TV Gazeta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Rede Gazeta)
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Rede Gazeta redireciona para este artigo. Se procura pelo grupo de comunicação capixaba, veja Rede Gazeta de Comunicações. Para outros significados, veja TV Gazeta (desambiguação).
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo. Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, podendo ainda necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Pode encontrar ajuda no WikiProjeto Televisão.

Se existir um WikiProjeto mais adequado, por favor corrija esta predefinição. Este artigo está para revisão desde janeiro de 2016.

TV Gazeta
Fundação Cásper Líbero
Tipo Rede de televisão comercial aberta
País  Brasil
Fundação 25 de janeiro de 1970 (46 anos)
Pertence a Fundação Cásper Líbero
Presidente Paulo Camarda
Cidade de origem São Paulo, SP
Sede
Estúdios Avenida Paulista, 900 - Cerqueira César
Slogan Bom te ver!
Formato de vídeo
Cobertura 4% dos municípios brasileiros.[nota 1]
Emissoras afiliadas ver lista completa
Nome(s) anteriore(s) CNT Gazeta (1992-2000)
Página oficial tvgazeta.com.br
Disponibilidade aberta e gratuita
Analógico
Digital
Disponibilidade por satélite
GVT TV
Canal 227
StarOne C2
4110 MHz @ 1040 ksps, Horizontal (Analógico)
StarOne C3
3883 MHz @ 3928 ksps, Horizontal (SDTV)
Disponibilidade por cabo
NET
Vivo TV
  • Canal 11
  • Canal 311 (HD)
ViaCabo
BVCi
Canal 729
CaboNNet
TCM
Canal 46
Cabo Telecom
Canal 137
SP2
Canal 64
BlueTV
SGC A Cabo
Canal 98
TBL
Canal 07
TVN
Canal 22 (Canoas)
TV Litorânea
Canal 51
Jundicabo TV
Canal 08
TV Alphaville
  • Canal 20 (HD)
  • Canal 320
Life TV
Canal 16
Disponibilidade digital
Google Play
Aplicativo para Android
iTunes Store
Aplicativo para iOS
Livestream
Assistir o sinal online

TV Gazeta é uma rede de televisão brasileira inaugurada em São Paulo, SP, no dia 25 de janeiro de 1970 pela Fundação Cásper Líbero. A inauguração da emissora se deu no governo do então presidente militar Emílio Garrastazu Médici.

A Fundação Cásper Líbero é uma instituição sem fins lucrativos que administra um vasto complexo de comunicações. Sediada em São Paulo, atualmente reúne a TV Gazeta, a Rádio Gazeta, a Gazeta FM, o diário esportivo eletrônico Gazeta Esportiva (antigo impresso A Gazeta Esportiva), a Gazeta Press, além da Faculdade Cásper Líbero.

Grande sucessos da televisão brasileira passaram pela Gazeta, tais como: Ione Borges, Claudete Troiano, Fausto Silva, Serginho Groisman, Astrid Fontenelle, Galvão Bueno, Orival Pessini, Eleonora Prado, Mariane Dombrova, Sérgio Mallandro, Joelmir Beting, Atchim & Espirro, Heródoto Barbeiro, Cléber Machado, Luís Roberto, Tiago Leifert, Mariana Godoy, Fernando Meirelles, Marcelo Tas e muitos outros.

História[editar | editar código-fonte]

Década de 1950 e 1960[editar | editar código-fonte]

A história da TV Gazeta confunde-se com a história da televisão no Brasil. Projetada desde a década de 50, teve suas instalações superdimensionadas. Seu prédio é referência na Avenida Paulista. Para fins de conhecimento, a Fundação Cásper Líbero alugou boa parte dos espaços ociosos do prédio, que hoje em dia são habitados por escritórios e transmissores da Rádio Trianon, Mix, Mix TV, salas do colégio Objetivo, e ainda dispõe de cinema (Reserva Cultural) e um teatro. Como se não bastasse, há a pioneira Faculdade Cásper Líbero, as rádios Gazeta AM e FM, e diversas áreas ainda livres. Em 15 de janeiro de 1952, por decreto assinado pelo presidente Getúlio Vargas, o canal 2 de São Paulo foi concedido à Fundação Cásper Libero. Devido à demora da inauguração por questões técnicas, a Fundação Cásper Libero perdeu a concessão do canal 2, passada para as mãos de Assis Chateaubriand, que um ano depois inaugurou a TV Cultura. E foi dada a concessão do canal 11 para a TV Gazeta. Em 1961, o último ato do governo de Juscelino Kubitschek foi tirar da Fundação o canal e passar à TV Continental do Rio de Janeiro. Um dia depois, com a posse de Jânio Quadros e por pressão da Fundação, a concessão voltou às mãos de quem era de direito.

