SS Armenian (1895)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
SS Armenian
Carreira
Proprietário Leyland Line Flag.png Leyland Line
Operador White Star flag NEW.svg White Star Line
Fabricante Harland and Wolff, Belfast
Lançamento 25 de novembro de 1895
Viagem inaugural 28 de novembro de 1895
Porto de registo Government Ensign of the United Kingdom.svg Liverpool
Estado Afundado por um torpedo no dia 28 de junho de 1915.
Características gerais
Tonelagem 8 825 t
Largura 18,0 m
Altura 10,7 m
Comprimento 156,1 m
Propulsão Motores de expansão Quádruplo, com velocidade máxima de 13 nós

SS Armenian foi um navio de carga construído em 1895 para a Leyland Line, mas foi operado pela White Star Line a partir do dia 20 de março de 1903. Ele foi utilizado na rota entre Liverpool e o porto de Nova York.[1]

Serviço na Guerra[editar | editar código-fonte]

Segunda Guerra dos Bôeres[editar | editar código-fonte]

O Armenian foi equipado para o transporte de cavalos e utilizado na Guerra de fronteira sul-africana. Em 1901 foi usado para transportar 963 prisioneiros de guerra para Darrell e Bermudas.[1]

Primeira Guerra Mundial[editar | editar código-fonte]

A embarcação transportou por um breve período cavalos para a França e juntamente com o SS Turcoman foram usados para transportar os Grenadier Guards com destino a Bélgica em 7 de outubro de 1914.[2]

Naufrágio[editar | editar código-fonte]

No dia 28 de junho de 1915, Armenian foi localizado por um submarino alemão U-24. Depois de uma tentativa frustrada de fuga, a tripulação foi autorizada a abandonar o navio. O Armenian foi afundado por dois torpedos que atingiram a sua popa. Vinte e nove membros da tripulação em sua maioria norte-americanos foram perdidos no naufrágio, juntamente com a carga do navio de 1 400 cavalos e mulas.[3]

O afundamento do SS Armenian causou uma segunda crise entre a Alemanha e os Estados Unidos, a primeira aconteceu 52 dias antes com o naufrágio do transatlântico RMS Lusitania também torpedeado por um submarino da Alemanha.[1][4]

Descoberta[editar | editar código-fonte]

O naufrágio do cruzador auxiliar HMS Patia foi identificado em 2002 erroneamente por mergulhadores amadores como sendo o Armenian.[5] O SS Armenian foi localizado e identificado com sucesso pelo caçador de naufrágios e arqueólogo Innes McCartney. A descoberta foi destaque no History Channel em um episódio de naufrágios misteriosos profundos.[6] Os destroços estão em uma profundidade de 95 metros, distante 45 km do local onde o naufrágio foi relatado pelos ingleses na época do afundamento do navio.

Referências

  1. a b c «SS Armenian [+1915]» (em inglês). The Wrecksite. Consultado em 20 de dezembro de 2014 
  2. Hellfire Corner: Research and Remembrance - Ray Westlake - War Memorials
  3. «Hazardous voyage, War horse fact & fiction» (em inglês). National Army Museum. Consultado em 20 de dezembro de 2014 
  4. «RMS Lusitania [+1915]» (em inglês). The Wrecksite. Consultado em 20 de dezembro de 2014 
  5. Divernet News: Divers discover mule graveyard
  6. «Deep Wreck Mysteries» (em inglês). Channel 4. Consultado em 20 de dezembro de 2014