Região Metropolitana de Patos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre a região metropolitana. Para a região geoadministrativa, veja Região Geoadministrativa de Patos.
Região Metropolitana de Patos
Localização
Localização da Região Metropolitana de Patos
Unidade federativa Paraíba
Lei LCE 103/2011
Data da criação 27 de dezembro de 2011 (7
anos)
Número de municípios 24
Cidade-sede Patos
Regiões metropolitanas limítrofes Vale do Piancó (O)
Características geográficas
Área 6 078,268 km²
População 236 621 hab. (45º) IBGE/2018[1]
Densidade 38,93 hab./km²
PIB R$ 1 284 372 mil IBGE/2010[2]

A Região Metropolitana de Patos (RMP), Região Metropolitana do Sertão da Paraíba[3] ou Grande Patos,[4] é uma região metropolitana brasileira localizada no estado da Paraíba. É constituída por 24 municípios: Areia de Baraúnas, Cacimba de Areia, Cacimbas, Catingueira, Condado, Desterro, Emas, Junco do Seridó, Mãe D'Água, Malta, Matureia, Passagem, Patos, Quixaba, Salgadinho, Santa Luzia, Santa Teresinha, São José de Espinharas, São José do Bonfim, São José do Sabugi, São Mamede, Teixeira, Várzea e Vista Serrana.

A região tem diversas cidades em processo de conurbação, como Malta-Condado, Teixeira-Maturéia, Patos-São José do Bonfim e Patos-Quixaba. Se tratando de número de município, tem mais municípios em sua composição do que as demais regiões metropolitanas de Região Nordeste do Brasil.[3]

História[editar | editar código-fonte]

Em 2011, o estudante patoense Pedro Jorge Nunes da Costa teve a idealização e apresentou a proposta ao vereador patoense Sales Junior (PRB), que levou até a então deputada Francisca Motta.[3]

Na Assembleia Legislativa da Paraíba, ela apresentou o Projeto de Lei Complementar Estadual nº 11/2011,[5] A matéria foi aprovada, em 30 de novembro de 2011,[6] e sancionada em 27 de dezembro de 2011 pelo governador da Paraíba, Ricardo Coutinho.[7]

Em 20 de março de 2015, aconteceu na Associação Comercial e Industrial de Patos, o evento de implantação da Região Metropolitana de Patos e foi criado o Conselho Deliberativo, formado pelos prefeitos Arimatéia Camboim (Santa Teresinha), Nego de Guri (Teixeira), Júlio César (Quixaba), Ademir Morais (Santa Luzia) e Francisca Motta (Patos).[8]

Meio ambiente e turismo[editar | editar código-fonte]

Em Patos acontece o Melhor São João do Mundo, considerado o 4º maior do país pelo Ministério do Turismo, atraindo turistas de diversas regiões do país e com atrações locais e nacionais. Outros eventos, também de cunho religioso e que atraem turistas para o município, são: Festa de Pentecostes, reunindo todos os anos milhares de fiéis e caravanas advindas de várias cidades[9]; e Festa de Setembro ou Festa de Nossa Senhora Daguia (padroeira do município), tradicional evento que integra ao calendário de grandes eventos da Paraíba.[10]

Em Maturéia todo ano acontece o Encontro Paraibano de Astrofotografia (EPA), maior evento de astrofotografia do Brasil, que reúne astrônomos, fotógrafos e outras pessoas para contemplarem e fotografar o céu diretamente do Pico do Jabre, afastado das luzes das cidades.[11] O Pico do Jabre é o ponto mais alto do estado da Paraíba, com 1.197 metros de altitude, dentro do Parque Estadual Pico do Jabre.

Em São Mamede merece destaque a Pedra do Papagaio, a Vila Picotes e a zona rural, cheias de sítios arqueológicos.[12] Também merece destaque a Reserva Ecológica Verdes Pastos, a única existente na região metropolitana.[13] A Vila Picotes, próximo ao pico de mesmo nome, é patrimônio histórico e turístico do município, apreciado por sua cenografia e palco de diversos filmes nacionais.

Teixeira, com seu clima serrano, tem um enorme potencial ecoturístico, onde vários lugares na Serra do Teixeira são explorados. Merece referência a Pedra do Tendó, dentro do Parque Estadual Pico do Jabre, onde pode-se observar todo meio ambiente, relevo e vegetação do Sertão Paraibano; e a Pedra do Talhado, onde pode-se praticar rappel.