Inauguração[editar | editar código-fonte]

No dia 23 de junho de 1969 era o prazo final para instalação do sétimo e último canal VHF de São Paulo. Às 17h45, a torre de 116 m, no espigão da Paulista, transmitiu seus primeiros sinais e a TV Gazeta foi ao ar experimentalmente. A primeira imagem foi da avenida Paulista ao som de Sá Marina, de Antônio Adolfo e Tibério Gaspar, na voz de Wilson Simonal.[2]

A TV Gazeta foi inaugurada no dia 25 de janeiro de 1970, aniversário de 416 anos da cidade de São Paulo, com imagens ao vivo da Avenida Paulista e um texto comemorativo, evocando Cásper Líbero, o patrono da emissora. A primeira emissora montada com equipamento para transmissão em cores, teve a primeira unidade para transmissão externa colorida do país.

Foi a primeira emissora a trabalhar com o equipamento de chroma key e implantou no Brasil a câmera lenta e antecipou tendências ao ter produzido e gerado a primeira corrida de Fórmula 1 no país (retransmitida em parceria com a Rede Globo).

Década de 1970[editar | editar código-fonte]

Sede da TV Gazeta, situada no número 900 da Avenida Paulista.

A Gazeta alimentou o sonho de tornar-se rede em meados da década de 1970, quando o mercado começava a se modificar. Tupi e Record estavam decadentes, a Bandeirantes pensava na possibilidade de se tornar rede e a Globo se firmava no panorama.

Havia a possibilidade de surgimento da Rede Jornal do Brasil, mas isso não preocupava muito a Gazeta, que chegou a colocar programação em emissoras da região norte do país, em boa parte do Estado de São Paulo, e dava como certa a concessão do canal 11 do Rio de Janeiro. Só que a história não foi bem assim. Em 1976, o comunicador e apresentador Sílvio Santos ganhou a concessão do canal carioca que era da TVS (TV Studios Silvio Santos de Cinema e Televisão Ltda), (que mais tarde se tornou a pedra fundamental do futuro SBT), e a Bandeirantes fez propostas melhores e levou para sua rede as emissoras que a Gazeta havia afiliado na região amazônica. Com o tempo, os equipamentos da emissora começaram a ser sucateados, não havia caixa suficiente para reaparelhamento, muitos profissionais começaram a mudar de estação, o público passou a assistir cada vez menos à programação e a Gazeta entrou numa fase de ostracismo, que iria durar até meados da década de 1980. Muita gente até ignorava que o canal 11 de São Paulo estivesse no ar.

Mas é importante lembrar de um fato inesquecível da TV Gazeta do ano de 1973: havia sido feito um acordo entre o Governo Federal da Argentina, sob o comando de Perón, e o Governo do Brasil estabelecendo que os técnicos da televisão brasileira iriam implantar a televisão em cores na Argentina, fazendo com que, na primeira transmissão colorida, a operação estivesse sob os nossos cuidados. Foi a festa da OTI (no Teatro Colón, de Buenos Aires). O Governo Brasileiro designou a equipe da TV Gazeta, canal 11 de São Paulo, para este feito. A Rede Tupi exibiu simultaneamente o fato - mesmo sendo este totalmente organizado pela Gazeta - com flashes especiais dos ensaios e do espetáculo durante a transmissão direto da Argentina para o Brasil via satélite. E um momento emocionante deste dia foi quando a equipe da Gazeta deu licença para que os profissionais locais encerrassem aquela primeira transmissão à moda argentina. Muitos argentinos abraçaram os técnicos argentinos e brasileiros e um choro constante rolando direto entre todos os operadores, movidos pela emoção.

No ano de 1978, a Gazeta estreou o programa nipo-brasileiro Programa Nelson Matsuda, uma produção independente, do Japan Pop Show Empreendimentos ou N.Matsuda TV Produções Ltda. Era exibido ao vivo do Teatro Cásper Líbero no 3º andar do prédio da Gazeta. Era apresentado pelo próprio apresentador, Nelson Matsuda. Foi o primeiro programa de variedades nipo-brasileiro, com auditório, inaugurando, assim, a linha de shows da Gazeta, feito de manhã, de tarde ou de noite.

Ainda no ano de 1978 ou no ano de 1979, a Gazeta estreou o programa nipo-brasileiro Imagens do Japão, uma produção independente, do Imagens do Japão TV e Jornalismo Ltda, Imagens do Japão TV Programações Ltda e M.Okuhara TV Produções Ltda. Era exibido ao vivo do Teatro Cásper Líbero, que fica no terceiro andar do prédio da Gazeta. Era apresentado por Rosa Miyake, Mário Okuhara, Ênio Santos, Humberto Marçal e Alberto Murata. O programa misturava informação, cultura e entretenimento. Tinha acontecimentos do Japão, Miss-Nikkey, Concurso de Calouros, Musicais Com Brasileiros e Japoneses e etc.

