Rubinho Barsotti

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rubinho Barsotti
Informação geral
Nome completo Rubens Antonio Barsotti
Nascimento 16 de outubro de 1932 (84 anos)
Local de nascimento São Paulo, SP - Brasil
Gênero(s) MPB, Jazz
Ocupação(ões) baterista
Instrumento(s) bateria

Rubens Antonio Barsotti, mais conhecido como Rubinho Barsotti (São Paulo, 16 de outubro de 1932) é um baterista e compositor brasileiro que fundou e fez parte do Zimbo Trio.[1][2]

Início[editar | editar código-fonte]

As irmãs de Rubinho Barsotti tocavam piano, e quando Rubinho tinha um ano e meio ou dois, seu pai trouxe uma orquestra para a festa de casamento de uma delas. No dia seguinte, Rubinho desceu até o porão onde o baterista contratado havia deixado seus instrumentos, e começou a mexer e desmontar tudo. Este foi seu primeiro contato com a bateria.[2]

Outras influências musicais significativas foram as orquestras da década de 1950, que ouvia em sua adolescência nos bailes, como a de Walter Guilherme, na qual inesperadamente, num certo dia, sem ter instrumento ou roupa adequada, foi convidado a substituir o baterista.[2]

Começou a cursar a Faculdade de Direito, mas abandonou seus estudos em 1964 para dedicar-se à música.[1]

Carreira musical[editar | editar código-fonte]

Rubinho Barsotti foi sempre um autodidata. Iniciou sua carreira artística participando de canjas com outros bateristas. Trabalhou com o pianista e acordeonista belga Rudy Wharton, atuando em rádio, televisão, concertos e excursões por várias capitais brasileiras.

Apresentou-se em bailes com os conjuntos de Robledo (pianista argentino), Walter Wanderley, Moacir Peixoto, Pedrinho Mattar e Pocito Perez, além da orquestra do maestro Enrico Simonetti.

Participou de todos os festivais de jazz em São Paulo, ao lado de Wilson Curia, Heraldo do Monte e Luiz Chaves, e no Rio de Janeiro, com Izzio Gross, Moacir Peixoto e Dick Farney, tendo sido contemplado com o prêmio de Melhor Baterista no programa "Em Tempo de Jazz".

Em homenagem a George Gershwin, participou de gravações com Dick Farney para o Jazz After Midnight e do primeiro Concerto de Jazz de São Paulo com o grupo de Moacir Peixoto.

Gravou o disco Brazilian Jazz Quartet, ao lado de Moacir Peixoto (piano), Casé (saxofone) e Luiz Chaves (contrabaixo).

Integrou o octeto do saxofonista Al Beleto (Orquestra de Woody Hermann) para apresentações em São Paulo e a gravação do disco Beleto and His Brazilian Brothers, em 1958. No ano seguinte, tocou em Punta del Este, com o conjunto de Vadeco e Odilon.

De volta ao Brasil, formou um grupo com Dick Farney e Chu Viana, para atuar no Claridge Hotel e no Farney's Bar.

Em 1960, viajou para o Uruguai e a Argentina com o cantor Agostinho dos Santos. Em seu retorno, teve um breve convívio com o baterista Buddy Rich.

Em 1961 participou de um noneto, apresentando-se em Montevidéu (Auditório Monte Carlo e Night Club Tabaris), em Punta del Este (Casino Nogaro) e em Buenos Aires (Feira Internacional).

De 1960 a 1962, trabalhou com Pedrinho Mattar e Chu Viana, no programa Brasil 60 (TV Excelsior), comandado por Bibi Ferreira, além de ter atuado em um programa exclusivo denominado Trio.

Em 1961 apresentou-se com Tommy Flanangan (piano), Ben Tucker (contrabaixo), Kenny Dorhan (trompete) e com os saxofonistas Zoot Sins e Al Cohn, que faziam parte do grupo American Jazz Festival.

No ano seguinte participou, ao lado de Luiz Melo, Heraldo do Monte e Luiz Chaves, de uma temporada na Boite Djalma Ferreira, além de excursionar pelo Brasil com Luiz Chaves e César Camargo Mariano.

Em 1963, convidado pelo pianista Fred Feld, viajou em turnê com Luiz Chaves para Portillo (Chile). De volta ao Brasil, os dois instrumentistas passaram a tocar com o pianista Moacir Peixoto, na Boite Baiúca.

Em 1964, formou, com Amilton Godoy (piano) e Luís Chaves (contrabaixo), o Zimbo Trio.

