Cajazeiras

Este é um artigo bom. Clique aqui para mais informações.
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o município paraibano. Para outros significados, veja Cajazeiras (desambiguação).
Cajazeiras
  Município do Brasil  
Panorâmica da cidade
Panorâmica da cidade
Símbolos
Bandeira de Cajazeiras
Bandeira
Brasão de armas de Cajazeiras
Brasão de armas
Hino
Lema A Bimis Fundamentos
Gentílico cajazeirense
Localização
Localização de Cajazeiras na Paraíba
Localização de Cajazeiras na Paraíba
Cajazeiras está localizado em: Brasil
Cajazeiras
Localização de Cajazeiras no Brasil
Mapa de Cajazeiras
Coordenadas 6° 53' 24" S 38° 33' 43" O
País Brasil
Unidade federativa Paraíba
Região metropolitana Cajazeiras
História
Fundação 22 de agosto de 1863 (158 anos)
Aniversário 22 de agosto
Administração
Prefeito(a) José Aldemir Meireles de Almeida[1] (PP, 2021 – 2024)
Características geográficas
Área total [2] 562,703 km²
População total (IBGE/2020[2]) 62 289 hab.
Densidade 110,7 hab./km²
Clima Semiárido (Bsh)
Altitude 295 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2010[3]) 0,679 médio
 • Posição PB: 7º
PIB (IBGE/2018[4]) R$ 1 073 291,69 mil
PIB per capita (IBGE/2018[4]) R$ 17 373,93
Sítio www.cajazeiras.pb.gov.br (Prefeitura)

Cajazeiras é um município brasileiro, situado na extremidade ocidental do estado da Paraíba, Região Nordeste do país. Pertence à Região Geográfica Intermediária de Sousa-Cajazeiras e à Região Geográfica Imediata de Cajazeiras e está distante 475 quilômetros da capital do estado, João Pessoa. Ocupa uma área de aproximadamente 563 km² e sua população, conforme dados do IBGE em 2020, era de 62 289 habitantes, sendo o oitavo município mais populoso da Paraíba.

Emancipado de Sousa em 1863, o nome do município faz referência à Fazenda das Cajazeiras, fundada por Luiz Gomes de Albuquerque no século XVIII e doada posteriormente de suas filhas, Ana Francisca de Albuquerque, após o seu casamento com Vital de Souza Rolim. Desta união matrimonial nasceria Inácio de Sousa Rolim, fundador de um colégio de salesianos, por onde estudaram várias personalidades, entre elas o Padre Cícero. Por isso, Cajazeiras possui a alcunha de A terra que ensinou a Paraíba a ler.

História[editar | editar código-fonte]

A primitiva imagem de Nossa Senhora da Piedade, que pertenceu à mãe do Padre Rolim
Padre Inácio de Sousa Rolim, fundador do colégio de salesianos que deu origem a Cajazeiras

Segundo relatos de documentos antigos, datados do século XVIII, as terras localizadas à margem da Lagoa de São Francisco foram, por meio de uma sesmaria, cedidas aos proprietários Francisco Gomes Brito e José Rodrigues da Fonseca pelo governador da capitania da Paraíba, Luiz Antônio Lemos Brito. Treze anos mais tarde, em 7 de fevereiro de 1767, José Jerônimo de Melo, outro governador da capitania, doou parte dessas terras para o pernambucano Luiz Gomes de Albuquerque, que mais tarde fundou a Fazenda Cajazeiras.[5]

Essa fazenda foi doada pelo seu fundador a uma de suas filhas, Ana Francisca de Albuquerque, após o seu casamento com Vital de Souza Rolim, membro de uma família tradicional cearense vinda de Jaguaribe. Com a doação, o local tornou-se uma grande fazenda de gado. Em 1804, próximo ao sítio, foi construída A Casa Grande da Fazenda (uma residência) e o Açude Grande (que servia para abastecer a população local, bem como para a criação de animais).[5]

Da união matrimonial entre Ana e Vital, nasceram alguns filhos, entre os quais destaca-se Inácio de Sousa Rolim, nascido no Sítio Serrote em 22 de agosto de 1800 e ordenado como sacerdote no Palácio Episcopal de Olinda, em Pernambuco, em setembro de 1825. Quase quatro anos depois, em 1829, o padre Rolim funda a "Escolinha de Serraria", que tem ligação direta com a fundação de Cajazeiras. Essa pequena escola começou a crescer a partir de 1833, atraindo estudantes do local e de outras regiões. Em 1836, Ana de Albuquerque funda uma capela, dedicada à sua devoção, Nossa Senhora da Piedade, que hoje corresponde à Igreja Matriz Nossa Senhora de Fátima. Posteriormente, a Escolinha de Serraria, que havia sido construída em uma casa feita de madeira, mudou-se para uma nova casa, agora feita de alvenaria.[5][6]

Em 1843, o padre Rolim muda-se para seu sítio de origem, onde ainda residiam seus progenitores, e funda um colégio de salesianos (hoje Colégio Nossa Senhora de Lourdes), que viria a atrair vários estudantes e até mesmo personalidades, entre elas o Padre Cícero Romão Batista, vindo do Crato, Ceará. Além dele, outras personalidades também estudaram lá e passam a residir nas imediações do colégio, sendo, por isso, o motivo pelo qual Cajazeiras é referida como "A terra que ensinou a Paraíba a ler". Essas residências deram origem a uma cidade, que viria a se chamar "Cajazeiras", em referência à antiga fazenda de mesmo nome, fundada por Luiz Gomes de Albuquerque e onde estavam plantadas várias cajazeiras (Spondias lutea), árvore da família das anacardiáceas que fornece como fruto o cajá.[5][6]

Segundo o historiador cajazeirense Deusdedit Leitão, nos anos de 1844 e 1845, o povoado de Cajazeiras já vinha ganhando espaço no jogo político da Paraíba, com a eleição do bacharel Manoel de Sousa Rolim como deputado provincial.[5][6] Em 29 de agosto de 1859, através da lei provincial n° 5, Cajazeiras torna-se um distrito, pertencente ao município de Sousa.[7] Em 23 de novembro de 1863, a lei provincial nº 92, sancionada pelo governador Francisco de Araújo Lima, eleva o distrito à categoria de vila e o desmembra de Sousa, tornando-se um novo município da Paraíba (na época província da Paraíba do Norte). Em 20 de junho de 1864, ocorreu a instalação do governo municipal, que foi assumido pelo vereador e presidente da Câmara, o sacerdote e vigário paroquial José Tomaz de Albuquerque. Finalmente, em 10 de julho de 1876, através da lei provincial nº 616, a vila é elevada à condição de cidade.[5][6]

