Epimênides

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Epimenides

Epimênides (português brasileiro) ou Epiménides (português europeu) (Epimenidēs) ou foi um poeta, filósofo e místico grego, e profeta que viveu em meados dos anos 600 a.C. de acordo com o apóstolo Paulo em Tito 1:12, que cita sua obra "Cretica".

Biografia[editar | editar código-fonte]

Epimênides nasceu em Cnossos, na ilha de Creta (segundo Estrabão, ele era natural de Festo, Creta[1] ). Diz-se que esteve em Atenas no tempo de Sólon, onde os achados históricos, conforme descrito por Diógenes Laertius, lhe atribuem ter limpado a cidade de uma praga que a assolava. Diz-se também que já visitara a cidade dez anos antes das guerras com os persas, sendo que as duas visitas estão separadas por mais de cem anos. Todavia, várias autoridades relataram que ele viveu entre 154 e 299 anos.

Dito como "homem estranho" pelo seu povo, Epimênides era um dos poucos da sua época e região que criam em apenas um Deus e, segundo conta Diógenes Laertius, quando houve a praga em Atenas muito se fizeram de holocaustos para "apaziguar a fúria dos deuses", que passavam de 30 000, ou seja, tinham mais deuses em estátuas nas ruas do que pessoas vivendo em Atenas, onde foram até chamados sacerdotes egípcios e babilônicos para tentarem resolver aquela praga, mas sem sucesso algum. Quando então lembraram o Deus único de Epimênides, então o chamaram. Ele mostrou-os o erro de adorarem deuses que não poderiam os ajudar em nada, e mandou que colocassem ovelhas no alto do areópago que estas iriam lhes mostrar o local onde esse Deus queria ser adorado. Então, num ato "místico" as ovelhas desceram o areópago e andaram até um local onde não havia nenhum tipo de idolatria. E ali os artífices construíram um altar e como não sabiam o "nome" desse Deus, a mando de Epimênides talharam como "o Deus desconhecido" (assim como descrito em Atos 17:23) e assim conseguiram resolver o problema da praga.

Notas e referências

  1. Estrabão, Geografia, Livro X, Capítulo 4, 14

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Bowder, Diana - "Quem foi quem na Grécia Antiga", São Paulo, Art Editora/Círculo do Livro S/A, s/d
  • Livros de Diógenes Laertius, romano, ateu que escreveu sobre o gregos.
  • Richardson, Don - "O Fator Melquisedeque", Cap. 1