Vila Nova Conceição

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde junho de 2015). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Vila Nova Conceição
Vila Nova Conceição
Bairro de São Paulo Bandeira da cidade de São Paulo.svg
Fundação: 25 de janeiro de 1936 (82 anos)
Zona de valor do CRECI: Zona A
Distrito: Moema
Subprefeitura: Vila Mariana
Região Administrativa: Centro-Sul

Vila Nova Conceição é um bairro nobre[1] localizado na Zona Sul de São Paulo que pertence ao distrito de Moema. Em 2013, é considerado o bairro com o metro quadrado mais caro da cidade. Limita-se com os bairros de Moema, Jardim Lusitânia, Itaim Bibi, Jardim Paulista, Vila Olímpia, e o Parque do Ibirapuera.

História[editar | editar código-fonte]

Como muitos bairros paulistanos, a Vila Nova Conceição proveio de propriedades rurais, uma delas se chamava Chácara Maria. As fazendas cultivavam gêneros hortifrutigranjeiros para abastecer a cidade de São Paulo. O progresso veio nas primeiras décadas do século XX, vários terrenos destas propriedades foram loteados para a construção de residências, tornando-se área urbana. Ao passar dos anos recebeu investimentos públicos, tais como: pavimentação, por meio de paralelepípedos; saneamento básico e iluminação.

O bairro, considerado uma extensão da região do Ibirapuera devido sua concentração de áreas verdes, sofreu a partir da década de 1950 um grande crescimento populacional. Este fato fez com que fossem tomadas medidas que garantissem a preservação das características originais da área.[2]

Arborização do bairro.

No início dos anos 1980, o bairro perdeu algumas de suas características iniciais, como a horizontalização, com a construção de edifícios altos, passando por um rápido processo de verticalização. Devido a sua arborização e a proximidade com o Parque Ibirapuera seu território foi valorizado atraindo grandes investimentos imobiliários, com isso houve a mudança do perfil socioeconômico de seus moradores. Até 1995 recebeu estabelecimentos comerciais, voltados à comunidade local. Devido à oportunidade que o bairro gerava por causa de seus moradores de alto poder aquisitivo, negócios comerciais ocuparam áreas irregulares, em zonas predominantemente residenciais, este foi o caso da sofisticada butique Daslu.[3][4]

Após a década de 1990 ocorreram grandes obras que influenciaram tanto no comércio quanto no tráfego automotivo, foram os casos da Avenida Hélio Pellegrino, Complexo Viário Ayrton Senna e o corredor de ônibus na Avenida Santo Amaro. As calçadas da última avenida citada foram reduzidas, tornando difícil o acesso às pequenas lojas lá presentes. Estas por sua vez fecharam suas portas e procuraram outros locais, entre os quais o bairro em questão. O aumento do movimento na região fez com que o trânsito que somente era presente na avenida, surgisse também nas ruas do bairro.

Desenvolvimento Residencial[editar | editar código-fonte]

No bairro existem 214 condomínios de edifícios residenciais, que comportam 6014 apartamentos. A Vila Nova Conceição é um bairro bastante verticalizado, cujo a média de altura dos prédios é superior aos 17 andares. Além dos edifícios, existem centenas de casas residenciais e imóveis comerciais como lojas ou escritórios. O território do bairro considerado pequeno, com uma área total de apenas 1.080.000 m². Os espaços disponíveis para a incorporação de novos empreendimentos residenciais torna o preço do metro quadrado do bairro um dos mais caros da região.[5]

Atualidade[editar | editar código-fonte]

Edifícios presentes no bairro.

A ocupação do solo do bairro, ou seja, as construções ali presentes respeitam normalmente as leis de zoneamento. A grande quantidade de edifícios altos é permitida na Vila Nova Conceição segundo esta lei.

Há também uma grande quantidade de praças e árvores no bairro, sendo a principal delas a Praça Pereira Coutinho, que abriga edifícios de alto padrão, lojas e restaurantes luxuosos. O preço do metro quadrado do bairro é um dos mais elevados da cidade. Algumas coberturas e apartamentos grandes (com áreas acima dos 700m²) podem chegar a custar mais de 25 milhões de reais.[6] O bairro nobre é uma "Zona de Valor A", classificação do CRECI, tal como: Higienópolis, Jardim América e Pacaembu.[7]

Em sua extensão localizam-se um câmpus da FMU, a Escola Estadual Martim Francisco e os consulados: letão e turco.[8][9]

Moradores e ex-moradores[editar | editar código-fonte]

Fotografia panorâmica dos bairros paulistanos de Paraíso e Vila Nova Conceição, vistos de um dos lagos do Parque Ibirapuera.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Vila Nova Conceição

Referências