Década de 1980[editar | editar código-fonte]

Em 22 de setembro de 1980, O Clarisse Amaral em Desfile se transformou em Mulheres. Inicialmente, o programa tinha apresentação de Ângela Rodrigues Alves e Ione Borges. Depois, o Brasil inteiro começou a conhecer a dupla de "parceirinhas", Ione Borges e Claudete Troiano.

Em 1983, para piorar a situação da TV Gazeta, uma competidora de peso entra na briga: a Rede Manchete, canal 9, que apesar de não ser tão grande quanto as demais, tinha recursos de sobra, ao contrário da Gazeta. Portanto, parecia fadada novamente a cair no esquecimento. A TV Gazeta, junto com a TV Globo, ergueu e inaugurou no dia 21 de abril, a Torre Cásper Líbero, na Avenida Paulista, 900, 13º andar, Bela Vista em São Paulo.

Ainda em 1983, A TV Gazeta projetou um programa que pudesse levar o mundo circense brasileiro a televisão. Assim, Wandeko Pipoca criou, apresentou, comandou e idealizou o infantil A Turma da Pipoka.

Também em 1983, a futura dupla de palhaços Atchim & Espirro, protagonizados pelos artistas Eduardo dos Reis e Carlos Alberto de Oliveira, se conheceu nos bastidores e num quadro humorístico do programa infantil A Turma da Pipoka, criado, apresentado, comandado e idealizado por Wandeko Pipoka. Eduardo dos Reis já tinha nome artístico: o palhaço Atchim. Carlos Alberto de Oliveira, o palhaço Espirro, com seu filho, Carlos Júnior, tinham outro nome: Janela e Janelinha. Depois, só ficou Atchim e Janela. Atchim e Janela? não, o personagem de Carlos foi rebatizado de Espirro. a dupla passou a se chamar Atchim & Espirro. Porém, Wandeko Pipoka se desentendeu com a direção da Gazeta e saiu da emissora com seu programa A Turma do Pipoca em 1985. A dupla Atchim & Espirro estrearam na grade animando o infantil Brincando na Paulista. O programa esteve no ar de 1985 até 1988. O programa mesclava desenhos animados da Hanna-Barbera, músicas, esquetes de humor e atrações para crianças.

Entre 1984 e 1985, a emissora faz uma parceria com o Grupo Abril, que resolvera entrar no mercado de televisão. Já que o governo não dava uma concessão à editora, a Abril Vídeo surgiu comprando praticamente todo o espaço noturno da Gazeta, que, apresentando programas de qualidade, passou a ser novamente assistida. Mesmo depois da saída da Abril, a Gazeta continuou tendo uma audiência razoável, mas a manutenção de uma programação realmente competitiva, no molde das demais redes, era arriscada e inviável. Fausto Silva estreia o seu Perdidos na Noite.

Com a estreia do Imagens do Japão em 1978 ou em 1979, a atração de Nelson perdeu um pouco da importância na Gazeta e acabou saindo do ar em 1984.

Em 1985, o então repórter e colunista Amaury Jr. estreou na emissora, entrevistando famosos e celebridades em São Paulo e outras cidades brasileiras no programa Flash. O sucesso do programa é tanto, que outras redes disputam a nova revelação da Gazeta, até que a Rede Bandeirantes negocia com salário maior do que Amaury ganhava na Gazeta e ele sai da emissora em 1986.

Em 1987, um acontecimento histórico ocorre na emissora: uma equipe de jovens profissionais chegara ao departamento de programação da emissora e implantara uma linha de programas que poderia ser considerada suicida. Era o nascimento de algo chamado TV Mix, um embrião do que seria a MTV Brasil. Um programa feito praticamente no improviso, que começava as oito da manhã e ia ao vivo até o meio-dia, de segunda a sexta-feira, apresentando sem recursos e sem compromisso. E esse programa pegou. No comando, entre vários apresentadores, uma descontraída Astrid Fontenelle. Depois, muitos vieram se juntando, como Paula Dip, Sérgio Groissman, Patrícia Pillar, Emílio Surita, entre outros. A Gazeta começava a virar referência na manhã paulistana. Era uma tremenda alternativa aos programas infantis e femininos que compunham a grade de outros canais. E melhor ainda: a audiência era formada por telespectadores de diversas faixas etárias.

Em 1988, a Gazeta estreou o novo formato do Programa Nelson Matsuda, agora sob o nome de Japan Pop Show. O Japan Pop Show era feito nos mesmos moldes do Imagens do Japão. Foi um programa de variedades com auditório exibido ao vivo, direto do Teatro Cásper Líbero no 3º Andar do prédio da Gazeta. O Japan Pop Show era uma produção independente, do Japan Pop Show Empreendimentos ou da N.Matsuda TV Produções Ltda. Era apresentado pelo Casal Nelson Matsuda e Suzana Matsuda, até 1992 ou até 1994, quando volta a Rede Bandeirantes.

