Cabedelo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Cabedelo (desambiguação).
Cabedelo
  Município do Brasil  
Panorama de Cabedelo, com a praia de Intermares ao fundo.
Panorama de Cabedelo, com a praia de Intermares ao fundo.
Símbolos
Bandeira de Cabedelo
Bandeira
Brasão de armas de Cabedelo
Brasão de armas
Hino
Lema Vrbs nescia vinci
"Cidade que não conhece a derrota"
Gentílico cabedelense
Localização
Localização de Cabedelo na Paraíba
Localização de Cabedelo na Paraíba
Mapa de Cabedelo
Coordenadas 6° 58' 51" S 34° 50' 02" O
País Brasil
Unidade federativa Paraíba
Região intermediária[1] João Pessoa
Região imediata[1] João Pessoa
Região metropolitana João Pessoa
Municípios limítrofes João Pessoa, Santa Rita e Lucena
Distância até a capital 18 km[2]
História
Fundação 12 de dezembro de 1956 (64 anos)
Aniversário 12 de dezembro
Administração
Prefeito(a) Vitor Hugo Casteliano[3][nota 1] (DEM, 2021 – 2024)
Características geográficas
Área total [4] 29,873 km²
População total (Estatísticas IBGE/2020[5]) 68 767 hab.
 • Posição PB: 7º
Densidade 2 302 hab./km²
Clima Tropical (Quente e úmido)[2] (Aw')
Altitude [6] 3 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2010[7]) 0,748 alto
 • Posição PB: 2º
PIB (IBGE/2018[8]) R$ 2 740 816,95 mil
 • Posição BR: 318º
PIB per capita (IBGE/2018[8]) R$ 41 104,03
Sítio www.cabedelo.pb.gov.br (Prefeitura)
www.camaracabedelo.pb.gov.br (Câmara)

Cabedelo é um município da Região Metropolitana de João Pessoa, no estado da Paraíba. Tem uma área de 29,873 quilômetros quadrados, com medidas singulares: 18 quilômetros de extensão por apenas três quilômetros de largura. Sua população em 2020 foi estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística em 68.767 habitantes.[9] Em mapas holandeses do século XVII, aparecia como uma ilha por causa dos rios Jaguaribe e Mandacaru. É a maior, mais rica, urbanizada e principal civilização peninsular num raio de centenas e centenas de km. Sua idade geofísica também diverge dos municípios vizinhos que tendem a ter platôs sedimentares mais antigos e portanto altitude média e clima divergentes.

Atualmente, encontra-se conurbada com a capital paraibana, João Pessoa, e serve como uma extensão de certas atividades terciárias da sede a exemplo do turismo mas também da educação privada superior, etc. Os trens urbanos da CBTU e a Estrada de Cabedelo (BR-230) são as principais ligações entre as duas cidades. É o município mais rico do estado em produto interno bruto per capita, pois possui um produto interno bruto superior a 2,2 bilhões de reais segundo dados atualizados de 2007, ou seja, mais da metade da economia de Campina Grande (outra grande cidade do estado) numa área muito menor e com população também bastante inferior. Possui um dos maiores produtos internos brutos proporcionais do Nordeste, comparável a cidades como Ipojuca e Guamaré.

Topônimo[editar | editar código-fonte]

Segundo o Dicionário Aurélio, "cabedelo" é um pequeno cabo formado pela acumulação de areia na foz de um rio.[10]

História[editar | editar código-fonte]

Fortaleza de Santa Catarina, construída no século XVI e um dos marcos do surgimento de Cabedelo.
Porto de Cabedelo em 1892, por Alfredo Andersen.

Por volta do ano 1000, a região onde atualmente está assentado o município de Cabedelo era terra dos índios tapuias, que migraram para o interior do continente devido à chegada de povos tupis procedentes da Amazônia. No século XVI, quando chegaram os primeiros europeus, a região constituía a fronteira entre os territórios das tribos tupis dos potiguares (que se localizavam ao norte) e dos tabajaras (que se localizavam ao sul)[11]. Estes últimos se aliaram aos colonizadores portugueses, enquanto que os primeiros se tornaram ferrenhos adversários dos mesmos[12].

