Universíada de Verão de 2017

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
XXIX Universíada de Verão
Cidade de Taipei 2017
Logotipo.
Logotipo.
Dados
Países participantes 144 países
Slogan 獻給你,獻給年輕世代 /
For You,For Youth
(Para Você/Para a Juventude)
País anfitrião Taipé Chinesa
Atletas 7,639
Eventos 276 em 22 modalidades
Cerimônia de abertura 19 de agosto
Cerimônia de encerramento 30 de agosto
Abertura oficial Presidente Tsai Ing-wen
Juramento do atleta Tsung-Hsuau Wu e Chang Kai-chen
Juramento do árbitro Shiu Geng-hau e Lan Mei-fen
Tocha olímpica Chin-Feng Chen
Estádio principal Estádio Municipal de Taipei
◄◄ Coreia do Sul Gwangju 2015 {{{evento}}} Itália Nápoles 2019 ►►
Logotipo inicial da edição.


A XXIX Universíada de Verão terá como sede principal a Cidade de Taipei e as cidades vizinhas de Nova Taipei,Taoyuan e Hsinchu, além do Condado de Hsinchu em Taiwan, entre 19 a 30 de agosto de 2017.Esta será a segunda edição consecutiva da versão de verão do evento no Extremo Oriente e a oitava na Ásia. Além disso última edição do evento onde a faixa de idade permitida será de 18 a 27 anos. A partir de Nápoles 2019, o limite de idade passará para a faixa etária de 17 a 25 anos.[1]

Processo de candidatura[editar | editar código-fonte]

Apenas duas cidades entregaram na sede da Federação Internacional do Esporte Universitário (FISU) os seus livros de candidatura em 3 de maio de 2011. As candidatas para esta edição foram Cidade de Taipei, na República da China, que fora candidata para a edição de 2015 e acabou perdendo para Gwangju e Brasília, no Brasil.[2]

Em 30 de novembro de 2011, na sede da FISU em Bruxelas, na Bélgica, foi escolhida a cidade-sede. Já a cidade de Almaty no Cazaquistão foi aclamada sede da edição de 2017 de inverno. De um total de 22 votos disponíveis no Comitê Executivo, Taipei conseguiu 13 votos enquanto Brasília recebeu apenas nove.[3]

Embora, desde 2001, a FISU tenha optado por um revezamento continental, o que era menos propício para Taipei, as questões financeiras e de infraestrutura pesaram para a escolha e o declarado apoio oficial prevaleceu para a escolha da cidade, o que faltava para Brasília,apesar de que a cidade tinha um portfólio gigantesco de eventos passados. O governo taiwanês indicou que este evento serviria de teste para eventos maiores como uma eventual candidatura futura para Jogos Asiáticos e, até mesmo, para uma futura candidatura aos Jogos Olímpicos de Verão. Outro fator que pesou foi a falta de experiência de Brasília, já que Taipei sediou as Surdolimpíadas de Verão de 2009 e a Exposição internacional de Flores em 2010.

Taipei[editar | editar código-fonte]

Taipei, na República da China, foi a vencedora e é a segunda maior cidade da ilha com 2,6 milhão de habitantes. É o centro político, cultural e econômico da ilha. Foi fundada no início do Século XVIII, mas passou a se destacar como polo comercial em meados do século XIX. A Dinastia Quing transformou Taipei na capital provincial em 1886.[4] Considerada uma cidade global,[5] Taipei é parte de um grande pólo industrial e apresenta uma infraestrutura consolidada. A cidade está servida por um aeroporto internacional: o Taipei Songshan que é o aeroporto municipal da cidade de Taipei,operando todos os voos domésticos para a cidade e os voos internacionais de companhias de baixo custo para os países vizinhos do Extremo Oriente,além disso tem o Taiwan Taoyuan na Municipalidade de Taoyuan em suas cercanias, e que é o principal aeroporto internacional do país,que e é o hub internacional das duas principais companhias aéreas do país a EVA Air e a China Airlines.

