivière Milão 46,923 - -
23/9/1959 França Roger Rivière Milão 47,347 - -
30/10/1967 Bélgica Ferdinand Bracke Roma 48,093 - -
10/10/1968 Dinamarca Ole Ritter Cidade do México 48,653 - -
7/10/1970 Colômbia Martín Emilio Cochise Rodríguez Cidade do México 47.566,24 - -
25/10/1972 Bélgica Eddy Merckx Cidade do México 49,431 - -
5/5/1979 Estados Unidos Ron Skarin Ontario - - 51,31
4/5/1980 Estados Unidos Eric Edwards Ontario - - 59,45
19/1/1984 Itália Francesco Moser Cidade do México - 50,808 -
23/1/1984 Itália Francesco Moser Cidade do México - 51,141 -
29/9/1984 Estados Unidos Fred Markham Indianápolis - - 60,35
10/9/1985 Reino Unido Richard Crane Inglaterra - - 66,30
28/8/1986 Estados Unidos Fred Markham Vancouver - - 67,01
15/9/1989 Estados Unidos Fred Markham Adrián - - 73,00
8/9/1990 Reino Unido Pat Kinch Bedfordshire - - 75,57
17/7/1993 Reino Unido Graeme Obree Hamar - 51,596 -
23/7/1993 Reino Unido Chris Boardman Bordéus - 52,270 -
27/4/1994 Reino Unido Graeme Obree Bordéus - 52,713 -
2/9/1994 Espanha Miguel Indurain Bordéus - 53,040 -
22/10/1994 Suíça Tony Rominger Bordéus - 53,832 -
5/11/1994 Suíça Tony Rominger Bordéus - 55,291 -
27/7/1996 Alemanha Lars Teutenberg Munich - - 78,04
7/9/1996 Reino Unido Chris Boardman Manchester - 56,375 -
29/7/1998 Canadá Sam Whittingham Blainville - - 79,136
7/8/1999 Alemanha Lars Teutenberg Dudenhofen - - 81,158
27/10/2000 Reino Unido Chris Boardman Manchester 49,441 - -
27/7/2002 Alemanha Lars Teutenberg Dudenhofen - - 82,60
31/7/2004 Canadá Sam Whittingham Blainville - - 84,215
19/7/2005 República Checa Ondřej Sosenka Moscovo 49,700 - -
18/09/2014 Alemanha Jens Voigt Grenchen 51,115 - -
30/10/2014 Áustria Mathias Brändle Aigle 51,852 - -
08/02/2015 Austrália Rohan Dennis Grenchen 52,491 - -
02/05/2015 Reino Unido Alex Dowsett Manchester 52,937 - -
07/06/2015 Reino Unido Bradley Wiggins Londres 54,526 - -
  • (a): Recorde da hora oficial segundo a UCI
  • (b): Melhor esforço humano segundo a UCI
  • (c): Recorde da hora oficial segundo a IHPVA

Os recordes (femininos)[editar | editar código-fonte]

Data Corredor Lugar (a) (b) (c)
7/7/1955 União Soviética Tamara Novikova Irkutsk 38,473 - -
18/10/1957 França Renée Vissac Milão 38,569 - -
25/9/1958 Reino Unido Mildred Robinson Milão 39,718 - -
9/11/1958 Luxemburgo Elsy Jacobs Milão 41,347 - -
25/11/1972 Itália Maria Cressari Cidade do México 41,471 - -
16/9/1978 Países Baixos Cornella Van Oosten Munich 43,082 - -
20/9/1986 França Jeannie Longo Colorado - 44,770 -
23/9/1987 França Jeannie Longo Colorado - 44,933 -
1/10/1989 França Jeannie Longo Cidade do México - 46,352 -
29/4/1995 França Catherine Marsal Bordéus - 47,112 -
17/6/1995 Reino Unido Yvonne McGregor Manchester - 47,411 -
26/10/1996 França Jeannie Longo Cidade do México - 48,159 -
18/10/2000 Austrália Anna Wilson Melbourne 43,500 - -
5/11/2000 França Jeannie Longo Cidade do México 44,767 - -
7/12/2000 França Jeannie Longo Cidade do México 45,094 - -
20/8/2002 Países Baixos Ellen van der Horst Dudenhofen - - 68,33
1/10/2003 Países Baixos Leontien Van Moorsel Cidade do México 46,065 - -
1/7/2004 Países Baixos Ellen van Vugt Dudenhofen - - 68,973
1/7/2004 Suíça Rosmarie Bühler Dudenhofen - - 73,411
12/9/2015 Estados Unidos Molly Shaffer Van Houweling Aguascalientes 46,273 - -
22/1/2016 Austrália Bridie O'Donnell Adelaide 46,882 - -
27/2/2016 Estados Unidos Evelyn Stevens Colorado 47,980 - -
  • (a): Recorde da hora oficial segundo a UCI
  • (b): Melhor esforço humano segundo a UCI
  • (c): Recorde da hora oficial segundo a IHPVA

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências