Moodle

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde novembro de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros, acadêmico)Yahoo!Bing.


Moodle
Moodle-logo.svg
Moodle 2.0 on Firefox 4.0.png
Desenvolvedor Martin Dougiamas
Lançamento 2001
Escrito em PHP
Sistema operativo Multiplataforma
Gênero(s) Ambiente virtual de aprendizagem
Licença GPLv3+
Página oficial http://moodle.org/

MOODLE é o acrónimo de "Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment", um software livre, de apoio à aprendizagem, executado num ambiente virtual (ver ambiente virtual de aprendizagem). A expressão designa ainda o Learning Management System (Sistema de gestão da aprendizagem) em trabalho colaborativo baseado nesse programa, acessível através da Internet ou de rede local. Em linguagem coloquial, em língua inglesa o verbo "to moodle" descreve o processo de navegar despretensiosamente por algo, enquanto fazem-se outras coisas ao mesmo tempo.

Utilizado principalmente num contexto de e-learning ou b-learning, o programa permite a criação de cursos "on-line", páginas de disciplinas, grupos de trabalho e comunidades de aprendizagem, estando disponível em 75 línguas diferentes. Conta com 25.000 websites registrados, em 175 países.

História[editar | editar código-fonte]

O conceito foi criado em 2001 pelo educador e cientista computacional Martin Dougiamas. Voltado para programadores e acadêmicos da educação, constitui-se em um sistema de administração de atividades educacionais destinado à criação de comunidades on-line, em ambientes virtuais voltados para a aprendizagem colaborativa. Permite, de maneira simplificada, a um estudante ou a um professor integrar-se, estudando ou lecionando, num curso on-line à sua escolha.

Filosofia[editar | editar código-fonte]

Nas palavras do próprio Dougiamas, baseando-se na pedagogia sócio-construtivista:

(...) não só trata a aprendizagem como uma atividade social, mas focaliza a atenção na aprendizagem que acontece enquanto construímos ativamente artefatos (como textos, por exemplo), para que outros os vejam ou utilizem.

A filosofia do projeto é orientada pelo que os desenvolvedores denominam de "pedagogia sócio-construtivista", pautada em quatro conceitos-chave:

  1. Construtivismo — teoria pedagógica que sustenta que as pessoas constroem ativamente novos conhecimentos à medida que interagem com o seu ambiente;
  2. Construcionismo — que sustenta que a aprendizagem é particularmente eficaz quando se dá construindo alguma coisa para que outros experimentem;
  3. Construcionismo Social — que amplia o conceito anterior para um grupo de pessoas que constroem algo para outras que, de maneira colaborativa, criam assim uma cultura de "coisas" compartilhadas, assim como de significados compartilhados;
  4. Ligado e Separado — onde o objeto de observação é a motivação das pessoas em uma determinada discussão de assuntos.

Estes conceitos podem não ser compreendidos e assimilados pelos utilizadores em uma primeira abordagem, mas os desenvolvedores recomendam que os utilizadores possuam um conhecimento prévio dos mesmos.

Distribuição[editar | editar código-fonte]

O programa é disponibilizado livremente na forma de software livre (sob a licença de software livre GNU Public License) e pode ser instalado em diversos ambientes (Unix, Linux, Windows, Mac OS) desde que os mesmos consigam executar a linguagem PHP. Como base de dados podem ser utilizados MySQL, PostgreSQL, Oracle, Access, Interbase ou qualquer outra acessível via ODBC.

É desenvolvido colaborativamente por uma comunidade virtual, que reúne programadores e desenvolvedores de software livre, administradores de sistemas, professores, designers e usuários de todo o mundo. Evolui constantemente adequando-se às necessidades dos seus utilizadores.

Constitui-se num software intuitivo e fácil de utilizar, que tanto pode dar origem a uma página de um único professor/formador, como à página de uma Universidade, com dezenas de milhar de alunos/utilizadores.

Os seus requisitos técnicos são:

  • Servidor - Servidor Web com suporte PHP (ex.: Apache, IIS);
  • Cliente - Browser e software específico para visualização dos recursos (formatos "pdf", "doc", etc.)

Os principais tipos de utilizadores (papéis) são:

  • Administrador
    • Gerir utilizadores
    • Definir modelos de autenticação
    • programar cópias de segurança automáticas
    • gerir disciplinas e as suas categorias
    • gerir idiomas
    • gerir módulos (atividades e blocos)
    • gerir página inicial
    • gerir aparência do site
    • aceder a relatórios
    • instalar novos blocos de atividades
    • editar aparência dos temas
    • atualizar a versão do Moodle
  • Professor
    • configuração da disciplina
    • gestão de alunos
    • gestão de grupos
    • gestão de cópias de segurança
    • análise de relatórios
    • gestão de escala de notas
    • análise de notas dos alunos
    • gestão de sistema de arquivos/ficheiros
    • acesso a fórum de professores
    • acesso a tarefas efetuadas pelos alunos
  • Aluno
    • recursos
    • atividades
    • bloco administração

Utilização[editar | editar código-fonte]

Muitas instituições de ensino (básico e superior) e centros de formação estão adaptando a plataforma aos próprios conteúdos, com sucesso, não apenas para cursos totalmente virtuais, mas também como apoio aos cursos presenciais. A plataforma também vem sendo utilizada para outros tipos de atividades que envolvem formação de grupos de estudo, treinamento de professores e até desenvolvimento de projetos. Muito usado também na Educação a distância. Outros sectores, não ligados à educação, também utilizam o Moodle, como por exemplo, empresas privadas, ONGs e grupos independentes que necessitam interagir colaborativamente na Internet.