Esta foi a quinta candidatura da Federação do Desporto Universitário do Taipei Chinês para o evento, já que perdeu a disputada para a edição de 2013 para Cazã e de 2015 para Gwangju. Kaoshiung foi a candidata para a edição de 2001 e acabou perdendo para Pequim, enquanto Tainan foi candidata para a edição de 2007 e acabou perdendo para Bangkok.

Brasília[editar | editar código-fonte]

Brasília, no Brasil, era a outra candidata. É a quarta maior cidade do país com 2,5 milhões de habitantes. A cidade tem três universidades e sua candidatura apostava em consolidar o Desporto Universitário nas Américas.

Modalidades[editar | editar código-fonte]

Obrigatórias[editar | editar código-fonte]

As modalidades obrigatórias (oito esportes) são determinadas pela FISU e, salvo alteração feita na Assembléia Geral da FISU, valem para todas as Universíadas de Verão.[6]

Opcionais[editar | editar código-fonte]

As modalidades opcionais são determinadas pela Federação Nacional de Esportes Universitários (National University Sports Federation - NUSF) do país organizador e devem ser de três esportes, a partir desta edição.Entretanto,em 09 de maio de 2013,o Comitê Organizador solicitou a FISU a adição de dois novos esportes opcionais:o golfe e o levantamento de peso,refletindo o sucesso recente do Taipé Chinês nestas duas modalidades nas edições recentes das Universíadas,quando estas modalidades também eram opcionais e entendendo que as chances de medalhas do país organizador são baixas nas modalidades compulsórias.[7]Uma nova expansão foi feita em 17 de outubro de 2014,quando o Comitê Organizador solicitou que os esportes sobre rodas e o wushu fossem adicionados ao programa,refletindo o apelo que os dois esportes tem no país.Originalmente,o torneio de bilhar seria um evento de demonstração.Mas,posteriormente o esporte entrou no programa oficial.Cabe ressaltar que esta edição é a última em que o tiro com arco e o badminton serão modalidades opcionais.[8] O badminton não será disputado em Nápoles 2019 e retornará ao programa agora como compulsório em 2021.

Revezamento da tocha[editar | editar código-fonte]

O revezamento da Tocha da XXIX Universíada de Verão foi elaborado para celebrar e promover a cultura de Taipei. Este será o primeiro revezamento da história das Universíadas a conter duas partes; Um revezamento internacional e outro doméstico.Além disso,a partir dessa edição a tocha da Universíada será acessa na cidade italiana de Turim,pois a cidade, que sediou a edição inaugural da Universíada de Verão de 1959 e sediou o evento novamente em 1970 e a edição de inverno de 2007.[9]

A chama foi acesa por meio de uma cerimônia realizada por um grupo de aborígenes de Taiwan.O presidente da Federação Internacional do Esporte Universitário (FISU), Oleg Matytsin, foi o primeiro a receber a tocha e a entregará para a prefeita de Turim Chiara Appendino. Appendino irá entregar a tocha para o prefeito de Taipei Ko Wen-je,que irá entregar-lá para um portador da cidade de Taipei.Após uma performance de canto aborígene de cinco minutos,a fase internacional do revezamento teve início exatamente na frente do prédio mais famoso de Turim,a Mole Antonelliana aonde o portador de Taiwan irá entregar a tocha para um portador italiano,indicado pela prefeitura da cidade.Dois dias depois a tocha irá para o sul da Itália e visitou Napóles,a sede da Universíada de Verão de 2019.A rota será de 3,2 km começando no epicentro da próxima edição da Universíada,a Universidade de Nápoles Federico II, a rota também passará pelas principais praças da cidade,inclusive a Praça do Plebiscito e terminará no Castelo do Ovo as margens do Mar Mediterrâneo. Posteriormente, o revezamento irá continuar em Bangkok,na Tailândia,passando por alguns dos principais centros da cidade.Depois a tocha visitou Daegu,na Coreia do Sul,sede da Universíada de Verão de 2003.No dia 29 de junho,a tocha chegou em Taiwan por meio de um voo de carreira vindo da Coreia e foi para o Arquipélago de Kinmen, dois dias depois no dia 1o de julho.No dia 5 de julho, a chama será levada para o Monte Yushan, a montanha mais alta de Taiwan, e dali irá visitar os demais 21 distritos de Taiwan passando inclusive pelas Ilhas Matsu e as Ilhas Pescadores.O revezamento irá ternminar na noite de 19 de agosto ao final da cerimônia de abertura.[10]

