Região Metropolitana de Patos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Região Metropolitana de Patos
Localização
Localização da Região Metropolitana de Patos
Unidade federativa Paraíba
Lei LCE 103/2011
Data da criação 27 de Dezembro de 2011
Número de municípios 24
Cidade-sede Patos
Características geográficas
Área 6 078,268 km²
População 236 747 hab. (45º) IBGE/2016
Densidade 38,94
PIB R$ 1 284 372 mil IBGE/2010[1]

A Região Metropolitana de Patos, (RMP) ou Grande Patos é uma região metropolitana brasileira localizada no estado da Paraíba. Foi criada pela Lei Complementar Estadual nº 11/2011[2]. A matéria foi aprovada pela assembléia legislativa da Paraíba no dia 30 de Novembro de 2011[3]. Ela foi sancionada no dia 27 de Dezembro de 2011 pelo governador da Paraíba, Ricardo Coutinho [4]. É a região metropolitana que tem mais municípios no estado da Paraíba e na Região Nordeste do Brasil, cuja sede exerce influência em municípios de estados vizinhos (Pernambuco e Rio Grande do Norte), além da própria Paraíba.

A Região Metropolitana de Patos é constituída pelos municípios de Patos, Quixabá, Passagem, Areia de Baraúnas, Salgadinho, Junco do Seridó, Santa Luzia, São José do Sabugi, Várzea, São Mamede, Cacimba de Areia, Cacimbas, Desterro, Teixeira, São José do Bonfim, Matureia, Mãe D'Água, Santa Teresinha, Catingueira, Emas, Malta, Condado, São José de Espinharas e Vista Serrana.

Localização[editar | editar código-fonte]

A Região metropolitana fica situada na parte central do Estado, na região mais estreita, onde é menor a distância entre as divisas com os Estados do Rio Grande do Norte (ao Norte) e Pernambuco (ao Sul).

Patos, dista 305 km de João Pessoa, capital do estado e 180 km de Campina Grande, segundo maior centro urbano da Paraíba. A sede do município de Junco do Seridó é a que fica mais próxima da Capital do estado, 235,4 km.

Se acesso é feito principalmente por rodovias, sendo bem servida por ligações rodoviárias. Além disso, a região metropolitana conta com ligação ferroviária, proveniente da Capital da Paraíba, João Pessoa. Devido sua localização privilegiada na porção central do estado, a região metropolitana é responsável por ser um entreposto econômico no estado, tendo a cidade de Patos, sede da mesma, que polariza geograficamente cerca de 70 municípios de 3 estados (Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte), atingindo um raio de 170 km, totalizando uma população superior a 700 mil pessoas.

Municípios integrantes[editar | editar código-fonte]

Município População (2014) Área (km²) Densidade (2014) IDH (2010)[5] Distância a
Patos (km)
Areia de Baraúnas 1.894 96,343 19,65 0,562 47,2 km
Cacimba de Areia 3.693 220,380 16,75 0,596 24,4 km
Cacimbas 7.075 126,543 55,90 0,523 67,7 km
Catingueira 4.912 529,454 9,27 0,574 42,8 km
Condado 6.722 280,916 23,92 0,594 41,8 km
Desterro 8.225 179,387 45,85 0,580 55,3 km
Emas 3.463 240,901 14,37 0,595 61,8 km
Junco do Seridó 6.995 170,420 41,04 0,617 75,1 km
Mãe d'Água 4.035 243,754 16,55 0,542 38,1 km
Malta 5.675 156,242 36,32 0,642 33,9 km
Matureia 6.363 83,687 76,03 0,572 47,3 km
Passagem 2.361 111,876 21,10 0,620 34,4 km
Patos 105.531 473,056 223,08 0,701 -
Quixabá 1.868 156,683 11,92 0,622 16,0 km
Salgadinho 3.813 184,240 20,69 0,563 58,3 km
Santa Luzia 15.213 455,702 33,38 0,682 44,5 km
Santa Teresinha 4.601 357,953 12,85 0,627 22,5 km
São José de Espinharas 4.711 725,656 6,49 0,577 41,9 km
São José do Bonfim 3.452 134,724 25,62 0,578 18,1 km
São José do Sabugi 4.114 206,915 19,88 0,617 62,4 km
São Mamede 7.774 530,728 14,64 0,641 25,0 km
Teixeira 14.859 160,900 92,34 0,605 31,9 km
Várzea 2.709 190,447 14,22 0,707 57,7 km
Vista Serrana 3.710 61,361 60,46 0,566 77,5 km
TOTAL 233.768 6.078,268 38,45 0,604

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima da Região Metropolitana é semiárido e quente, com temperaturas médias anuais oscilando entre 21°C e 26°C, e amplitudes térmicas diárias de 10 °C, mensal de 5 ºC a 10 ºC anual entre 1°C e 5°C.

