Saltar para o conteúdo

Tigre-malaio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Como ler uma infocaixa de taxonomiaTigre-malaio
Tigre-malaio na água
Tigre-malaio na água
Estado de conservação
Espécie em perigo crítico
Em perigo crítico
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Carnivora
Família: Felidae
Género: Panthera
Espécie: P. tigris
Subespécie: P. t. jacksoni
Nome trinomial
Panthera tigris jacksoni
Luo et al., 2004
Distribuição geográfica
Partes da Malásia e Tailândia
Partes da Malásia e Tailândia
Sinónimos
  • Panthera tigris malayensis
  • Panthera tigris jacksoni

O tigre-malaio (nome científico:Panthera tigris tigris) ou tigre-de-málaca é uma subespécie de tigre encontrada apenas em algumas áreas da península de Málaca, na Malásia e Tailândia.[1]

Antes classificado como Panthera tigris jacksoni, recentemente foi reclassificado como parte da subespécie tigre-de-bengala(Panthera tigris tigris) pela grande proximidade genética, não sendo mais uma subespécie separada, mas uma população regional.[carece de fontes?]

Até 2004 tais populações eram consideradas como parte da subespécie indochinesa (Panthera tigris corbetti), porém um estudo realizado por cientistas, dirigidos pelo investigador Stephen J. O'Brien, demonstrou que, apesar das fortes similaridades anatômicas entre ambos os animais, os tigres-malaios possuem a diferenciação genética suficiente para considerá-la uma subespécie por direito próprio.[1] [2]

Em 2015 a subespécie foi classificada como Em perigo crítico de extinção pela União Internacional para a Conservação da Natureza, uma vez que as populações são estimadas em no máximo 340 indivíduos adultos em 2013 e com tendencia decrescente, a população efetiva provavelmente não ultrapassa 200 animais.[3]

Características

[editar | editar código-fonte]
Tigre-malaio no Cincinnati Zoo, 2009.

Um tigre malaio macho tem em média 2,40 metros de comprimento total, 88 cm na altura da cernelha e pode pesar até 130 kg. Já a fêmea, tem em média 2 metros de comprimento total, 80 cm na altura da cernelha e pode pesar até 90 kg. (Dados retirados de uma medição feita em 21 tigres malaios machos e 16 tigresas). [2] [1]

Sua dieta inclui o cervo Sambar, javalis, porcos barbudos, Muntjacs e Serows. Por vezes também caçam ursos-do-sol e filhotes de elefantes e rinocerontes asiáticos.[1]

Como todos os tigres, os tigres malaios vivem sozinhos e só se encontram para acasalar ou para lutar por território e presas.

Polêmica do nome

[editar | editar código-fonte]

O nome científico do tigre malaio, Panthera tigris jacksoni, foi cunhado por investigadores do INC em homenagem a Peter Jackson, um cineasta e ambientalista que defendeu ativamente a preservação dos tigres durante mais de 40 anos. As autoridades e instituições malaias sentiram-se descontentes pela aplicação de um nome próprio com referência a uma pessoa, porque preferiam o nome de Panthera tigris malayensis em honra ao seu local de origem. [1]

Símbolo na Malásia

[editar | editar código-fonte]
Brasão de armas da Malásia, com dois tigres-malaios

O tigre é o símbolo nacional da Malásia e marca presença no folclore do país. Ele simboliza a bravura e força. Encontra-se presente no brasão de armas da Malásia, no brasão da polícia e nos emblemas de firmas comerciais como Maybank, Filem Negara e a Associação de Futebol da Malásia.

