Trap

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Trap (música))
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Trap/Rap
Origens estilísticas Dirty South
Hip Hop
música eletrônica
Contexto cultural Início dos anos 1990 e anos 2000 em Port Arthur, Houston, Texas, Atlanta, Geórgia

Memphis, Tennessee, Estados Unidos

Instrumentos típicos Sequenciador, sampler, caixa de ritmos, instrumento de teclas, instrumento de cordas, metais, Digital Audio Workstation, instrumento de percussão
Subgêneros
Drill, Plug, Grime, Dark Trap, Emo trap , Trap metal
Formas regionais
South Side, Warren
Outros tópicos
Chicago footwork, Jersey Club

Trap é um sub gênero do rap que se originou na década de 2000 com DJ Paul no sul dos Estados Unidos. Ganhou popularidade em meados de 2007 com o surgimento de vários grupos de rap e rappers como Gucci Mane, OJ da Juiceman e produtores como Drumma Boy, Shawty Redd e DJ Zaytoven. Logo depois surgiu o menino Lex Luger com seu 808 com pegada diferente que elevou o trap a outro nível. O trap da música eletrônica é o que é graças ao trap do movimento hip-hop que aguçou a inspiração de vários DJ de EDM.[1][2] Ele é caracterizado por seu conteúdo lírico agressivo e som, que incorpora 808 (Roland TR-808) bumbos sub-baixo, em tempo duplo, em tempo triplo e outros tempos mais rápidos de divisão chimbais,[3] sintetizadores em camadas, e cordas "cinematográficas".[4][5]

Em 2012, um novo movimento de produtores e DJs de música eletrônica surgiu e começou a incorporar elementos da música trap em suas obras.[6] Isso ajudou a expandir a sua popularidade entre os fãs de música eletrônica. Um número de ramificações estilísticas de música trap desenvolveu-se, que, na segunda metade de 2012, ganharam um aumento na popularidade viral e fez um impacto notável sobre a dance music.

Considerado por muitos como o pai do trap, Diplo com sua gravadora Mad Decent alavancou o ritmo, com sua Mad Decent Block Party com uma versão até em um cruzeiro, impulsionando ao Mainstream, revelando artistas como Baauer, Yellow Claw, KPO Music, GTA, Flosstradamus, DJ Snake, Dillon Francis (com seu reggeaton), NGHTMRE.

Diplo é o primeiro artista do gênero na rádio BBC, com seu chart Diplo & Friends, revelando novos talentos como HI-LO projeto de Bass House - subgênero de Oliver Heldens, Terezinha de Jesus (Jesus Terezaina).

Características

Trap é um estilo instrumental, onde combinam ritmos de diferentes músicas, sons, onomatopeias e incorpora um extenso uso de sintetizadores multidimensionais e melódicas bem desalinhadas; músicas boas, laços nítidos e rítmicos; profundos 808, bumbos, sub-graves; em tempo duplo, triplo e em tempo semelhante divididos chimbais; e uma utilização cinematográfica e sinfônica de instrumentos de corda, de sopro e teclado criando uma atmosfera sombria, densa, cruel e um contexto triste e desolador para os ouvintes. Muitos falam que o trap é o novo rock porque algumas musicas tem guitarras ou batidas pesadas. Outros dizem que o trap é o novo emo e falam que os representantes do "emo-trap" são Lil Peep, XXXTentacion, Lil Uzi Vert entre outros.[4][5][7][8]

Outros temas líricos da música trap incluem criminalidade, tráfico de drogas, festas, sexo, cadeia, religião, violência, armas, gangues, problemas sociais, familiares, amigos, emoções e sentimentos pessoais, o niilismo, negócios, mudanças da indústria da música, rebelião, ressentimento, palavrões, o racismo, a consciência, vida, morte, política, materialismo e riqueza, mas geralmente trata-se apenas de drogas e ostentação. Grandes exemplos desse tipo de trap são: Lil Pump, 6ix9ine, Lil Xan entre outros.