As chuvas são predominantemente de origem convectiva-orográfica concentradas em uma estação úmida que geralmente vai de fevereiro a maio com uma média histórica muito irregular, em torno dos 750mm e variação de 30%.

A radiação solar incidente é intensa, há uma média de 2800 horas de insolação por ano [8].

Das dez cidades com maior incidência de raios na Paraíba, as nove primeiras são da Região Metropolitana de Patos: [9] [10]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Patos na Paraíba, a capital do Sertão da Paraíba, possuindo 105.531 habitantes.

A maioria dos municípios possui população majoritariamente rural, porém observando-se que entre 2000 e 2007 subiu de três para cinco o número de municípios que apresentam mais de 70% de população urbana, sendo que Patos, com 96,2%, Santa Luzia com 90,16% e Malta com 87% de taxa de urbanização estão acima da média estadual que é de aproximadamente 74%.

Entre 2000 e 2007, em média, 6% da população do estado residia na referida Região Metropolitana. Dentre os municípios mais populosos, estão Patos, seguido de Santa Luzia e Teixeira.

No período de 2000-2007, de acordo com os dados do IBGE, a maioria dos municípios obteve uma taxa média de crescimento anual inferior à do estado da Paraíba, ou mesmo negativa, sendo os municípios de São José de Espinharas (-3,8%) e São Mamede (-2,9%) os que apresentaram mais acentuada retração. Apesar desta diminuição em termos totais, no mesmo período, todas as áreas urbanas cresceram, sugerindo assim que os fenômenos de migração seguem dois movimentos:

No que se refere à distribuição da população por faixa etária, observa-se que a região também passa pela tendência geral de envelhecimento da população pela qual o Brasil vivencia, decorrência essa, da queda de natalidade observada nas últimas décadas, da migração mais acentuada entre a faixa mais jovem da população e do aumento da expectativa de vida da população.

O índice da faixa etária de 0 a 6 anos caiu de 17,9% em 1991 para 14,1% em 2002, o mesmo ocorrendo para a faixa de 7 a 14 anos. A partir de 15 a 17 anos, começa lentamente uma elevação no número de pessoas, chegando a ser bastante acentuada a elevação percentual na faixa de 25 a 64 anos (passou de 34,8% para 41,3%).

Referências

  1. «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2010». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 2 jan. 2013 
  2. ASCOM. Deputada Francisca Motta defende criação da Região Metropolitana de Patos. Disponível em <[1]> Acesso em 04 de Dez de 2011
  3. SANTOS, Adelson Barbosa dos. Região Metropolitana de Patos é aprovada e vai para sanção do governador. Correio da Paraíba, Nov de 2011; Disponível em <[2]> Acesso em 04 de Dez de 2011.
  4. ASCOM.Sancionada Lei que cria a Região Metropolitana de Patos; Disponível em <[3]> Acesso em 30 de Dez de 2011.
  5. (PDF) publicado Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento http://www.pnud.org.br/arquivos/ranking-idhm-2010.pdf publicado Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Verifique valor |url= (ajuda). Consultado em 05 de agosto de 2013  Verifique data em: |acessodata= (ajuda); Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  6. a b c Climate data - Disponível para consulta em [4]
  7. EMBRAPA. Urbanização - Paraíba. Disponível em [5]
  8. a b (PDF) publicado = Territórios da cidadania http://sit.mda.gov.br/biblioteca_virtual/ptdrs/ptdrs_qua_territorio059.pdf publicado = Territórios da cidadania Verifique valor |url= (ajuda). Consultado em 3 de Novembro de 2013  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  9. Portal Correio (19 de Janeiro de 2015). «Malta é o município paraibano com maior incidência de raios na Paraíba. Patos ocupa a 4ª posição. Veja». Patosonline. Consultado em 28 de Fevereiro de 2015 
  10. Jornal da Paraíba (20 de Fevereiro de 2015). «Cidades Metropolitana de Patos estão entres as dez com maior incidência de raios». Patos Metropole. Consultado em 28 de Fevereiro de 2015