As Bruxas de Salem

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde dezembro de 2011)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
As Bruxas de Salem
Autoria de Arthur Miller
Personagens Abigail Williams
Reverendo John Hale
Reverendo Samuel Parris
John Proctor
Elizabeth Proctor
Thomas Danforth
Mary Warren
Dados da estreia 22 de janeiro de 1953
Local da estreia Martin Beck Theatre, Nova Iorque, Nova Iorque, Estados Unidos da América
Idioma original Inglês
Assunto Bruxas de Salém
Gênero Tragédia, drama
Perfil IBDB

As Bruxas de Salem (The Crucible, em língua inglesa) é uma peça teatral escrita por Arthur Miller em 1953, baseada nos eventos históricos que levaram à perseguição das bruxas de Salém a partir de fevereiro de 1692 em Massachusetts.

A peça foi escrita no início da década de 1950 como uma resposta ao macartismo, período no qual o governo estadunidense passou a perseguir pessoas acusadas de comunistas. O próprio Miller foi chamado para depor perante ao Comitê de Investigação de Atividades Anti-Americanas da Câmara dos Representantes.

A peça foi primeiramente apresentada na Broadway em 22 de janeiro de 1953. A maioria das críticas foram hostis, apesar do jornal The New York Times ter argumentado se tratar de "uma peça poderosa [numa] performance bem conduzida". Apesar disso, As Bruxas de Salem venceu o prêmio Tony de melhor peça daquele ano. Um ano depois a peça foi reapresentada e começou a se tornar um clássico do teatro estadunidense. Hoje, é apresentada e estudada em escolas de ensino médio e em universidades, tanto por seu status revolucionário quanto por sua documentação não-explícita da política estadunidense da década de 1950.

Adaptações cinematográficas[editar | editar código-fonte]

A peça foi adaptada duas vezes para o cinema. A primeira adaptação, intitulada Les Sorcières de Salem, foi feita na França em 1957 por Jean-Paul Sartre. A segunda, intitulada The Crucible, foi feita em 1996 pelo próprio Miller, que recebeu uma indicação ao Oscar de melhor roteiro adaptado. Em 1961 a peça foi adaptada para o formato de ópera pelo compositor Robert Ward, que recebeu um prêmio Pulitzer de melhor música por seu trabalho nessa adaptação. Também houve várias adaptações para a televisão, as mais notáveis são a de 1967 com George C. Scott no papel principal e a de 2002, intitulada Salem Witch Trials, com Kirstie Alley e Rebecca De Mornay.