São José de Piranhas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Município de São José de Piranhas
Bandeira indisponível
Brasão de São José de Piranhas
Bandeira indisponível Brasão
Hino
Fundação 24 de setembro de 1885 (133 anos)
Gentílico piranhense
Prefeito(a) Francisco Mendes Campos (PSB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de São José de Piranhas
Localização de São José de Piranhas na Paraíba
São José de Piranhas está localizado em: Brasil
São José de Piranhas
Localização de São José de Piranhas no Brasil
07° 07' 15" S 38° 30' 07" O07° 07' 15" S 38° 30' 07" O
Unidade federativa Paraíba
Região
intermediária

Sousa-Cajazeiras IBGE/2017[1]

Região
imediata

Cajazeiras IBGE/2017[1]

Região metropolitana Cajazeiras
Municípios limítrofes Cajazeiras e Cachoeira dos Índios, ao norte; Carrapateira e Aguiar a leste; Monte Horebe e Serra Grande, ao sul; Barro (CE), a oeste
Distância até a capital 503 km
Características geográficas
Área 677,292 km² [2]
População 20 053 hab. estimativa IBGE/2018[3]
Densidade 29,61 hab./km²
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,612 médio PNUD/2000 [4]
PIB R$ 69 407,234 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 3 573,27 IBGE/2008[5]

São José de Piranhas é um município brasileiro do estado da Paraíba localizado na Região Geográfica Imediata de Cajazeiras. Sua área territorial é de 677 km² e sua população, conforme estimativas do IBGE de 2018, era de 20 053[3] habitantes.

História[editar | editar código-fonte]

Presume-se que o território onde se localiza São José de Piranhas foi constituído pelas antigas sesmarias pertencentes à Casa da Torre e pelos fazendeiros de Piancó que ali se estabeleceram no início do século XVIII.

Tudo leva a crer que havia fazendas na região, pois em 1764 a sesmaria foi requerida e supõe-se que tenha sido doada à igreja. Ali foram sendo construídas casas e se formou uma povoação que recebeu o nome de São José de Piranhas, por localizar-se às margens do Rio Piranhas. O município possui um importante sítio histórico que é a fazenda conhecida como Sítio Pinheira, local onde se deu fatos relacionados ao período do cangaço e a revolução de 30 nos sertões da Paraíba.

Sua emancipação política se deu em 24 de setembro de 1885

Geografia[editar | editar código-fonte]

O município está incluído na área geográfica de abrangência do semiárido brasileiro, definida pelo Ministério da Integração Nacional em 2005[6]. Esta delimitação tem como critérios o índice pluviométrico, o índice de aridez e o risco de seca.

Clima[editar | editar código-fonte]

Dados do Departamento de Ciências Atmosféricas, da Universidade Federal de Campina Grande, mostram que São José de Piranhas apresenta um clima com média pluviométrica anual de 980.5 mm e temperatura média anual de 26.4 °C.

Dados climatológicos para São José de Piranhas
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 34,4 33,3 32,4 32,0 31,5 31,0 31,3 32,9 34,3 35,4 35,6 35,3 33,3
Temperatura média (°C) 27,5 26,7 26,1 25,9 25,4 24,7 24,8 25,5 26,7 27,7 27,9 27,9 26,4
Temperatura mínima média (°C) 22,0 21,6 21,4 21,2 20,6 19,6 19,0 19,1 20,3 21,2 21,7 22,0 20,8
Chuva (mm) 120,8 195,5 240,3 196,4 73,7 35,4 18,3 6,5 11,4 15,0 23,4 43,8 980,5
Fonte: Departamento de Ciências Atmosféricas.[7][8][9][10]

Cultura[editar | editar código-fonte]

A cidade também é conhecida pela terra do poeta-repentista Manuel Galdino Bandeira, nascido em Patos, no ano de 1882 e falecido em 1955, em São José de Piranhas, onde se radicara e passara a exercer as atividades de agricultor. Cantador afamado teve oportunidade de cantar para o Presidente Getúlio Vargas. Suas estrofes se acham reproduzidas em diferentes livros sobre poesia popular. No Dicionário Bio-bibliográfico de Repentistas e Poetas de Bancada, encontra-se a estrofe com que iniciou uma peleja com Pinto do Monteiro.

Filhos ilustres[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 17 de agosto de 2017.. Cópia arquivada em 17 de agosto de 2017 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010. 
  3. a b «Estimativa populacional 2018 IBGE». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de agosto de 2018. Consultado em 18 de setembro de 2018. 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010. 
  6. Ministério da Integração Nacional, 2005. Nova delimitação do semiárido brasileiro.
  7. «TEMPERATURA COMPENSADA MENSAL E ANUAL DA PARAÍBA». Departamento de Ciências Atmosféricas. Consultado em 13 de julho de 2018.. Cópia arquivada em 11 de junho de 2014 
  8. «TEMPERATURA MÍNIMA MENSAL E ANUAL DA PARAÍBA». Departamento de Ciências Atmosféricas. Consultado em 13 de julho de 2018.. Cópia arquivada em 11 de junho de 2014 
  9. «PRECIPITACAO MENSAL». Departamento de Ciências Atmosféricas. 1911–1990. Consultado em 13 de julho de 2018.. Cópia arquivada em 11 de junho de 2014 
  10. «TEMPERATURA MAXIMA MENSAL E ANUAL DA PARAIBA». Departamento de Ciências Atmosféricas. 1911–1980. Consultado em 13 de julho de 2018.. Cópia arquivada em 11 de junho de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]