Cosmogonia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Cosmogonia (ou Cosmogenia) é qualquer modelo relacionado à existência (ou seja, a origem) quer seja do cosmos (ou o universo), ou da chamada realidade dos seres sencientes.[1] [2] A cosmogonia é a especulação sobre a origem e formação do mundo que se encontra em muitos mitos religiosos e na filosofia dos pré-socráticos, principalmente Tales de Mileto, o primeiro a buscar a origem de todas as coisas, acreditando encontrá-las na água,[3] considerada por ele como a substancia primordial do universo.[4]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

A palavra vem do grego koiné κοσμογονία (de κόσμος "cosmos, o mundo") e da raiz de γί(γ)νομαι / γέγονα ("entrar em um novo estado de ser").[5] Em astronomia, cosmogonia refere-se ao estudo da origem de determinados objetos ou sistemas astrofísicos, e é mais comumente usada em referência à origem do universo, o sistema solar, ou o sistema Terra-Lua.[1] [2]

Mitos[editar | editar código-fonte]

Tupi-Guarani[editar | editar código-fonte]

Na cosmogonia Guarani, tudo que existe nasce e é nomeado a partir de um som produzido no mundo superior, o Espírito-Música, o Grande Som Primeiro, esse som desdobra-se em formas que serão pais e mães de seus filhos, as palavras-almas.[6] Tupã não é a divindade suprema, mas apenas uma força da natureza, como por exemplo, entre os Sioux e na mitologia germânica.[7]

Referências

  1. a b Ridpath, Ian. A Dictionary of Astronomy. [S.l.]: Oxford University Press, 2012.
  2. a b Woolfson, M.M.. (1979). "Cosmogony Today". Quarterly Journal of the Royal Astronomical Society 20: 97–114. Bibcode1979QJRAS..20...97W.
  3. Gérard Durozoi; André Roussel; Marina Appenzeller (2005). Dicionário de filosofia. PAPIRUS. p. 108. ISBN 978-85-308-0227-1.
  4. CARLOS CHESMAN; AUGUSTO MACEDO; CARLOS ANDRE (2004). Física Moderna Experimental e Aplicada. Editora Livraria da Fisica. p. 109. ISBN 978-85-88325-18-0.
  5. Staff. γίγνομαι - come into a new state of being Tufts University. Visitado em 14/7/2015.
  6. Luciana Marino do Nacimento; Simone de Souza Lima (2014). Caleidoscópios da Cultura Brasileira. Letra Capital Editora LTDA. p. 82. ISBN 978-85-7785-256-7.
  7. Roberto Gambini (2000). Espelho índio: a formação da alma brasileira. Editora Terceiro Nome. p. 100. ISBN 978-85-85554-14-9.

Ver também[editar | editar código-fonte]