Variações Enigma

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde agosto de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Variações sobre um tema original para orquesta Op. 36 "Enigma", obra popularmente conhecida como "Variações Enigma", é uma série de quatorze variações musicais compostas por Edward Elgar em 1899. É uma das obras mais conhecidas de Elgar, tanto pela música em si, como pelo enigma que se esconde nela. Elgar dedicou a obra aos "meus amigos retratados nela" ; cada variação mostra um retrato emotivo de algumas de suas relações sociais mais próximas.

História[editar | editar código-fonte]

Conta-se que, em um dia de 1898, depois de uma cansativa jornada de ensino, Elgar começou a improvisar ao piano. Uma das melodias que improvisou chamou a atenção de sua esposa, que pediu que ele a repetisse. Então, para entretê-la, começou a improvisar variações sobre essa melodia, cada uma imitando o estilo de algum amigo. Algum tempo depois, Elgar expandiu essas variações e orquestrou-as, transformando a peça nas "Variações Enigma".

A obra foi apresentada em Londres em 19 de Junho de 1899, com a direção de Hans Richter . No inicio a crítica se irritou com a aparência complicada da obra, mas logo em seguida, a estrutura e orquestração da obra produziram grande admiração. Desde então se transformou em uma peça muito popular.

Música[editar | editar código-fonte]

A obra está orquestada para duas flautas, um flautim, dois oboés, dois clarinetes em Sib, dois fagotes, um contrafagote, quatro trompas em Fa, três trompetes en Fa, três trombones, uma tuba, tímpanos, um tamboril, um triângulo, um tambor baixo, un címbalo, um órgão e cordas.