Década de 1990[editar | editar código-fonte]

Em 1990, devido a mudanças internas, o projeto "televisão desindexada", como foi chamado, acabou sendo desativado, e a TV Gazeta começou a decair, com uma programação mais morna, calcada, sobretudo, em filmes que eram comprados diretamente da Rede Globo, exibido no Cine Gazeta de segunda a sábado 21h30, e os desenhos animados de um grandes clássicos na TV Gazeta no programa Gazetinha de segunda a sábado 20h00 até 21h30, com os desenhos da MGM com a Turma do Tom & Jerry, a Universal com o Gasparzinho e também tem Hanna-Barbera, quando essa não tinha mais lugar para exibi-los. A emissora parecia condenada a ficar transmitindo apenas para São Paulo, sem muitas perspectivas de crescimento.

No início da década de 1990, ocorre nova fase de mudança da emissora, onde começou a parceria entre a Rede OM (Organizações Martinez) e a TV Gazeta de São Paulo. A reviravolta ocorreu precisamente no início de 1992, quando a TV Paraná (em Curitiba) e a TV Tropical (em Londrina) resolveram sair da Rede Bandeirantes, que estava em fase de rápida expansão, e assim fundava-se a Rede OM. Conquistando afiliadas em todo o país (com as graças do então presidente Collor, de quem o dono da rede era correligionário), a OM logo começou a convencer a Gazeta com a possibilidade de afiliação, o que acabou sendo muito bem aceito a princípio.

Foram tempos de crescimento rápido; a nova rede tinha Galvão Bueno em seu quadro de funcionários e era a grande promessa para a década. No meio do ano, todos apostavam que a TV Gazeta seria para os anos 90 o que o SBT fora para os anos 80. No entanto, Collor foi acusado de corrupção e sofreu impeachment.

Em 1993, a Rede OM vira a CNT e nunca mais cresceu como antes pois a recente Rede Record acaba levando boa parte de suas afiliadas. Seguiu-se o período de operação conjunta com a CNT. Durante a década, reconhecia-se que boa parte dos programas que eram feitos na emissora paulista e transmitidos em rede, eram responsáveis pelas maiores audiências e, consequentemente, pelos maiores faturamentos. A TV Gazeta percebia que podia andar sozinha e voltar a crescer.

O Programa Japan Pop Show sai do ar na TV Gazeta e volta à Rede Bandeirantes.

A TV Gazeta ainda levará outro desfalque, perdendo a concessão do canal 12 de Santos, emissora no litoral paulista que tentara fazer funcionar por duas vezes. A concessão, da década de 1970, acabara caducando.

A partir de 1996, a TV Gazeta passou a chamar-se CNT Gazeta.

Nessa década, a CNT e a Gazeta chegam a exibir em todo o Brasil novelas estrangeiras, programas de audiências - como os populares programas policiais Cadeia e 190 Urgente, os infantis Hugo Game, Tudo por Brinquedo, com Mariane Dombrova e TV Fofão, com Orival Pessini, além dos desenhos da Hanna Barbera, o esportivo, Mesa Redonda, o de variedades, Mulheres, com forte presença também no jornalismo e nos esportes.

Década de 2000[editar | editar código-fonte]

A parceria entra a CNT e Gazeta desde 1992 é desfeita em junho de 2000, quando a Gazeta não renova o contrato, deixando a Grande São Paulo e municípios sem o sinal da CNT até 2001. Com isso, a TV Gazeta iniciou seu processo de rede, com a implantação de repetidoras no interior de São Paulo e em outros estados. Até 2000, a TV Gazeta deixou de exibir os filmes, novelas, seriados e desenhos animados que eram exibidos na época da parceira da CNT. Por outro lado, programas como Mesa Redonda, Mulheres e forte presença no jornalismo e nos esportes, responsável pelo faturamento de audiência da dupla emissora, permaneceram na Gazeta.

Detalhe da canopla de um antigo microfone da emissora.

Em 16 de julho de 2001, a TV Gazeta e o jornal Gazeta Mercantil se unem para criar o novo telejornalismo da emissora, que agora, além dos esportivos e o Em Questão (com Maria Lídia), incorporam a grade de programação os jornais Primeira Página, Mercado e Jornal da Gazeta, que inaugurou com sucesso o jornalismo naquele dia. Foram reformulados todos os programas jornalísticos da emissora, até mesmo o esportivo Gazeta Esportiva.

O Jornal da Gazeta estreou com cobertura direta da capital argentina de Buenos Aires, já que o Brasil passava por dificuldade devido a crise econômica no país vizinho. Assim, Carlos Alberto Sardenberg, Gustavo Camargo e Camila Teich comandaram a primeira edição do Jornal da Gazeta, tendo Maria Lídia como convidada. Assim as duas faces da TV Gazeta, a nova e a antiga se encontram para reabrir o telejornalismo informativo da emissora, sob a direção do ex-diretor do TJ Brasil, Albino Castro.