Calendário[editar | editar código-fonte]

As caixas em azul representam uma competição ou um evento qualificatório de determinada data. As caixas em amarelo representam um dia de competição valendo medalha. Cada ponto dentro das caixas representa uma disputa de medalha de ouro.[11]

CA Cerimônia de abertura  Competições  1 Finais de competições  CE Cerimônia de encerramento 
Programa Agosto T
18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30
Cerimônias CA CE
Athletics pictogram.svg Atletismo 2 6 10 12 11 10 50
Badminton pictogram.svg Badminton 1 5 6
Basketball pictogram.svg Basquetebol 1 1 2
Baseball pictogram.svg Beisebol 1 1
Billiards pictogram.svg Bilhar 2 2 1
Fencing pictogram.svg Esgrima 2 2 2 2 2 2 12
Football pictogram.svg Futebol 1 1 2
Gymnastics (artistic) pictogram.svg Ginástica artística 1 1 2 10 14
Gymnastics (rhythmic) pictogram.svg Ginástica rítmica 2 6 8
Golf pictogram.svg Golfe 4 4
Weightlifting pictogram.svg Halterofilismo 3 3 3 2 2 3 3 14
Judo pictogram.svg Judô 4 4 4 4 2 18
Swimming pictogram.svg Natação 4 5 5 7 7 4 7 8 2 42
Speed skating pictogram.svg Patinação de velocidade 4 4 4 2 2 16
Water polo pictogram.svg Polo aquático 1 1 2
Diving pictogram.svg Saltos ornamentais 2 2 1 1 3 1 1 1 1 12
Taekwondo pictogram.svg Taekwondo 2 3 4 4 4 4 2 22
Tennis pictogram.svg Tênis 2 5 7
Table tennis pictogram.svg Tênis de mesa 2 1 2 2 7
Archery pictogram.svg Tiro com arco 5 5 10
Volleyball (indoor) pictogram.svg Voleibol 1 1 2
Wushu pictogram.svg Wushu 2 10 10 22
Finais 18 24 24 41 29 29 27 24 21 33 1 271
Programa 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30
Agosto

Medalhas[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Quadro de medalhas

O Quadro de medalhas é uma lista que classifica as Federações Nacionais de Esportes Universitários (NUSF) de acordo com o número de medalhas conquistadas. Serão disputadas 276 finais em 19 modalidades olímpicas e em três não olímpicas.

Atualizado em 21h 00min de 07 de novembro de 2017 (UTC)
 Ordem  País Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze Medals FISU.svg
1 JapãoJPN Japão 37 27 37 101
2 Taipé ChinêsTPE Taipé Chinês 30 35 31 96
3 Coreia do SulKOR Coreia do Sul 30 22 30 82
4 RússiaRUS Rússia 25 31 38 94
5 Estados UnidosUSA Estados Unidos 16 19 16 51
6 UcrâniaUKR Ucrânia 12 11 13 36
7 Coreia do NortePRK Coreia do Norte 12 5 6 21
8 ItáliaITA Itália 9 6 17 32
9 ChinaCHN China 9 6 2 17
10 IrãIRI Irã 8 4 11 23
28 BrasilBRA Brasil 2 4 6 12
29 PortugalPOR Portugal 2 1 2 5
32 MacauMAC Macau 2     2

     País sede destacado.

