Rodrigo Fernandes Alflen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2018). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Rodrigão
Informações pessoais
Nome completo Rodrigo Fernandes Alflen
Data de nasc. 14 de junho de 1978 (41 anos)
Local de nasc. Santos, Brasil
Altura 1,84 m
Apelido Rodrigão / Rodrigol
Informações profissionais
Posição Ex-Atacante
Clubes de juventude
1995-1998 Brasil Santos
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1998–1999
1999–2000
2000
2001
2001–2002
2002
2003
2004
2005
2006–2007
2007
2007
2007
2008–2009
2009
2009
2010
2011
2012
2013
2013
2014
2015
2016
Brasil Jabaquara
Brasil Santos
Brasil Internacional
Brasil Santos
França Saint-Étienne
Brasil Botafogo
Brasil Guarani
Portugal Marítimo Funchal
Brasil Santo André
Brasil Atlético/PR
Arábia Saudita Al-Hilal
Brasil Atlético/PR
Brasil Palmeiras
Brasil Vitória (emp.)
Brasil Guaratinguetá
México Indios Juarez
Brasil Santo André
Brasil Anapolina
Brasil Independente
Brasil Aimoré
Brasil Portuguesa Santista
Brasil Jabaquara
Brasil São Carlos
Brasil Portuguesa Santista
{{{jogos(golos)}}}
Seleção nacional
1999 Brasil Brasil

Rodrigo Fernandes Alflen, mais conhecido como Rodrigão (Santos, 14 de junho de 1978) é um futebolista brasileiro que atuava como atacante.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Rodrigão, era um centroavante de área que tinha como ponto forte, as finalizações. Iniciou a sua carreira nas categorias de base do Santos em 1995 e defendeu o clube paulista até se tornar profissional em 1999 pela mesma equipe, sendo emprestado por um período de 3 meses para o Jabaquara Atlético Clube, time da cidade.

Retornando ao Santos, logo em seu primeiro ano como profissional, chegou à final do Torneio Rio - São Paulo contra o Vasco e foi convocado para a Seleção Brasileira Sub-23, em um amistoso contra os Estados Unidos, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília. Após sofrer o pênalti, o jovem atacante converteu a cobrança em gol, ajudando a Seleção na vitória por 7 a 0.

Em 2000, foi emprestado para o Sport Club Internacional onde teve o melhor momento da sua carreira e devido ao faro de goleador, acabou recebendo o apelido de Rodrigol, pela torcida colorada. Nesse mesmo ano, foi convocado para a Seleção Olímpica para a disputa das Olimpíadas de Sidney. Porém, acabou sendo cortado, devido à uma lesão. As suas boas atuações no time colorado, despertaram o interesse de diversas equipes, fazendo com que, o Santos pedisse o seu retorno em 2001.

Formando o ataque ao lado de Dodô e Deivid, levou o time as semifinais do Campeonato Paulista, sendo eliminado para o Corinthians/SP. Em julho, acabou sendo vendido para o futebol francês. No Saint-Étienne, jogou apenas 1 temporada. Retornou ao Brasil e jogou no Botafogo e Guarani. Sua passagem pelo time de Campinas, fez com que o atleta retornasse ao futebol europeu. No Marítimo, conseguiu ajudar a equipe à se classificar para a Copa da Uefa. Devido à uma lesão no joelho, rescindiu com a equipe portuguesa, perto de encerrar o seu contrato. Fez o tratamento no Santo André, e após recuperação, disputou o Campeonato Paulista, Brasileirão Série B e a Libertadores da América, sendo vice artilheiro da competição e se tornando o goleador do time na temporada. Foi negociado com o Atlético-PR.

Diagnosticado com Hepatite C, ficou sem atuar por 10 meses. Em seu retorno, foi para o Al-Hilal, onde além de chegar à final do Campeonato Árabe, classificou o time para a segunda fase da Liga dos Campeões da Ásia. Voltou ao futebol brasileiro para jogar pelo Palmeiras, por 6 meses. Por conta de um imbróglio entre Palmeiras e Atlético-PR, foi obrigado a voltar ao Atlético-PR no início de 2008. Pouco aproveitado pelo clube paranaense, foi emprestado ao Vitória, sendo Campeão Baiano e melhor jogador da competição.

Em 2008, fechou contrato com o Guaratinguetá, para a disputa do Paulistão. Em 2010 jogou no Santo André, chegando à final do Paulistão, contra a equipe do Santos.

Em fevereiro de 2011 assinou com a Associação Atlética Anapolina, mas devido a uma lesão no tendão calcâneo ficou afastado realizando tratamento no Corinthians/SP.

Em 2012, obteve a conquista da Divisão de Acesso para o Gauchão, com o Clube Esportivo Aimoré. Atuou na Portuguesa Santista, em 2013 e Jabaquara em 2014. Teve rápida passagem pelo São Carlos Futebol Clube, em 2015, retornando à Briosa em 2016, onde além de Gestor, atuou em algumas partidas.

Em 2017, participou de alguns jogos do Indoor Santos.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Entre 2005 e 2010 manteve um relacionamento com a jogadora de basquete Hortência.[1]

Referências

  1. «Rodrigão vê desafio na Série B gaúcha em 17º clube e diz que casamento com Hortência ajudou na carreira». UOL. esporte.uol.com.br. 17 de janeiro de 2013. Consultado em 2 de dezembro de 2018 
Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre um futebolista brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.