Vidas e Doutrinas dos Filósofos Ilustres

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Vidas e Doutrinas dos Filósofos Ilustres
Mosteiro de Dionísio, códice 90, um manuscrito do século 13 contendo seleções de Heródoto, Plutarco e (mostrado aqui) Diógenes Laércio
Autor(es) Diógenes Laércio

Vidas e Doutrinas dos Filósofos Ilustres (em grego: Βίοι καὶ γνῶμαι τῶν ἐν φιλοσοφίᾳ εὐδοκιμησάντων) é uma biografia dos filósofos gregos escrita em grego por Diógenes Laércio por volta da primeira metade do século 3 d.C.[1]

Composição[editar | editar código-fonte]

A obra é composta de dez livros e começa pelo filósofo Tales de Mileto e termina em Epicuro, Diógenes dividiu os filósofos gregos em escola jônica e escola italiana.[2]. Trata-se de uma compilação da vida e as ideias dos mais importantes pensadores gregos. É principalmente uma história da vida dos filósofos, tendo a filosofia defendida por estes apenas como parte acessória do texto.[3]

Livros 1-7: Filosofia jônica
Livro 1: Os Sete Sábios da Grécia
Tales, Sólon, Quílon, Pítaco, Bias de Priene, Cleóbulo de Lindos, Periandro, Anacársis, Míson, Epimênides, Ferécides de Siro
Livro 2: Sócrates, com antecessores e seguidores
Anaximandro, Anaxímenes de Mileto, Anaxágoras, Arquelau de Atenas, Sócrates, Xenofonte, Ésquines Socrático, Aristipo de Cirene, Fédon, Euclides de Mégara, Estilpo, Críton de Atenas, Simão, o Sapateiro, Glaucão, Símias de Tebas, Cebes, Menedemo de Eretria
Livro 3: Platão
Platão
Livro 4: A Academia de Platão
Espeusipo, Xenócrates, Polemo, Crates de Atenas, Crantor, Arcesilau, Bion de Boristenes, Lácides de Cirene, Carnéades, Clitômaco
Livro 5: Os Peripatéticos
Aristóteles, Teofrasto, Estratão, Lico de Troas, Demétrio, Heráclides
Livro 6: Os Cínicos
Antístenes, Diógenes de Sínope, Mônimo, Onesícrito, Crates de Tebas, Metrocles, Hipárquia, Menipo, Menedemo, o Cìnico
Livro 7: Os Estoicos
Zenão de Cítio, Aríston de Quios, Hérilos, Dionísio, o Renegado, Cleantes de Assos, Esfero, Crisipo de Solis
Livros 8-10: Filosofia italiana
Livro 8: Os pitagóricos
Pitágoras, Empédocles, Epicarmo de Kos, Arquitas, Alcmeão, Hipaso, Filolau, Eudoxo
Livro 9: Não categorizado (Eleatas, Atomistas, Céticos, etc.)
Heráclito, Xenófanes, Parmênides, Melisso de Samos, Zenão de Eleia, Leucipo, Demócrito, Protágoras, Diógenes de Apolonia, Anaxarco, Pirro de Élis, Tímon
Livro 10: Epicuro
Epicuro

O Livro VII -Estoicos começa com a vida de Zenão, o fundador do estoicismo, narrando como ele veio a ter contato com a filosofia, como estudou com os cínicos e depois criou sua própria linha de pensamento. Após a biografia de Zenão, vem o componente principal do livro, a Exposição da filosofia estoica por Diógenes Laércio. Esta sem dúvida constitui a fonte principal para o conhecimento do estoicismo grego, e é importante para o estudo do ceticismo e das ramificações da filosofia socrática bem como do epicurismo. Infelizmente parte da obra foi perdida e o texto termina abruptamente durante o relato da vida de Crísipo, sabe-se que continuava com outros 13 filósofos.[4]

Delle vite dei filosofi, 1611

Edições da obra[editar | editar código-fonte]

Em português[editar | editar código-fonte]

  • Diógenes Laércio, Vidas e doutrinas dos filósofos ilustres, trad. do grego para o português efetuada por Mário da Gama Kury (editora UnB).
  • Diógenes Laércio, Vidas e doutrinas dos filósofos ilustres, trad. do Inglês para o português efetuada por Lúcio Jakobsmuschel (Montecristo Editora)[5]

Em inglês[editar | editar código-fonte]

Wikisource
A Wikisource contém fontes primárias relacionadas com Diogenes Laërtius

Em grego[editar | editar código-fonte]


Referências