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Mudança de Locais[editar | editar código-fonte]

Em Junho de 2015, o prefeito de Taipei, Ko Wen-je anunciou a mudança do local das cerimônias do Taipei Dome para Estádio Municipal de Taipei devido aos constantes atrasos na construção do estádio coberto.[12]

Esportes Aquáticos[editar | editar código-fonte]

As provas de natação estavam originalmente planejadas para acontecer na piscina do Shih-hsin Hall,localizado no Campus Tianmu da Universidade de Taipei,juntamente com as provas de saltos ornamentais.Mas, após inúmeras inspeções técnicas se constatou que a largura do bloco de partida da piscina era de apenas 5 metros, não atendendo a largura exigida pela Federação Internacional de Natação que exige que a largura seja de 10 metros.Com isso,apenas as provas de saltos ornamentais foram mantidas no local.O conselho da cidade de Taipei foi forçado mudar seu planejamento e estudou inúmeras alternativas para as provas de natação e assim também economizar custos.Após alguns meses de negociação,se optou pela montagem de uma piscina temporária na Arena da NTSU (Universidade Nacional de Esportes de Taiwan).[13] As duas instalações irão sediar os jogos do torneio de polo aquático,sendo que as finais serão na Arena da NTSU.

Participação da República Popular da China[editar | editar código-fonte]

O sorteio para os eventos coletivos foi realizado em 11 de maio durante o encontro dos chefes de delegação no Hotel Shangri-La, mas ao contrário dos prognósticos a República Popular da China não se inscreveu para qualquer esporte coletivo,alegando um choque de datas com os Jogos Nacionais da China. De acordo com a Federação Internacional de Esportes Universitários (FISU), a Federação dos Esportes Universitários da China (FUSC) enviou uma carta para a instituição dias antes, confirmando que não iria boicotar os Jogos,ao contrário do que já havia sido amplamente divulgado.Mas,que para o choque da FISU e dos organizadores locais,a China não iria enviar sua delegação para os esportes coletivos.Algumas horas antes do sorteio dos grupos ,a delegação chinesa entrou em contato com os organizadores locais e a própria FISU, e explicou que este boicote parcial foi motivado pelo choque de datas entre a Universíada e os Jogos Nacionais da China,aonde,os atletas dos esportes coletivos, irão representar as suas províncias,Além disso,o boicote envolveu as delegações de alguns esportes individuais como a ginástica artística e os saltos ornamentais.[14] A mídia internacional chamou este movimento de "boicote parcial".[15]. Indiferente a isto Hong Kong,que é uma Região Administrativa Especial da China,se inscreveu em dois torneios masculinos: o vôlei e o basquete.[16] A mídia internacional chamou este movimento de "boicote parcial".[17]Enquanto que a Universíada será realizada de 19 a 30 de agosto. Os Jogos Nacionais da China de 2017 serão realizados de 27 de agosto a 8 de setembro e são normalmente realizados uma vez a cada quatro anos. Historicamente,os dois eventos foram realizados no mesmo ano,mas em períodos diferentes,inclusive em 2001,quando a Universiada de Verão foi realizada na China Continental.Mas,mesmo assim Pequim sempre enviou delegações para os esportes coletivos.As autoridades taiwanesas acreditam que a decisão foi tomada para evitar potenciais novos problemas nas já tensas relações entre os dois lados do Estreito.[18]Como consequência da situação,a delegação chinesa que estava em Taipei decidiu boicotar a cerimônia de abertura.[19]

Participação do Time Russo de Atletismo[editar | editar código-fonte]

Em 10 de agosto de 2017,faltando 9 dias para a cerimônia de abertura,o site britânico Inside The Games reportou que a Federação Internacional de Esportes Universitários (FISU) estava aguardando as inscrições dos atletas do time russo de atletismo, e que enquanto isso a entidade espera confirmar a participação dos mesmos como Atletas Independentes no evento.A Federação Russa de Atletismo foi suspensa pela Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF) desde novembro de 2015, na sequência de alegações de doping suportadas pelo Estado Russo.Atletas russos perderam os Jogos Olímpicos de Verão de 2016 e seus atletas competiram sob uma bandeira neutra no Campeonato Mundial de Atletismo de 2017.

