Wáji

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Candomblé

Religiões afro-brasileiras


Princípios básicos

Deus
Ketu | Olorum | Orixás
Jeje | Mawu | Vodun
Bantu | Zambi | Nkisi


Religiões
Babaçuê | Batuque | Cabula
Candomblé | Culto de Ifá
Culto aos Egungun | Quimbanda
Macumba | Omoloko
Tambor-de-Mina | Terecô
Xambá | Xangô de Pernambuco


Temáticas
Confraria | Hierarquia
Sincretismo
Templos afro-brasileiros


Religiões semelhantes
Religiões Africanas | Abakuá
Arará | Lukumí | Obeah
Palo | Regla de Ocha | Santeria



Wáji, Uaji ou Arokin, é um tipo de pó azul, chamado pelo povo de santo de indigo. Resulta da mistura de minerais cuja composição é Sódio, Alumínio e Silicato. Também conhecido como (anil) no Brasil, esse pó azul ou em pedrinha quadrada serve para clarear roupas também. O waji ou anil serve para limpezas espirituais, banhos e limpezas de ambientes de trabalho etc...

Wáji na cabeça do Iaô iniciação ketu.

Utilidade[editar | editar código-fonte]

Este pó é utilizado em inúmeros rituais do candomblé, principalmente para assentamentos de orixá "Igba Orixá" e na feitura de santo sobre a cabeça do iaô/elegun. Símbolo da idealização, transformação, direcionamento com o objetivo de proteger contra todos os males espirituas, materiais e psiquicos, principalmente da negatividade de Iyami.

Referências[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre candomblé é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.