Afonso Dhlakama

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Afonso Macacho Marceta Dhlakama (pronuncia-se aproximadamente como Djacama), nascido a 1 de Janeiro de 1953, é o presidente da RENAMO (Resistência Nacional Moçambicana), o principal partido político da oposição em Moçambique.

Após a morte de André Matsangaíssa, assumiu a liderança da então guerrilha RENAMO, no auge da guerra civil moçambicana. A 4 de Outubro de 1992 assinou com Joaquim Chissano (na altura Presidente de Moçambique), em Roma, o Acordo Geral de Paz, pondo fim a uma guerra civil que durou cerca de 16 anos e que destruiu a economia e infra-estruturas do país, tendo provocado centenas de milhares de mortos. Desde então a RENAMO passou a ser um partido político, o segundo maior partido político de Moçambique.

Actualmente, Dhlakama encontra-se aquartelado no povoado de Sathundjira, Localidade de Vunduizi, Distrito de Gorongosa, Província de Sofala, alegando pretender estar ao lado daqueles que com ele lutaram para a democracia multipartidária em Moçambique, que hoje está a ser ameaçada pelas atitudes do partido no poder.

No dia 21 de Outubro as Forças Armadas de Moçambique FDM junto da FIR Forças de Intervenção rápida atacaram o seu quartel-general, obrigando o líder da Renamo a se refugiar estando num local incerto.

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Afonso_Macacho_Marceta_Dhlakama.gif