Sergey Seiranov,presidente da União de Esportes dos Estudantes Russos,afirmou que a Rússia não irá enviar uma delegação para as competições de atletismo,por que nenhum acordo entre as três partes foi firmado.Questionada,a FISU respondeu ao site, alegando que existe um acordo para os atletas russos aparecerem como independentes foi aprovado pela IAAF no mês passado.

Eles afirmam que agora estão aguardando uma lista de atletas habilitados,feita por autoridades russas, o que lhes permitiria fazer as inscrições e confirmar que eles são competidores independentes de atletismo.A FISU enviou à IAAF uma lista de atletas da Federação Russa que poderiam participar como atletas independentes e que foram autorizados pelas mesmas. Estes atletas independentes são livres para competir sob a bandeira da FISU e como a delegação dos Atletas Universitários Independentes (IFP),além disso terão que usar um uniforme neutro e em qualquer cerimônia oficial do evento,a bandeira da FISU será hasteada.Existem 11 atletas nessa situação esperando a permissão para se inscrever no evento e que a FISU estará só esperando a lista para confirmar a inscrição dos mesmos.[20]

Participação da Delegação de Uganda[editar | editar código-fonte]

Alguns dias antes da cerimônia de abertura,o chefe da delegação do país Norman Katende divulgou que a viagem de seus atletas seria cancelada por que o país entende que existe somente uma "China".[21] Katende publicou uma carta recebida do Ministério das Relações Exteriores ugandês, que dizia: "O objetivo desta carta é informá-lo sobre" a única política da China ", que é a posição do governo do Uganda. A este respeito, portanto, o Ministério das Relações Exteriores está informando que seu Ministério não envia uma delegação oficial para participar ". [22] A representante do Ministério dos Negócios Estrangeiros de Taiwan, Eleanor Wang, disse: "O time de Uganda,está tentando convencer as autoridades de seu país para participar dos Jogos".[23] Em uma atualização realizada em 15 de agosto, Katende publicou uma declaração do chefe do Departamento de Esportes e Recreação da Universidade Makerere, Peninnah Kabenge, citando "abuso de autoridade e um e mal entendido" pelas ações do Ministério.[24]No mesmo,dia,Kabenge confirmou mais tarde, escrevendo: "A equipe de Uganda está a caminho da 29ª Universíada".." [25]

Tumultos durante a cerimônia de abertura[editar | editar código-fonte]

Algumas horas antes do inicio da Cerimônia de Abertura,um rumor tomou conta da organização do evento,de que existiam simpatizantes ou membros do Estado Islâmico estavam infiltrados entre os voluntários e os atletas. [26] Para piorar a situação,na noite do dia 19 de agosto,durante a cerimônia de abertura, quando as delegações já se posicionavam para a entrar no estádio durante a Parada das Nações, manifestantes com a bandeira de Taiwan e faixas com ideogramas conseguiram invadiram uma área isolada do lado de fora do Estádio e foram imediatamente contidos pelas forças de segurança. Mesmo com um intenso esquema de segurança, não se conseguiu evitar um constrangimento durante a cerimônia de abertura.Um grupo de aposentados com uma bandeira do país e cartazes com ideogramas, invadiu uma área restrita do lado de fora do estádio em um protesto contra a recente reforma da previdência no país,[27][28] aonde também se juntaram a grupos contrários ao regime político de Taipei tentaram impedir a chegada de atletas e público ao local chamando a atenção para as causas pró-democracia locais. levando a confrontos que originalmente não foram percebidos pela estimativa de mais de 20 mil pessoas que estavam assistindo no Estádio de Taipei.[29] O embate chegou a bloquear por alguns minutos,causando um buraco após o término da entrada das delegações que começavam com a letra B. Minutos depois, o desfile prosseguiu apenas com voluntários segurando as bandeiras dos países,a partir da letra C, em ordem alfabética da língua inglesa. Esses atletas só entraram no estádio após a passagem da última bandeira, do Zimbábue, e foram calorosamente recebidos.Mais de cinco mil policiais uniformizados ou a paisana armados com rifles,foram acionados para fazer a segurança do evento,que apesar de todos esses incidentes aconteceu sem problemas.[30] Ao discursar, o presidente da FISU,o russo Oleg Matysin, constrangido,chegou a comentar o incidente: "Desculpem pelo atraso, mas, às vezes, as melhores coisas valem a espera", disse ele. "Ninguém pode parar nossos estudantes, ninguém pode parar nossa unidade e amizade".Em nota oficial, a organização dos Jogos minimizou o protesto, mas admitiu que irá rever os procedimentos de segurança do evento e disse esperar que as Olimpíadas Universitárias sejam realizadas sem incidentes."A FISU (Federação Internacional de Esportes Univesitários) espera que a Universíade seja uma celebração pacífica do esporte, da educação e da cultura", disse o comunicado..[31]Além disso, os atletas da China Continental,aparentemente se recusaram a participar da cerimônia de abertura. Um voluntário carregou a bandeira da República Popular da China em torno do estádio, mas os atletas optaram por não seguir para trás. Os motivos para o boicote à cerimônia não foram esclarecidos embora a mídia local tenha afirmado que foi devido à presença de Tsai Ing-wen.[32]. Cinco dias depois da cerimônia,as autoridades do país, prenderam um homem que segundo elas,estava envolvido no lançamento de bombas de fumaça durante os distúrbios do lado de fora do Estádio Municipal de Taipei.De acordo com o site Taiwan News, a polícia detive um "oficial militar aposentado" ontem depois de identificá-lo através de imagens da CCTV..A polícia de Kaohsiung planeja transferir o suspeito para a carceragem do Ministério Público Distrital de Taipei, que está conduzindo a investigação sobre os protestos..[33].