Em 1973, fundou, com os demais integrantes do Zimbo Trio a escola de música CLAM (Centro Livre de Aprendizagem Musical), onde desenvolveu um importante trabalho na formação de novos músicos como foi o caso do guitarrista, compositor e arranjador Claudio Celso, que, em 1972, aos 17 anos, passou a acompanhar o trio em turnê por todo o Brasil.[3]

Ao longo de sua trajetória, participou de trabalhos de Oscar Peterson e Joe Pass, Tommy Flanagan, Bem Tucker, Zoot Sins, Jay Migliori, Joe Romano, Roger Delillo, Herb Ellis, Gato Barbieri, Kenny Dorhan e Stan Getz, entre outros.

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • "Zimbo Trio” (RGE/Som Livre, LP/1964, CD/2006)
  • "O Fino Do Fino - Elis Regina E Zimbo Trio" (CBD/Philips, LP/1965, CD/1994, CD/1998)
  • "Zimbo Trio” – (Compacto Simples, RGE, CP/1965)
  • "Zimbo Trio” (RGE/Sony, LP/1965, CD/2006)
  • "Zimbo Trio - Vol. 2" (RGE, LP/1966)
  • "Zimbo Trio - Vol. 3" (RGE, LP/1967)
  • "Elizeth Cardoso, Jacob do Bandolim, Zimbo Trio E Época de Ouro - Ao Vivo No Teatro João Caetano - 19-fev-'68" (MIS/Tartaruga(Japão)/Biscoito Fino, LP/1968, LP/1975, CD/1994, CD/2003)
  • "É Tempo De Samba - Zimbo Trio + Cordas" (RGE, LP/1968)
  • "Zimbo Trio + Cordas – Vol. II" (RGE, LP/1969)
  • "Decisão - Zimbo Trio + Metais" (RGE/Som Livre, LP/1969, CD/2006)
  • "Elizeth E Zimbo Trio Balançam Na Sucata" (Copacabana, LP/1969, CD/1992)
  • "É De Manhã - Elizeth Cardoso E Zimbo Trio" (Copacabana, LP/1970)
  • "Strings And Brass Plays The Hits" (Phonogram, LP/1971)
  • "Tristeza - Zimbo Trio" (RGE/Premier, LP/1973)
  • "Opus Pop - Zimbo E Orquestra - Clássicos Com Bossa" (Phonogram, LP/1972)
  • "Opus Pop no. 2" (Phonogram, LP/1973)
  • "Zimbo Trio - FM Stéreo" (Phonogram, LP/1974)
  • "Zimbo" (RGE, LP/1976)
  • "Fragmentos Inéditos Do Histórico Recital Realizado No Teatro João Caetano Em 19 De Fevereiro de 1968 - Elizeth Cardoso, Jacob do Bandolim, Zimbo Trio E Época de Ouro - vol. 3" (Museu da Imagem e do Som, LP/1977)
  • "Zimbo" (CLAM - Continental, LP/1978)
  • "Zimbo Convida Sonny Stitt" (CLAM - Continental, LP/1979)
  • "Zimbo Convida Sebastião Tapajós" (CLAM, LP/1982)
  • "Zimbo Convida" (CLAM, LP/1982)
  • "Trocando Em Miúdos A Tristeza Do Jeca" (CLAM - Continental, LP/1983)
  • "Zimbo Interpreta Milton Nascimento" (CLAM - Continental, LP/1986)
  • "Zimbo Trio E Tom - Tributo A Tom Jobim – Vol. 1" (CLAM, LP/1988)
  • "Zimbo Trio E As Crianças" (CLAM, LP/1989)
  • "Clã Do CLAM" (Movieplay, CD/1992)
  • "Instrumental No CCBB - Canhoto da Paraíba E Zimbo Trio" (Tom Brasil, CD/1993)
  • "Aquarela Do Brasil" (Movieplay, CD/1993)
  • "Entre Amigos - Claudya E Zimbo Trio" (Movieplay CD/1994)
  • "Caminhos Cruzados - Zimbo Interpreta Tom Jobim" (Movieplay CD/1995)
  • "Brasil Música - Série Música Viva - Zimbo Trio E Maurício Einhorn" (Tom Brasil, CD/1996)
  • "Zimbo Trio" (RGE, CD/1997)
  • "35 Anos Ao Vivo" (Movieplay, CD/1999)
  • "A Música Brasileira Deste Século Por Seus Autores E Intérpretes - Zimbo Trio" (SESC-SP, CD/2001)
  • "Tributo A Elis Regina" (Movieplay Music, CD/2003)
  • "Zimbo Ao Vivo" (Eldorado, CD/2007)

Referências

  1. a b «Rubinho Barsotti em Biografia». Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira. Consultado em 20 de setembro de 2014 
  2. a b c «Rubinho Barsotti em Formação». Músicos do Brasil: Uma Enciclopédia Instrumental. Consultado em 20 de setembro de 2014 
  3. «Claudio Celso». Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira. Consultado em 20 de setembro de 2014