Ask.fm

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ask.fm
Ask.fm Logo.png
Requer pagamento? Não
Gênero Rede social
Cadastro Público
País de origem Estados Federados da Micronésia
Idiomas Indonésio, Bósnio, Checo, Alemão, Holandês, Estoniano, Inglês, Espanhol, Filipino, Francês, Croata, Italiano, Letão, Lituano, Húngaro, Norueguês, Polaco, Português, Romeno, Eslovaco, Esloveno, Sueco, Turco , Grego, Búlgaro, Macedônio, Russo, Sérvio, Ucraniano, Árabe, Georgiano, Chinês, Japonês
Lançamento 2010
Posição no Alexa Aumento 389 (Novembro de 2012)[1]
Desenvolvedor Próprio
Página oficial ask.fm

Ask.fm (estilizado como ask.fm) é uma rede social da Letonia [2] , baseada no núcleo phpFox[carece de fontes?], e em seu tema Altitude. Permite que os usuários recebam perguntas de outros usuários ou de pessoas não cadastradas. As perguntas são enviadas para a caixa de entrada, de onde o usuário pode escolher entre respondê-las ou excluí-las. Todas as respostas são armazenadas no perfil do usuário, onde qualquer um pode vê-las.[3] . É registrado nos Estados Federados da Micronésia, é o mais popular dos sites registrados nesse pequeno arquipélago independente da Oceania.

O Ask.fm permite conexões com outras redes, como Facebook, Twitter, VK e Tumblr, o que permite que a rede social seja divulgada amplamente.[carece de fontes?]

História[editar | editar código-fonte]

O site foi fundado em 2010 nos Estados Federados da Micronésia para competir com o Formspring,[4] uma rede social onde também fazem perguntas anônimas ou não. Desde então, ultrapassou a Europa e está disponível em vários países.[1]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Cyberbullying[editar | editar código-fonte]

Entre 2012 e 2013, o local tornou-se associado com inúmeros casos de cyberbullying , alguns dos quais levaram a suicídios, especialmente em adolescentes.Vários anunciantes, mais notavelmente The Sun jornal, BT e Specsavers respondeu, cortando laços com a local.

Pedofilia[editar | editar código-fonte]

O adulto Stanimir Todov usou sua conta na rede social Ask.fm para a pedofilia, ele forçava crianças que tinham acesso à rede social e simulava o sexo pela webcam com o acesso de "responder gravando um vídeo". De acordo com as informações, as crianças búlgaras Marina Angelova e Pazardzhik foram umas das vítimas do internauta que confessou o crime.[5]

Suicídio[editar | editar código-fonte]

Em 2012, duas adolescentes irlandesas cometeram suicídio, após terem sido intimidadas por um anônimo.[6]

No Brasil[editar | editar código-fonte]

No Brasil ocupa a terceira posição com 1,86% do total de visitas a redes sociais , deixando para traz redes como o Orkut e o Twitter.[7]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Ask.fm Site Info (em inglês) Alexa Internet. Página visitada em 26 de julho de 2012.
  2. O'Hear, Steve (27 de junho de 2012). Ask.fm Claims It's Overtaken Q&A Giant Formspring - What's Going On Here? (em inglês) The Chronicle. Página visitada em 26 de julho de 2012.
  3. Saiba como funciona o Ask.fm (em português brasileiro) Melhor Notebook.. Página visitada em 12 de setembro de 2012.
  4. Ask.fm Claims It’s Overtaken Q&A Giant Formspring – What’s Going On Here? Tech Crunch (27 June 2012). Página visitada em 1 de novembro de 2012.
  5. Pelo monitor, Zoe Todov, o pedófilo do Ask.fm (em russo) Monitor.. Página visitada em 12 de setembro de 2012.
  6. McQuinn, Cormac. "Website linked to two deaths here has over 20 million users", 30 de outubro de 2012.
  7. Ask.fm é mais usado que Orkut e Twitter no Brasil

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre Internet é um esboço relacionado ao Projeto Internet. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.