Tentativa de Assassinato de Tsai Ing-Wen[editar | editar código-fonte]

No dia anterior, um homem carregando uma Bandeira da China foi atacado e preso pela polícia taiwanesa depois de atacar e ferir um policial militar da Guarda Presidencial com uma katana do lado de fora do Escritório do Presidente de Taiwan em Taipei. O suspeito já tinha roubado a valiosa katana,que é uma reliquia da Segunda Guerra Sino-Japonesa,a crença popular diz que a katana foi usada para matar 107 pessoas,durante o Massacre de Nanjing e estava em exposição no Museu das Forças Armadas de Taiwan. A polícia também encontrou uma "ameaça de morte" na posse do homem, afirmando sua admiração pela República Popular da China e pela a pessoa de Xi Jinping . O oficial ferido foi levado para o Hospital Universitário de Taipei, que divulgou uma nota dizendo que ele estava em condição estável. A presidente taiwanesa, Tsai Ing-wen,estava dentro do prédio,recebendo os filhos do seu staff, embora ela não estivesse em perigo direto. O atacante, identificado como Lu Chun-yi, de 51 anos, admitiu mais tarde aos promotores que sua intenção era assassinar a presidente. [34] [35] [36]

Referências

  1. «FISU irá reduzir o limite de idade nos eventos universitários» (em inglês). Federação Mundial de Tiro com Arco. 30 de março de 2016. Consultado em 23 de maio de 2016 
  2. «2017 SU & WU Update: Five Candidate Cities for the 2017 Winter and Summer Universiades» (em inglês). Federação Internacional do Esporte Universitário (FISU). 3 de maio de 2011. Consultado em 25 de maio de 2011 
  3. Pádua, Pollyanna (29 de novembro de 2011). «Taipei vence disputa por Universiade 2017». Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU). Consultado em 26 de janeiro de 2013 
  4. «Taipei (Taiwan): History» (em inglês). Encyclopædia Britannica. Consultado em 26 de janeiro de 2013 
  5. «The World According to GaWC 2008» (em inglês). GaWC. Consultado em 26 de janeiro de 2013 
  6. «FISU Hoje - Universíadas» (em inglês). Federação Internacional do Esporte Universitário (FISU). Consultado em 30 de setembro de 2009 
  7. «Universíade de 2017 adciona mais duas modalidades opcionais» (em chinês). Yahoo! Taiwan. 9 de maio de 2013. Consultado em 3 de março de 2014 
  8. «Encontro do Comitê Executivo em Gwangju» (em chinês). FISU. 17 de outubro de 2014. Consultado em 25 de outubro de 2014 
  9. «SU 2017 - Torch Ignition in Torino and Start of Relay» (em inglês). FISU. 29 de junho de 2017. Consultado em 2 de julho de 2017 
  10. «Taipei mayor to visit Turin for the Universiade torch lighting ceremony» (em inglês). Taiwan News. 17 de junho de 2017. Consultado em 17 de junho de 2017 
  11. «Athletics Handbook» (PDF) (em inglês). Sítio oficial de Taipei 2017. 17 de maio de 2017. Consultado em 19 de maio de 2017 
  12. Gerber, Abraham (23 de junho de 2015). «Universiade will not be held at Taipei Dome: Ko». Taipei Times. Chinese Taipei. Consultado em 21 de setembro de 2015 
