Sissi (futebolista)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita referências, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde agosto de 2016). Ajude a inserir fontes confiáveis e independentes. Material controverso que esteja sem fontes deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Sissi
Informações pessoais
Nome completo Sisleide do Amor Lima
Data de nasc. 2 de junho de 1967
Local de nasc. Esplanada-BA, Brasil
Altura 1,61
Informações profissionais
Posição Meia-atacante
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1996
1997–1998
1999
2000
2001–2003
2004–2008
2009
Saad Esporte Clube
São Paulo
Palmeiras
Vasco da Gama
San Jose CyberRays
California Storm
FC Gold Pride




00 65 00(5)

000 3 00(0)
Seleção nacional
1988-1999 Flag of Brazil.svg Brasil
Medalhas
Competidor do  Brasil
Copa do Mundo FIFA
Bronze Estados Unidos 1999 Jogadora

Sisleide do Amor Lima, mais conhecida como Sissi (Esplanada-BA, 2 de junho de 1967) é uma ex-futebolista brasileira.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Natural de Esplanada, Sisleide Lima do Amor, popular Sissi, nasceu no dia 2 de junho de 1967 e começou jogando futebol na rua, junto com os meninos, onde desenvolveu toda sua habilidade. Aos 14 anos, a meio-campista saiu de sua cidade para ir morar em um alojamento, onde começaria a treinar e profissionalizar-se.

Apareceu pela primeira vez nos Jogos Olímpicos de Atlanta, em 1996, levando o bom time da seleção, no entanto ainda desconhecido, para a semifinal, terminando a competição na quarta colocação.

No ano de 1999, na Copa do Mundo Feminina, organizada pela Fifa e disputada nos Estados Unidos, a jogadora comandou a equipe nacional que terminou a competição em terceiro lugar e ainda conquistou a chuteira de ouro, como artilheira do torneio.

A meio-campista muito habilidosa ainda participaria da campanha dos Jogos Olímpicos de Sidney, em 2000, sempre como referência na armação de jogadas da equipe brasileira.

Imortalizada pelos belos lances e conquistas, Sissi tornou-se inspiração para garotas como Marta e Cristiane, que no futuro viriam a defender a Seleção Brasileira feminina.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Seleção[editar | editar código-fonte]

Disputou pela Seleção Brasileira Feminina duas Copas do Mundo: 1995 e 1999 (3º lugar), quando foi uma das artilheiras, com sete gols, empatada com a chinesa Sun Wen. Participou, também, dos Jogos Olímpicos de 1996 (4º lugar),[2] e de Jogos Olímpicos de 2000.

São Paulo Futebol Clube

A atleta foi um dos pilares da equipe tricolor na Era de Ouro da modalidade no Clube do Morumbi, entre 1997 e 2000, quando o São Paulo formou um super-time, que era a base da Seleção Brasileira do período. Jogavam bonito, passavam por cima das adversárias e conquistaram inúmeros títulos para a equipe paulista. O auge foi na a final do Brasileiro de 1997, em que as tricolores venceram a Lusa Sant'Anna por 4 a 0. Sissi ganhou tal notoriedade nessa época que a torcida tricolor chegou a "gritar para o o técnico do time masculino na época, Muricy Ramalho: "Ei, Muricy, coloca a Sissi"[1].

Treinadora[editar | editar código-fonte]

Atualmente, é a técnica da equipa feminina Las Positas College Women's, em Livermore, na Califórnia.

Artilharia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. esportes.yahoo.com/ Por preferir jogar bola a ser sex symbol, primeira craque da Seleção Brasileira foi apagada da história
  2. «Perfil na Sports Reference». Consultado em 13 de fevereiro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]