E o canal no primeiro semestre de 2001 também já havia feito alterações: o programa musical Clipper entrava no ar e o Mulheres passava de Leão Lobo e Márcia Goldschmidt, que foram para a Rede Bandeirantes, para Clodovil e Christina Rocha.

Mulheres é o programa mais tradicional da TV Gazeta junto com Em Questão e Mesa Redonda. Mulheres começou com Clarisse Amaral sob o nome de Programa Clarisse Amaral. Com a entrada da responsável pelo setor de moda das lojas Mappin, Ione Borges ao lado de Clarisse, o programa passa a se chamar Clarisse Amaral em Desfile. Com a saída da apresentadora, o programa continua com Ione, agora ao lado da locutora de rádio Claudete Troiano, dando início às "parceirinhas" do programa Mulheres em Desfile. Com a separação da dupla no final da década de 90, Claudete muda de emissora e Ione em 2001 apresenta o programa Pra Você" e Ione (sendo que na época do início de Pra Você, Ione faz este programa enquanto Mulheres fica a cargo só de Claudete). Claudete Troiano apresentou Note e Anote, na Rede Record, e Ione Borges apenas seu programa de auditório homônimo. A partir de então, Márcia Goldschmidt e Leão Lobo entram para dar continuidade ao programa.

Com o passar dos anos, sua programação foi sendo reformulada, adaptando-se às exigências do público e anunciantes, para atender à dinâmica da televisão moderna.

Mas com o fim da parceria com a CNT, parte da programação começou a ser preenchida pelos chamados informerciais.

Desde 2006, a emissora paulista busca retomar sua grade de programação, com programas jornalísticos, de entretenimento e comercias. O primeiro passo foi a estreia, no mês de dezembro, do BestShop TV, programa de televendas que teve como principais apresentadores Viviane Romanelli, Fernando Fernandez, Carol Minhoto, Pâmela Domingues, Claudia Pacheco, Thiago Oliveira, Paloma Silva, Regiane Tápias. Em 2007, dois outros programas, de produção própria, estrearam: Super Ofertas (que traz espaço para pequenos e médios anunciantes) e Papo de Amigos, sob o comando de Amanda Françozo.

Em 2009, a apresentadora Claudete Troiano volta para a emissora que a revelou depois de mais de 10 anos apresentando programas em emissoras como Rede Manchete, Rede Record e SBT. Ela comandou ao lado de Ione Borges o Manhã Gazeta, uma revista eletrônica matinal. Inicialmente, o programa era dividido em duas partes, Claudete apresentava uma e Ione a outra. Com a saída de Ione Borges, a emissora escalou Olga Bongiovani em seu lugar que ficou por pouco tempo. Desde Então, Claudete apresentou o Manhã Gazeta sozinha.

Década de 2010[editar | editar código-fonte]

Com o desejo de aumentar a sua grade, a Gazeta põe fim ao programa de televendas BestShopTV, onde o elenco do programa é aproveitado em novas produções da casa[3].

Após 8 anos sem grandes estreias, a emissora lança em junho de 2010, o Super Esporte, apresentado por Thiago Oliveira na faixa das 22h00, já no mês de outubro de 2010, a emissora abre espaço para a estreia de mais três femininos: Você Bonita de segunda à sexta às 8h30 com Carol Minhoto, Falando sobre sexo nas madrugadas de sexta para sábado com a psicóloga Carla Cecarello e nas manhãs de sábado o Mix Mulher, com Regiane Tápias[4].

Em 2010, em comemorações aos 40 anos da TV Gazeta, a emissora exibe especiais que falam da trajetória do canal. O Jornalista Elmo Francfort lançou o livro "Av. Paulista 900 - A História da TV Gazeta", mesmo autor que escreveu o livro sobre a Rede Manchete.

Outro fato que causou repercussão, foi a saída de Palmirinha Onofre da Gazeta, a culinarista que apresentou por anos o TV Culinária ficou famosa pelas cenas hilárias que foram exibidas no quadro Top Five do CQC da Rede Bandeirantes. O TV Culinária foi reformulado e ganhou a apresentação de Viviane Romanelli.

Em 2011, a apresentadora Luisa Mell voltou a TV com o programa Estação Pet, que saiu do ar devido o cancelamento da renovação da apresentadora, no mesmo período o TV Culinária também sai do ar devido a pouca aceitação da nova apresentadora pelo público[5]. No seu lugar a emissora colocou o Delícias do Chef com o Chef Allan Villa Espejo, que até então era apenas um quadro do Manhã Gazeta.

Em fevereiro de 2011, o diretor Márcio Tavolari é contratado pela emissora para reformular artisticamente o programa Todo Seu, primeiro programa da TV Gazeta a estrear com transmissão em HD na comemoração das 1.500 edições da atração noturna comandada por Ronnie Von. O Todo Seu torna-se a primeira revista eletrônica diária HD da televisão brasileira em horário nobre, com novos quadros e estética mais requintada. Ronnie Von volta a ser notícia na mídia com elogios da crítica especializada e o programa alcança prestígio junto ao meio artístico e público.