Cabedelo foi fundada em 4 de novembro de 1585, em torno de uma fortaleza construída por portugueses a fim de defender a entrada do estuário do rio Paraíba e a cidade de Filipeia de Nossa Senhora das Neves, atual João Pessoa. Na época da dominação holandesa, entre 1634 e 1654, a cidade passou a se chamar Margaretha (Margarida).[13]

Cabedelo conquistou e perdeu autonomia por algumas vezes para a cidade de João Pessoa. Através da Lei 283, de 17 de março de 1908, obteve autonomia, ficando o povoado elevado à condição de vila. Perdeu os foros de vila e município, pela Lei Estadual 676, de 20 de novembro de 1928, a qual anexou o seu território ao município da capital.

Em divisão administrativa de 1933, voltou a figurar como distrito do município de João Pessoa. Com a Lei Estadual 1 631, de 12 de dezembro de 1956, mais uma vez voltou Cabedelo à categoria de município, compondo-se de um único distrito. Aquele diploma legal criou a comarca, por desmembramento da capital. A instalação do novo município estava prevista para 4 de abril de 1959, sendo, contudo, instalado a 31 de janeiro de 1957.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Pôr do sol na Praia Fluvial do Jacaré
Farol da Pedra Seca em dia nublado. Os meses mais chuvosos em Cabedelo são entre março e julho.

O município está localizado na zona fisiográfica do litoral paraibano. Insere-se na unidade geoambiental dos Tabuleiros Costeiros e apresenta uma altitude média de apenas três metros acima do nível do mar. A geoquímica do solo tende a ser mais silicatídea que as áreas vizinhas - a quantidade de carbono varia com a densidade cumulativa da vegetação de cada região do município. Possui aproximadamente 15 quilômetros de costa com praias urbanizadas. Tem, ainda, todo o estuário do rio Paraíba, com mangues. A Ilha da Restinga é parte integrante do município.

Cabedelo está inserido nos domínios da bacia hidrográfica do Rio Paraíba, região do Baixo Paraíba. O principal curso d’água é o Rio Mandacaru. Todos os rios têm regime permanente. Há ainda reservas marinhas, mata atlântica e barreiras de corais.

A vegetação é bastante diversificada, apresentando a predominância de faixas de Mata Atlântica (floresta subperenefólia com faixas subcaducifólia), coqueirais e manguezais, bem como vegetação de transição entre a restinga e a mata atlântica, com vegetação de dunas próxima ao mar.

O clima é tropical chuvoso com verão seco, com temperatura máxima de 30 °C e mínima de 22 °C. O índice pluviométrico é de aproximadamente 1 900 milímetros anuais, com chuvas concentradas entre os meses de março e julho.

Dados climatológicos para Cabedelo
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 30,9 30,6 30,5 30 28,8 27,5 27,7 28,1 29,3 30 30,3 30,2 29,5
Temperatura média (°C) 26,8 26,4 26,7 26,1 25,2 24 24,2 23,8 25,5 26,2 26,4 26,2 25,6
Temperatura mínima média (°C) 22,7 22,2 22,9 22,3 21,7 20,6 20,8 19,5 21,7 22,4 22,6 22,2 21,8
Precipitação (mm) 85 120 213 270 278 322 258 163 58 45 40 41 1 893
Fonte: Climate-data.org[14]

Espaço urbano[editar | editar código-fonte]

Mapa das subdivisões de Cabedelo.

O espaço urbano do município de Cabedelo encontra-se subdividido em cinco setores. Fazem parte do município de Cabedelo os distritos: Centro, Camboinha (1, 2 e 3), Renascer (Criado pela Lei 614/91 de 20 de Junho de 1991); Poço (Criado pela Lei 651/92 de 10 de Abril de 1992); e Intermares (aprovação do loteamento na década de 1980). Inicialmente, esse espaço era estruturado pelo Centro, em torno da Fortaleza de Santa Catarina (século XVII), encaminhando-se para o bairro de Ponta de Mattos, por volta do século XVIII.

