Alfabeto tibetano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tibetano (Abugida)
Falado em: China, Índia
Região: Tibete, Jammu e Caxemira
Total de falantes:
Família: Escrita proto-sinaítica
 alfabeto fenício
  alfabeto aramaico
   escrita Brāhmī
    escrita Gupta
     escrita Siddham
      Tibetano (Abugida)
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---
Escritas nos alfabetos mongol, tibetano, chinês e manchu no Templo de Yonghe, em Pequim

.

A Escrita tibetana é um abugida originado da família Brahmi usada para escrever a língua tibetana bem como as línguas butanesa, siquim, ladakhi e por vezes a balti. A forma impressa da escrita é denominada escrita uchen (tibetano: དབུ་ཅན་Wylie: dbu-can; "com uma cabeça") enquanto que a escrita cursiva a mão e usada no dia a dia é chamada escrita umê script (tibetano: དབུ་མེད་Wylie: dbu-med; "sem cabeça").

História[editar | editar código-fonte]

O alfabeto tibetano foi composto no século VII pela tradução de textos sagrados do budismo. Derivado das escritas cursivas utilizadas nessa altura na Índia central, foi composto com um manifesto cuidado de simplificação, graças a um rigoroso conhecimento da fonética. A criação foi atribuída a Thonmi Sambhota, ministro do primeiro rei tibetano convertido ao budismo, que teria trazido, em livros sagrados, estas escritas das Índias.


Essa escrita está intimamente ligada à etnia tibetana, porém, é também usada por línguas tibetanas faladas no Butão, em partes da Índia e do Nepal e mesmo no Paquistão.[1] Além disso, a escrita tibetana influenciou a criação de outras escritas como a limbu e lepcha[2] e a ’phags-pa.[2] . A escrita tibetana apresenta muitas formas romanizadas.[3]

Descrição[editar | editar código-fonte]

"Escrita Tibetana"

A escrita Tibetana tem 30 consoantes, também conhecidas como radicais.

ka kha ga nga
ca cha ja nya
ta tha da na
pa pha ba ma
tsa tsha dza wa (não era originalmente parte do alfabeto)[4]
zha [5] za 'a [6]
ya ra la
sha [5] sa ha [7]
a
Texto policrômico à esquerda do centro é o mantra primário do Budismo tibetano, Sânscrito – IAST “Om Mani Padmeṃ"

Como ocorre como na maior parte das línguas Indianas, cada consoante inclui uma vogal /a/ inerente. Um aspecto único da escrita tibetana é que as consoantesa podem ser escritas simplesmente como radicais, ou podem ser escritas de outras formas, como, por exemplo, com sobrescritos e subscritos.A posição sobrescrita sobre o radical é reservada para as consoantes (sons) r, l, s, enquanto que as posições subscritas sob o radical é para as consoantes y, r, l, w. Para entender como isso funciona, pode-se observar o radical do carácter "ka" ao se tornar "kra" ou "rka". Em ambos os casos, o símbolo para "ka" é usado, mas quando o R está entre a consoante e a vogal, é adicionado um subscrito. Por outro lado, quando o R vem antes do conjunto consoante + vogal, adiciona-se um sobrescrito.(Conf. Daniels) R realmente muda de forma quanto está acima da maior parte das outras consoantes; assim temos རྐ rka. Há, porém, uma exceção a isso no grupo consonantal རྙ rnya. De forma similar, as consoantes w, r, y mudam sua forma quando estão junto a outras consoantes - ཀྭ kwa; ཀྲ kra; ཀྱ kya.

Além de serem escrita com sobre e subscritos, algumas consoantes podem também ser pocionadas em posições de pré-escritas, pós-escritas ou mesmo pós-pós-escritas. Por exemplo, as consoantes g, d, b, m, ’a ("’a chung") podem ser usadas em posição pré-escrita, à esquerda, de outros radicais, enquanto que a posição após o radical (pós-escrita) pode ser tomada por dez das consoantes ( g, n, b, d, m, ’a, r, n̄, s, l. A terceira posição, a pós-pós-escrita, é usada somente para as consoantes d e s (Conf. Daniels).

As vogais usadas na escrita tem os sons a, i, u, e, o. A vogal a é inerente a cada dos radicais de consoantes, mas as demais devem ser indicadas por marcas (diacríticos). Assim: ka, ཀི ki, ཀུ ku, ཀེ ke, ཀོ ko. As vogais i, e, o são posicionadas sobre a consoante como diacríticos, enquanto que a vogal u é posicionada sob a consoante (conf. Daniels). No Tibetano antigo havia o diacrítico gigu 'verso' de significado desconhecido. Não há distinção ente vogais longas e curtos no tibetano antigo, exceto para palavras externas à língua, em especial aquela vindas di Sânscrito.

No sistema Tibetano de escritas as sílabas são escritas da esquerda para a direita [8] As sílabas são separadas por um “tseg” (); Como muitas palavras Tibetanas são monossilábicas, essas marca é por vezes não usada, sendo substituída por um espaçor para separação de palavras.

