Tapeçaria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2015). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Tapeçaria artística, Museus Capitolinos, Roma

A tapeçaria é a arte de se fazer tapetes para enfeitar, sendo uma forma de arte extremamente rica. O termo também é utilizado para denominar o ofício do tapeceiro que forra e cria peças de mobiliário.

O tapete de Arraiolos é a forma mais famosa em Portugal de tapeçaria.

As Tapeçarias de Pastrana são um exemplo espetacular de arte da tapeçaria.

A Tapeçaria também é da mesma forma usada em carros, em montagem desmontagens e etc..

História[editar | editar código-fonte]

A tapeçaria floresceu na Europa durante a idade média devido, por um lado, á abundância de lã e, por outro, à quantidade de mão-de-obra disponível. As tapeçarias mais antigas, normalmente produzidas em conventos e destinada as igrejas, têm temática religiosa.Com o tempo, os tapetes começaram a ser mais usados nos castelos.Havia tecelões independentes que viajavam com seus teares para atender encomendas. Esses tapetes laicos imcorporam lendas.fabulas, pagãs e temas de romance de cavalaria ( a dama e o unicórnio, o rei Arthur etc.).

O alto-liço considerado sempre mais difícil e por isso mais apreciado, ocorreu na frança já em 1302 e, em Arras, por volta de 1313. A fama das tapeçarias flamengas se espalhou por toda a Europa. Promoviam-se grandes exposições comerciais e a manufatura de Flandres abastecia extensa clientela. A elaboração dos cartões ficava em geral a cargo de pintores, mas também existia o pintor de valores, função frequente em Bruxelas no século XV.

Além da Goya, muitos grandes artistas como Andrea Mantegna, Rafael e Rubens realizavam cartões que foram utilizados como modelos para tapetes. Após a invenção dos corantes químicos e dos processos industriais de fabricação de tapetes, nos séculos XVIII e XIX, a tapeçaria artesanal foi revalorizada pelo movimento britânico Arts and Crafts e pelos modernistas. Em 1961, realizou-se a primeira Bienal Internacional de tapetes.