Sonic the Hedgehog (revista em quadrinhos)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sonic the Hedgehog
Sonic archie.jpg
Capa da segunda edição brasileira publicada pela Editora Escala em 1995
País de origem  Estados Unidos
Língua de origem Inglês
Editor Archie Comics
Encadernação panfleto
Primeira edição Novembro de 1992-presente
Numero de álbuns 245
Género(s) Comédia de ação
Personagens principais Sonic, o Ouriço, Dr. Robotinick, Princesa Sally Acorn, Tails
Projecto Banda desenhada  · Portal da Banda desenhada

Sonic the Hedgehog é uma popular série de história em quadrinhos publicada pela Archie Comics desde 1993, e baseada no mascote da Sega e personagem título de sua série de jogos Sonic the Hedgehog.[1]

Ela foi baseada a princípio nas séries de animação produzidas pela DIC, como AoStH e Sonic SatAM, tendo com o tempo ganhado identidade própria e também se aproximado mais dos jogos. A princípio foi lançada uma minissérie de quatro edições para testar a reação do público que acabou vendendo bem, permitindo a continuação da revista.

No Brasil a revista já chegou a ser publicada pela editora Escala em 1995 rendendo 6 edições, porém acabou descontinuada. Atualmente uma equipe de tradutores, a Sonic Tales, está disponibilizando as revistas online para download já tendo alcançado até a 13ª temporada, além do crossover com Megaman e as revistas do mesmo.

Enredo[editar | editar código-fonte]

A série narra as aventuras do personagem título Sonic um ouriço cheio de energia que adora velocidade além de constantemente combater o exército de robôs de Robotnick de dominarem Móbius juntamente de seus amigos da equipe Lutadores da Liberdade (Freedom Fighters). As primeiras edições mostravam histórias mais simples e infantis voltadas para comédia e com pouca ação, porém com o tempo elas passaram a ser mais sérias e obscuras com lutas mais intensas e uma história contínua muitas vezes protagonizando outros personagens além do Sonic.

Arco de Robotinick (1-50)[editar | editar código-fonte]

Na minissérie de 4 capítulos e as demais primeiras 16 edições os quadrinhos abrangem uma temática mais cômica e infantil. Logo no começo da história Sonic se torna um membro dos Lutadores da Liberdade que a princípio é formada por Sally (na liderança), Antoine, Boomer/Rotor e Tails tendo como meta frustrar os planos do vilão ditador Robotinick e suas máquinas conhecidas como Badnicks, cujo interesse é transformar todos os animais de Móbius em robôs escravos. No decorrer da série novos personagens são introduzidos como Bunnie que se torna aliada, Knuckles, além dos vilões Snively e Anti-Sonic. Enquanto Sonic tem esperanças em resgatar seu avô Charles das mãos do exército de Robotinick, Sally tem a meta de procurar seu pai perdido.

A partir da edição 17 as histórias se tornam mais sérias, algumas edições especiais e minisséries protagonizadas por Sally e Tails são lançadas. Em um ponto da história Sally recebe um computador chamado NICOLE mandado de um futuro alternativo e que passa a ajudá-la na sua jornada para derrotar Robotinick. Novos aliados como Geoffrey St. John, Dulcy e Amy Rose aparecem, além de rápidas aparições de vilões como Metal Sonic e Nack/Fang. Outros grupos de Lutadores da Liberdade começam a aparecerem em várias partes de Móbius, e inclusive Knuckles forma sua própria equipe nomeada Chaotix disposta a proteger sua ilha natal. Tails tem o primeiro contanto com os antepassados de Knuckles em Downuda.

A partir da edição 34 surgem novas minisséries e inclusive uma revista spin-off protagonizada por Knuckles. Sonic recebe um novo anel de força ainda mais poderoso através das divindades de Móbius. Em uma parte da história Sonic é capturado por Robotinick e transformado em um robô criando uma imensa destruição, mas acaba voltando ao normal com a ajuda de Knuckles que consegue derrotá-lo. O Rei Acorn é encontrado como um cavaleiro insano de uma dimensão escura, posteriormente sendo resgatado e levado a Móbius onde se petrifica numa esmeralda. Na batalha final a equipe se une para atacar a base de Robotinick, porém Sonic acaba sendo acusado de tentar matar a Sally e é transformado num criminoso, até posteriormente descobrirem o verdadeiro culpado. Ao final Sonic entra num combate corpo a corpo contra Robotinick e explode a base fazendo Robotinick desaparecer para sempre.