O espaço urbano de Cabedelo só veio a sofrer grandes alterações por volta da década de 1950, com os primeiros loteamentos aprovados. Passou, então, o município a crescer rumo às praias do sul, tendo, na década de 1980, a aprovação do loteamento Intermares.

Desde a criação do município até os anos 1980, a tipologia das edificações era dominantemente unifamiliar com dois pavimentos. A partir da construção da Via Litorânea, houve a implementação de uma legislação urbana mais restritiva na capital. O perfil da ocupação do espaço urbano em Cabedelo começou a se modificar a partir dos anos 1980, passando a predominar a verticalização das construções principalmente nas praias do litoral norte, com detalhe especial para o loteamento Intermares.

As regiões centro-oeste, leste e sudeste da península apresentam forte ascensão econômica e social (as atividades portuárias que geram a maior parte das receitas do município se concentram a noroeste). Já as regiões Norte, Nordeste e Sudoeste apresentam uma certa estagnação.

Quilômetro Zero da Transamazônica (BR 230)[editar | editar código-fonte]

Início da Transamazônica

Características da Transamazônica[editar | editar código-fonte]

A BR-230 ou Transamazônica é uma rodovia transversal, considerada a terceira mais longa rodovia do Brasil com 4 223 km de extensão, ligando cidade portuária de Cabedelo na Paraíba ao município de Lábrea, no Amazonas cortando algumas das principais cidades do estado do Pará: Marabá, Altamira e Itaituba. Na Paraíba representa o principal eixo de circulação de pessoas e mercadorias entre seus municípios, tendo como referencial o porto de Cabedelo e as cidades de João Pessoa, Campina Grande, Patos, Pombal, Sousa e Cajazeiras, os maiores pólos econômicos do estado. Percorre o solo paraibano por 521 km, com boa condição de tráfego até a divisa com o estado do Ceará.

O segmento de 147,6 quilômetros de extensão entre Cabedelo - onde se encontra o seu marco 0 - e Campina Grande, passando pela Grande João Pessoa e outros municípios, foi duplicado nos governos FHC e Lula. É esperado uma duplicação adicional entre os municípios de Campina Grande e Patos-PB.

Demografia[editar | editar código-fonte]

A população total estimada em Cabedelo é de 60 226 habitantes, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Esta população aumenta durante o verão, chegando a atingir aproximadamente 80 000 habitantes, devido ao fluxo de turistas, veranistas e visitantes, e até 200 000 pessoas durante o carnaval[carece de fontes?].

Turismo e urbanização[editar | editar código-fonte]

Praia de Areia Vermelha

A principal atração turística de Cabedelo são seus dez quilômetros de praias. Na seção de praias, Cabedelo pode ser dividida em duas, a parte das praias de Intermares, Poço e Camboinha é muito verticalizada e o principal ponto de turismo são as praias cabedelenses mais próximas de João Pessoa, o Bairro de Intermares é o bairro mais rico da cidade com muitos prédios, escolas, supermercados, restaurantes, que ficam cheios praticamente todo o ano, além de uma orla bonita e organizada. É separada do bairro do Bessa, em João Pessoa, pelo Maceió do Rio Jaguaribe. Um dos problemas é que existem muitas ruas sem calçamento que provoca uma inconveniência na época de chuvas. A Praia de Intermares, também conhecida como Mar do Macaco, é uma das praias de surfe do litoral norte, onde são realizadas várias etapas de campeonatos de surfe. Nela, o Projeto Guajiru acompanha a desova das tartarugas marinhas.

A Praia do Poço conta com boa estrutura turística para passeios e lazer, barcos e jangadas que levam à Areia Vermelha. Lá, é realizado o Fest Verão Paraíba.

A parte menos estruturada é a que podemos chamar de o "Coração da Cidade" , onde fica o Centro da cidade, o Mercado Público , o Porto de Cabedelo, o Grande Moinho Tambaú e a Fortaleza de Santa Catarina. Nessa região, fica uma parte da Praia de Areia Dourada, Praia Formosa, Praia de Miramar e a Praia de Ponta de Matos. Em Areia Dourada e Formosa, existem as barracas de praia e predominam os casarões de praia. Com apenas poucos edifícios, estas regiões chegam a não ter movimento algum em outras épocas do ano fora o verão. Em Formosa, também se localiza a Câmara Municipal de Cabedelo.

