Zeta Crucis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
ζ Crucis
Dados observacionais (J2000)
Constelação Crux
Asc. reta 12h 18m 26,2s[1]
Declinação -64° 00′ 11,1″[1]
Magnitude aparente 4,05[1]
Características
Tipo espectral B2.5 V[1]
Cor (U-B) –0,68[2]
Cor (B-V) –0,17[2]
Astrometria
Velocidade radial +15,8 km/s[1]
Mov. próprio (AR) -33,80 mas/a[1]
Mov. próprio (DEC) -10,15 mas/a[1]
Paralaxe 9,12 ± 0,45 mas[1]
Distância 360 ± 20 anos-luz
110 ± 5 pc
Magnitude absoluta -1,16
Detalhes
Massa 6,4 ± 0,1[3] M
Raio 3,1[4] R
Luminosidade 1 950[4] L
Temperatura 21 900[4] K
Rotação >65 km/s[5]
Idade 20,0 ± 4,3 milhões[3] de anos
Outras denominações
CD-63 744, HR 4679, HD 106983, HIP 60009, SAO 251841.[1]
Zeta Crucis
Crux constellation map.svg

Zeta Crucis (ζ Cru, ζ Crucis) é uma estrela na constelação de Crux. Com uma magnitude aparente de 4,05,[1] é visível a olho nu em locais sem muita poluição luminosa. Medições de paralaxe indicam que está a aproximadamente 360 anos-luz (110 parsecs) da Terra.[1]

Zeta Crucis é uma estrela de classe B da sequência principal com um tipo espectral de B2.5 V[1] e temperatura efetiva de 21 900 K,[4] o que significa que tem coloração azul-branca.[6] É uma estrela massiva, com uma massa equivalente a 6,4 vezes a massa solar.[3] Seu raio é de 3,1 raios solares e sua luminosidade é 1 950 vezes maior que a solar.[4] Possui uma velocidade de rotação projetada de 65 km/s,[5] considerada baixa para uma estrela dessa classe,[4] e uma idade estimada em apenas 20 milhões de anos.[3]

Zeta Crucis pertence ao subgrupo Centaurus-Crux Inferior da associação Scorpius-Centaurus, a associação OB mais próxima do Sistema Solar.[7][4] Não possui estrelas companheiras conhecidas.[7] Uma estrela de magnitude aparente 12 localizada a 34 segundos de arco está apenas na mesma linha de visão, sendo uma companheira óptica.[4]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l «SIMBAD query result - zet Cru». SIMBAD. Centre de Données astronomiques de Strasbourg. Consultado em 3 de maio de 2014 
  2. a b Johnson, H. L.; et al. (1966). «UBVRIJKL photometry of the bright stars». Communications of the Lunar and Planetary Laboratory. 4 (99). Bibcode:1966CoLPL...4...99J 
  3. a b c d Tetzlaff, N.; Neuhäuser, R.; Hohle, M. M (janeiro de 2011). «A catalogue of young runaway Hipparcos stars within 3 kpc from the Sun». Monthly Notices of the Royal Astronomical Society. 410 (1). pp. pp. 190–200. Bibcode:2011MNRAS.410..190T. doi:10.1111/j.1365-2966.2010.17434.x 
  4. a b c d e f g h Kaler, James B. «ZETA CRU (Zeta Crucis)». Stars. Consultado em 3 de maio de 2014 
  5. a b Wolff, S. C.; Strom, S. E.; Dror, D.; Venn, K (março de 2007). «Rotational Velocities for B0-B3 Stars in Seven Young Clusters: Further Study of the Relationship between Rotation Speed and Density in Star-Forming Regions». The Astronomical Journal. 133 (3). pp. pp. 1092–1103. Bibcode:2007AJ....133.1092W. doi:10.1086/511002 
  6. «The Colour of Stars», Commonwealth Scientific and Industrial Research Organisation, Australia Telescope, Outreach and Education, 21 de dezembro de 2004, consultado em 3 de maio de 2014 
  7. a b Rizzuto, A. C; et al. (dezembro de 2013). «Long-baseline interferometric multiplicity survey of the Sco-Cen OB association». Monthly Notices of the Royal Astronomical Society. 436 (2). pp. p.1694–1707. Bibcode:2013MNRAS.436.1694R. doi:10.1093/mnras/stt1690 
Ícone de esboço Este artigo sobre Estrelas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.