Yisrael Beitenu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Yisrael Beiteinu
ישראל ביתנו‎
"Sim para um estado judeu, não para um estado halakhic"
Yisrael Beiteinu party logo
Presidente Avigdor Lieberman
Fundação 1999
Sede Jerusalém,  Israel
Ideologia Nacionalismo[1]
Secularismo[2]
Sionismo revisionista[3]
Liberalismo económico[4][5]
Interesses da minoria russa[6]
Nacional-liberalismo[7]
Anticlericalismo
Espectro político Centro-direita[8] a direita[5]
Knesset
8 / 120
Cores Azul
Página oficial
www.beytenu.org

Yisrael Beiteinu (hebraico: ישראל ביתנו, "Israel é Nosso Lar") é um partido político secularista e nacionalista de Israel, situado na área da centro-direita[9] ou da direita.[10][11][12][13] O seu eleitorado é constituído essencialmente por imigrantes oriundos da antiga União Soviética. O atual líder do partido é Avigdor Lieberman.

História[editar | editar código-fonte]

Avigdor Lieberman

O partido Yisrael Beiteinu foi fundado em 1999 por Avigdor Lieberman, natural da Moldávia e residente em Israel desde 1978. Lieberman foi militante e director-geral do partido Likud, que abandonou por entender que Benjamin Netanyahu, então líder deste partido e primeiro-ministro de Israel, tinha feito demasiadas concessões à Autoridade Palestiniana. Em particular Lieberman opôs-se a planos que previam a divisão da cidade de Hebrom, na Cisjordânia. Neste mesmo ano o partido concorreu às eleições e conquistou quatro lugares no Knesset (parlamento) de Israel. No decurso da legislatura o partido juntou-se ao partido Ichud Haleumi (União Nacional). Nas eleições de 2003 partido concorreu integrado nessa lista.

Nas eleições legislativas de 2006, o Yisrael Beiteinu conquistou 12 lugares no Knesset, sendo o quarto partido mais votado. Nas eleições legislativas em Israel em 2009, o partido logrou 15 assentos, sendo o terceiro mais votado.

Plataforma[editar | editar código-fonte]

O partido deseja estimular a criação de um ambiente sócio-económico favorável aos judeus que desejem realizar a aliá (imigração) para Israel. Defende uma linha dura ao nível das negociações com os palestinianos e os estados árabes. Para além disso, advoga uma transferência da população árabe de Israel para a Cisjordânia como forma de evitar no futuro uma maioria árabe no estado israelita. Por causa desta proposta política, o partido tem sido apelidado de racista e de extrema-direita.

O Yisrael Beiteinu defende igualmente um sistema presidencialista para Israel e o casamento civil.

Resultados eleitorais[editar | editar código-fonte]

Eleições legislativas
Data CI. Votos % +/- Deputados +/- Status
1999 13.º 86 153
2,6 / 100,0
4 / 120
Oposição
2003 5.º 173 973
5,5 / 100,0
Aumento2,9
7 / 120
Aumento3 Governo
2006 5.º 281 880
9,0 / 100,0
Aumento3,5
11 / 120
Aumento4 Governo
2009 3.º 394 577
11,7 / 100,0
Aumento2,7
15 / 120
Aumento4 Governo
2013 Likud
11 / 120
Baixa4 Governo
2015 8.º 214 906
5,1 / 100,0
6 / 120
Baixa5 Oposição
04/2019 7.º 173 004
4,0 / 100,0
Baixa1,1
5 / 120
Baixa1 -
09/2019 5.º 310 154
7,0 / 100,0
Aumento3,0
8 / 120
Aumento3
2020 7.º 263 335
5,7 / 100,0
Baixa1,3
7 / 120
Baixa1

Referências[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Likud signs coalition agreement with Yisrael Beiteinu». Jewish Telegraphic Agency. 25 de maio de 2016 
  2. «New poll shows Liberman positioned as Israel's next coalition kingmaker». i24news. Consultado em 30 de julho de 2019 
  3. «Bringing the Zionist Dream to Life». yisraelbeytenu.com. Consultado em 5 de julho de 2015. Arquivado do original em 8 de novembro de 2006  Parâmetro desconhecido |url-status= ignorado (ajuda)
  4. «Yisrael Beiteinu supports the advancement of free-market economic policies». Jewish Virtual Library. Consultado em 25 de abril de 2010 
  5. a b Khanin, Vladimir (Ze'ev) (2008). «Israel's "Russian" Parties». In: Robert O. Freedman. Contemporary Israel: Domestic Politics, Foreign Policy and Security Challenges. [S.l.]: Westview Press. p. 165. ISBN 978-0813343853 
  6. Jim Zanotti (1 de junho de 2015). «Israel: Background and U.S. Relations» (PDF). Congressional Research Service. p. 58. Consultado em 25 de abril de 2010 
  7. «Lieberman announces call to bring Likud and Blue and White into unity government». JNS. 16 de junho de 2019 
  8. «Israel's Central Elections Committee Releases Final Results After Day of Delays, Computer Malfunctions». The Algemeiner. 11 de abril de 2019 
  9. «Lieberman: We Will Aim for Government With Gantz and Likud, Exclude the ultra-Orthodox». Haaretz. Consultado em 15 de junho de 2019 
  10. Arieff, Irwin (2011). «Middle East Peace Prospects: Is There Any Hope for Long-Term Peace». Issues in Peace and Conflict Studies: Selections From CQ Researcher. Thousand Oaks, Calif.: Sage Publications. p. 217. ISBN 9781412992916. doi:10.4135/9781483349244.n8 
  11. Ulutaş, Ufuk (fevereiro de 2009). «The 2009 Israeli Elections and Turkish-Israeli Relations» (PDF). SETA — Foundation for Political Economic and Social Research. SETA Policy Brief (31): 5. Consultado em 26 de janeiro de 2013. Arquivado do original (PDF) em 9 de novembro de 2013  Parâmetro desconhecido |url-status= ignorado (ajuda)
  12. Aikman, David (2009). The Mirage of Peace: Understanding the Never-Ending Conflict in the Middle East. [S.l.]: Regal. p. 30. ISBN 978-0830746057 
  13. Malcolm B. Russell (2012). The Middle East and South Asia 2012. [S.l.]: Stryker-Post Publications. p. 104. ISBN 978-1610488891  Verifique o valor de |url-access=registration (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]