Episódios famosos envolvendo o animal

[editar | editar código-fonte]

Um tigre malaio, de 8 anos, pertencente ao zoológico Naples Zoo, na Flórida, foi morto ao morder o braço de um homem que colocou o membro para dentro de seu recinto. Na tentativa de desvencilhar a vitima do ataque, o policial que presenciou o ocorrido atirou no animal.[4]

Pandemia, desmatamento e extinção

[editar | editar código-fonte]

A pandemia afeta não só a saúde das pessoas, mas como todas as estruturas sociais. Desta maneira, a impossibilidade de fiscalização de florestas e áreas a serem preservadas no Sudeste Asiático, devido aos bloqueios contra a disseminação do patógeno, acarreta no aumento do número de desmatamento e caças ilegais. Assim, a fauna e flora das regiões são afetadas drasticamente, levando a acentuação do processo de extinção de espécies, como o Tigre Malaio. [5]

Cinomose e extinção dos Tigres Malaios

[editar | editar código-fonte]

Em meio as discussões de conservacionismo da subespécie Panthera tigris jacksoni, o Tigre Malaio, e formas de se combater o Coronavírus no mundo, um outro vírus torna-se o grande vilão para tais animais, os quais se encontram em um número cada vez menores. [6] Trata-se do patógeno causador da Cinomose, doença altamente letal para animais, conhecida primordialmente por afetar cachorros, porém que vem afetando os grandes felinos da Malásia. [7] Tal fato torna-se extremamente preocupante, uma vez que acomete seres vivos cada vez mais raros no mundo.

Principais entidades conservacionistas

[editar | editar código-fonte]

Na contemporaneidade, cada vez mais se faz necessária a presença social e política de grupos ou ONGs que atuem na busca pela conservação de espécie de diversas formas, principalmente no desenvolvimento de leis e direcionamento econômico para tal busca. Assim como a criação de unidades para a manutenção de subespécies em processo de desaparecimento, uma vez que refúgios onde os animais possam se reproduzir sem riscos a suas proles é fundamental, pensando a longo prazo. Já que em seus hábitats estão sob risco da perda de ambientes seguros com a caça e avanço do desmatamento.[8] Dentre as mais importantes entidades protetoras de Tigres Malaios, destacam-se:

1. World Wide Fund for Nature, WFF. [9]

2. Malaysian Conservation Alliance for Tigers.[10]

3. Woodland Park Zoo, Seattle, Washington, nos Estados Unidos.[11]

4. Singapore Zoo, Mandai, Singapura.[12]

50º aniversário da "WFF Malaysia"

[editar | editar código-fonte]

Uma das principais ONGs atuantes na busca pela manutenção da vida dos grandes felinos no país do Sudeste Asiático, em 2022, completa seu quinquagésimo aniversário. Para tal, ocorreu um grande encontro com atuantes da área.[13]

Outras 5 subespécies restantes de tigre:

Commons
Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Tigre-malaio

Referências

  1. a b c d e «Tudo sobre o Tigre-malaio». Mais natureza. Consultado em 22 de Dezembro de 2015 
  2. a b «O Tigre-malaio». Terra selvagem. Consultado em 22 de Dezembro de 2015 
  3. «Malayan tiger». Wikipedia (em inglês). 25 de outubro de 2017 
  4. «Tigre Malaio é morto». Trends Br. Consultado em 24 de julho de 2022 
  5. «Pandemia e Extinção». Arayara Org. Consultado em 24 de julho de 2022 
  6. «Cinomose, mais um fator de risco» (em inglês). Malaysian Wildlife. Consultado em 24 de julho de 2022 
  7. «Cinomose». Blog Pets. Consultado em 24 de julho de 2022 
  8. «Perda de Hábitat» (em inglês). MDPI - Publisher of Open Access Journals. Consultado em 25 de julho de 2022 
  9. «Malayan Tiger» (em inglês). WFF. Consultado em 25 de julho de 2022 
  10. «"Mycat", fundação da Malásia» (em inglês). Wikipedia. Consultado em 25 de julho de 2022 
  11. «"Zoo american contra a extinção"» (em inglês). Zoo Woodland. Consultado em 25 de julho de 2022 
  12. «"Zoo Singapuriano contra a extinção"» (em inglês). Zoo Mandai. Consultado em 25 de julho de 2022 
  13. «"50º Aniversário da WWF Malaysia"» (em inglês). WFF. Consultado em 25 de julho de 2022 
Ícone de esboço Este artigo sobre Felídeos, integrado ao WikiProjeto Mamíferos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.