Em 1914, Cajazeiras ganharia uma diocese, desmembrada da então diocese de Paraíba (elevada à arquidiocese no mesmo dia), tendo como igreja episcopal a Capela de Nossa Senhora da Piedade, fundada por Ana de Albuquerque. No ano seguinte, em meio a uma das secas mais graves da história do Nordeste, foram iniciadas as obras de ampliação do Açude Grande, entregues em 16 de novembro de 1916. Ainda na primeira metade do século XX, outros fatos notórios na história de Cajazeiras foram a inauguração do transporte ferroviário, em 1922; a chegada da energia elétrica em 1923 e a inauguração da primeira agência bancária do Banco do Brasil em 1938. Em 1948, o dia 22 de agosto, data de nascimento do padre Rolim, torna-se um feriado municipal, por meio de um projeto de lei apresentado na câmara municipal pelo vereador Geminiano de Sousa.[5][6]

Quando emancipado, faziam parte de Cajazeiras São José de Piranhas,[8] Cachoeira dos Índios e Bom Jesus, todos desmembrados e elevados à categoria de municípios. Em 1978, foi criado o distrito de Catolé dos Gonçalves, apesar de nunca ter sido oficialmente instalado.[7] Nos dias atuais, o município é formado pela sede mais os distritos de Divinópolis e Engenheiro Ávidos.

Geografia[editar | editar código-fonte]

De acordo com a divisão do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) vigente desde 2017, o município pertence à região geográfica imediata de Cajazeiras, inserida dentro da região geográfica intermediária de Sousa-Cajazeiras.[9] Antes, com a divisão em microrregiões e mesorregiões que vigorava desde 1989, Cajazeiras fazia parte da microrregião homônima, que por sua vez estava incluída na mesorregião do Sertão Paraibano.[10] Está a 475 km da capital estadual, João Pessoa,[11] e a 1 994 km da capital federal, Brasília.[12]

A área territorial de Cajazeiras é de 562,703 km²[2] (0,9965% da superfície estadual), dos quais 11,741 km² constituem a área urbana,[13] formada pelo Centro mais vinte bairros.[14] Limita-se com São João do Rio do Peixe (a norte e a leste), Nazarezinho (a sudeste), São José de Piranhas (a sul), Cachoeira dos Índios, Bom Jesus (ambos a oeste) e Santa Helena (a noroeste), além de Barro, no Ceará (sudoeste).

O relevo de Cajazeiras possui a predominância de superfícies aplainadas com eventuais elevações residuais alongadas, caracterizando a Depressão Sertaneja.[15] Predominam os solos bruno não cálcico[nota 1] e o latossolo (do tipo vermelho amarelo), existindo uma pequena área de vertissolo a nordeste.[17] Esses solos, formados em sua maioria pela desagregação e decomposição das rochas do embasamento cristalino,[18] são cobertos por uma vegetação xerófila, de pequeno porte, a caatinga, cujas espécies perdem suas folhas na estação seca.[19] Cajazeiras possui duas unidades de conservação, ambas criadas por lei municipal, que são a Área de Proteção Ambiental Rosilda Cartaxo (criado em 29 de setembro de 2006) e o Parque Ecológico do Distrito de Engenheiro Ávidos (29 de agosto de 1997).[20]

Maiores acumulados de chuva em 24 horas
registrados em Cajazeiras por meses (AESA)
Mês Acumulado Data Mês Acumulado Data
Janeiro 135,4 mm 14/01/1980 Julho 59,5 mm 13/07/1911
Fevereiro 150,3 mm 19/02/2012 Agosto 67,7 mm 06/08/1914
Março 174 mm 30/03/2000 Setembro 51 mm 19/09/1925
Abril 130 mm 06/04/1973 Outubro 170,4 mm 21/10/2011
Maio 85 mm 23/05/1995 Novembro 94,5 mm 12/11/1946
Junho 115 mm 10/06/2018 Dezembro 128 mm 24/12/1989
Período: 12/1910-presente[21][22]

Todo o território cajazeirense está inserido na sub-bacia hidrográfica do Rio do Peixe, que por sua vez faz parte da bacia do Rio Piranhas–Açu.[23] Os principais reservatórios são o Açude Engenheiro Ávidos e a Lagoa do Arroz, ambos entre os dez maiores da Paraíba, com capacidades para 293 617 376 m³ e 80 388 537 m³, respectivamente.[24] Outros cursos de água são os açudes Cajazeiras, Descanso e Escurinho e os riachos do Amaro, da Caiçara, do Cipó, das Marimbas, do Meio, dos Mirandas, Papa Mel e Terra Molhada.[23]

Estando localizado dentro do Polígono das Secas, Cajazeiras possui clima semiárido (do tipo Bsh segundo Köppen), com temperaturas elevadas durante o dia, principalmente nos meses mais secos, e mais amenas no período noturno, com chuvas concentradas em poucos meses.[19] De acordo com dados da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (AESA), desde que teve início o monitoramento pluviométrico na cidade, em dezembro de 1910, o maior acumulado de chuva em 24 horas atingiu 174 mm em 30 de março de 2000. O mês mais chuvoso da série histórica é março de 1940, com 713,4 mm.[21][22]

Dados climatológicos para Cajazeiras[25]
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 32,5 31,4 30,5 29,9 29,5 29,5 29,8 31,1 32,4 33,2 33,3 33,2 31,4
Temperatura mínima média (°C) 22 21,8 21,7 21,4 20,7 19,7 19,1 19,4 20,3 21,1 21,7 22 20,9
Precipitação (mm) 126 177 257 193 70 33 19 4 6 12 13 47 957
Fonte: Climate-data.org

Demografia[editar | editar código-fonte]

Crescimento populacional
Censo Pop.
187212 975
19007 699
192013 75978,7%
194026 73894,3%
195030 91815,6%
196039 10426,5%
197041 6936,6%
198046 44811,4%
199151 27310,4%
200054 7156,7%
201058 4466,8%
Est. 202062 2896,6%
Fonte: IBGE[27]

No último censo demográfico, Cajazeiras era o sétimo município mais populoso da Paraíba e o 513° do Brasil, com 58 446 habitantes, 52,2% destes do sexo feminino e 47,8% do sexo masculino,[28] resultando em uma razão de 91,58 homens a cada cem mulheres.[29] Quanto à faixa etária, 67,45% tinham entre 15 e 64 anos, 23,32% menos de 15 anos e 9,23% possuíam 65 anos ou mais.[30] Com 81,27% dos habitantes residindo em áreas urbanas,[31][nota 2] a densidade populacional era de 103,28 km².[32]