  13. «Taipei city turns gym field into swimming pool for Universiade» (em inglês). Taiwan News. Consultado em 11 de junho de 2017 
  14. «NUSF Overview - People's Republic of China» (em inglês). Site Oficial de Taipei 2017=24 de agosto de 2017 
  15. https://www.bloomberg.com/news/articles/2017-07-17/china-stealth-boycott-looms-for-taiwan-s-biggest-sporting-event
  16. «SU2017 Team Draw» (PDF) (em inglês). FISU=11 de maio de 2017 
  17. https://www.bloomberg.com/news/articles/2017-07-17/china-stealth-boycott-looms-for-taiwan-s-biggest-sporting-event
  18. «China drops out of team competitions for Taipei Universiade» (em inglês). Taiwan News. Consultado em 30 de maio de 2017 
  19. «China boycotts opening ceremony of the Summer Universiade in Taipei» (em inglês). Shanghai List. Consultado em 19 de agosto de 2017 
  20. «FISU waiting on Russia to confirm independent athletes for Taipei 2017 Summer Universiade» (em inglês). Inside The Games. Consultado em 10 de agosto de 2017 
  21. «Taipei Universiade: Universiade says it respects Uganda's China position». Taipei Times. 16 de agosto de 2017 
  22. «Scan of Ugandan Ministry of Foreign Affairs Letter to the Ministry of Education, Science, Technology and Sports». Norman Katende, Twitter. 13 de agosto de 2017 
  23. «Uganda withdraws from Taipei Universiade competition». Taiwan News. 15 de agosto de 2017 
  24. «Finally rectified sorted out. Overaction and misunderstanding cleared». @pennykabs, Twitter. 14 de agosto de 2017 
  25. «It is official team Uganda is on the way to the 29th Universiade». @pennykabs, Twitter. 16 de agosto de 2017 
  26. «Protests, rumours of terrorist attack, mar opening of university games in Taipei». South China Morning Post 
  27. «Protesters block entrance of athletes to Taipei Universiade opening». Taipei News. 19 de agosto de 2017 
  28. «Abertura da Universíade de Taipei tem espetáculo visual e protesto». Empresa Brasil de Comunicação. 20 de agosto de 2017 
  29. «Universíade 2017: cerimônia de abertura tem pira acesa com "tacada" de beisebol». GloboEsporte.com. 19 de agosto de 2017 
  30. «Protests, rumours of terrorist attack, mar opening of university games in Taipei». South China Morning Post 
  31. «Universíade 2017: cerimônia de abertura tem pira acesa com "tacada" de beisebol». GloboEsporte.com. 19 de agosto de 2017 
  32. «China boycotts opening ceremony of the Summer Universiade in Taipei». Shanghaist 
  33. «Arrest made in connection with protests at Taipei 2017 Opening Ceremony». Inside The Games 
  34. «Assailant slashes guard outside Taiwan's presidential office». New York Post 
  35. «Flag-carrying Man Arrested Over Samurai Sword Attack at Taiwan's Presidential Office». South China Morning Post 
  36. «Sword attacker admits Tsai was target: court». Taipei Times 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]