História

Em 2012, novos estilos e evolução da música incorpora elementos da música trap, como "trap house", "trap-ah-ton", começaram a ganhar popularidade.[9] A maioria destes subgêneros combinava padrões de bateria/ritmo em estilo trap com sintetizadores EDM,[4] criando batidas e melodias fora do comum. Produtores de eletrônica, como Diplo, Dj Kington, DJ Snake, Dillon Francis, GTA, NGHTMRE, Tomsize, Boaz Van De Beatz, GRANDTHEFT, Zeds Deads, Ookay, TNGHT, Baauer, Flosstradamus, RL Grime, e Yellow Claw expandiram a popularidade destes desenvolvimentos da música trap, ganhando a atenção dos fãs de música eletrônica.[10]

Na segunda metade de 2012, essas novas ramificações da música trap desenvolvida ganhou popularidade viral e fez um impacto notável sobre música eletrônica.[10] A música foi inicialmente apelidada simplesmente como "trap" pelos produtores e fãs, o que levou ao termo "trap" sendo usado para tratar a música de ambos os rappers e produtores eletrônicos, isso gerou muita confusão entre os seguidores de ambos. Em vez de se referir a um único gênero, o termo "trap" tem sido usado para descrever dois gêneros distintos de rap e dance music.[11] A nova onda do gênero tem sido rotulada por alguns como EDM trap para distingui-lo do gênero rap.[9][10][12] A evolução do EDM trap tem visto incorporações e influências estilísticas de dubstep, com Rebecca Haithcoat do LA Weekly dizendo "você poderia basicamente chamá-lo a próxima fase do dubstep. Toca-se em um clube-ready 140 bpm, enquanto mantêm "gotas de dubstep" e ele continua a crescer em popularidade.[13]

Em 2013, um vídeo feito por um fã de música eletrônica da canção do produtor de música trap Baauer, "Harlem Shake", se tornou um meme da internet, impulsionando a caminho de se tornar a primeira música em estilo trap a chegar ao topo da Billboard Hot 100.[14] Cinco populares produtores de música trap EDM se apresentaram no Ultra Music Festival nos Estados Unidos - Carnage, ƱZ, DJ Craze, Baauer e Flosstradamus.[9] O festival Tomorrowland 2013 contou com uma "Trap Stage".

Em 10 de fevereiro de 2013, All Trap Music lançou seu primeiro álbum de compilação que contou com dezenove faixas de artistas como RL Grime, Flosstradamus, Baauer, Bro Safari, Buku, 12th Planet, Hucci e UZ. Descrito pela imprensa musical como o primeiro álbum de seu tipo alcançou o número dois na parada dance iTunes com a Vibe Magazine afirmando que foi o "mais vendido álbum trap do mundo de todos os tempos".

Os pioneiros do gênero são DJ Paul, Shawty Redd, 808 Mafia e Lex Luger. Trappers como Chief Keef e Waka Flocka Flame, Gucci Mane, Rick Ross e Future também estão na lista, Young Thug, Migos e Fetty Wap são grandes influenciadores do mesmo.

Referências

  1. Stelios Phili. «Fighting Weight: From the Trap to the Treadmill». GQ 
  2. «The trap phenomenon explained». DJ Mag 
  3. Quit Screwing with Trap Music: An Interview with Houston-Born Producer Lōtic Arquivado em 3 de novembro de 2012, no Wayback Machine. Vice > Motherboard
  4. a b c Miles Raymer. «Who owns trap?». Chicago Reader 
  5. a b Joseph Patterson (19 de janeiro de 2013). «Trap Music: The Definitive Guide». Topman. Sabotage Times. Arquivado do original em 25 de fevereiro de 2013 
  6. Caroline Cantrall. Into the AM https://archive.is/20140412071326/http://blog.intotheam.com/top-10-trap-music-innovators/. Arquivado do original em 12 de abril de 2014  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  7. It's a Trap! An 11-Part History of Trap Music, From DJ Screw to Gucci Mane to Flosstradamus Miami New Times
  8. Alex Pappademas (4 de novembro de 2011). «Lex Luger Can Write a Hit Rap Song in the Time It Takes to Read This». NY Times 
  9. a b c Kat Bein. «Top Five Trap Stars at Ultra Music Festival 2013». Miami New Times 
  10. a b c «What is Trap Music? Trap Music Explained». Run The Trap 
  11. David Drake. «The Commodification of Southern Rap's Drug-Fueled Subgenre». Complex 
  12. Daniel Isenberg. «The Top 10 EDM Trap Tunes So Far». Complex 
  13. «'What the hell is Trap music (And why is Dubstep involved)'». LA Weekly. 10 de abril de 2012 
  14. David Wagner (13 de fevereiro de 2013). «The Harlem Shake Meme Is Dead». The Atlantic Wire. The Atlantic Monthly Group. Cópia arquivada em 19 de fevereiro de 2013 
  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em inglês, cujo título é «Trap (music)».