Distribuição populacional (2010)[28]
Distrito Homens Mulheres Urbana Rural População
total
% do
total
Cajazeiras[nota 3] 25 927 28 591 46 753 7 765 54 518 93,28
Engenheiro Ávidos 2 011 1 917 748 3 180 3 928 6,72
Total 27 938 30 508 47 501 10 945 58 446 100

Na pesquisa de autodeclaração do censo, 49,18% eram pardos, 45,57% brancos, 4,15% pretos, 1,06% amarelos e 0,03% indígenas.[33] Todos os habitantes eram brasileiros natos,[34] dos quais 71,45% naturais do município, dentre os 88,36% nascidos no estado.[35] Dentre naturais de outras unidades da federação, os estados com mais residentes eram Ceará (5,13%), São Paulo (2,37%) e Rio Grande do Norte (1,28%), havendo também nascidos em outros dezoito estados e no Distrito Federal.[36]

Catedral de Nossa Senhora da Piedade, sé episcopal da Diocese de Cajazeiras

Ainda segundo o mesmo censo, 86,98% dos habitantes eram católicos apostólicos romanos, 7,97% evangélicos, 2,72% declararam não seguir nenhuma religião e 0,09% não sabiam sua preferência. Outras denominações somavam 2,24%.[37] Na Igreja Católica, o município sedia a Diocese de Cajazeiras, cuja sé episcopal está na Catedral de Nossa Senhora da Piedade (padroeira de Cajazeiras); as outras quatro paróquias da cidade são Nossa Senhora de Fátima, Sagrada Família, São José Operário e São João Bosco.[38] Cajazeiras também possui alguns dos mais diversos credos protestantes ou reformados, sendo a Assembleia de Deus a denominação mais comum.[37]

O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M) do município é considerado médio, de acordo com dados do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. Segundo dados divulgados em 2013, com dados relativos a 2010, seu valor era 0,679, sendo o sétimo maior da Paraíba e o 2 462° do Brasil. Considerando-se apenas o índice de longevidade, seu valor é de 0,815, o valor do índice de renda é de 0,668 e o de educação 0,574. Em 2010, 77,8% da população vivia acima da linha de pobreza, 12,7% encontrava-se entre as linhas de indigência e de pobreza e 9,5% estava abaixo da linha de pobreza. No mesmo ano, a participação dos 20% da população mais rica da cidade no rendimento total municipal era de 59,84%, valor quase 21 vezes superior à dos 20% mais pobres, que era de 2,86%, sendo o índice de Gini, que mede a desigualdade social, igual a 0,56.[30]

Política[editar | editar código-fonte]

Após a criação do cargo de prefeito, por volta de 1928, ocupou o cargo pela primeira vez Hildelbrando Leal, nomeado pelo governador João Pessoa. Somente em 9 de setembro de 1935 ocorreria a primeira eleição municipal, sendo eleito o candidato Joaquim Gonçalves de Matos Rolim, que assumiu a prefeitura em 14 de dezembro do mesmo ano e ficou no cargo até 10 de dezembro de 1937, quando renunciou, ficando no seu lugar o seu filho Celso Matos Rolim.[39] O atual prefeito é José Aldemir Meireles de Almeida, ex-deputado estadual, eleito em 2016 e reeleito em 2020.[40]

O prefeito é o representante do poder executivo e é auxiliado seu gabinete de secretários, nomeados livremente. A administração municipal também se dá por meio do poder legislativo, exercido pela Câmara Municipal. Cabe à casa elaborar e votar leis fundamentais à administração e ao executivo, especialmente o orçamento municipal (conhecido como Lei de Diretrizes Orçamentárias).[41] A sede da Câmara é a Casa Otacílio Jurema, formada por quinze vereadores.[42] A lei orgânica de Cajazeiras, que rege o município, foi promulgada em 4 de abril de 1990 e atualizada por emendas posteriores.[41]

Existem também alguns conselhos municipais em atividade: Acompanhamento e Controle Social do FUNDEB, Alimentação Escolar, Assistência Social, Cultura, Direitos da Criança e do Adolescente, Direitos da Mulher, Direitos da Pessoa Idosa, Direitos da Pessoa com Deficiência, Direito LGBT, Educação, Habitação, Igualdade Racial, Meio Ambiente, Preservação do Patrimônio, Saúde, Segurança Alimentar, Transporte, Transporte Escolar e Tutelar.[43][44][45] Cajazeiras possui uma comarca do poder judiciário estadual, de segunda entrância, com sede no Fórum Promotor Ferreira Júnior, cujos termos são Bom Jesus e Cachoeira dos Índios.[46][47] Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Cajazeiras possuía, em dezembro de 2020, 44 253 eleitores (1,495% do total do eleitorado da Paraíba), divididos em duas zonas eleitorais (42ª e 68ª).[48][49]

Economia[editar | editar código-fonte]

Indicadores socioeconômicos (2010)[50]
Renda per capita
(valor mensal)
R$ 503,88
Variação da renda
(2000-2010)
80%
Pessoas vivendo
na miséria
[nota 4]
5 455
Proporção de domicílios
na miséria
8%
Desigualdade
econômica
[nota 5]
40%

Conforme dados de 2011, o Produto Interno Bruto (PIB) de Cajazeiras era de R$ 531 715 mil, sendo R$ 7 043 mil do setor primário, R$ 73 016 mil do setor secundário, R$ 384 088 do setor terciário e 67 568 mil de impostos sobre produtos líquidos de subsídios a preços correntes e o PIB per capita era de R$ 9 043,69.[4] 61,94% da população maior de dezoito anos era economicamente ativa, enquanto que a taxa de desocupação era de 6,36% (2010).[30]

Na agricultura, Cajazeiras produziu, na lavoura permanente de 2012, 240 toneladas de banana (em cacho), 125 toneladas de goiaba e doze toneladas de manga.[51] Na lavoura temporária do mesmo ano foram produzidas duzentas toneladas de cana de açúcar.[52] Na pecuária, Cajazeiras possuía 20 160 galináceos (galos, frangas, frangos e pintos), 10 060 bovinos, 6 148 galinhas, 1 873 ovinos, 1 470 suínos, 718 caprinos, 214 equinos, 198 muares e 140 asininos. Também foram produzidos 26 mil dúzias de ovos de galinha, 1 981 mil litros de leite de 2 640 vacas ordenhadas e 1 280 quilos de mel de abelha,[53]