Mesmo que alguns dialetos Tibetanos apresentem Tons, como a língua em si própria não tinha esses tons quando da criação da escrita, os mesmos não são expressos na escrita. Como os tons se desenvolveram a partir de característcas segmentais, eles podem ser inferidos pela também ser identificados nas palavras tibetanas. Como nas outras escritas indianas, dígrafos consonantais são por vezes feitos caracteres um sobre o outro na vertical. Infelizmente, algumas fontes para informática não atendem a essa caracterísca da escrita Tibetana, não podendo ser aqui apresentados de forma correta.

Transliteração do Sânscrito[editar | editar código-fonte]

Conforme o IAST

Vogais[editar | editar código-fonte]

Devanagari IAST Tibetano Sinais dependentes de vogais   Devanagari IAST Tibetano Sinais dependentes de vogais
a   au ཨཽ
ā ཨཱ རྀ ྲྀ
i ཨི རཱྀ
ī ཨཱི ཱི ལྀ ླྀ
u ཨུ ལཱྀ
ū ཨཱུ ཱུ अं aṃ ཨཾ
e ཨེ अँ ཨྃ
ai ཨཻ अः aḥ ཨཿ ཿ
o ཨོ  

Consoantes[editar | editar código-fonte]

Devanagari IAST Tibetano   Devanagari IAST Tibetano
ka da
kha dha དྷ
ga na
gha གྷ pa
ṅa pha
ca ba
cha bha བྷ
ja ma
jha ཛྷ ya
ña ra
ṭa la
ṭha va
ḍa śa
ḍha ཌྷ ṣa
ṇa sa
ta ha
tha क्ष kṣa ཀྵ

As consoantes retroflexas "cerebral" do Sânscrito ट ठ ड ण ष (ṭa, ṭha, ḍa, ṇa, ṣa) são representadas pela reversão das letras ཏ ཐ ད ན ཤ (ta, tha, da, na, sha) para ter-se ཊ ཋ ཌ ཎ ཥ (Ta, Tha, Da, Na, Sa).

È um regra clássica de transliteração च छ ज झ (ca cha ja jha) para ཙ ཚ ཛ ཛྷ (tsa tsha dza dzha), respectivamente. Atualmente, ཅ ཆ ཇ ཇྷ (ca cha ja jha) também podem ser usados.

Unicode[editar | editar código-fonte]

Bloco em Unicode Tibetano é U+0F00–U+0FFF.[9] Esse inclui letras, dígitos, várias pontuações e símbolos especiais usados em textos religiosos.


Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Chamberlain 2008
  2. a b Daniels, Peter T. and William Bright. The World’s Writing Systems. New York: Oxford University Press, 1996.
  3. Ver, por exemplo [1]
  4. No antigo Tibetano não há letra w, que era, porém, um dígrafo para 'w.
  5. a b No caso de Zh e Sh, o h significa palatização.
  6. O h ou apóstrofo (’) geralmente significa aspiração.
  7. A letra h isolada implica fricativa glotal surda.
  8. Asher, R. E. ed. The Encyclopedia of Language and Linguistics. Tarrytown, N. Y.: Pergamon Press, 1994. 10 vol.
  9. Unicode block U+0F00 – U+0FFF; Tibetan script.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Em inglês

  • Asher, R. E. ed. The Encyclopedia of Language and Linguistics. Tarrytown, N. Y.: Pergamon Press, 1994. 10 vol.
  • Beyer, Stephan V. (1993). The Classical Tibetan Language. Reprinted by Delhi: Sri Satguru.
  • Chamberlain, Bradford Lynn. 2008. Script selection for Tibetan-related languages in multiscriptal environments. International Journal of the Sociology of Language 192:117-132.
  • Csoma de Kőrös, Alexander (1983). A Grammar of the Tibetan Language. Reprinted by Delhi: Sri Satguru.
  • _____ (1980–1982). Sanskrit-Tibetan-English Vocabulary. 2 vols. Reprinted by Delhi: Sri Satguru.
  • Daniels, Peter T. and William Bright. The World’s Writing Systems. New York: Oxford University Press, 1996.
  • Das, Sarat Chandra: “The sacred and ornamental characters of Tibet”. Journal of the Asiatic Society of Bengal, vol. 57 (1888), pp. 41–48 and 9 plates.
  • Das, Sarat Chandra (1996). An Introduction to the Grammar of the Tibetan Language. Reprinted by Delhi: Motilal Banarsidass.
  • Jäschke, Heinrich August (1989). Tibetan Grammar. Corrected by Sunil Gupta. Reprinted by Delhi: Sri Satguru.

Referências externas[editar | editar código-fonte]

Placa de resgistro de veículo de Jammu e Caxemira, em escritas Latina e Tibetana

Referências Unicode[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Alfabeto tibetano