Parque Estadual Marinho de Areia Vermelha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Areia Vermelha)
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde agosto de 2014). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
PEM de Areia Vermelha
Localização  Paraíba
 Brasil
Localidade mais próxima Cabedelo
Dados
Área 230 ha
Criação 22 de agosto de 2002
Coordenadas 7° 0' 38" S 34° 49' 1" O
PEM de Areia Vermelha está localizado em: Brasil
PEM de Areia Vermelha

O Parque Estadual Marinho de Areia Vermelha é um parque estadual localizado no município de Cabedelo, no estado da Paraíba. Apresenta uma área de 230 hectares, e foi criado pelo decreto estadual nº 21.263 de 28 de agosto de 2000.

Características gerais[editar | editar código-fonte]

O ponto central do parque é a ilha de Areia Vermelha, que é um banco de areia de cerca de dois quilômetros de comprimento por um de largura, em frente a praia de Camboinha, Cabedelo. Aparece sempre na baixa-mar, do mesmo modo que os corais de picãozinho, em Tambaú. É um ótimo lugar para banhos, já que possui piscinas naturais e corais, numa água transparente de tom verde-claro. Nos corais que a cercam é necessário cuidado e prudência. Não é aconselhado andar sobre eles, para evitar acidentes, bem como a depredação destes.

Um parque estadual não constitui categoria de unidade de conservação prevista no Sistema Nacional de Unidades de Conservação. Percebe-se então que se faz necessária alteração na legislação correspondente de modo que ela se adeque à nova legislação, como preveem o artigo 55 da Lei Federal nº 9.985,[1] de 18 de junho de 2000, e o artigo 40 do Decreto Federal nº 4.340,[2] de 22 de agosto de 2002.

Objetivos[editar | editar código-fonte]

  1. Proteger e preservar integralmente os recursos naturais do ecossistema: a coroa, os recifes, a periferia (piscinas naturais), a fauna e a flora marinhas.
  2. Despertar nos visitantes consciência ecológica e conservacionista.
  3. Controlar e ordenar o turismo sustentável e as demais atividades econômicas compatíveis com a conservação ambiental.
  4. Gerenciar e fiscalizar a área para utilização racional do espaço.
  5. Controlar e fiscalizar as atividades degradadoras.
  6. Garantir a integridade da paisagem.

Interdições[editar | editar código-fonte]

  1. Implantação de atividades que venham a causar danos, poluição e degradação do ecossistema.
  2. Lançamento de resíduos e detritos de qualquer natureza passíveis de provocar danos à área.
  3. Exercício de atividades de captura, pesca, extrativismo e degradação da fauna e da flora, inclusive os recifes.
  4. Uso de equipamentos náuticos não autorizados.
  5. As demais atividades danosas previstas na legislação ambiental.

Referências

  1. Subchefia da Casa Civil (22 de agosto de 2002). «Lei nº 9.985». Presidência da República do Brasil. Consultado em 18 de agosto de 2014 
  2. Subchefia da Casa Civil (22 de agosto de 2002). «Decreto nº 4.340». Presidência da República do Brasil. Consultado em 18 de agosto de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Biologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.