Cajazeiras conta com um distrito industrial, localizado a três quilômetros da zona urbana, cobrindo 21,39 hectares de área e possuindo treze empreendimentos.[54][55] As indústrias mais abundantes são a alimentícia, a de construção civil e a têxtil, além das indústrias de couro, fiação, sucata, tinta e tecelagem.[56][57] No extrativismo vegetal de 2012 produziram-se 780 metros cúbicos de lenha e dez toneladas de carvão.[58] Em 2010, 16,87% do pessoal ocupado acima de dezoito anos trabalhava no setor industrial, sendo 8,31% na construção civil, 6,98% na indústria de transformação, 1,1% nos serviços de utilidade pública e 0,48% na indústria extrativa.[30]

No setor terciário, 40,33% da população ocupada trabalhavam no setor de serviços e 21,46% no comércio (2010).[30] Em 2012, Cajazeiras possuía 1 473 unidades locais, sendo 1 416 delas atuantes e 16 453 trabalhadores, sendo 9 061 do tipo pessoal ocupado total e 7 392 do tipo ocupado assalariado. Salários juntamente com outras remunerações somavam 87 040 mil reais e o salário médio mensal dos trabalhadores era de 1,6 salários mínimos.[59]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Torres de telecomunicações no Morro do Cristo Redentor.

A responsável pelos serviços de abastecimento de água e de saneamento básico em Cajazeiras é realizada pela Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (CAGEPA), do qual o município é sede da Regional Alto Piranhas, que atende em dezenove localidades da Paraíba.[60] 14 017 domicílios eram abastecidos pela rede geral (81,12%); 908 através de poços ou nascentes dentro da propriedade (5,25%); 925 por meio de poços ou nascentes fora da propriedade (5,64%); 679 por meio de rios, açudes, lagos e/ou igarapés (3,93%) e 700 de outras maneiras (4,05%).[61]

O fornecimento de energia elétrica é feito pelo Grupo Energisa.[62] A voltagem da rede é de 220 volts.[63] Dos 17 279 domicílios, 17 151 possuíam energia elétrica (99,26%) sendo 17 122 da companhia distribuidora e 29 de outras fontes.[64] Os serviços de Internet e TV por Assinatura são oferecidas por alguns provedores como a Netline Telecom, ADDLink[65] e a AtualNet.[66] O lixo era coletado em 13 664 domicílios, entre os quais 11 913 por meio de serviço de limpeza (68,94%) e 1 751 por meio de caçambas (10,13%).[67]

O código de discagem direta a distância do município é 083 e o Código de Endereçamento Postal é 58900-000.[68] Existem algumas emissoras de rádio sediadas no município, entre elas a Rádio Alto Piranhas (650 AM), a Rádio Arapuan (96.1 FM), a Rádio Boa Esperança (1210 AM), a Rádio Cidade (104.9 FM), a Rádio Difusora Cajazeiras (1070 AM), a Rádio Oeste da Paraíba (1000 AM) e a Rádio Patamuté (94,5 FM),[69] além de alguns jornais em circulação, como o Diário do Sertão.[70]

Saúde[editar | editar código-fonte]

Em 2009, Cajazeiras possuía 62 estabelecimentos de saúde, sendo 31 públicos e 31 privados, com um total de 196 leitos para internação (134 públicos e 62 privados).[71] No mesmo ano existiam 18 620 mulheres entre 10 e 49 em idade fértil, tendo uma proporção de 61,6% da população feminina em idade fértil. Cajazeiras contava em abril de 2010 com doze assistentes sociais, 24 auxiliares de enfermagem, 51 cirurgiões dentistas, 89 enfermeiros, 42 farmacêuticos, 29 fisioterapeutas, nove fonoaudiólogos, 167 médicos (entre eles sete anestesistas, doze cirurgiões gerais, 24 clínicos gerais, 22 gineco-obstetras, catorze médios de família, dezenove pediatras, quatro psiquiatras e treze radiologistas), treze nutricionistas, quinze psicólogos e 154 técnicos de enfermagem, totalizando 515 profissionais de saúde. Também em 2010 foram registradas 4 996 internações.[72]

Cajazeiras é sede da 9ª Gerência Regional de Saúde da Paraíba, que reúne outros quatorze municípios.[73][74] O Hospital Regional Dr. José de Souza Maciel foi inaugurado em 5 de junho de 1941 e atende cerca de sete mil pessoas por mês, contando com 146 leitos para internação e com os serviços de clínica médica e cirúrgica, emergência e urgência, maternidade (obstetrícia), Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e unidade de cuidados intermediários (UCI).[75][76]

Educação[editar | editar código-fonte]

Educação de Cajazeiras em números (2012)[77]
Nível Matrículas Docentes Escolas
Ensino pré-escolar 1 575 108 54
Ensino fundamental 9 762 412 67
Ensino médio 3 545 114 10
Total 14 882 634 131

Em 2012, Cajazeiras possuía um total de 14 882 estudantes matriculados, 634 docentes e uma rede de 131 estabelecimentos de ensino.[77] O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica de 2011 das escolas públicas era de 3,9 para os anos iniciais (1ª à 4ª séries) e de 3,0 para os anos finais (5ª a 8 série).[78]

De acordo com dados da amostra do censo demográfico de 2010, da população total, 17 887 habitantes frequentavam creches e/ou escolas. Desse total, 114 frequentavam creches, 728 estavam no ensino pré-escolar, 235 na classe de alfabetização, 284 na alfabetização de jovens e adultos, 9 010 no ensino fundamental, 548 na educação de jovens e adultos do ensino fundamental, 2 473 no ensino médio, 568 na educação de jovens e adultos do ensino médio, 81 na especialização de nível superior, 2 435 em cursos superiores de graduação e 17 cursavam mestrado. 40 559 pessoas não frequentavam unidades escolares, sendo que 7 110 nunca haviam frequentado e 33 449 haviam frequentado alguma vez.[79]

No mesmo ano, 9,9% das crianças com faixa etária entre sete e quatorze anos não estavam cursando no ensino fundamental. A taxa de conclusão, entre jovens de 15 a 17 anos, era de 48,7% e o percentual de alfabetização de jovens e adolescentes entre 15 e 24 anos era de 95,8%. A distorção idade-série entre alunos do ensino fundamental, ou seja, com com idade superior à recomendada, era de 23,1% para os anos iniciais e 40,2% nos anos finais e, no ensino médio, a defasagem chegava a 39,0%.[80] Entre as instituições de ensino superior, estão a Faculdade São Francisco da Paraíba (FASP),[81][82] a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Cajazeiras (FAFIC),[83] a Faculdade Santa Maria (FSM),[84] a Faculdade Evilásio Formiga (FEF),[85] o Instituto Superior de Educação de Cajazeiras (ISEC),[86] a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG),[87] e o Instituto Federal da Paraíba (IFPB).[57]