Fortaleza de Santa Catarina

As praias de Miramar e Ponta de Matos são as mais "esquecidas": o movimento é maior nos restaurantes e, até no verão, quase não existe movimento, apesar de serem praias muito bonitas, com vista para a cidade de Lucena, do outro lado da foz Rio Paraíba. O mar nessas praias é mais agitado e é muito próximo do porto. A Praia de Ponta de Matos tem, ao seu lado, o Dique do Porto de Cabedelo, com uma grande profundidade, o que aumenta o risco de afogamentos.

Outro ponto turístico da cidade é a Praia fluvial do Jacaré, que conta com muitos restaurantes à beira do Rio Paraíba e com um lindo pôr do sol ao som do Bolero de Ravel.

Por-do-sol na Praia de Jacaré.

Existe também o balsa estilo ferry-boat que atravessa o Rio Paraíba até Lucena. O trajeto dura cerca de 15 minutos e é o principal meio de ligação com Lucena já que, através das rodovias, seriam cerca de 50 quilômetros de distância. A balsa também serve para o transporte das pessoas que trabalham entre essas cidades. A Fortaleza de Santa Catarina reúne muito da cultura, a origem da cidade e de seu povo. As visitas são sempre acompanhadas por guias turísticos que contam, com detalhes, as nuances do lugar.

Existe o projeto de construção da Ponte Cabedelo-Lucena, que teria cerca de 1,5 quilômetro de comprimento e que beneficiaria o turismo nesta região, impulsionando a economia paraibana junto com a construção de um Porto de águas profundas na região de Lucena, como existe em Fortaleza, já que o Porto de Cabedelo ainda não tem capacidade para receber navios de grande porte.

Praias[editar | editar código-fonte]

Cultura[editar | editar código-fonte]

Um do ícones da cultura cabedelense é o Movimento de Música Popular de Cabedelo.[carece de fontes?]

Notas

  1. O presidente eleito da Câmara assumiu interinamente o cargo de prefeito a partir de 4 de abril de 2018.

Referências

  1. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 10 de fevereiro de 2018 
  2. a b «Diagnóstico do município de Cabedelo» (PDF). Projeto Águas Subterrâneas. Ministério das Minas e Energia. 2005. Consultado em 8 de novembro de 2010 
  3. «Vitor Hugo é eleito prefeito de Cabedelo após afastamento de Leto Viana pela 'Xeque-Mate'». G1. 4 de abril de 2018. Consultado em 5 de abril de 2018 
  4. {{citar web |url=https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/pb/cabedelo.html |título=Área territorial oficial |autor=IBGE |acessodata=3 de janeiro de 2021|data=11 de dezembro de 2020|
  5. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (31 de agosto de 2020). «Estimativas da população residente no Brasil e unidades da federação com data de referência em 31 de agosto de 2020». Consultado em 3 de janeiro de 2021 
  6. Embrapa Monitoramento por Satélite. «Paraíba» (PDF). Consultado em 15 de julho de 2011 
  7. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  8. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2018». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 3 de janeiro de 2021 
  9. Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome IBGE_Pop_2018
  10. FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da língua portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 301.
  11. BUENO, E. Brasil: uma história. 2ª edição. São Paulo. Ática. 2003. p. 19.
  12. Portal da cidade de João Pessoa. Disponível em http://paraibanos.com/joaopessoa/historia-nativos.htm. Acesso em 5 de novembro de 2013.
  13. DUTRA, Jorge Chaves. A diferença populacional entre a alta e a baixa estação turística na praia de camboinha – Cabedelo/PB. João Pessoa, 2006. Monografia (Graduação) CCEN – UFPB. Disponível em [1]
  14. «Clima: Cabedelo». Climate-data.org. Consultado em 27 de setembro de 2014. Cópia arquivada em 26 de maio de 2019 
  15. «Clima: Renascer». Climate-data.org. Consultado em 27 de setembro de 2014. Cópia arquivada em 26 de maio de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Cabedelo