Valverde del Fresno

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Espanha Valverdi du Fresnu

Valverde del Fresno

 
  Município  
Valverdi du fresnu.jpg
Bandeira de Valverdi du Fresnu
Bandeira
Brasão de armas de Valverdi du Fresnu
Brasão de armas
Valverdi du Fresnu está localizado em: Espanha
Valverdi du Fresnu
Localização de Valverdi du Fresnu na Espanha
Valverdi du Fresnu está localizado em: Estremadura (Espanha)
Valverdi du Fresnu
Localização de Valverde del Fresno na Estremadura
Coordenadas 40° 13' 20" N 6° 52' 45" O
Comunidade autónoma Estremadura
Província Cáceres
Comarca Serra de Gata
- Alcaide Ana Perez Lopez (PSOE)
Área
- Total 197 km²
Altitude 468 m
População (2016)
 - Total 2 391
    • Densidade 12,1 hab./km²
Gentílico valverdenho, valverdenha
Código postal 10890
Website www.valverdedelfresno.es

Valverde del Fresno (em fala da Estremadura: Valverdi du Fresnu) é um município raiano da Espanha na comarca da Serra de Gata, província de Cáceres, comunidade autónoma da Estremadura, de área 197 km². Em 2016 tinha 2 391 habitantes (densidade: 12,1 hab./km²).

A maior parte da sua população fala um idioma da família galaico-portuguesa, denominado "Fala de Xálima" ou "Fala da Estremadura". Situa-se muito perto da fronteira com Portugal, na área de Penamacor. É visitada por muitos portugueses dessa região, em virtude da sua proximidade.

História[editar | editar código-fonte]

Pertenceu a Portugal até ao reajustamento de fronteiras dos séculos XV e XVI, que levou igualmente ao derrube do castelo de Salvaleón, situado na confluência do rio Bazágueda com o rio Erges.

No século XVII os mouriscos são expulsos da vila. Também e como consequência da Guerra da Restauração portuguesa sucedem-se na zona escaramuças com as aldeias do lado português. Tal situação traz consigo uma diminuição da população valverdenha, o surgimento da fome e miséria, a paralisação do desenvolvimento do município e o despovoamento de Salvaleón.

Durante a primeira metade do século XVIII Valverde começa de novo a ressurgir, segundo denotam algumas construções desta época. Não há contudo feitos destacados.

Não se conhece que a Guerra da Independência espanhola, a começos do século XIX tenha produzido atos relevantes em Valverde. No entanto, existe uma lenda de quando os franceses em retirada rumo a Cidade Rodrigo pararam no sítio de "La Fontiña".

No século XX e como consequência da guerra civil, nos primeiros anos da pós-guerra, marcados pela miséria, fomentou-se o contrabando com os portugueses tentando aliviar a fome.

Economia[editar | editar código-fonte]

A principal fonte económica da zona é o azeite, produzido a partir de azeitonas de boa qualidade. Outras fontes de rendimentos económicos são a criação de gado, a vinha, a indústria madeireira e, em menor escala, mas de forma crescente, o turismo rural. Valverde é pela sua localização e tamanho a povoação com maior concentração de serviços públicos e privados das três que compõem o Vale de Xálima.

Entre os anos 1940 e 1980, Valverde manteve uma importante actividade económica, sempre ligada com o tráfico de de mercadorias com Portugal: o contrabando foi a tábua de salvação para grande parte da população, que se viu obrigada a emigrar para zonas mais prósperas do norte da Espanha, como o País Basco e a Catalunha, assim como para outros países, como França, Suíça e Alemanha.

Arquitectura[editar | editar código-fonte]

Uma loja de roupas infantis em Valverde del Fresno.

O regresso dos imigrantes, a partir dos anos 80, teve como consequência uma actividade frenética de construção, que se traduziu numa multiplicação relevante e desordenada da superfície urbana e a consequente perda da arquitectura tradicional. A partir dos anos 1990, com os novos acessos, o fenómeno do turismo rural e a diminuição da construção, iniciou-se um tímido processo de regresso às origens arquitectónicas, com um aumento da sensibilidade à estética tradicional da comarca, nem sempre acompanhado pelas instituições públicas em edifícios novos e de grande relevância visual, com a casa do povo ou casa da cultura (eternamente inacabada desde há vários anos), o pavilhão polidesportivo e o centro de saúde.

Monumentos[editar | editar código-fonte]

A igreja paroquial de Nossa Senhora da Assunção é um dos monumentos mais importantes. Foi concebida por Pedro de Ibarra, um arquitecto, no século XV. A construção encontra-se inacabada, como facilmente se constata, destacando-se a sua torre. Na ornamentação interior, encontramos um retábulo do século XVIII, um pouco deteriorado por retoques pictóricos de data posterior.

A Ermita del Cristo del Humilladero, também conhecida como do "Santo Cristo", encontrando-se no centro da povoação, é um bonito exemplo da arquitectura religiosa do século XVI, que se destaca entre as construções impessoais que a rodeiam. Também foi construída em duas fases, datando a nave do século XVII. No interior, encontra-se um pequeno retábulo de estilo barroco e uma talha gótica de Cristo crucificado.

A Ermita del Espíritu Santo, situada em pleno campo (junto à montanha), é um bom exemplo de arquitectura eremita. É-o tanto pela sua simplicidade como pela paisagem espectacular que a rodeia. A sua localização responde, sem dúvida, a critérios telúricos, míticos e quase mágicos, como acontece com outras construções religiosas de pequena dimensão pertencentes a ordens religiosas, em outros locais da Espanha.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Variação demográfica do município entre 1991 e 2004
1991 1996 2001 2004
2827 2773 2516 2578


Ícone de esboço Este artigo sobre Municípios da Espanha é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.