Segurança pública[editar | editar código-fonte]

Cajazeiras apresenta uma baixa taxa de homicídios, de apenas 1,7 por cem mil habitantes em 2008, o que classificava o município na 2 760 ª posição no país e na 82ª colocação no estado.[88] O índice de suicídios no mesmo ano era de 3,5 para cada grupo de cem mil habitantes, ficando na 1 600 º a nível federal e na trigésima a nível estadual.[89] Ainda em 2008, a taxa de óbitos por acidentes de transporte, por grupo de 100 mil habitantes, era de 13,9, sendo na 1 653 ª colocação no Brasil e em 38º na Paraíba.[90]

Conforme estudos do Núcleo de Análise Criminal, Cajazeiras apresentou uma redução de 29% no número de assassinatos entre 2010, ano em que foram registrados 14 assassinatos, e 2011, quando o mesmo número caiu para dez.[91] A queda nos índices de criminalidade em Cajazeiras deve a investimentos do governo do estado na área de segurança pública, à integração das polícias e ao empoderamento dos policiais.[92] Cajazeiras é sede do 6º Batalhão da Polícia Militar da Paraíba[93] e da 9ª Delegacia Regional da Polícia Civil estadual.[94]

Transporte[editar | editar código-fonte]

A frota municipal no ano de 2012 era de 22 063 veículos, sendo 10 168 motocicletas, 7 153 automóveis, 2 273 motonetas, 1 466 caminhonetes, 433 caminhões, 283 camionetas, 57 veículos utilitários, 50 ônibus, 48 micro-ônibus e 24 caminhões trator. Outros tipos de veículos incluíam 108 unidades.[95]

No transporte rodoviário, Cajazeiras é cortada por três rodovias, sendo apenas uma federal (a BR-230, que começa em Cabedelo, no litoral da Paraíba, e se estende até a fronteira do Brasil com o Peru, no estado do Acre)[96] e duas estaduais, sendo elas a PB-393, que se estende por 22 quilômetros e liga São João do Rio do Peixe até Cajazeiras, e a PB-400, que possui quase cem quilômetros de extensão e fazendo a ligação entre Cajazeiras e Conceição.[97] Cajazeiras possui um terminal rodoviário, que está localizado no bairro Santa Cecília.[98]

No transporte ferroviário, Cajazeiras é atravessada por uma ferrovia, cujo ramal foi inaugurado em 5 de agosto de 1926, com uma extensão de 21 quilômetros, apenas uma estação, que foi desativada junto com o ramal em 5 de março de 1971, apesar de os trens já não circularem mais desde 1967. A estação até hoje continua de pé e, com decreto estadual nº 22 082 de 2001, foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico da Paraíba (IPHAEP), servindo, nos dias atuais, de sede para o Núcleo de Extensão Cultural UFPB/CFP/NEC.[99] Por sua vez, no transporte aeroviário, Cajazeiras possui o Aeroporto Regional Professor Pedro Vieira Moreira, que fica próximo à BR-230, por trás do Posto da Polícia Rodoviária Federal.[97]

Cultura[editar | editar código-fonte]

Vista da estátua do Cristo Redentor, no morro de mesmo nome, importante atrativo turístico de Cajazeiras

O artesanato é uma das formas mais espontâneas da expressão cultural cajazeirense. Em várias partes do município é possível encontrar uma produção artesanal diferenciada, criada de acordo com a cultura e o modo de vida local e feita com matérias-primas, como as tapeçarias, as rendas e o vidro.[100] Alguns grupos, como a Associação das Louceiras do Bairro São José, reúnem diversos artesãos da região, disponibilizando espaço para confecção, exposição e venda dos produtos artesanais. Normalmente essas peças são vendidas em feiras, exposições ou lojas de artesanato.[101][102]

No teatro, Cajazeiras possui o Teatro Íracles Pires, uma das principais casas de espetáculos da Paraíba. Foi inaugurado em 26 de janeiro de 1985, é vinculado à Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc) e sedia eventos como debates, feiras, mostras e oficinas de artes. É nesse teatro onde é realizado a Festival Estadual de Teatro de Cajazeiras, o chamado Cajazeirato, que ocorre desde 2006 nos dias 19, 20 e 21 de novembro de cada ano e é realizado pela Associação Cajazeirense de Teatro em parceria com a prefeitura municipal e outros órgãos. Seu nome é uma homenagem à teatróloga Íracles Pires Ferreira.[103]

Além do festival de teatro, outros eventos realizados no município são o Carnaval,[104] a Mostra de Cultura Cajazeirense,[105] festa da padroeira Nossa Senhora da Piedade[106][107] e a festa de emancipação política.[108] Dentre os atrativos turísticos estão a Biblioteca Pública Municipal Doutor Castro Pinto, a antiga Estação Ferroviária, a Estátua do Cristo Redentor, a Igreja Matriz de Nossa Senhora de Fátima, a Igreja de São João Bosco e o Teatro Íracles Pires.[109]

Em Cajazeiras há três feriados municipais, que são os dias 29 de junho, dia dos festejos dedicados a São Pedro; 22 de agosto, data de aniversário do padre Rolim e 15 de setembro, dia da padroeira Nossa Senhora da Piedade.[110]

Futebol[editar | editar código-fonte]

O primeiro clube de futebol de Cajazeiras foi o Pitaguares Football Club, fundado em 1923 pelo jovem Antonio de Andrade Carneiro. Cinco anos depois, foi criada a Liga Cajazeirense de Desportos. Em 1938, a seleção cajazeirense obteve a primeira classificação em um campeonato de futebol do sertão da Paraíba.

Em 1948, foi inaugurado o Estádio Higino Pires Ferreira e, no mesmo ano, foi fundado o Atlético Cajazeirense de Desportos, que já conquistou os títulos de vice-campeão do Campeonato Paraibano de Futebol de 1994, campeão estadual de 2002 e vice-campeão no ano seguinte.[111]

Além do Atlético, outro time de futebol existente e sediado no município é o Paraíba Esporte Clube, criado em 7 de julho de 2005 e consagrado campeão da segunda divisão do Campeonato Paraibano de Futebol de 2011.[112][113] Cajazeiras conta com o Estádio Perpétuo Corrêa Lima, o Perpetão, que foi construído em um terreno doado pela prefeitura ao governo do estado e inaugurado em 27 de janeiro de 1985,[114] sendo considerado como o terceiro maior estádio de futebol do estado da Paraíba.[115]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Na nova classificação brasileira de solos, esse solo passou a constituir os luvissolos.[16]
  2. Inclui tanto a população urbana da sede quanto a área urbana de Engenheiro Ávidos.
  3. A população inclui a área do distrito de Divinópolis.
  4. O IBGE considera miseráveis as pessoas que declaram receber renda mensal entre R$ 1 e R$ 70.
  5. Diferença percentual entre a renda média do município e sua renda mediana - valor que separa os mais ricos dos mais pobres.