Municípios integrantes[editar | editar código-fonte]

Município População (2017) Área (km²) Densidade (2017) IDH (2010)[14]
Areia de Baraúnas 2.126 96,343 22,06 0,562
Cacimba de Areia 3.749 220,380 17,01 0,596
Cacimbas 7.183 126,543 56,76 0,523
Catingueira 4.934 529,454 9,31 0,574
Condado 6.753 280,916 24,03 0,594
Desterro 8.306 179,387 46,30 0,580
Emas 3.528 240,901 14,64 0,595
Junco do Seridó 7.165 170,420 42,04 0,617
Mãe d'Água 4.009 243,754 16,44 0,542
Malta 5.665 156,242 36,25 0,642
Matureia 6.587 83,687 78,70 0,572
Passagem 2.424 111,876 21,66 0,620
Patos 107.790 473,056 227,85 0,701
Quixabá 1.964 156,683 12,53 0,622
Salgadinho 3.980 184,240 21,60 0,563
Santa Luzia 15.401 455,702 33,79 0,682
Santa Teresinha 4.573 357,953 12,77 0,627
São José de Espinharas 4.635 725,656 6,38 0,577
São José do Bonfim 3.566 134,724 26,46 0,578
São José do Sabugi 4.145 206,915 20,03 0,617
São Mamede 7.721 530,728 14,54 0,641
Teixeira 15.191 160,900 94,41 0,605
Várzea 2.820 190,447 14,80 0,707
Vista Serrana 3.808 61,361 62,05 0,566
TOTAL 238.023 6.078,268 39,15

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima da Região Metropolitana é semiárido e quente, com temperaturas médias anuais oscilando entre 21°C e 26°C, e amplitudes térmicas diárias de 10 °C, mensal de 5 ºC a 10 ºC anual entre 1°C e 5°C.

As chuvas são predominantemente de origem convectiva-orográfica concentradas em uma estação úmida que geralmente vai de fevereiro a maio com uma média histórica muito irregular, em torno dos 750mm e variação de 30%.

Das dez cidades com maior incidência de raios na Paraíba, as nove primeiras são da Região Metropolitana de Patos: [17][18]

Referências

  1. «Região Metropolitana de Patos (PB)». Fórum Nacional de Entidades Metropolitanas. Consultado em 30 de dezembro de 2018 
  2. «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2010». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 2 jan. 2013 
  3. a b c «Região Metropolitana de Patos completa sete anos de existência». Folha Patoense. 29 de dezembro de 2018. Consultado em 29 de dezembro de 2018 
  4. «Patos se reúne com mais de 20 cidades e forma a nova região metropolitana da PB». Patosonline.com. 20 de março de 2015. Consultado em 12 de junho de 2018 
  5. «Deputada Francisca Motta defende criação da Região Metropolitana de Patos». Patosonline.com. 18 de setembro de 2011. Consultado em 9 de novembro de 2017 
  6. Adelson Barbosa dos Santos - Correio da Paraiba (1 de dezembro de 2011). «Região Metropolitana de Patos é aprovada e vai para sanção do governador». Patosonline.com. Consultado em 9 de novembro de 2017 
  7. Ascom (28 de dezembro de 2011). «Sancionada Lei que cria a Região Metropolitana de Patos». Patosonline.com. Consultado em 9 de novembro de 2017 
  8. «Região Metropolitana de Patos é implantada com presença de prefeitos. FOTOS». Patos Metropole. 20 de março de 2015. Consultado em 9 de novembro de 2017 
  9. Maria Joseny (11 de maio de 2018). «Diocese de Patos se prepara para a Festa de Pentecostes». Folha Patoense. Consultado em 3 de janeiro de 2019 
  10. pbnotícias.com (15 de setembro de 2018). «Muita fé e alegria na abertura da Festa de Setembro». Folha Patoense. Consultado em 3 de janeiro de 2019 
  11. apapb.org (11 de setembro de 2018). «6° Encontro Paraibano de Astrofotografia tem recorde de público e excelentes imagens». Folha Patoense. Consultado em 2 de janeiro de 2019 
  12. apapb.org (20 de julho de 2018). «Estudantes da Escola José Gomes Alves visitam Picotes, a Vila do Cinema Brasileiro». Folha Patoense. Consultado em 2 de janeiro de 2019 
  13. Wandecy Medeiros (5 de dezembro de 2018). «Bela imagem de uma raposa na Reserva Verdes Pastos, em São Mamede». Folha Patoense. Consultado em 2 de janeiro de 2019 
  14. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento
  15. a b c Climate data - Disponível para consulta em [1]
  16. EMBRAPA. Urbanização - Paraíba. Disponível em [2]
  17. Portal Correio (19 de janeiro de 2015). «Malta é o município paraibano com maior incidência de raios na Paraíba. Patos ocupa a 4ª posição. Veja». Patosonline. Consultado em 28 de fevereiro de 2015 
  18. Jornal da Paraíba (20 de fevereiro de 2015). «Cidades Metropolitana de Patos estão entres as dez com maior incidência de raios». Patos Metropole. Consultado em 28 de fevereiro de 2015