Universíada de Verão de 2019

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sports icon.png
Este artigo ou seção contém informações sobre um evento desportivo que ainda não ocorreu.
É provável que contenha informações de natureza especulativa, e seu conteúdo pode mudar drasticamente à medida que novas informações estiverem disponíveis.
XXX Universíada de Verão
Dados
País anfitrião  Itália
Eventos 250 em 18 modalidades
Cerimônia de abertura 20 de julho
Cerimônia de encerramento 31 de julho
Estádio principal Stadio San Paolo
◄◄ Chinese Taipei University Sports Flag.PNGTaipei 2017 {{{evento}}} 2021 Flag of None.svg ►►

A XXX Universíada de Verão será realizada em Nápoles,na Itália. Seria originalmente realizada em Brasília, capital do Brasil,em julho de 2019. Entretanto, devido a uma crise financeira que a cidade enfrenta, ela foi obrigada a renunciar o evento em 23 de dezembro de 2014.[1]

Processo de candidatura[editar | editar código-fonte]

Apenas 3 cidades enviaram para sede da Federação Internacional do Esporte Universitário (FISU) suas cartas de intenção. As candidatas para esta edição serão Baku no Azerbaijão,Budapeste, na Hungria e novamente Brasília, no Brasil que fora candidata para os edição de 2017 e acabou perdendo para Taipei.[2]

Em 31 de outubro de 2013,faltando duas semanas para o anúncio da sede da Universíada,a cidade de Baku,renunciou oficialmente a candidatura ao evento alegando que no período de 2015 a 2017,a cidade sediará 3 eventos de grande porte.Em 2015, a cidade sediará a primeira edição dos Jogos Europeus,em 2016 a Olimpíada Mundial de Xadrez e em 2017,os Jogos da Solidariedade Islâmica e uma mudança no plano diretor da cidade,que ainda não está finalizado e cujo projeto prevê um deslocamento da Universidade Estatal do Azerbaijão para um local ainda desconhecido. Esta mudança teria um impacto tremendo no masterplan da candidatura.[3].Deixando apenas Brasília e Budapeste como candidatas.

Em 8 de outubro de 2013,na véspera do anúncio da sede da Universíada,a cidade de Budapeste,também renunciou oficialmente a candidatura ao evento alegando o fato de que não poderia custear os Jogos,mas que espera tentar novamente para 2023.A decisão de Budapeste, que sediou a Universíada de Verão de 1965, foi feita após negociações com a FISU,apos rumores de que a cidade iria desistir ao longo da semana. .[4].A última candidata restante,Brasília foi aclamada no dia seguinte como a sede da XXX Universíada de Verão.

Processo de Preparação[editar | editar código-fonte]

Em 26 de fevereiro de 2013,a primeira reunião relacionada a organização dos Jogos foi realizada na sede da CBDU,em Brasília,nela foi discutida a composição do Comitê Organizador (CO) da Universíada de 2019 tal como a analisados a constituição da Autoridade Pública Olímpica, responsável pelos Jogos Olímpicos de Verão de 2016,que foram realizados no Rio de Janeiro. Além de elaborar o primeiro esboço do projeto da matriz de responsabilidades que seria feita em conjunto como o Governo do Distrito Federal e o Governo Federal.[5]

Brasília desiste[editar | editar código-fonte]

Em 23 de dezembro de 2014, o então futuro secretário da casa civil Hélio Doyle,anunciou que devido a difícil situação financeira que o governo local enfrentava à época,o então próximo governador Rodrigo Rollemberg,desistiu de sediar o evento devido ao calote de €23 milhões que o governo anterior havia dado na FISU,alegando também que o governo local não poderá honrar com os compromissos.[1]

Em 9 de janeiro de 2015,a FISU se manifestou sobre a renúncia de Brasília e que as autoridades brasileiras lamentaram a renuncia da cidade como sede da 30º Universíada de Verão e que existem negociações entre a entidade,o Ministério do Esporte e a CBDU para manter o evento no Brasil,mas em outra cidade.Entretanto, o processo de candidatura para a 30ª Universiada de Verão foi reaberto e já apareceram algumas interessadas.

Quanto às outras consequências da decisão de Brasília ,a FISU discutiu o assunto com todas as partes interessadas no Brasil,entretanto as negociações não avaçaram.[6]

Modalidades[editar | editar código-fonte]

Obrigatórias[editar | editar código-fonte]

As modalidades obrigatórias (quinze esportes) são determinadas pela FISU e, salvo alteração feita na Assembleia Geral da FISU, valem para todas as Universíadas de Verão.[7].[8]

Opcionais[editar | editar código-fonte]

As modalidades opcionais são determinadas pela Federação Nacional de Esportes Universitários (National University Sports Federation - NUSF) do país organizador e devem ser de, no mínimo, três esportes. Essas são as modalidades opcionais definidas:

Locais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2014/12/23/interna_cidadesdf,463326/gdf-cancela-universiade-por-causa-de-crise-financeira.shtml». Correio Braziliense. Consultado em 23 de dezembro de 2014 
  2. «2017 SU & WU Update: Five Candidate Cities for the 2017 Winter and Summer Universiades» (em inglês). Federação Internacional do Esporte Universitário (FISU). Consultado em 29 de abril de 2011 
  3. «Baku adia a candidatura para a Universíada de 2019» (em inglês). Federação Internacional do Esporte Universitário (FISU). Consultado em 31 de outubro de 2013 
  4. «Exclusivo: Budapeste se retira e deixa Brasília como única candidata para a Universíada de 2019» (em inglês). Insidethegames.biz. Consultado em 8 de novembro de 2013 
  5. «Reunião discute a composição do Comitê Organizador da Universíade Brasília 2019». Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU). Consultado em 2 de março de 2013 
  6. «FISU 30th Summer Universiade 2019» (em inglês). FISU. Consultado em 9 de janeiro de 2015 
  7. «FISU Hoje - Universíadas» (em inglês). Federação Internacional do Esporte Universitário (FISU). Consultado em 30 de setembro de 2009 
  8. «Federação Internacional do Esporte Universitário (FISU)» (PDF) (em inglês). Consultado em 20 de agosto de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]