Referências

  1. «Zé Aldemir, do PP, é eleito prefeito de Cajazeiras». G1. 16 de novembro de 2020. Consultado em 20 de fevereiro de 2021. Cópia arquivada em 4 de dezembro de 2020 
  2. a b c IBGE. «Brasil / Paraíba / Cajazeiras». Consultado em 18 de julho de 2021 
  3. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). «Ranking IDH-M 2010» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano do Brasil. Consultado em 31 de julho de 2013. Cópia arquivada (PDF) em 6 de agosto de 2013 
  4. a b c IBGE (2018). «Produto Interno Bruto dos Municípios». Consultado em 18 de julho de 2021 
  5. a b c d e f g «Cajazeiras». Portal Ecoviagem. Consultado em 6 de julho de 2013. Cópia arquivada em 21 de fevereiro de 2008 
  6. a b c d e «Datas Históricas». Consultado em 9 de junho de 2016. Cópia arquivada em 29 de fevereiro de 2008 
  7. a b IBGE. «Histórico» (PDF). Consultado em 5 de julho de 2013. Cópia arquivada (PDF) em 5 de julho de 2013 
  8. IBGE. «Paraíba » São José de Piranhas » histórico». Consultado em 9 de junho de 2016. Cópia arquivada em 9 de Junho de 2016 
  9. Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome IBGE_DTB_2017
  10. IBGE (IBGE) (1990). «Divisão regional do Brasil em mesorregiões e microrregiões geográficas» (PDF). Biblioteca IBGE. 1: 44–45. Consultado em 25 de dezembro de 2017. Cópia arquivada (PDF) em 25 de setembro de 2017 
  11. «Distância de Cajazeiras a João Pessoa». Consultado em 18 de julho de 2021 
  12. «Distância de Cajazeiras a Brasília». Consultado em 18 de julho de 2021 
  13. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) (2015). «Áreas Urbanas no Brasil em 2015». Consultado em 16 de dezembro de 2020 
  14. SOUZA JÚNIOR; MEIRELES; OLIVEIRA; SANTOS, 2020, p. 322.[1]
  15. SOUZA, 2014, p. 26.[2]
  16. JACOMINE, p. 13.[3]
  17. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) (1972). «Mapa exploratório - Reconhecimento de solos do município de Cajazeiras - PB». Consultado em 21 de junho de 2013. Cópia arquivada em 3 de março de 2016 
  18. BELTRÃO, B. A., et al, 2005, p. 4.[4]
  19. a b BELTRÃO, B. A., et al, 2005, p. 3.[5]
  20. IDEME, 2014, p. 105.[6]
  21. a b Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA). «Código da Estação: 00638028». Consultado em 18 de julho de 2021 
  22. a b AESA. «Meteorologia - chuvas». Consultado em 18 de julho de 2021 
  23. a b BELTRÃO, B. A., et al, 2005, p. 5.[7]
  24. Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (AESA). «Últimos volumes informados dos açudes». Consultado em 18 de julho de 2021 
  25. «Clima: Cajazeiras». Climate-data.org. Consultado em 11 de agosto de 2014. Cópia arquivada em 3 de março de 2016 
  26. «Clima: Engo. Ávidos». Consultado em 11 de agosto de 2014. Cópia arquivada em 3 de março de 2016 
  27. IBGE. «Evolução da população, segundo os municípios» (PDF). Consultado em 18 de julho de 2021 
  28. a b IBGE (2010). «Tabela 608 - População residente, por situação do domicílio e sexo - Sinopse». Consultado em 19 de julho de 2021 
  29. IBGE (2010). «Razão de sexo, população de homens e mulheres, segundo os municípios – 2010». Consultado em 19 de julho de 2021 
  30. a b c d e «Perfil do Município de Cajazeiras, PB» (PDF). 2010. Consultado em 18 de julho de 2021. Cópia arquivada (PDF) em 19 de julho de 2021 
  31. IBGE (2010). «Tabela 761 - População residente, por situação do domicílio, com indicação da população urbana residente na sede municipal - Sinopse». Consultado em 19 de julho de 2021 
  32. IBGE (2010). «Tabela 1301 - Área e Densidade demográfica da unidade territorial». Consultado em 19 de julho de 2021 
  33. IBGE (2010). «Tabela 2093 - População residente por cor ou raça, sexo, situação do domicílio e grupos de idade - Amostra - Características Gerais da População». Consultado em 14 de fevereiro de 2014 
  34. IBGE (2010). «Tabela 1497 - População residente, por nacionalidade». Consultado em 19 de julho de 2021 
  35. IBGE (2010). «Tabela 1505 - População residente, por naturalidade em relação ao município e à unidade da federação». Consultado em 19 de julho de 2021 
  36. IBGE (2010). «Tabela 631 - População residente, por sexo e lugar de nascimento». Consultado em 19 de julho de 2021 
  37. a b IBGE (2010). «Tabela 2094 - População residente por cor ou raça e religião». Consultado em 19 de julho de 2021 
  38. «Zonal de Cajazeiras». Diocese de Cajazeiras. Consultado em 9 de junho de 2016. Cópia arquivada em 9 de Junho de 2016 
  39. ANTÔNIO, José (20 de julho de 2014). «Coronel Matos: o primeiro prefeito eleito de Cajazeiras». Consultado em 19 de julho de 2021. Cópia arquivada em 19 de julho de 2021 
  40. «Zé Aldemir é reeleito prefeito de Cajazeiras com 48% dos votos». Jornal da Paraíba. 16 de novembro de 2020. Consultado em 19 de julho de 2021. Cópia arquivada em 19 de julho de 2021 
  41. a b «Lei orgânica do município de Cajazeiras - PB» (PDF). Consultado em 19 de julho de 2021. Cópia arquivada (PDF) em 19 de julho de 2021 
  42. «Câmaras aumentam número de vereadores na PB». 18 de setembro de 2011. Consultado em 19 de julho de 2021 
  43. IBGE. «MUNIC - Perfil dos Municípios Brasileiros 2017». Consultado em 19 de julho de 2021 
  44. IBGE. «MUNIC - Perfil dos Municípios Brasileiros 2018». Consultado em 19 de julho de 2021 
  45. IBGE. «MUNIC - Perfil dos Municípios Brasileiros 2019». Consultado em 19 de julho de 2021 