Depois de mais de 20 anos na Gazeta, a jornalista Maria Lydia Flandoli é demitida sem muitas explicações. O Em Questão saiu do ar e o Jornal da Gazeta foi reformulado colocando a dupla Stella Gontijo e Gabriel Cruz. Pouco tempo depois, Maria Lydia volta ao telejornal, realizando entrevistas.

No mesmo ano, a Gazeta investe na reprise de alguns de seus programas, na madrugada. Foram reprisados os programas Todo Seu, Jornal da Gazeta, Estação Pet e Vambora (quadro do programa Mulheres)

Estúdio de gravação de "A Máquina", em 2016

No início de 2012, o TV Culinária volta, dessa vez com Regiane Tápias no comando e os programas Os Impedidos (humorístico exibido nas noites de domingo, antes do Mesa Redonda), Hoje Tem (programa de eventos culturais exibido às quintas-feiras, apresentado por Pâmela Domingues) e A Máquina (programa de entrevistas comandado por Fabrício Carpinejar, exibido nas noites de terça-feira) estreiam.

No mês de abril, a apresentadora Claudete Troiano sai da Gazeta, no lugar do Manhã Gazeta estreia o Revista da Cidade com Regiane Tápias[6], sendo que o quadro Ateliê na TV que fazia parte do Manhã Gazeta e tornou-se um programa diário. No mesmo período, o Super Esporte muda de horário, indo para a faixa das 12:00, o Você Bonita passa a ser exibido em seguida. E estreia o Jornal da Gazeta - Edição das 10, um boletim jornalístico exibido às 22h com quinze minutos de duração[7].

Com o fim da parceria com o Best Shop TV, os programas Gazeta Imóveis, Gazeta Motors e Gazeta Shopping ganham mais espaço na programação.

O De Olho na TV é o quadro de maior sucesso do Todo Seu, o jornalista da Jovem Pan, José Armando Vanucci comenta os principais assuntos sobre a TV Brasileira. Devido ao sucesso, o quadro que era apenas exibido na quarta-feira, ganha mais dois dias de exibição, às segundas e sextas. Além disso, agora Vanucci mostra os bastidores dos programas de TV e entrevistas[8].

Com a transmissão por satélites em sinal digital e analógico, a programação da TV Gazeta também pode ser acompanhada pelos sistemas de televisão por assinatura NET e Vivo TV. Esta emissora não foi beneficiada pela nova lei de TV por assinatura por não cumprir os requisitos necessários.

No dia 1º de novembro de 2013, a emissora demitiu, sem maiores explicações, o apresentador do "Super Esporte", Thiago Oliveira.[9] Desde o dia 4 de novembro, atração passou a ter o comando de Anita Paschkes, que antes tinha substituído Michelle Gianella, que estava de licença-maternidade, no "Gazeta Esportiva" e no "Mesa Redonda".[10]

Em 2014 a TV Gazeta promoveu mudanças na sua programação. Novos programas foram criados e dedicados à cidade e ao estado de São Paulo. A Gazeta já foi conhecida por ser a TV com a cara de São Paulo e a mais paulista das TVs.

Os programas Ateliê na TV, Revista da Cidade, Super Esporte, Você Bonita, Mulheres, Gazeta Esportiva, Todo Seu e outros programas foram mantidos, com novos cenários, novas artes de computação gráfica e novas vinhetas, de acordo com o novo conceito de programação visual.

A nova programação estreou em 10 de março. No mesmo ano, alegando renovação na equipe esportiva, a emissora demite o narrador Fernando Solera e no dia 1º de junho estreia o humorístico Chuchu Beleza, com Felipe Xavier[11]. Foram produzidos programas em formato de série, compostos por quatro episódios cada, tratando sempre em torno do tema São Paulo, entre eles Amor Concreto, Extremos da Cidade, A Cidade que não Dorme.

No meio do ano foi montado um novo núcleo de produção, visando a criação de conteúdo exclusivo para internet. Já foram produzidos diversos vídeos de bastidores dos programas da TV e séries como Mamma Responde. No comando dos vídeos está a apresentadora Paula Vilhena.[12]

Em 2015, a TV Gazeta promove mudanças na sua programação. A emissora atualizou as novas chamadas interprogramas e vinhetas atualizadas com um padrão gráfico idealizado integralmente em flat design, com simplicidade de elementos, formas planas e cores sólidas. “Dentro da proposta de evolução contínua e buscando uma aproximação ainda maior com o público, o pacote de novas finalizações foca nas "sensações" que a programação da TV Gazeta , em suas diferentes editorias e programas, traz para o telespectador. Para traduzir essas sensações foi desenvolvida uma paleta de cores que resultou num visual ainda mais vibrante, divertido e moderno”, afirma Denise Wuilleumier, Gerente de Comunicação Social da Fundação Cásper Líbero.