Os cursos Moodle podem ser configurados em três formatos, de acordo com a atividade a ser desenvolvida:

  • Formato Social – em que o tema é articulado em torno de um fórum publicado na página principal;
  • Formato Semanal - no qual o curso é organizado em semanas, com datas de início e fim;
  • Formato em Tópicos - onde cada assunto a ser discutido representa um tópico, sem limite de tempo pré-definido.

A plataforma Moodle apresenta como pontos fortes, quando utilizado para o ensino:

  • Aumento da motivação dos alunos;
  • Maior facilidade na produção e distribuição de conteúdos;
  • Partilha de conteúdos entre instituições;
  • Gestão total do ambiente virtual de aprendizagem;
  • Realização de avaliações de alunos;
  • Suporte tecnológico para a disponibilização de conteúdos de acordo com um modelo pedagógico e design institucional;
  • Controlo de acessos;
  • Atribuição de notas.

A plataforma permite a transmissão e organização dos conteúdos de materiais de apoio às aulas, pelo facto de ser uma ferramenta que permite produzir cursos e páginas da Web, facilita a comunicação (síncrona ou assíncrona), possibilitando contribuir para um padrão superior quer no ensino presencial, quer no ensino a distância

Os recursos disponíveis para o desenvolvimento das atividades são:

  • Materiais estáticos (ex.: páginas de texto, páginas de texto Web, apontadores para ficheiros ou páginas Web, conteúdos de pastas)
  • Materiais dinâmicos (atividades):
    • Avaliação do Curso
    • Chat
    • Diálogo
    • Diário
    • Fórum
    • Glossário - utilizado para descrever termos e respectivas definições, ligados à disciplina.
    • Lição
    • Pesquisa de Opinião (referendo)
    • Questionário - com questões de diversos tipos (escolha múltipla, verdadeiro ou falso, resposta curta, comparação) pode ser respondido on-line pelos alunos, permitindo-lhes ver qual a sua classificação.
    • SCORM
    • Tarefa - atividade proposta pelo professor/formador aos alunos
    • Trabalho com Revisão - o professor/formador tem acesso a trabalhos enviados pelos alunos, pode avaliá-los e comentá-los.
    • Wiki
    • Livro - permite disponibilizar um livro eletrônico criado pelo professor, e que pode ser constituído por vários capítulos, dispostos em dois níveis diferentes.

Principais características[editar | editar código-fonte]

Os materiais dinâmicos (atividades) disponibilizados pelo professor/formador constituem a grande mais-valia do Moodle, uma vez que permitem a interação entre o professor/formador e os alunos.

  • Fóruns - locais de debate, partilha de ideias e esclarecimento de dúvidas;
  • Gestão de conteúdos (Recursos)
  • Questionários e pesquisas com diversos formatos
  • Blogs
  • Wikis
  • Geração e gestão de Base de Dados
  • Sondagens
  • Chats - salas de conversação entre os utilizadores; podem ser utilizadas para conversação em tempo real.
  • Glossários
  • Peer assessment
  • Pesquisa de avaliação:
    • ATTLS
    • COLLES
    • Incidentes criticos
  • Suporte multi-idioma (mais de 75 idiomas são suportados pelo interface actual).

O Moodle em Portugal[editar | editar código-fonte]

Em Portugal, o Moodle conta com 900 websites registrados:

  • Estabelecimentos de ensino (jardins de infância, escolas do 1º Ciclo ao Secundário e Universidades)
  • Agrupamentos de escolas
  • Centros de formação de professores
  • Centros de competência
  • Páginas pessoais de professores e formadores
  • Sindicatos de professores
  • Empresas de formação
  • Tertúlias, Igrejas e Comissões de festas.

Desevolvimento[editar | editar código-fonte]

Dentre os diversos releases da plataforma,[1] constam:

Branch Lançamento Novidades Última versão Data da última versão Suporte
Moodle 2.5 14 de maio de 2013 Moodle 2.5.1 08 de julho de 2013 Ativo
Moodle 2.4 03 de dezembro de 2012 Moodle 2.4.5 08 de julho de 2013 Ativo
Moodle 2.3 25 de junho de 2012 Moodle 2.3.8 08 de julho de 2013 Ativo
Moodle 2.2 5 de dezembro de 2011 Moodle 2.2.11 08 de julho de 2013 Descontinuado
Moodle 2.1 1 de julho de 2011 Moodle 2.1.10 14 de janeiro de 2013 Descontinuado
Moodle 2.0 24 de novembro de 2010 Moodle 2.0.10 9 julho de 2012 Descontinuado
Moodle 1.9 3 de março de 2008 Moodle 1.9.19 9 de julho de 2012 Descontinuado
Moodle 1.8 30 de março de 2007 Moodle 1.8.14 3 de dezembro de 2010 Descontinuado
Moodle 1.7 7 de novembro de 2006 Moodle 1.7.7 28 de janeiro de 2009 Descontinuado
Moodle 1.6 20 de junho de 2006 Moodle 1.6.9 28 de janeiro de 2009 Descontinuado
Moodle 1.5 5 de junho de 2005 Moodle 1.5.4 21 de maio de 2006 Descontinuado
Moodle 1.4 31 de agosto de 2004 Moodle 1.4.5 7 de maio de 2005 Descontinuado
Moodle 1.3 25 de maio de 2004 Moodle 1.3.5 9 de setembro de 2004 Descontinuado
Moodle 1.2 20 de março de 2004 Moodle 1.2.1 25 de março de 2004 Descontinuado
Moodle 1.1 29 de agosto de 2003 Moodle 1.1.1 11 de setembro de 2003 Descontinuado
Moodle 1.0 20 de agosto de 2002 Moodle 1.0.9 30 de maio de 2003 Descontinuado

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]