  46. «Lista de Comarcas». Consultado em 19 de julho de 2021. Cópia arquivada em 18 de julho de 2021 
  47. «Comarca de Cajazeiras». Consultado em 19 de julho de 2021. Cópia arquivada em 19 de julho de 2021 
  48. Tribunal Superior Eleitoral (TSE). «Estatísticas do eleitorado – Consulta por município/zona». Consultado em 19 de julho de 2021 
  49. TSE. «Quantidade de eleitores por município/região». Consultado em 19 de julho de 2021 
  50. «Mapa da miséria e da desigualdade econômica no Brasil». Estadão. Consultado em 23 de maio de 2012 
  51. IBGE (2012). «Lavoura Permanente 2012». Consultado em 14 de fevereiro de 2014 
  52. IBGE (2012). «Lavoura Temporária 2012». Consultado em 14 de fevereiro de 2014 
  53. IBGE (2012). «Pecuária 2012». Consultado em 14 de fevereiro de 2014 
  54. «Distritos Industriais» (PDF). Instituto de Desenvolvimento Municipal e Estadual. 2011. Consultado em 28 de junho de 2013 
  55. «Regiões». Companhia de Desenvolvimento da Paraíba. Consultado em 28 de junho de 2013. Cópia arquivada em 7 de julho de 2013 
  56. «Cajazeiras». Portal Espaço Ecológico. Consultado em 28 de junho de 2013. Cópia arquivada em 7 de julho de 2013 
  57. a b «Campus Cajazeiras». Portal IFPB. Consultado em 28 de junho de 2013. Cópia arquivada em 7 de julho de 2013 
  58. IBGE (2012). «Extração Vegetal e Silvicultura 2012». Consultado em 14 de fevereiro de 2014 
  59. IBGE (2011). «Paraíba » Cajazeiras » Estatísticas do Cadastro Central de Empresas - 2011». Consultado em 28 de junho de 2013. Cópia arquivada em 7 de julho de 2013 
  60. «Regional Alto Piranhas». Portal da CAGEPA. Consultado em 5 de julho de 2013 
  61. IBGE (2010). «Domicílios particulares permanentes por forma de abastecimento de água». Consultado em 2 de julho de 2013 
  62. «Agências». Portal Energisa Paraíba. Consultado em 5 de julho de 2013. Cópia arquivada em 7 de julho de 2013 
  63. Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). «Tensões Nominais». Consultado em 10 de fevereiro de 2014 
  64. IBGE (2010). «Tabela 3220 - Domicílios particulares permanentes, por número de moradores, segundo a situação do domicílio, a existência e número de banheiros de uso exclusivo do domicílio, a principal forma de abastecimento de água, o destino do lixo e a existência de energia elétrica». Consultado em 14 de fevereiro de 2014 
  65. «Portal ADLLink». Consultado em 5 de julho de 2013 
  66. «Cobertura em Cidades». Consultado em 5 de julho de 2013 
  67. IBGE (2010). «Tabela 3218 - Domicílios particulares permanentes, por forma de abastecimento de água, segundo a existência de banheiro ou sanitário e esgotamento sanitário, o destino do lixo e a existência de energia elétrica». Consultado em 2 de julho de 2013 
  68. «Busca CEP». Correios. Consultado em 5 de julho de 2013 
  69. «Rádios ao vivo por palavra». Consultado em 5 de julho de 2013. Cópia arquivada em 5 de julho de 2013 
  70. «Jornais de Cajazeiras». Portal Netpapers. Consultado em 5 de julho de 2013 
  71. IBGE (2009). «Paraíba » Cajazeiras » Serviços de Saúde - 2009». Consultado em 30 de junho de 2013. Cópia arquivada em 7 de julho de 2013 
  72. «Caderno de Informações de Saúde - Cajazeiras/PB». Sistema Único de Saúde. Consultado em 30 de junho de 2013 
  73. «Gerência Regional de Saúde». Secretaria de Saúde da Paraíba. Consultado em 30 de junho de 2013. Cópia arquivada em 7 de julho de 2013 
  74. «9ª Regional de Saúde reúne Comitê de Prevenção à Morte Materna para discutir plano de ação». Governo da Paraíba. 25 de janeiro de 2013. Consultado em 30 de junho de 2013. Cópia arquivada em 7 de julho de 2013 
  75. José Antonio (19 de abril de 2009). «A agonia do Hospital Regional». Diário do Sertão. Consultado em 30 de junho de 2013. Cópia arquivada em 7 de julho de 2013 
  76. «Atendimento do Hospital Regional de Cajazeiras é referência no Alto Sertão». Governo da Paraíba. 21 de dezembro de 2012. Consultado em 30 de junho de 2013. Cópia arquivada em 7 de julho de 2013 
  77. a b IBGE (2012). «Paraíba » Cajazeiras » Ensino - Matrículas, Docentes e Rede Escolar - 2012». Consultado em 3 de julho de 2013. Cópia arquivada em 7 de julho de 2013 
  78. «IDEB - Resultados e Metas». Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Consultado em 3 de julho de 2013 
  79. IBGE (2012). «Paraíba » Cajazeiras » Censo Demográfico 2010: Resultados da Amostra - Educação». Consultado em 3 de julho de 2013. Cópia arquivada em 7 de julho de 2013 
  80. «Perfil Municipal - Cajazeiras - PB». Portal ODM. Consultado em 3 de julho de 2013. Cópia arquivada em 7 de julho de 2013 
  81. «Localização». Portal da FASP. Consultado em 3 de julho de 2013. Cópia arquivada em 7 de julho de 2013 
  82. «Contato». Portal da FASP. Consultado em 3 de julho de 2013. Cópia arquivada em 7 de julho de 2013 
  83. «Instituição». Portal da FAFIC. Consultado em 3 de julho de 2013. Cópia arquivada em 7 de julho de 2013 
  84. «A Faculdade». Portal da FSM. Consultado em 3 de julho de 2013. Cópia arquivada em 7 de julho de 2013 
  85. «Faculdade Evilásio Formiga». Consultado em 3 de julho de 2013. Cópia arquivada em 7 de julho de 2013 
  86. «Instituto Superior de Educação de Cajazeiras – Isec». Consultado em 3 de julho de 2013. Cópia arquivada em 7 de julho de 2013 
  87. «Universidade Federal de Campina Grande - Campus Cajazeiras». Consultado em 3 de julho de 2013. Cópia arquivada em 7 de julho de 2013 