Personagens[editar | editar código-fonte]

  • Sonic, é o personagem título da revista. Um ouriço azul, cheio de energia e dotado de super-velocidade que luta contra a tirania de Robotinick e seu exército de robôs escravos de dominarem o mundo transformando todos em robôs.
  • Sally, é uma jovem tâmia princesa da antiga cidade Mobotrópolis, dominada por Robotinick. Foi a responsável por fundar a equipe dos Lutadores da Liberdade após o desaparecimento de seu pai durante a guerra. Ela demonstra gostar muito do Sonic.
  • Knuckles, o último membro do clã equídna e o guardião da Ilha Flutuante. No começo foi um rival do Sonic que o rejeitava além de ser obcecado com seu trabalho de guardião. Com o tempo ele foi formando sua equipe passando a lutar também pela paz de Mobius.
  • Tails, uma jovem raposa melhor amigo do Sonic dotado de voo graças as suas duas caudas. No começo ele era um garoto que frequentemente tentava imitar o Sonic, mas com o tempo foi amadurecendo passando a ter mais utilidade na equipe.
  • Rotor, uma morsa cientista mecânico dos Lutadores da Liberdade. É o responsável por fazer todos os experimentos da equipe.
  • Bunnie Rabbot, uma coelha ciborgue membra da equipe dos Lutadores da Liberdade. Foi salva por Sonic antes de ser robotizada completamente por uma das máquinas de Robotinick ficando por parte robô, ganhando superforça e passando a ajudar os Lutadores da Liberdade.
  • Dr. Robotinick, o vilão central da revista. Um cientista perverso e sujo que odeia qualquer forma viva que exista a ponto de querer transformar todos do planeta de Mobius em seus robôs escravos sempre sendo detido por Sonic e os Lutadores da Liberdade.
  • Snively, é o assistente de Robotinick responsável por fazer todos seus experimentos e que por vezes tenta se igualar a ele como um vilão ditador.

Histórico de publicação[editar | editar código-fonte]

A série em quadrinhos estreou nos Estados Unidos no início de 1993, dois anos após o lançamento do primeiro game em 1991 para o Sega Mega Drive. Os spin-offs da revista inclui a série Knuckles the Echidna, estrelando o personagem-título, que funcionou por 32 edições e 4 minisséries, cada uma estrelando um personagem da série. Em 21 de setembro de 2005, a Archie Comics começou uma nova série baseada na série de TV Sonic X. Em fevereiro de 2009, a série Sonic X foi substituída pelo Sonic Universe, um spin-off direto da Sonic the Hedgehog.

Além da série Sonic X, todas as comics do Sonic pela Archie Comics tem o mesmo lugar no universo ficcional (Sonic X tem lugar em uma dimensão diferente da série principal, apesar de cruzamentos entre os dois tenham ocorrido). Este universo apresenta uma mistura de personagens, as definições e histórias do desenho Sonic the Hedgehog (Sonic SatAM), os games do Sonic pela Sega, e várias outras encarnações do Sonic. Ele também inclui muitos elementos originais do universo de quadrinhos. Embora a série de jogos em curso continuar influenciando a série em quadrinhos, jogos e histórias em quadrinhos existem como continuidades totalmente diferente. Sonic the Hedgehog não deve ser confundido com o Sonic the Comic, que decorreu no Reino Unido e publicada mais edições apesar de funcionar por um tempo mais curto (devido aos quadrinhos publicados no Reino Unido serem mais frequentes do que no calendário dos Estados Unidos). Em outubro de 2009, houve 205 edições do original da série Sonic the Hedgehog. Além disso, a série foi reconhecida pelo Guinness World Records como a mais longa série em quadrinhos baseada em um personagem de videogame.

Recepção[editar | editar código-fonte]

Durante suas primeiras edições a revista recebeu um bom rendimento com ajuda ao fenômeno que os jogos faziam na época. Ela também é muito popular nos Estados Unidos pelo fato de sua história prosseguir a do desenho Sonic SaTAM que foi líder de audiência. No entanto ela acabou sendo criticada por vários fãs devido a sua história desfigurar os jogos, além dos traços e alguns personagens que distanciam dos jogos passando a abordar com o tempo uma trama mais complicada e sombria.

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre banda desenhada é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.