Thomas Reid

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Thomas Reid
Nascimento 26 de abril de 1710
Strachan
Morte 7 de outubro de 1796 (86 anos)
Glasgow
Cidadania Reino da Grã-Bretanha
Alma mater Universidade de Aberdeen
Ocupação filósofo, bibliotecário, matemático, escritor, professor universitário
Influências
Prêmios Membro da Sociedade Real de Edimburgo
Empregador Universidade de Aberdeen, Universidade de Glasgow
Movimento estético Iluminismo Escocês, Realismo do senso comum escocês
Portal A Wikipédia possui o:
Portal de Filosofia

Thomas Reid (Strachan, Aberdeenshire, 26 de abril de 1710Glasgow, 7 de outubro de 1796) foi um filósofo escocês. Contemporâneo de David Hume, fundou a Escola Escocesa do Senso Comum (Scottish School of Common Sense), tendo desempenhado também um papel de primeira importância no Iluminismo Escocês. Reid era filho de um sacerdote presbiteriano afiliado à Igreja da Escócia.

Reid acreditava que o senso comum (sensus communis) é, ou pelo menos deveria ser, a base de toda investigação filosófica. Ele discordou de David Hume, que afirmou que nunca podemos saber em que consiste um mundo externo, pois nosso conhecimento é limitado às ideias da mente, e, sobretudo de George Berkeley, que afirmava que o mundo externo é apenas ideias na mente. Em contraste, Reid afirmou que as fundações sobre as quais nosso sensus communis é construído justificam nossa crença de que existe um mundo externo.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

A primeira parte da vida de Reid decorre em Aberdeen. Estudou teologia no Marischal College da Universidade de Aberdeen. Terminados os estudos foi ordenado sacerdote em New-Machar. É em New-Machar que Reid leu um livro que mudaria a sua vida: Treatise of Human Nature, de David Hume.

Em 1751 foi nomeado professor no King's College em Aberdeen, tornando-se a figura central da escola filosófica do senso comum.

Criou o "Wise Club" (uma associação literária-filosófica) e concebeu a maior parte do seu trabalho. Em 1764 ele foi chamado a substituir Adam Smith na Universidade de Glasgow (a mesma cadeira que tinha pertencido a Francis Hutcheson, antes de Smith) e publicou o seu "Inquiry". Um dos seus alunos em Glasgow foi Dugald Stewart.

Ideias[editar | editar código-fonte]

Reid acreditava que o senso comum é, ou pelo menos deveria ser, a base de todo o pensamento filosófico.

Contrariando a visão cepticista de David Hume, Reid afirmava que o mundo não é nenhum labirinto misterioso, mas sim que o mundo está à nossa vista para que façamos julgamentos claros sobre aquilo que vemos, preto ou branco, certo ou errado.

Reid acreditava que o poder do conhecimento pertence a todos os humanos, independentemente de outros atributos. O progresso humano reside na expansão dessa capacidade ao maior número de pessoas possível, de modo que elas se tornem livres. A filosofia de Reid é uma filosofia da liberdade humana e foi muito apelativa aos norte-americanos, particularmente no século da independência americana, mas também depois disso.

Principais obras de Thomas Reid[editar | editar código-fonte]

  • An Inquiry into the Human Mind on the Principles of Common Sense (1764)
  • Essays on the Intelectuals Powers of Man (1788)
  • Essays on the Active Powers of Man (1788)

Bibliografia sobre Thomas Reid[editar | editar código-fonte]

  • Cousin, Thomas V, Philosophie ecossaise, Paris, 1878
  • Fraser, A.C., Thomas Reid, Edimburgo, 1898
  • Grave, A, The Scottish Philosophy of Common Sense, Oxford, 1960
  • Martin, T., The Instruted Vision, Bloomington, 1961
  • Sciacca, La Filosofia di Thomas Reid, Milão, 1963

Citações[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Thomas Reid
  • "Eu desprezo a filosofia e renuncio a ser guiado por ela; que a minha alma resida no senso comum"