  88. «Número e taxas (em 100 mil) de homicídio nos municípios com 10.000 habitantes ou mais» (xls). Portal Mapa da Violência. 2008. Consultado em 5 de julho de 2013 
  89. «Número e taxas (em 100 mil) de suicídio nos municípios com 10.000 habitantes ou mais» (xls). Portal Mapa da Violência. 2008. Consultado em 5 de julho de 2013 
  90. «Número e taxas (em 100 mil) de Óbitos Ac.Transporte nos municípios com 10.000 habitantes ou mais» (xls). Portal Mapa da Violência. 2008. Consultado em 5 de julho de 2013 
  91. «Polícia registra redução de homicídios em Cajazeiras». Governo da Paraíba. 31 de dezembro de 2011. Consultado em 5 de julho de 2013. Cópia arquivada em 7 de julho de 2013 
  92. «Governador entrega viaturas e destaca redução da violência em Cajazeiras». Governo da Paraíba. 22 de agosto de 2012. Consultado em 5 de julho de 2013. Cópia arquivada em 7 de julho de 2013 
  93. «Contatos da PMPB». Polícia Militar da Paraíba. Consultado em 5 de julho de 2013. Cópia arquivada em 7 de julho de 2013 
  94. «Segurança e da Defesa Social – Delegacias Regionais». Governo da Paraíba. Consultado em 5 de julho de 2013. Cópia arquivada em 7 de julho de 2013 
  95. «Paraíba » Cajazeiras » Frota - 2012». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistica. 2012. Consultado em 5 de julho de 2013. Cópia arquivada em 7 de julho de 2013 
  96. «BR - 230». Ministério dos Transportes. Consultado em 2 de junho de 2013. Cópia arquivada em 1 de junho de 2013 
  97. a b «Mapa Multimodal da Paraíba» (PDF). Departamento Nacional de Infraestrutura dos Transportes. 2009. Consultado em 5 de julho de 2013. Cópia arquivada (PDF) em 1 de junho de 2013 
  98. «Terminal Rodoviário de Cajazeiras em Cajazeiras». Consultado em 5 de julho de 2013. Cópia arquivada em 7 de julho de 2013 
  99. «Ramal da Paraíba - km 572,907 (1960)». Consultado em 5 de julho de 2013 
  100. IBGE (2009). «Principais atividades artesanais». Consultado em 6 de julho de 2013. Cópia arquivada em 6 de julho de 2013 
  101. «Detalhe da Forma Associativa». Companhia de Processamento de Dados da Paraíba. Consultado em 6 de julho de 2013. Cópia arquivada em 7 de julho de 2013 
  102. «CAPS – Cajazeiras/PB». Consultado em 6 de julho de 2013. Cópia arquivada em 6 de julho de 2013 
  103. «Teatro Íracles Pires: 28 anos comemorados com reforma e ampliação». Portal Destaque Paraíba. 7 de fevereiro de 2013. Consultado em 6 de julho de 2013. Cópia arquivada em 6 de julho de 2013 
  104. «Prefeitura de Cajazeiras, PB, divulga programação do carnaval 2013». G1 Paraíba. 10 de janeiro de 2013. Consultado em 7 de julho de 2013. Cópia arquivada em 7 de julho de 2013 
  105. «Realizada a III Mostra de Cultura Cajazeirense». O Bê-a-bá do Sertão. 8 de novembro de 2004. Consultado em 6 de julho de 2013. Cópia arquivada em 21 de Maio de 2011 
  106. «Diocese Celebra hoje Festa de sua Padroeira Nossa Senhora da Piedade». Portal da Diocese de Cajazeiras. 14 de setembro de 2011. Consultado em 22 de junho de 2013. Cópia arquivada em 7 de julho de 2013 
  107. «Festa da Padroeira Nossa Senhora da Piedade começa nesse Domingo». Diário do Sertão. 3 de setembro de 2010. Consultado em 6 de julho de 2013. Cópia arquivada em 21 de Maio de 2011 
  108. «Cajazeiras vai comemorar emancipação política». O Beabá do Sertão. 12 de agosto de 2011. Consultado em 6 de julho de 2013. Cópia arquivada em 6 de julho de 2013 
  109. «Turismo cultural». Portal Brasil Channel. Consultado em 6 de julho de 2013 
  110. «Paraíba – Feriados Municipais». Calendários e feriados. Consultado em 6 de julho de 2013. Cópia arquivada em 21 de Maio de 2011 
  111. LOPES, Reudesman (3 de maio de 2013). «2013, o ano do futebol cajazeirense». Diário do Sertão. Consultado em 6 de julho de 2013. Cópia arquivada em 6 de julho de 2013 
  112. «História do Clube». Portal Paraíba Esporte Clube. Consultado em 6 de julho de 2013. Cópia arquivada em 6 de julho de 2013 
  113. «Paraíba - Segunda Divisão». Consultado em 6 de julho de 2013 
  114. «Perpetuo Correia Lima, o Perpetão». Portal Futebol Nordeste. Consultado em 6 de julho de 2013. Cópia arquivada em 6 de julho de 2013 
  115. «Informações sobre Cajazeiras do estado da Paraíba». Portal Cidades. Consultado em 6 de julho de 2013. Cópia arquivada em 7 de julho de 2013 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

BELTRÃO, B. A. et al. Serviço Geológico do Brasil. Diagnóstico do município de Cajazeiras, estado da Paraíba. Recife: CPRM/PRODEEM, 2005.

IDEME - Instituto de Desenvolvimento Municipal e Estadual. Anuário estatístico da Paraíba 2014. João Pessoa: 2014. 1765p.

JACOMINE, P. K. G. A nova classificação brasileira de solos. Anais da Academia Pernambucana de Ciência Agronômica, v. 5, p. 161-179, 2008.

SOUZA, G. V. As cisternas de placa no Sítio Patamuté-Cajazeiras-PB: o paradoxo do abastecimento na zona rural. 56 f. TCC (Graduação) - Curso de Licenciatura em Geografia, Unidade Acadêmica de Ciências Sociais, Universidade Federal de Campina Grande, Cajazeiras, PB, 2014.

SOUZA JÚNIOR, T. G. et al. Açude Grande de Cajazeiras (PB): um insustentável exemplo de descuido com a água no semiárido brasileiro. Revista Brasileira de Educação Ambiental (RevBEA), v. 15, n. 3, p. 315-337. São Paulo: 2020. DOI: 10.34024/revbea.2020.v15.9701

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Cajazeiras