SS Arabic (1908)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
SS Arabic
Arabic (3).jpg
Carreira  Reino Unido
Proprietário White Star Line
Red Star Line
Fabricante AG Weser, Bremen
Lançamento 7 de novembro de 1908
Estado Desmontado
Características gerais
Tonelagem 16.786 t
Comprimento 187 m
Boca 21.23 m
Propulsão Motores a vapor de expansão quadrupla
2 hélices
Velocidade 19 nós (35 km/h)
Tripulação 410
Carga 3 212 passageiros

SS Arabic foi um navio de passageiros construído pelo estaleiro alemão AG Weser, em Bremen.

História[editar | editar código-fonte]

Cartão postal do SS Arabic

O lançamento do Arabic ocorreu no dia 7 de novembro de 1908, o navio foi lançado junto com o SS Berlin. Ele fez sua viagem inaugural em 1 de maio de 1909 a partir de Nova Iorque, com escala entre Genova e Bremerhaven. Durante a Primeira Guerra Mundial, ele foi convertido em um cruzador auxiliar pela Marinha Alemã, atuando como um minelayer, entre a Irlanda do Norte e Escócia.[1]

No dia 26 de outubro de 1914, o navio britânico HMS Audacious foi atingido uma das minas lançadas pelo Arabic na costa de Donegal.[2] Após colocar minas sobre a costa da Irlanda do Norte, ele se refugiou em Trondheim, com danos causados por tempestades.[3]

Em dezembro de 1919, o navio foi dado ao controlador de navios. Cerca de um ano mais tarde, em 1920, ele foi adquirido pela White Star Line, sendo recolocado em Portsmouth.[1] Em setembro de 1921, ele fez sua viagem inaugural como um navio da White Star Line, navegando de Southampton para Nova Iorque. Em seguida, ele foi transferido para navegar entre o Mediterrâneo e Nova Iorque. Em 1924, ele foi novamente transferido, desta vez ele navegou entre Hamburgo e Nova Iorque. No final daquele ano, Arabic teve seu alojamento modificado, e em outubro de 1926, Arabic fez sua primeira viagem sob a Red Star Line, que o operou até o ano de 1930, quando ele voltou para a White Star Line.[3] Arabic teve sua acomodação de passageiros novamente modificada, e em menos de 1 ano depois, ele foi vendido para desmantelamento em Génova.[3]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]