O jornalismo da Gazeta realizou contratações importantes: Rodolpho Gamberini estreou ao lado de Stella Gontijo no novo Jornal da Gazeta. Josias de Souza e Denise Campos de Toledo foram contratados como novos comentaristas[13][14][15]. A nova programação estreou em 2 de março de 2015.

Em 2016, a TV Gazeta investe no lançamento de novas séries. Entre elas o Projeto 1 Dia, que retrata um dia em algum lugar de São Paulo, Humor.Docs, que faz um panorama do humor nas mais diversas plataformas, com apresentação de Paula Vilhena e Histórias do Rap Nacional, que faz um balanço da história do rap brasileiro, com apresentação de Ronald Rios, ex-repórter do CQC.[16] Rios foi contratado pela emissora em 29 de outubro de 2015.[17]Em 11 de março estreou o programa A Semana,que abordava os fatos da semana que passou de maneira descontraida[18]O programa saiu do ar em julho após divergências entre o humorista e a TV Gazeta[19]Em 9 de março estreia o reality "Sobremesa Para Dois" com Paula Vilhena, no qual dois competidores com ou sem experiência na cozinha serão desafiados a preparar um prato e tentarão conquistar o pretendente pelo paladar.[20] Em 4 de maio estreia A noite convida, no qual a apresentadora explora a noite paulistana com 2 personalidades.[21][22] Em 25 de julho, a emissora dispensa após 15 anos a apresentadora Mamma Bruschetta,após a mesma receber proposta irrecusavel do SBT. A apresentadora foi substituída pelo ator Guilherme Uzeda, interprete da personagem Tia[23] Em 30 de julho, Leão Lobo deixa também a emissora para acompanhar Mamma Bruschetta no SBT. Em seu lugar, a emissora contratou o jornalista Gabriel Perline.[24] Para reforçar o Mulheres a emissora recontrata Fernando Oliveira, o Fefito e conta também com o colunista Jose Armando Vannucci.[25].Em 1º de agosto a emissora recontrata Rodrigo Rodrigues, para apresentar o programa 5 Discos na qual vai receber um convidado, que levará os cinco discos mais importantes de sua vida.[26].No dia 23 de agosto de 2016, morre o repórter e jornalista Goulart de Andrade,que estava desde 2012 na Rede Gazeta. A emissora mantem as entrevistas gravadas pelo repórter,sendo a primeira reportagem póstuma exibida em 11 de setembro de 2016.[27]

Núcleo de Criação[editar | editar código-fonte]

Para tentar subir na audiência e em faturamento, a Gazeta em 2011 cria o Núcleo de Criação que ficará responsável pela programação na área de entretenimento e que busca projetos diferentes para a televisão brasileira. Os programas atualmente no ar e os que já foram produzidos são estes:

Almanaque das Trilhas Sonoras - Rodrigo Rodrigues contava as histórias por trás das trilhas sonoras de filmes antigos e atuais e grandes artistas como Elvis Presley, Beatles e Madonna.[28]. Foi extinto em julho de 2015.

Inspiradores - Série de quatro episódios, que mostra perfis do publicitário Washington Olivetto, do fotógrafo Cristiano Mascaro, do diretor teatral Guti Fraga e do jornalista Goulart de Andrade.

Mundo à Mesa - Programa documental que apresenta diversos temas relacionados a gastronomia, em sua primeira temporada, apresentou a culinária de diversos países.

Os Impedidos – Programa humorístico em formato de sitcom que tinha como elenco André Santi, Rafael Marinho, Renato Tortorelli e Richard Godoy. Ambientado num bar, o programa misturava discussão sobre futebol com ficção e humor. Até um tempo atrás, Os Impedidos concorria com a Rede Bandeirantes no horário. O programa foi ao ar pela última vez em 3 de novembro de 2013, por perder várias vezes da RedeTV!.

Hoje Tem – Agenda cultural eletrônica com Pâmela Domingues, que visita bares, restaurantes, teatros e festas

A Máquina – Estreou no dia 6 de março de 2012 com a apresentação de Fabrício Carpinejar. O programa tem como principal personagem uma máquina que têm o prisioneiro que é o apresentador e um convidado que é “capturado” todas as semanas.

Vem Comigo - Atração da emissora apresentada por Goulart de Andrade, que acompanha alunos de Jornalismo e Rádio, TV e Internet da Faculdade Cásper Líbero na realização de matérias. O jornalístico é uma mescla de Profissão Repórter da Rede Globo com reportagens especiais feitas entre as décadas de 70 e 90, dentro do programa Comando da Madrugada. O programa foi encerrado em agosto de 2016, depois da morte de Goulart de Andrade, aos 83 anos.

Eu NuncaSophia Reis mostra pessoas anônimas e famosas exercendo atividades que nunca fizeram, como voar de balão ou praticar aulas de tiro.

O Mochileiro – O blogueiro Daniel Thompson passeia pelas sete maravilhas naturais do mundo em uma série de oito episódios, em sua primeira temporada. O programa teve uma segunda temporada, onde seu apresentador viajou pelas belezas naturais do Brasil.

Ouça! – Apresentado por Rodrigo Rodrigues, que estreou em 6 de março de 2015, o programa teve temática musical com vários quadros como "Garimpo", "Performance" e "Playlist". O programa foi extinto.

Cidade Ocupada – Com a proposta de mostrar a cidade de São Paulo e seus problemas estruturais, o programa estreou em março de 2015, com apresentação de Fred Melo Paiva.

Vida de Atleta – Máurio Galera acompanha a rotina de vários atletas, desde a preparação até a partida, estreou em março de 2015.[29]

Emissoras[editar | editar código-fonte]

Slogans[editar | editar código-fonte]

Institucionais[editar | editar código-fonte]

  • 1970 - 1983: TV Gazeta canal 11 - A Nova Imagem de São Paulo
  • 1983 - 1985: Ligue no 11: Pega Bem
  • 1985 - 1989: TV Gazeta: Uma emissora de São Paulo para São Paulo
  • 1989 - 1990: TV Gazeta: A TV desindexada do Brasil
  • 1990 - 1992: Gazeta: A televisão de São Paulo
  • 1992 - 1995: Gazeta: Nova força no ar
  • 1996 - 2000: CNT Gazeta: A serviço de São Paulo
  • 2000 - 2012: TV Gazeta: Uma nova fase para todos
  • 2012 - 2014: Gazeta e você: a gente combina
  • 2014 - TV Gazeta, mais perto de São Paulo
  • 2015 - atualmente: TV Gazeta, bom te ver

Comemorativos[editar | editar código-fonte]

  • 1971 - TV Gazeta: Há 1 ano a nova imagem de São Paulo
  • 1975 - TV Gazeta: Há 5 anos a nova TV a cores de São Paulo
  • 1980 - Rede Gazeta 10 anos: Uma nova TV de São Paulo
  • 1985 - Rede Gazeta 15 anos: Uma TV de São Paulo para São Paulo
  • 1990 - TV Gazeta: Há 20 anos, a televisão de São Paulo
  • 1995 - TV Gazeta 25 anos: a maior força de São Paulo
  • 2000 - CNT/Gazeta: Há 30 anos, a serviço de São Paulo
  • 2005 - Gazeta 35 anos: Você por perto, tudo certo
  • 2010 - Gazeta e você: Juntos há 40 anos
  • 2015 - TV Gazeta: Há 45 anos, bom te ver

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Os 4% representam a cobertura de 248 municípios citados no atlas de cobertura da emissora, sendo que o Brasil possui ao todo 5.570 municípios.[1]

Referências

  1. «Atlas de cobertura» (PDF). TV Gazeta. 2015. Consultado em 30 de janeiro de 2016. 
  2. Imprensa Oficial lança livro de Elmo Francfort sobre história da TV Gazeta
  3. http://www.vctvbrasil.com/2010/03/gazeta-ira-acabar-com-o-bestshoptv.html
  4. José Armando Vannucci - Blog Parabólica Jovem Pan (7 de maio de 2010). «"Super Esporte" é o primeiro programa aprovado para a nova grade da Rede Gazeta». Jovem Pam. Consultado em 10 de fevereiro de 2013. 
  5. Fernando Oliveira. «Gazeta acaba com o 'TV Culinária' e o 'Estação Pet'». Na TV/Portal IG. Consultado em 10 de fevereiro de 2013. 
  6. oplanetatv (17 de Março de 2012). «Claudete Troiano deixa a TV Gazeta; "Manhã Gazeta" será reformulado». ClickGratis. Consultado em 10 de fevereiro de 2013. 
  7. «TV Gazeta reformula grade de programação e lança novos programas». TV Gazeta. 29 de março 2012. Consultado em 10 de fevereiro de 2013. 
  8. Portals4 (14 de julho de 2012). «“De Olho na Tv” ganha mais dois dias no “Todo Seu”». Portal S4. Consultado em 10 de fevereiro de 2013. 
  9. «Thiago Oliveira foi demitido da TV Gazeta: "Fui pego de surpresa"». Mídia Esporte. 2 de Novembro de 2013. 
  10. «Anita Paschkes deve substituir Thiago Oliveira no "Super Esporte"». Mídia Esporte. 3 de Novembro de 2013. 
  11. [1]
  12. [2]
  13. [3]
  14. [4]
  15. [5]
  16. TV Gazeta dá início a temporada de estreias com novo programas
  17. TV Gazeta contrata Ronald Rios para apresentar série sobre rap
  18. [6]
  19. [7]
  20. [8]
  21. [9]
  22. [10]
  23. [11]
  24. [12]
  25. [13]
  26. [14]
  27. [15]
  28. «TV Gazeta estreia novos programas para o público jovem». 
  29. [16]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]